domingo, 23 de agosto de 2015

Aula de Preparação para o Parto à la Mãe é que sabe (#01)

Episiotomia, rolhão mucoso, APGAR, DPP, um sem número de termos novos que vão fazer parte das vossas vidas.

Aconselhamos aulas de preparação para o parto, aconselhamos sim, senhora. Mas quem não estiver muito para aí virado, fica com umas aulas grátis a la Mãe é que sabe, com parvoíce incluída e sem que o pai da criança tenha que adormecer ao vosso lado e fazer-vos passar a maior das vergonhas. O que não impede que os pais leiam isto, estão a ouvir?!! Também estiveram na hora H, não estiveram? Acham vocês.

Bem... vamos lá a isto.



AULA NÚMERO UM - começamos pelo fim.
Há um bebé na vossa barriga. Ou dois. Ou três. Já chega, não? Esse bebé agora está do tamanho de uma azeitona ou de uma manga. Mas quando estiver pronto a sair do forno vai estar do tamanho de uma melancia, mas com mãos e bracinhos, que no momento podem estar a dançar o Mila, do Netinho. Ora, poderão ter de levar um corte no pipi, a que se chama episiotomia. Ou apenas corte no pipi, se quiserem facilitar. Mas, na verdade, é um corte na zona do períneo, entre a vagina e o ânus.

- Os pontos caem por si, em princípio (fiquei com um a chatear mais uns tempos...)

- Vai custar-vos sentarem-se numa cadeira nos primeiros dias, ou semanas... (ajudava-me sentar-me com uma perna por baixo, tipo à chinês, mas perneta)

- Depois do banho, secar muito bem com uma toalha

- Gelo, muito gelo. O preservativo que não usaram quando estavam a brincar aos médicos e às enfermeiras, usam-no agora. Verdade! Repeti a técnica do hospital. Enchem o preservativo de água, põem-no a congelar e depois voilà. NÃOOO! Não é para enfiarem... (tosse, tosse). Acreditem que nada vai entrar nesse local sagrado nos próximos dias (semanas). Fica cá fora, mas ali coladinho.

- Se fizerem exercícios de Kegel antes do parto, ajuda depois na recuperação dessa zona - ver aqui o que são (eu já fazia anos antes, é muito importante, para prevenir a incontinência e para melhorar o desempenho sexual - nunca ouviram falar daqueles ovos/bolas de Kegel, muito popularizadas na China?)



Mães que já tiveram o prazer de saber o que é esta coisa da episiotomia, mais algum conselho?

18 comentários:

  1. No meu primeiro filho, além de ter passado 48h em trabalho de parto (cujas últimas 24h já rebolava de dores pelo chão da sala), no parto em si, já não tinha forças para puxar o puto cá para fora.. O que resultou em 3 (sim, TRÊS) belas e valentes tesouradas.. E o puto lá saiu.. Passadas 24h os pontos começaram a cair e as dores eram de cortar a respiração, nem os analgésicos ajudavam. 5 dias depois o médico constatou que o corte estava completamente aberto, os pontos tinham caído/soltado antes de desempenharem a função deles... Passei 3 meses com um corte enorme aberto. Para evitar um internamento, tinha que fazer um tratamento 2x/dia. O marido tinha que colocar em esguicho para dentro do corte betadine vaginal, de seguida um liquido que cheirava a lixívia e por fim um pó que tinha como função regenerar a pele.. Foram 3 meses de muito sofrimento, sem conseguir ir ao wc sem ajuda de clisteres, a amamentar de 3 em 3h. Passados 9 meses, já com o corte cicatrizado, mas ainda com dores ao sentar, ao namorar, etc o obstetra resolveu cortar uma pele que cicatrizou mal e tornou a dar mais uns pontinhos.. Mas 9 meses depois senti-me "curada".. Os preservativos congelados foram os meus melhores amigos durante todo este processo e também alguém me emprestou uma almofada em forma de donuts (acho que se vendem como sendo para as hemorróidas).
    Na segunda gravidez, o peso do bebé já no final começou a forçar a cicatriz (que ficou com uma pele muito fininha depois de todo o aparato) e originava algumas dores! Quem disse que ser mãe era fácil.. Mas compensa tudo, mesmo que a muita gente que não tem filhos, pareça apenas uma frase cliché!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bem Bárbara, só de ler até me arrepiei! Ah valente!

