quarta-feira, 4 de fevereiro de 2015

Sou culpada e gosto.

Assim que sabemos que estamos grávidas, nasce logo a culpa de mãe. É algo que sentimos desde o início. Às vezes até ainda antes de sabermos que estamos populadas por dentro. 

"Devia deixar de fumar porque estou a tentar engravidar", "Devia fazer mais exercício físico", etc. 

Há até outras mulheres que podiam dar óptimas mães que sentem tanto essa culpa antes de seja do que for que até preferem nem o ser. Era o meu caso, modéstia à parte. Achava que não ia ser uma mãe de jeito (até conhecer o meu velhote - são só 9 anos de diferença, estou a brincar, mais ou menos, claro.). 

Acho que a culpa, esta culpa, é uma coisa boa se for bem direccionada. Funciono bem com ela. É essa culpa que me faz esforçar mais (claro que também é o amor), mas o "sair de casa", sentar-me com ela no chão a brincar em vez de ficar só a vê-la do sofá, fazer sopas novas sempre que possa para não andar sempre a embuchar a mesma, etc.

Desde a gravidez que a sinto e muito e isso reparava-se no meu pânico quando descobria que algo era abortivo: 

"A canela é abortiva? E eu que comi meio arroz doce no outro dia? Meu deus, o que fui eu fazer? A miúda ainda nem nasceu e eu já sou péssima mãe!"

As hormonas ajudam muito a que esta culpa seja, muitas vezes, confundida com loucura. Porém, a verdade, pelo menos no meu caso, é que aprendemos a lidar com ela. 

Acho que, o melhor, visto que ela não vai desaparecer, é torná-la nossa amiga. Vamos tentar ver nela uma força para sermos ainda melhores mães, para aquele extra mile. 

A culpa já me ajudou tantas, mas tantas vezes. 

A ganhar coragem para entrar no quarto e tapá-la com a manta (mesmo correndo o risco de a acordar), a ir passear com ela para um jardim, mesmo não me apetecendo sair de casa há uns dias, a superar questões de amamentação, etc. 

Obrigada, culpa. 


9 comentários:

  1. Obrigada! Não estou sozinha 😊
    Identifico-me totalmente!
    Acho que a culpa faz parte do amor de mãe, aquele que só se sente quando se é mãe! De repente apercebemo-nos que não sabíamos nada sobre amor!

    ResponderEliminar
  2. Eu carrego a culpa de não ter conseguido amamentar e agora o facto de estar sempre doente. A culpa de estar sempre doente é minha porque não teve o melhor alimento que podia ter. Bem sei que estar no colégio ajuda mas não há lá nenhum bebe tão doente como a minha filha.

    ResponderEliminar
  3. Informe-se porque há a hipótese de voltar a ter leite com a medicação certa e o apoio certo! Não tem que se sentir culpada se tentou e se quis. :) Se der o seu melhor, a mais não é obrigada! É normal os bebés andarem doentes na escola, nunca saberá se, caso estivesse à mama, não apanharia na mesma o bichinho. Ligue para a SOS amamentação ou para a Clínica Amamentos que saberão recomendar relactação se for aplicável no seu caso :) Beijinhos!

    ResponderEliminar
  4. Obrigada pela dica mas ja passaram alguns meses, não tarda ja a miúda tem um ano!!!!nunca me passou pela ideia dar biberão à minha filha mas não consegui mesmo.é uma mágoa que vou carregar para sempre. Obrigada

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A OMS recomenda o aleitamento materno até aos 2 anos ;) E, pode amamentar enquanto a sua filha quiser! O facto dela ter um ano não invalida nada. Sempre tentaria resolver essa sua mágoa ;)

      Eliminar
    2. A OMS recomenda o aleitamento materno até aos 2 anos ;) E, pode amamentar enquanto a sua filha quiser! O facto dela ter um ano não invalida nada. Sempre tentaria resolver essa sua mágoa ;)

      Eliminar
  5. Sim mas agora já não tenho leite. É mesmo por causa disso.

    ResponderEliminar