quinta-feira, 4 de dezembro de 2014

Chupeta, será chuperto ou chúpido?

E não é que os nossos miúdos andam o "dia inteiro" a mamar um pedaço de silicone

Não estou a insinuar que as nossas leitoras têm maminhas "novas" mas, se tiverem, não quero ver porque morro de inveja. Já o meu marido não se deve importar de ver, peçam o mail no comentário. Não se ponham é com muitas conversas: enviem, ele agradece e pronto.  

A sério que adorava ter maminhas dessas sem ter de passar pelo processo e, ainda por cima, estes soutiens manhosos de amamentação, só fazem com que olhe para elas e sinta que deveriam estar no corpo da já falecida há algumas dezenas de anos, duquesa de Alba. 

Pensando melhor, não enviem nada para o meu marido. Deixem-no estar cá em casa que me parece feliz. 

Dei por mim a pensar nisto da chupeta. Achamos, sem dúvidas, bizarros alguns actos praticados nas gerações anteriores à nossa: "como é que é possível terem posto açúcar nas chuchas?", "e darem-lhes leite de vaca nos primeiros meses de vida?", "e comerem um pacote inteiro de ovos moles com apenas 3 dias de vida?".  O que será que dirão de nós, mães de 20xx, daqui a uns anos?

Isto da chucha será para durar? Sabemos que não é natural, porque não imagino que os bebés andassem aflitos a chuchar em machados de pedra, em pequenos pedaços de anta ou na barba da mãe. Mamariam sim, onde? No Magoito? No olho esquerdo do Poiares Maduro? Não, nos valentes tetos, sempre disponíveis (calculo que, na altura, não só para os filhos) da sua mãe (ou se calhar até de outras mães que tivessem por perto). 

Qual é o propósito da chucha? Li algures (sei onde foi, mas não me apetece estrilhos, especialmente com o Dr. Mário Cordeiro que admiro) que a chupeta, muitas vezes, serve para calarmos os miúdos e que os pais é que deveriam usar chupeta. Quando li isto, grávida de oito meses, pensei "granda moral que tem o senhorzinho para dizer estas tretas" (não consigo mesmo dizer mal do Dr., ainda para mais cruzei-me já com ele num programa de televisão e tem um ar adorável) e depois, claro, pensei "tenho de ir urinar". 

Muitas mães poderão ter problemas na estabilização da amamentação pelos bebés anularem ou se distraírem dos desejos de chuchar, sede e fome com a porcaria do plástico. Descansem, não estou aqui novamente para falar de amamentação dando as minhas opiniões aos berros, mas a verdade é que, se mantivéssemos tudo no registo mais natural possível, tudo aconteceria naturalmente, certo?

Confesso que isto da maternidade anda a fazer-me pensar a priori. Nunca foi grande característica minha, mas agora as responsabilidades são outras. Porém, há coisas que não costumamos questionar por serem "normais" ou "tradicionais". O "normal" muda com o tempo, com as modas, com os conhecimentos, com os interesses... 

A minha filha usa chupeta. Usa, para aí, desde o segundo mês de vida (durante o primeiro mês é provável que cause nipple confusion, o que não é nada bom). E, confesso que, quando lhe espetei a chucha na boca, senti tristeza e ciúmes (sou maluquinha, eu sei). Primeiro, porque tinha parido o leitãozinho há pouco tempo e tudo me dava tristeza, até o rodapé da sala. Depois porque achei que a chucha estava a substituir-me. Senti isso e, como tantas outras coisas, borrifei-me para isso: "todos os bebés usam chuchas, deixa-te de merd*s". 

Não é isso que faz das nossas decisões as mais correctas, não é? Aquele argumento infantil, mas que não deixa de ter alguma pertinência "e se todos as mães atirassem os bebés da janela de um Ford Fiesta, atiravas?". Não. Até porque nunca teria um Ford Fiesta.

O que vai na minha cabeça:

  • pode deformar os dentes
  • ajuda a adormecer
  • prejudica o bebé em conseguir arranjar mecanismos para se "acalmar sozinho"
  • afasta o bebé da mãe (porque, se não houvesse chucha, provavelmente a mãe teria que o acalmar com contacto físico)
  • tenho que ir comer qualquer coisa (sim, isto de ser anafadinha dá trabalho: tenho que me levantar e ir à despensa imensas vezes ao dia)
  • há chuchas muito, muito giras e adoro combinar as chuchas com as roupas
  • às vezes é só pôr a chucha e a miúda fica calada (o que dá tanto jeito)
  • pode dificultar o processo de amamentação
  • é uma carga de trabalhos (acho que não é mito) fazer o funeral da chucha (parece ser parecido com o deixar de fumar, não é?)
  • atrasa o nosso processo de reconhecimento de quando estão prontos para ir fazer a sesta (sorry, mas não consigo explicar esta melhor do que isto)

Se a Irene usa chucha? Usa. É muito gira. A chucha e a Irene. Dei por mim a pensar nisto. Não vou mudar nada porque, por causa daquelas coisas que senti, ela praticamente só a usa na cama, para adormecer. 

Deixo aqui, porém, a reflexão à maneira do "homenzinho que achou que tinha muita moralzinha": 

Será que eles pedem mesmo chucha? Ou pedem outra coisa qualquer mas calam-se por ficarem de boca cheia?




7 comentários:

  1. Eu acho que não pedem chuca! Pedem mama, pedem alimento, mas chucha não pedem.
    Eu testei isso num prematuro de 30s e numa fim de tempo de 38s. Nem um nem outra usaram chucha.
    E sim, eu comprei chuchas, eu tinha chuchas, na NEO ainda insistiram com ele e a chucha para promover o reflexo de sucção e eu ainda lhes ofereci algumas (poucas) vezes... E eles nunca foram à bola da chucha... Enquanto que com mamoca da mãe foram os 2 até aos 22 meses. Se tivesse mais um filho já nem me dava ao trabalho de comprar chuchas.

    ResponderEliminar
  2. A minha usa chucha desde os 12 meses. Habituaram-na na creche. Confesso que não gostei, nem gosto... Mas que acalma, acalma. Ela sempre foi mt chorona, e agora com a chucha chora menos. Mas eu tb digo, claro que chora menos, tem a boca ocupada. Agora já tá viciada na chucha, já quer a chucha pra dormir, pra andar de carro... Acorda de noite porque perdeu a chicha... Mas tenho que ande só com ela em casa e na cheche.

    ResponderEliminar
  3. O meu usa desde o 3.º dia. E tinha feridas em ambas as mãos de chuchar quando na minha barriga (nasceu com ambas, que sararam quando não o deixávamos chuchar nas mãos). Portanto, chupeta.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ressalvo que haviamos decidido que ele não usaria (se não conhecesse não precisaria). A realidade ultrapassou-nos e ao 3.º dia o pai teve de ir comprar uma.

      Eliminar
  4. usa chucha desde o 2º mês, é o amor da vida dele (a seguir a mim claro!). Nao passo sem ela, pq o acalma mesmo. daí o nome, pacifier.
    its a keeper!!

    ResponderEliminar
  5. A Chucha é inseparável do meu Pedro ele quando tem sono pede a Chucha, ele chora ofereço lhe a maminha mas ele não quer ponho a Chucha e ele lá adormece ;) e quando está com as birras dele é a Chucha que o acalma

    ResponderEliminar
  6. A Teresa do Pais de Quatro tem posts sobre a chucha: http://paisdequatro.blogs.sapo.pt/a-mama-e-medica-9-1-201562

    ResponderEliminar