terça-feira, 3 de março de 2015

Não lhe quero cortar o cabelo e ponto final!

A Isabel nasceu e parecia um macaquinho, acho que já contei essa história. Pelaria por tudo o que é canto e toda a gente a fazer questão de compará-la com um primata. Nada contra, adoro macacos (menos os que vejo os condutores tirarem nos carros - será que acham que os vidros são fumados?), mas também tinha olhos na cara, apesar de quase me terem saído das órbitas durante o parto.

Bem, a minha macaquinha transformou-se numa Cinderela e a pelaria foi à vida. Restaram os cabelos da cabeça, fininhos, fininhos, e uma quase monocelha (quando as sobrancelhas se unem). Já tirei com cera e com gilette, mas voltam sempre a nascer. Tive de recorrer à pinça e ela até nem chora muito. Estou obviamente a gozar, não fiz nada disso. Nem tenciono fazer.

Quanto ao cabelo, toda a gente me diz "tens de lhe cortar a franja, coitadinha". Ok, já lhe chega à ponta do nariz e vai-se a ver e é por isso que ela tropeça e cai tanto, mas eu tenho medo. Eu consigo saber a 300 metros que bebés foram submetidos ao Eduardo Mãos de Tesoura. Ora ficam a parecer uns abades, ora uns hippies. Franjinhas rentes ao cocuruto da cabeça não me agradam nada. Notei logo quando a Joana cortou o cabelo à Irene e aquilo ficou mesmo muito, muito estranho. Por isso, não quero, para já.

Agora, soluções: a que gosto mais são os laços. Só aguentam 10 minutos de cada vez naquela cabecinha porque ela adora arrancá-los. Fitas não ficam naquela cabeça nem 1 minuto. O que ainda aguenta lá mais tempo ainda são as palmeirinhas, que ela não consegue arrancar com facilidade, mas acho que não lhe ficam nada bem.

Há mais soluções? Não, pois não? Pronto, ficamos assim. Laços, enquanto ela não se lembra deles. Grandes, coloridos e a fazer pendant com as roupas, mesmo à betinha.




17 comentários:

  1. EHEH... como te compreendo... cortei o cabelo pela primeira vez ao Lou (e sim, é um rapaz!) este mês, ou seja, aos 22 meses de idade. Confesso que já parecia uma menina mas eu tinha mesmo medo desses cortes meios esquisitos num bebé tão pequeno :) Mas depois de ter arriscado, confesso que ficou bem giro, dentro do comprido, como eu gosto, mas com corte de pessoa (e de rapaz, neste caso). O ideal é ires a um sítio no qual saibas com o que contar :)

    ResponderEliminar
  2. Não sei... mas também estou interessada em soluções :) não hei-de cortar o cabelo à minha pimpolha!!! Já bastam os meus traumas de infância já que a minha mãe para não ter trabalho com o meu cabelo rebelde mandava-o cortar sempre "à rapazinho"... apesar de todo o choro sempre que ia ao cabeleireiro só me deixou crescer o cabelo quando tinha uns 9 anos.... :( Conclusão: ainda hoje tenho pesadelos de que me cortaram demais o cabelo. E quando o cabeleireiro se estica mais do que devia (basta 1 cm) é motive suficiente para nunca mais lá por os pés.

    ResponderEliminar
  3. A verdade é que dar um primeiro corte, muito muito discreto ajuda a que o cabelo cresça melhor e um pouco mais grosso... Uma opção que tens aos laços, quando o cabelo o permitir é fazer um totó com o cabelo da repa, mas juntinho à cabeça a cair na lateral, como se colocasses um gancho, sem ser em "palmeirinha". fica giro e o cabelo não incomoda! Aqui resulta.

    ResponderEliminar
  4. Concordo, subscrevo e assino por baixo e estou grávida de um menino! Se o miúdo me nasce com caracóis não vai existir tesoura que chegue perto :)

    ResponderEliminar
  5. Palmeiras não ficam bem a ninguém. Deviam ser proibidas por lei!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O que são palmeiras? Não percebo nada disto! :)

      Eliminar
  6. A minha filhota tb nasceu MT peluda e cabeluda! A franja já vai para a frente dos olhos e a caxopa ainda agir fez 6 meses! Mesmo assim ha quem me diga "tens qe lhe cortar a franja!" Pois pois.. ! Cortar o cabelo a um bebê de 6 meses?! Pois sim! Não obrigada! Por aqui vai de fita pro cabelo dure o tempo qe durar antes dela as tirar.. ganchos não qe tenho medo que elas os ponha na boca!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também tinha medo, até comprar grandes :) assim acho que não há problema

      Eliminar
  7. Como sabes, com o cabelão que a Eduarda tem, tenho o mesmo problema. Maior quando não consigo de maneira nenhuma fazer-lhe uma palmeirinha!
    Já tentei n vezes, mas a miúda não deixa mesmo e o cabelo é tão fininho que foge todo. É verdade que não sou fã das ditas, mas por casa dava um jeitão!
    As fitas também não param naquela cabecinha e os ganchos começam agora a saltar com frequência... basta a miss estar com sono e era uma vez um laçarote!
    Comprei umas faixas e fiz a festa quando se aguentaram mais de meia hora, mas foi só da primeira vez...
    Cortar também não corto, ela vai ter de se habituar a afastar a franja dos olhos. ;)

    ResponderEliminar
  8. Oh Deus que franja linda! Não corteeees!

    ResponderEliminar
  9. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  10. Laços lindíssimos e feitos à mão aqui: https://www.facebook.com/nonolacos

    ResponderEliminar
  11. Não cortes! Não cortes!!!
    Está linda linda linda assim!!!

    ResponderEliminar
  12. Olha, eu aconselho o corte. Num cabeleireiro onde estejam habituados e saibam cortar a bebés.
    E isto porque? Fiz o mesmo que tu, para além do medo, o Manuel tinha pouco cabelo, fininho e com uns caracóis lindíssimos. Só curtei já ele tinha quase 3anos... Ainda hoje está ftaquinho, mas todos me dizem que quanto mais vezes cortar mais forte fica é mais cabelo cresce, e eu também vejo isso. Cada vez que lhe cortamos o cabelo, ele cresce mais depressa é mais forte...
    Por isso aconselho, para que ela mais tarde tenha um cabelo lindo e forte como o da mama 😉

    ResponderEliminar
  13. Não faças franja. Vai aguentando as palmeiras com laços, ganchos ou elásticos. A minha tem quase 3 anos e já cortei o cabelo 3 vezes porque tem um cabelo farto como o meu (25min cronometrados de secador). Ela agora tem uma espécie de "Bob". A franja é gira durante um mês, depois é um infernooo

    ResponderEliminar
  14. Siça Souza... a melhor cabeleireira de Lisboa. Faz produções regularmente para a Activa, SIC, etc. É mãe e tem um jeito enorme para crianças. Bj

    ResponderEliminar