sexta-feira, 6 de março de 2015

Já somos famosas (#05) - Revista TABU do SOL





Joana Gama (JG): Ai filha, por onde começar?!

Joana Paixão Brás (JPB): Não sei por que perguntas isso se já sabes que vais começar em ti e acabar em ti. 

JG: Ai que azedume! É por haver uma gralha no teu nome logo na primeira linha?

JPB: Mas qual azedume? Hoje esta foto fez-me o dia! A jornalista foi um amor em ter escolhido uma fotografia em que não se veja nenhum dos meus defeitos.

JG: Pois... as coisas da cabeça não se vêem assim. Só namorando contigo, em consultinhas ou partilhando um blogue contigo.

JPB: Queres desabafar? Precisas de falar?

JG: Não, não. Deixa estar. Olha, já que sugeriste, vou, então, começar por mim. Não ia, mas agora até vou. Já viste a minha cara? Eu, quando saí de casa, pensei: "vou vestir umas botinhas e umas calças justas" para o pessoal deixar de me ver como a pita da rádio dos jovens e da Sic Radical e depois faço aquelas caras...

JPB: Pois, olhando para ti não sei se gostaste imenso de dar um pum ou se estavas a rir-te da tua própria piada. São ambas igualmente prováveis e coisas que fazes totalmente sozinha.

JG: Estás tão cabra!

JPB: Não estou nada. Acho que até fizeste bem em ficar com essa cara de quem é "especial", assim as pessoas não reparam no facto de eu ter um mamilo quase de fora. 

E agora vocês, suas leitoras mais cabritas, foram ver se eu tinha, não foi?


JG: Até eu fui e não tenho qualquer interesse. Já vi mais vezes os teus mamilos que os meus. 

JPB: Sim, eu não me tapava a amamentar. 

JG: Não consigo ver os meus mamilos por causa da minha papada enorme.  VIdas. Vais continuar azeda? Só não te digo que "deves estar com o período" porque já nem me lembro o que isso é. Já lá vai um ano e 9 meses que a torneirinha está sequinha.

JPB: Muita informação. Muita informação mas, acima de tudo, pouco útil. Bem, vamos lá contar a história: num dia destes recebemos um e-mail da jornalista Rita Porto do SOL a convidar-nos para uma entrevista.

JG: Marcámos em casa da Joana porque ela tem a casa decorada e a minha parece um armazém de mau gosto e lá foi ter a Rita e também o fotógrafo José Sérgio. Muito queridos, mesmo. A Rita, apesar de jornalista mostrou ter sentido de humor (muahahahaha) e fazer macadadas atrás da câmara para as bebés olharem.

JPB: Ficaste com ciúmes por haver outra pessoa a tentar fazer a Irene rir? 

JG: Não porque não conseguiu. 

JPB: Servi um chá com três mini-palmiers raquíticos que tinha lá na cozinha, tudo muito improvisado que a minha vida anda completamente num frenesim e desbobinámos tudo durante mais de uma hora.

JG: Coitadinha da Rita. Já não nos podia ouvir.

JPB: Podia, acho que gostámos todas da manhã.

JG: E eu sempre mamei três bolinhos de há uma semana. 

JPB: E já achares que eram da semana passada é muito bom. 

JG: Fica aqui a entrevista na íntegra que acho que quem quer que fosse comprar o SOL hoje por nossa causa, já deverá ter comprado (obrigada Mãe e sogros).

JPB: Para a próxima entrevista, prometo ter bolinhos de jeito. Ouviram, Expresso, Visão, Público...?





1 comentário:

  1. Adorei a entrevista :) e sim fui la espreitar se o mamilo estava mesmo quase de fora -.-' ahahaha :) Adoro as dicas "cinco verdades sobre a maternidade" e "nao de ouvidos quando lhe disserem"... a lista e infindavel de barbaridades que o pessoal diz as recem maes e pais.... Eu detesto profundamente que me sejam dadas instrucoes em como criar as minhas filhas, quando vejo claramente os mesmos "erros" no sistema deles.... acho que cada pai e mae e que sabem das suas crias... nao ha certo nem errado... ha o que nos sabemos ser melhor... eu tambem gosto de por fotos das minhas filhas na net... morando fora do pais, longe de tudo e todos, e uma forma de as manter proximas e visiveis para o resto da familia e amigos :)

    ResponderEliminar