sexta-feira, 2 de janeiro de 2015

O pânico com a porcaria da mala da maternidade

Lembro-me de ficar em pânico com isto quando estava grávida. Havia imensas listas por todo o lado na internet (porque eu as procurava, é verdade) e cada item que lá estava ou que, por comparação, faltava, deixava-me cheia de nervos. Pior: as listas podem mudar de hospital para hospital. Pior: nas aulas de preparação para o parto do meu hospital, avisaram-me que podia nem haver compressas... pelo que me apeteceu transportar uma farmácia para lá no dia do parto. 

Não precisa de ser nenhuma mala em especial, por amor de Deus. Claro que há mães (como a outra Joana) que gostam de caprichar em tudo o que levam e usam por serem muito visuais e por tudo ficar bem numa fotografia para depois comover os próprios filhos quando as revirem ou as mães porque "dantes ainda tinham paciência para isso". 

Eu levei a minha mala normal de viagem. Sim, nada romântica. Ao menos tem umas riscas cor-de-rosa, já não parecia propriamente que ia para um treino de futebol feminino (e que tinha engolido a bola). Não interessa o que levei lá dentro. Interessa, sim, o que levaria hoje, já com a experiência de uma estadia anterior.


Duas dicas importantes :

- O pai, ou os avós podem muito bem ir e voltar todos os dias e trazer o que precisamos. Não é necessário enfardarmos a mala de tralhas como se fossemos para uma zona recôndita no Alentejo onde nem há bomba de gasolina. 

- Está um calor só estúpido na maternidade. Só para terem noção, tinha as maminhas todas carcomidas da Irene ser uma parvalhona a mamar e eu não ter jeito nenhum, estavam besuntadas de pomada (a Purelan da Medela - muito peganhenta, quase nem saia da roupa ao lavar) e ao léu. Sem frio. Zero. 




A minha mala de maternidade se fosse parir hoje (gosto mesmo do verbo parir, acho que não devemos esquecer-nos do nosso papel animal no meio de tudo isto):

- Um pack de fraldas tamanho recém nascido, o mais pequeno possível. Será que há de 12? O resto deixava em casa.

- Um pacote de toalhitas (eles nascem com um rabo pequeno, não precisam de quarenta pacotes para os primeiros três dias). Sim, a maior parte das recomendações são no sentido de usar aquela água especial com compressas para os limpar. Fui adepta disso quando a Irene era pequena, mas sabia que na maternidade não iria estar com essas "mariquices". 

- Três babygrows para o bebé (sim, babygrows para nós seria muito mal pensado, apesar de se vender) com  respectivas calcinhas para por por dentro e bodies (sim, porque eu achava que os babygrows substituam os bodies e vice-versa...). Sendo que uma muda (babygrow, body e calças) deverá estar num saquinho à parte para ir para a sala de parto. Não vale a pena investirem muito em roupas de recém-nascido, os 50 servem perfeitamente para os primeiros dias, mesmo ficando um pouco larguinhos, caso sejam pequenitos.

- Toalha de banho e de cabelo para nós.

- Produtos de higiene para nós

- Havaianas (a sério, para o duche e para nos arrastarmos por lá - nem todas conseguimos andar logo à campeãs). 

- Toalha para o bebé.

- Gorro para o bebé. Não pelo frio, mas mais para o caso de não ficar bem lavado e antes de lhe darem banho ser hora das visitas. Vá, eu digo, pronto: pode estar cheio de sangue do nosso pipi ou barriga e não acho propriamente agradável para quem lhe queira dar miminhos e isso. 

- Três camisas de dormir para nós e um casaco fino/xaile para disfarçarmos os mamilos quando forem lá as visitas (também podemos usar o que vou dizer na próxima, caso queiramos).

- Almofadinhas para as mamas caso haja a subida do leite e não queiramos ficar todas badalhocas também da parte de cima (já chega o que temos de aturar durante meses da parte de baixo). 

- Soutiens de amamentação (dois, para aí, porque podem ficar ensopados de leite para quem tenha logo a subida - eu só tive quase uma semana depois, já as avós da Irene andavam a conspirar que eu não ia ter leite e não sei quê). 

- Duas ou três fraldinhas para limpar a boca do bebé quando beber o colostro/leite e/ou se bolçar.

- Documentos de identificação para registar o nome do bebé (vão com isso já discutido porque depois não vão ter forças para resistir aos argumentos do pai ou dos avós e pode ficar a chamar-se Leandro Daniel).

- Carregador do telemóvel.

- Já agora, o telemóvel.

- Uma manta polar bem quentinha para por por cima do ovinho (para as pessoas menos atentas, quando digo ovinho, não é um ovo de coderniz, é como se chama a um "meio de transporte" dos bebés) quando o levarem da maternidade para o carro e do carro para casa (melhor do que estar a enchouriçar).

Borrifem-se para isto: 

(se for preciso, alguém depois leva)

- Lima ou corta-unhas ou tesoura para o bebé - Acham mesmo que, num hospital, não se encontra nada para dar um jeitinho, caso seja preciso?

