segunda-feira, 22 de dezembro de 2014

Vai para o quarto dela.

Quando é que se põe os bebés a dormir no quarto deles?

Alguma literatura diz que deve ser por volta dos 9 meses por já não haver tanto risco de morte súbita (li aqui e noutros sítios, mas que agora não me vou por a procurar, apesar de gostar muito de vocês).

Li também que não convém ser perto dos 9 meses, o melhor é ser muito antes ou muito depois por causa da ansiedade de separação que ocorre por volta desta altura e, portanto, para não se sentirem abandonados por serem colocados noutra divisão. 

Não preciso de ler qual será a opinião do muito amado pediatra Carlos González sobre isso porque é sempre "como a mãe achar melhor". E, neste caso, concordo: a mãe é que sabe. 

Nunca percebi qual pode ser o nosso contributo para não ocorrer a morte súbita. Se é súbita, se não se sabe por que é que acontece, como é que os pais poderão evitar isso, estando perto dos bebés? Não percebo. Devo estar mal informada (algo que, de vez em quando, é possível).  

Se fosse morte por engasgamento súbito, percebo porque ouviríamos e fazíamos aquelas manobras de emergência (também se ouve se eles dormirem no quarto ao lado). Sendo que é súbita, se ninguém sabe por que é que acontece, até porque se soubéssemos, deixaria de existir tão "subitamente", será por uma falsa sensação de segurança que, por isso, também os queremos no quarto connosco?

Seja como for, a Irene foi para o quarto dela no 2º dia cá em casa. A respiração dos recém nascidos é tão irregular que, sempre que não a ouvia respirar, achava que ela tinha morrido. Estava a dar em doida (ainda mais), para além de ainda ter o pipi todo cosido, ter os pés todos inchados, estar ainda toda "mamadinha" do parto, tudo. E queria descansar. Além disso, sempre que tinha de lhe dar de mamar, de três em três horas, tinha de acordar o pai para fazer tudo isso (no início, com pouca prática, é tudo muito complicado) e assim era mais justo. Se era eu quem tinha de acordar para dar de mamar, era só eu quem acordava. Poltrona no quarto dela e dava-lhe de mamar de olhos fechados. 



Habituamo-nos, desde sempre, a ter a Irene no quarto dela e acho que ela também. Aos 3 meses fazia noites seguidas de 12 horas (até tivemos de falar com a pediatra, para saber se estaria tudo bem). A verdade é que, desde aí, nunca mais dormiu tão bem, mas atribuo isso ao facto do cérebro dela estar a fritar de tanta coisa que anda a aprender. 

Sei que é chocante ter posto a minha filha a dormir no quarto dela tão cedo até porque, na altura, andava num centro de recuperação pós parto para mamãs (durei umas 7 aulas hehe), falou-se sobre isso e tanto a PT como as outras mães ficaram em puro choque (o que me magoou um pouco, dada a falta de sensibilidade da PT, mas deve ter sido por causa das minhas hormonas ou assim, porque não costumo ser muito sensível no que toca a julgamentos públicos). 

Se eu não tivesse passado por isto, provavelmente julgaria que seria sintoma de depressão pós parto e falta de apego à bebé (que me aconteceu, é verdade, na maternidade, mas não acho que tenha sido falta de apego, atribuo a parto traumático, mas também falarei disso noutro post). 

Não vejo necessidade nenhuma de ter a bebé no meu quarto. Ela está tão perto de mim no quarto ao lado que nem preciso de intercomunicador. Acordo ao mínimo barulho dela. Como não dormimos na mesma cama, não vejo necessidade (apenas vontade, claro). Ando doida para, um dia, conseguir dormir com a Irene, na mesma cama, mas a pirralha ainda não se acalma a esse ponto. Fica para quando ela tiver 40 anos e estiver a mudar-me as fraldas. 

Infelizmente sei de muitas mães que reagem a por os filhos nos quartos deles como se fosse uma expulsão da casa dos segredos: eles não vão morrer, não vão desaparecer, vão só para outro sítio e, mesmo assim é o pânico total. Deve ser uma hormona maternal qualquer que me falta, mas acho muito bonito, claro. 

