domingo, 20 de setembro de 2015

Tenho dois bebés cá em casa.

Um dia hei de ter, mesmo a sério. Neste momento contento-me (e muito bem) com o facto da Irene se divertir imenso a ver-se ao espelho. Desde pequenina que adora e era assim que a acalmávamos nos momentos de maior fúria (nos tempos em que rejeitava mama). Nas férias, a casa tinha um closet enorme cheio de espelhos e era dos sítios preferidos dela. Dançava, semicerrava os olhos para ver se desaparecia, abanava o rabo, sentava-se no chão, via os pés... mexia no cabelo. Estava decidido: tínhamos de ter um espelho cá em casa. 

Além disso já tinha lido, nas minhas pseudo pesquisas sobre Montessori que o espelho, à altura das crianças é extremamente útil, etc. Não fui tanto por aí, mais por ela gostar, confesso.

Aproveitei e também tornei dela os cubos mais abaixo da estante (mais uma vez de acordo com essa corrente). Ela tinha brinquedos só na sala, agora o quarto também já é mais dela e para ela. Aquele fica o cantinho da Irene, onde até pode ligar o rádio e começar a dançar e a ver "o bebé dançar". 

Ela já deve entender que é ela, claro, mas chama-lhe o bebé e vai mostrar coisas ao bebé. Para já, vai ter que se contentar com esta companhia, que apesar da mãe já estar a morrer de saudades de estar grávida e de querer muito ter mais um, ainda não sente que seja a altura certa. 







O quadro que vêem na parede é um desenho da Irene feito pelo Xavier Pitta, vejam aqui o trabalho dele e, se estiverem interessadas, entrem em contacto. 

1 comentário:

  1. Ola, onde comprou essa estante do quarto da menina?

    ResponderEliminar