      Eliminar
    2. Esteticamente nunca mais vai ficar perfeitinho, mas após o segundo parto o médico arranjou o melhor que podia (porque rasguei na cicatriz). Mas o segundo parto foi peanuts! E a recuperação também... Ah, já agora um conselho a todas as mamãs: após episiotemia, etc o lubrificante é o meu melhor amigo (em graaaandes quantidades). Previne infecções e "cieiros" na zona mais fina da cicatriz!

      Eliminar
  2. Também usei a técnica do preservativo. A minha sogra é que se assustava quando encontrava um valente pénis de gelo ao lado das ervilhas congeladas e da carne, no frigorífico (atenção que isso era antes de usar que, depois, não voltava a por no congelador, ao pé dos legumes para a sopa).
    A questão de voltar a sentar, comigo foi ao fim de 1 mês e meio. Os pontos infetaram um pouco e tal, por isso demorou mais. Na verdade já nem me lembro bem do pós parto mas, do parto (onde foram usadas 3 ventosas) fiz questão de me lembrar e bem,por isso deixei tudo bem descrito aqui: http://www.vinilepurpurina.com/2015/07/09/o-meu-parto-por-ventosa/

    ResponderEliminar
  3. O que me custou mais não foi a recuperação do pipi, mas sim uma p### duma hemorroida que cá ficou de tanto puxar! Os pontos ao pé da hemorroida foram peanuts... Cada vez que me lembro começo a suar! Ahahahah

    ResponderEliminar
  4. Alguns conselhos de quem também foi "cortada" e suturada duas vezes...

    - antes de terem alta, perguntem, quando são observadas pelos médicos e enfermeiros, qual o aspecto do "corte e costura", se devem tomar antibiótico, se é suposto colocar alguma pomada. Digo isto porque tive alta e algo não estava bem, passado uma semana regresso ao hospital com os pontos a abrir e com uma infecção. Fui mal suturada. Resultado: retirar os pontos e nova sutura. Desta vez vim com antibiótico (apropriado para quem amamenta) e indicações para aplicar duas pomadas, uma cicatrizante e Bacitracina para evitar infeccções. ATENÇÃO: desaconselharam-me o uso de betadine, pois perceberam que a utilização pode "queimar" aquela zona. Ou seja, é demasiado agressivo e propício ao aparecimento de fungos.

    - em casa, lavar bem essa zona de preferência com aqueles produtos muito neutros, género lactacyd. Secar bem com a toalha, sem esfregar e secar com o ar frio do secador para evitar qualquer humidade. De uma próxima vez ponho logo bacitracina e cicatrizante mesmo que não me prescrevam isso. Há outro factor que provoca humidade naquela zona: os pensos higiénicos que são mais "plastificados" na zona da absorção. Os do Pingo Doce são os melhores para isto, pois não fazem transpirar tanto e deixam respirar melhor.

    - além do preservativo com água, outro bom truque: ervilhas congeladas! Sim, parece estranho, mas foi conselho de uma enfermeira. Comprem daqueles sacos de ervilhas congeladas, peguem numa mão cheia delas e metam num outro saco de plástico. Envolvam em gaze tecido não tecido e têm uma óptima forma de fazer gelo de modo confortável. As ervilhas adaptam-se lindamente ao corpo e acabam por resultar melhor que o preservativo, pelo menos nos primeiros dias em que está mais dorido. Podem usar as mesmas ervilhas outra vez, basta colocar noutro saco.

    - evitem andar e sentar-se nos primeiros dias. Mesmo que não doa, aquela zona está massacrada. Se for necessário (e é muitas vezes) experimentem sentar-se naquelas almofadas tipo donut's ou de amamentação.

    - se detectarem mau cheiro, corrimento mais amarelo e não sentirem que pontos estão a fechar (continuar a incomodar muito, não sentirem comichão, etc), é possível que esteja a infectar. Não tenham pudores e peçam a alguém que espreite para ver o aspecto da coisa. Foi assim que detectei no meu caso.

    - evitar alimentos que provoquem prisão de ventre, pois ir ao WC fazer o número dois, não é muito fácil. Depois de cada ida à casa de banho, lavar bem essa zona com o tal sabão neutro e fazer todo o processo para secar bem. Pode ser aborrecido repetir isto várias vezes mas é o melhor!