Para mim, o lugar das mães é sempre ao pé dos seus bebés, mas eu sinto-me ao pé da Irene na mesma. 

Quanto a ter falta de apego à Irene... nem me vou pronunciar. :)

Quando planeiam por os vossos bebés no quarto deles? Ou, para as mães mais experientes, quando os puseram?

De ressalvar que há imensas vantagens em os bebés dormirem sozinhos (quando a mãe sentir que é oportuno), não estamos a falar de um mal desnecessário, ok?

Faço sempre a ressalva de que "a mãe é que sabe" porque tudo o que ela sinta que é contra-natura, além de matar todas as vantagens, até poderá fazer mal e a todos lá em casa.


*imagem do site We Heart It. 

16 comentários:

  1. Foi com 2 meses! Não foi mais cedo pq como nasceu prematuro ainda não tinha berço!
    Também não vejo necessidade de o ter no meu quarto mas já na gravidez toda a gente me dizia que ele só iria para o quarto dele lá para os 6 meses.. Porque os outros é que sabem lolol

    ResponderEliminar
  2. Olá Joana. No meu caso o Filipe foi para o quarto dele aos 2 meses, quando começou a fazer as noites completas. Nessa altura ainda dormia no chamado "Moisés" que já era pequeno para ele tb, então passou para a cama grande de grades no quarto dele. Muita gente (sobretudo sogra) disseram que o menino ia chorar por sair do nosso quarto, que poderia morrer na noite seguinte (acho horrivel dizer uma coisa destas a uma mãe seja de que viagem for)... A verdade é que como ele às 20h já estava a dormir e eu e o meu namorido ainda relaxavamos a conversar ou ver tv notámos que ele não descansava, mexia-se muito na cama, choramingava. Testamos o quarto e cama novos na noite do 2 mesário e correu tão bem que ficou lá desde aí. Agora com 6 meses só gosta de dormir lá, de barriguinha para baixo como sempre desde que nasceu. Morte súbita, sempre foi o tema por causa da posição de dormir, mas ele só dorme para baixo, é como gosta! Se a morte é súbita, durante o sono eu nunca poderei fazer nada para me aperceber e resolver a tempo... E o que tiver de ser será, se tiver de morrer morre, não é por estar ao meu lado que deixa de acontecer... Pode ser mt frio da minha parte mas eu acho que é assim mesmo, senão ansiosa como sou não dormia só para ver se ele respirava e a melhor fase da minha vida seria um inferno...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Somos tão parecidas, Cody! Exactamente tudo o que senti! Mesmo! :)

      Eliminar
    2. Fico contente por dizer isso, tanta gente me disse que era louca e afinal vejo que mts mamãs fizeram o mesmo, assim que se sentiram prontas e os bebés estavam prontos seguiram para os quartinhos deles. A idade a que se vai pouco importa, de que vale por a criança no quarto se a mãe não se sente segura? O nosso bem estar físico e psicológico é importante para o bem estar deles e parece que mt gente se esquece disso e mts vezes obrigam mamãs que não estão preparadas a "separarem-se" dos seus bebés ou pelo contrário (que era o que queriam fazer comigo) obrigarem a continuar-mos coladas a eles quando estão melhores "sem nós"...

      Eliminar
  3. Eu acho que cada pai sabe o que é melhor pros filhos. 2 dias, 2 meses, 2 anos. Cada um sabe de sim e os bebés são todos diferentes. A minha só mudou aos 15 meses, mas foi mais por preguiça. Ela até aos 11 meses acordava 1 vez por noite para mamar. Dps, qd começou a dormir noites inteiras, eu n tinha o quarto dela pronto, e assim se foi adiando... Portanto, preguiça nossa, não dela. :)

    ResponderEliminar
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  5. A Sofia nasceu no mesmo dia que a Irene e dorme na caminha dela no nosso quarto. Arranjo sempre uma desculpa para ela ficar. Passo tão pouco tempo com ela, que me aquece o coração sabe-la ali.
    Não estou preparada - cena de mãe desiquilibrada.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Manas! :) :) Não é mãe desequilibrada, é mãe que sente que passa pouco tempo com a Sofia :))

      Eliminar
  6. O Lucas foi para o quarto dele aos 4 meses e foi a coisa mais pacífica. Como eu ainda estava de licença, uma semana antes pu-lo a dormir lá de dia. Assim quando ficou de noite não estranhou minimamente e já lá vão 6 meses (credo! como o tempo passa!!!)

