segunda-feira, 12 de janeiro de 2015

Os piores babygrows de sempre.

Não consigo. Não consigo perceber, porém acho que são o modelo standard. Quando se pensa em babygrows, pensa-se naqueles que têm as molinhas atrás e que apertam nas costas, não é? É.

Era só isto. Obrigada e bom dia. 

Agora a sério: por que é que esse é o modelo mais visto ou, parece-me, o mais comum se não dá jeitinho nenhum? 

Tal como disse aqui, são os que me dão menos jeito para trocar a fralda à noite sem a acordar. Se ela estiver acordada também; para enfiar as pernas, tenho que lhe fazer cócegas na parte de trás do joelho, para ela as encolher e entrar dentro da porcaria do fato... 

Sou eu que não sei utilizar aquilo? Vêm com manual de instruções e não vi? Também há a hipótese de eu ser um bocadinho parvalhona: um dia conto-vos a história da hora e uma unha partida que demorei a tentar abrir aqueles copinhos (para o leite e sopas) da Avent. Olha, parece que já contei. 

Por mim, todos os babygrows deviam ser daqueles que se abrem pela frente e que têm molas ao longo das perninhas. 

Até porque, se a ideia é deitar sempre os bebés de barriga para o ar, o melhor é ter molinhas na parte da frente, não na de trás, principalmente quando são recém nascidos (não acho que as molas magoem coisa alguma, até porque lhes enfiamos um body por baixo, não é?). 

Esses babygrows têm alguma vantagem ou é só uma maneira criativa de os enchermos de cocó a tentar mudá-los sem lhes tirarmos as pernas lá de dentro?


*imagem escolhida um pouco ao calhas num search no Google.

5 comentários:

  1. Eu voto na ultima opcao.
    Isso é gozacao dos designers a imaginarem tudo cheio de cocó as 3 da manha e a criancinha a despertar para vida 10m depois da rica mae finalmente adormecer.

    ResponderEliminar
  2. Os que apertam entrepernas e à frente são muito mais práticos. Nunca gostei dos que apertam atrás. É preciso uma ginástica para mudar a fralda. Na verbaudet tem uns muito bons, passo a publicidade.

    ResponderEliminar
  3. 100% de acordo. Ainda por cima só me apercebi disso com a experiência, ninguém me avisou!
    Ainda há pouco tempo quis comprar um pijaminha para um bebé que vai nascer em abril, tive de dar voltas e voltas para encontrar um com botões à frente!

    ResponderEliminar
  4. Por coincidência,antes de ler o post tinha comentado o mesmo com o meu marido. Não entendo mesmo a lógica desses pijamas! Eu não compro, mas a minha filha tem alguns que foram oferecidos. E há uma marca portuguesa com babygrows lindíssimos, mas todos de apertar atrás, porque vende sobretudo para Espanha e supostamente os espanhóis preferem assim... vá-se lá saber porquê!

    Patrícia

    ResponderEliminar
  5. Eu acho estes babygrows óptimos, mas sempre tirei as pernas de dentro, abre-se atrás, puxa-se nas pernas e dobra para cima do peito da criança, nunca se sujam, ao contrário dos que fica uma per «na para cada lado, que volta e meia anda uma perna ali perdida no meio da fralda aberta. Mas sempre puxei as pernas fora, nunca tentei tirar a fralda com as pernas enfiadas na mesma no babygrow!
    Os que não acho mesmo práticos são aqueles superfashion que tem molas só por uma perna a baixo, são terríveis para tirar a outra perna fora!

    ResponderEliminar