    Passa rápido e logo se esquecem deste período menos bom.

    ResponderEliminar
  5. Na maternidade disseram me para usar o secador de cabelo no modo ar frio para me secar depois de me lavar. E, de facto, era mais confortável do que passar com a toalha. De qualquer forma, no meu caso, só ao fim de quase 2 meses deixei de ter dores nos pontos. Mas ficou tudo como novo. Eheh

    ResponderEliminar
  6. Da minha filha correu muito bem, não me posso queixar. Agora vamos ver como vai ser com o meu bebé que está quase a nascer!...

    ResponderEliminar
  7. Já passei por 2 partos e felizmente não sei o que é a episiotomia...as massagens no períneo com o óleo de rosa mosqueta fazem milagres. Resultado: primeiro parto 3 pontos, segundo parto 0 pontos! :)

    ResponderEliminar
  8. Bem, ainda bem que já pari o meu filho, se não depois dos comentários que já li ficava de perninhas bem fechadas com medo! ;) Eu também tive de levar um belo corte (tinha/tenho um cabeçudão) e sei que foi uma valente facada. O meu médico foi um espetáculo, perdeu todo o tempo e mais algum a suturar cuidadosamente. Antes de sair da maternidade mandou-me ir tirar os pontos à consulta dele em 7 dias (os pontos caem mas ele diz que todas se sentem mto melhor depois de os tirar, e que 7 dias chega) e a verdade é que nos primeiros dias temi nunca mais me voltar a sentar como uma pessoa, mas assim que ele me tirou os pontos, ufa! Foi da noite para o dia. Em 3 dias já me sentava sem medos em qualquer lado! Também usei gelo nos dois ou três primeiros dias, mas com a azáfama, nem usei muito. A sutura ficou perfeita, que não noto (nem ele!) absolutamente nada! Não temam :)

    ResponderEliminar
  9. Podem secar os pontos com o secador de cabelo com ar frio. E devem trocar o penso higiénico com frequência para evitar infecções.

    ResponderEliminar
  10. Se tudo correr bem, para estes lados haverá parto daqui a 4 mesinhos... MEDO, MUITO MEDO!

    ResponderEliminar
  11. É pá, estou grávida pela primeira vez e vai nascer em dezembro. Só li 3 comentários e desisti de ler mais antes que desmaie!
    Espero que comigo não seja assim tão mau, sempre gostei mais da descrição humorística da Joana do que pensar que vou para um matadouro... (mesmo que me possa acontecer o mesmo)
    (".)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Rita! Vai correr bem! E mesmo que não corra a 100% a boa notícia é: uns tempos depois já nem se vai lembrar hehe beijinhos Joana

      Eliminar
  12. A OMS é contra a utilização da episiotonia por rotina, embora ela ainda seja feita em muitos hospitais, mesmo quando não é necessária. Eu passei por dois partos e não fiz episiotomia em nenhum deles. Das duas vezes precisei de levar alguns pontos, mas foram poucos e cairam sozinhos sem deixar grandes marcas. Nem eu nem o meu maridos notámos qualquer diferença no meu pipi após os partos e a devida cicatrização (que foi bem mais rápida do que o descrito nos relatos anteriores).
    Futuras mamas, tenham calma, as coisas não são sempre assim tão más. Se conseguirem tentem saber qual é a politica do vosso hospital relativamente a este tema, ou então qual a taxa de episiotimias realizadas. Este tipo de informação não é muito facil de encontrar mas poderia ser um fator decisivo na escolha do hospital.

    Lia

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Lia, há duas escolas neste campo, médicos que optam por deixar rasgar e médicos que optam pelo corte. No meu caso, o recurso a fórceps não deixou outra opção.

      Eliminar
  13. O meu conselho: informem-se e não aceitem a episiotomia sem ser estritamente necessário e isso acontece muitas menos vezes do que é realmente feito...

    http://estudamelania.blogspot.pt/search/label/Episiotomia?m=1

    ResponderEliminar
  14. Nossa menina, adorei essa sua matéria, muito boa mesmo!
    Eu estou morrendo de medo dessa hora, estou lendo em tudo o que é lugar, livros, sites, conversando com senhoras mães nas ruas e tentando me informar melhor sobre essa hora, nada fácil.
    Um outro site me ajudou com muitas dicas também.

    ResponderEliminar