    ResponderEliminar
  7. A minha filha tem quase 13 meses e ainda dorme no meu quarto, mas pk moro num T1!!!!! Acho que já a devia ter mudado há mtooo tempo mas tb não posso pôr a miúda na sala!!! Agora no fim do ano vamos mudar-nos para um T2 e ela finalmente vai ter o seu quartinho!!!!! Confesso que estou com um bocado de receio, até mais por mim do que por ela. Ela é uma criança super tranquila, nunca me deu más noites e dorme a noite toda desde os 15 dias!!!! Mas eu sou do tipo que durante a noite coloco o dedo à frente do nariz dela p ver se esta a respirar!!!!! Mas vai correr td bem!!!!! Mas tenho a certeza que se ela tivesse um quarto para ela e tendo sido uma Bebé tão fácil como foi teria ido para o seu quartinho logo cedo :)

    ResponderEliminar
  8. Joana, é assim mesmo! Cada Mãe sabe o que é melhor para os filhos e para a família. Seja ao 2º dia, aos 2 meses ou aos 2 anos. O mais importante é que não haja fundamentalismos nem julgamentos... :P afinal de contas, todas queremos o melhor para os nossos filhos.

    ResponderEliminar
  9. Cá em casa, até aos 3 meses acordava a bela adormecida para comer a meio da noite (comia tão mal de dia, que andava com medo de subnutrir a criança se lhe tirasse a ceia) daí para a frente por ordem da pediatra, acabou-se com a ceia e dorme-se a noite toda e não incomoda ninguém (está uma crescida).
    Ando a convencer-me de que a passo para o quarto dela quando se conseguir mudar de posição. No entanto, não sei, afinal de contas, não incomoda, e nós respeitamos e tentamos também não a incomodar, e gosto tanto de olhar para o lado e vê-la a dormir tão descansadinha. Se calhar (puro egoísmo, mas que se lixe) vai para o quarto quando deixar de caber no berço pequenino.

    ResponderEliminar
  10. Olha o Manuel dormiu comigo, na minha cama e em cima do meu peito/barriga ate aos 2 meses e qualquer coisa. Era super pratico e nos dormiamos super bem. Ai comecei a polo no berco, porque muitas mamas me diziam que aos 3 meses os seus bebes ja dormiam a noite toda. Aos 3 meses mudamos de casa e o Manuel ganhou o seu quartinho e passou a dormir la...
    Por volta do 1,5 ano, comecou a conseguir (nao me perguntes como pois dormia que nem uma pedra) a trepar as grades da cama e a aparecer na nossa cama. Hoje continua a aparecer de noite, mas em vez de ser la para as 2 ja vem so la para as 5...
    E e taaaaaaaaaaaaao bom!!!! :-)

    ResponderEliminar
  11. Ca por casa dormimos na mesma cama desde que ela nasceu. E ja la vai quase 1 ano e nao tenciono mudar

    ResponderEliminar
  12. Por CA fazemos co-sleping desde o dia 1 penso em po lo no quartinho dele por volta dos 2 anos
    Cada mamã sabe de si ;) eu adorooo dormir com o meu bebé <3

    ResponderEliminar
  13. Olá Joana! :) A minha filha também foi para o quartinho dela desde o 2º dia e dorme a noite toda desde os 4 meses. Acho que foi o melhor que fizemos porque assim ela nunca se habituou a dormir no nosso quarto e mais tarde não "sofreu" com a separação e, mais importante que tudo, eu consegui sempre dormir bem desde o 2º dia, já que no 1º ela ficou connosco e acordava com qualquer barulhinho dela e já estava a dar em maluca! Ahahah Mas claro, cada mãe é que sabe! ;) Beijinhos*

    ResponderEliminar