- Saquinhos de plástico a separar todas as mudas de roupa do bebé por dias "porque depois não vamos estar em condições" - Em principio estaremos mas, mesmo que não estejamos, há sempre um enfermeiro que nos possa passar as coisas, uma de cada... ou será assim tão importante o conjunto?

- Casaquinhos de malha e camisolas de lã - Não vale a pena se os babygrows já forem "de jeito".

- Muitas fraldas (para quê? Se for preciso, depois pede-se a alguém para trazer mais).

- Pensos extra absorventes pós-parto - Para casa vai ser necessário (e durante muito tempo) mas, no hospital, devem ter. Fui eu gastar dinheiro num pacote disso da Chicco quando os para as velhotas servem perfeitamente, que grande burra. 

- Álcool 70% - Mesmo que prefiram queimar o coto umbilical com álcool (há agora recomendações diferentes desse sentido, mas parece que as maternidades são as últimas a saber), não precisam de levar. Há disso por lá. E... algodão... também não me parece ser difícil de encontrar no hospital. Já agora, as novas recomendações são lavar o coto umbilical em conjunto com o resto do corpo e secar muito bem com a toalha (cai naturalmente sem termos de queimar com álcool). 

- Meias para nós - Ahmm... nem convém que vistamos coisas apertadas nos primeiros dias (como se conseguíssemos). 

- Cuecas - Ahahahahaa não, não. Vamos andar com os pipis dentro de uns sacos de rede forrados com os tais pensos extra gordos. 

- Saltos-altos para quando sairmos e roupas de quando não estávamos grávidas - No way. Não saem impecáveis. Saem como se estivessem grávidas de 4 meses, mas sem vontade nenhuma de se vestirem todas justinhas. Por que não vestirem roupa de grávida na mesma? Estar à vontade, nesta fase (e em todas, para mim) é o mais importante. 

Agora, a la estudo estatístico:

Estas opiniões são baseadas na minha experiência de parto no São Francisco Xavier, hospital público. Acho que as malas até podem ter menos coisas no privado, deve ser tipo hotel de luxo, mas senti-me muito bem no SFX, a nível material não me faltou nada e pouco teria que levar, se repararem. Já agora um shout out aos enfermeiros do SFX, são tão, mas tão queridos! Só faltava eu ter saído de lá a conseguir amamentar (precisava de mais apoio) e não lhe terem espetado suplemento com tanta facilidade para serem uma equipa perfeita. <3 O próximo será lá na mesma, mas agora já não lhe botam o Nan pela goela abaixo que não deixo, já sei como se faz. :)

Actualização: Entretanto o SFX já é amigo dos bebés, acredito que agora seja tudo muito melhor para todos e todas! :) 

17 comentários:

  1. Hoje aprendi com a Joana que babygrows não substituem nem são substituídos pelos bodies. �� Eu não altura substituía, agora é que já não, que está um calor esquisito.

    ResponderEliminar
  2. Também comprei os pensos da Chicco. Que dinheirinho mal dado, usei uns 2 - não suportava o cheiro nem o desconforto daquilo.
    Pensos de marca branca para a noite serviam perfeitamente - tinham era de ser fofinhos.

    ResponderEliminar
  3. Aqui tb são todos francisquinhos! :) e fico sempre super bem impressionads (enf. Lidia, Catarina, Ana, Luis) bravo!
    Das unhinhas, dá e parece me o mais eficiente (ensinaram-me nas aulas prep.parto (espectacular, mas nao foi no SFX)) 'destaca-las' com os nossos dentes, 'cortamos' exactamente a medida necessaria. Natureza tao perfeita ;)

    ResponderEliminar
  4. Nao concordo com algumas coisa. Nao levar cuecas para nos?! Tas louca?! A melhor coisinha que eu levei foi o cuecao da minha avo!!! Super subidos, super confortaveis. Acreditem que a ultima coisa que querem é estar a tirar mini cuequinhas do rabiosque. Gorro para o bebe?! Nada disso. A Sofia so usou gorro para sair da sala de partos..e era um do hospital. Babygrows?! A Sofia so usou um..a primeira roupinha. Depois teve sempre so de body e meias. Se lhe vestisse algo a mais chorava de calor. Robe para nos? Levei..nao serviu de nada. Tava um mega calor dentro do quarto. Fraldas e afins de limpeza para os bebes..nos Lusiadas nao precisas levar nada disto..eles dao tudo.

    ResponderEliminar
  5. Fico tão feliz, por saber que não fui a única a levar a mala de viagem para a maternidade, na maternidade onde tive o baby, tínhamos que levar tudo, mas também acabei por usar os pensos pós parto que as enfermeiras iam dando. A maternidade na altura tinha o sistema de aquecimento em baixo, por isso foi quase como fazer uma viagem ao árctico, mas é como a Joana diz, se for preciso mais alguma coisa, é só pedir que alguém leva :)

    ResponderEliminar
  6. Eu levei um saco daqueles de oferta dos perfumes, sem grande glamour! Concordo com quase tudo! Também tive o JM no público (Sta Maria) e terei lá outro com certeza! Sim as maternidades são quentes pra burro e não vale a pena levar roupas quentes para os bebés. O meu nasceu em Dezembro e num dos dias esteve de body e calcas interiores porque chorava de calor. Acho que roupas demasiado "chiques" não são muito bem vistas no público. Eles querem tudo prático de vestir e despir. Levei chinelos de quarto e havaianas mas só usei as havaianas. E também levei um casaquinho de algodão para esse momento das visitas. Por acaso usei logo o corta unhas no segundo dia e levei de casa. No Santa Maria oferecem um pacote de fraldas que chega para os primeiros dias perfeitamente. E têm internet wireless maravilhosa :)

    ResponderEliminar
  7. Isso é muito giro, quando se tem tempo para preparar a mala... Como o Lucas resolveu romper-me a bolsa às 34 semanas, tive de desenrascar uma mala a correr! concordo com quase tudo Joana, mas cuecas... Cuecas!!!! Comprei umas de algodão tamanho XXL na Primark branquinhas que foi o melhor que fiz! Sujou? Lixo! :) Não sei como seria no quarto, mas o Lucas ou usava só body e meias ou só meias... Mas na incubadora estava mesmo mais quentinho... ;)

    ResponderEliminar
  8. E fraldas/cuecas Tena? Ninguém usou? :p

    Patrícia

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu usei!! E foi a melhor dica que me podiam ter dado!! Fica tudo arrumadinho e sem possibilidade de fuga e de sujar a roupa e a cama. Qualquer coisa é só tirar e deitar fora. Vou ter o segundo filho em breve e já está na minha lista de compras. Comprei das mais fininhas e discretas e serviu perfeitamente para os 5 dias que tive na maternidade. Em casa já não usei. :)

      Eliminar
    2. Eu também usei! Uma maravilha! Escrevi sobre isso algures por aqui! :)

      Eliminar
    3. Olá! Qual é a gama? há 5000.
      Obrigada!

      Eliminar
    4. Eu levei. Top! É uma dica que dou sempre agora. Joana

      Eliminar
  9. Sobre a fatiota do pós-parto... "Estar à vontade, nesta fase (e em todas, para mim) é o mais importante." Oh, alguém que pensa exactamente como eu!! :D

    ResponderEliminar
  10. O meu T está previsto para 3 de Jan e as nossas malas já estão feitas :)

    Para ele vou levar apenas babygrows (enquanto estivermos na Maternidade), gorro, luvas e uma manta e casaquinho polar para quando viermos embora.
    Apesar de estarmos no UK e consequentemente fazer mais frio que em PT, ñ me parece necessário levar calças pu bodies interiores.

    Ler este post ajudou-me imenso a ver que afinal até sou normal por levar uma mala de viagem e a maioria itens necessários são os mesmos aqui e aí, eheheh :)

    Ah! Para além dos pensos e das cuecas à idosa, vou levar também aí umas 10 descartáveis!

    ResponderEliminar
  11. kkk chorei nao sei de rir ... ou de nervosismo... pk estou grávida pela... tchan tchann 3ª vez... e parece o nervosismo da primeira à 10 anos atras... e passei pela mesma palhaçada em que lia tudo e mais alguma coisa, tentando levar a mala com tudo tudo o que era necessario.... enfim... o meu nervosismo agora é outro, que corra tudo bem com o parto com a gravidez afinal ainda estyou no 1º trimestre.. e ja nao tenho propriamente 23 ano :S mas sim 34 ! e agora sao muitos os mimimis e receios.. e é incrivel como ja tenho a barriga grande ainda so com 2 meses, e farto de fazer xixi... mas olha... foi bom, ler tudo isto ... :D PArabens a todas, ser mae é uma grande dádiva!

    ResponderEliminar
  12. Concordo com quase tudo Joana! Eu tb tive no publico (centro hospitalar do porto) e tive que levar tudo, do me deram uns pensos durante o trabalho de parto... eu tb levei trolley de viagem e uma mala à parte para a sala de partos so com a camisa para mim, chinelos e a 1a roupinha da bebe! De resto, achei mais confortavel as tais cuecas de incontinencia da tena que alguns comentarios referiram, apesar de nao ter tido hemorragias grandes. Estas so foram necessarias durante os 2 dias de maternidade, de resto em casa serviram os pensos higienicos normais (nao sei para que fui comprar pensos de incontinencia e afins) mas talvez haja pessoas com maiores perdas de sangue que nao foi de todo o meu caso (so precisei durante 1 mes +-). Outra coisa que na altura nao contei mas que do me apercebi la é que convinha ter uns babygrows e respectivos bodys e calças para o dia e outros conjuntos para vestir à noite (como se fosse pijama). Na altura levei uns babaygrows todos giros que eram mais uma roupa de dia e nao tinha assim basicos e simples para a bebe dormir à noite. Parece ridiculo visto que eles dormem noite e dia por isso tecnicamente nao ha diferença mas pronto a mim fazia-me confusao. De qualquer maneira o melhor conselho é esse mesmo, descomplicar!

    ResponderEliminar