sexta-feira, 27 de novembro de 2015

Amamos amamentar.

Quis dar força para mais mães optarem por amamentar. Amamentar pode ser intuitivo para alguns bebés e mães, mas muitas vezes traz dificuldades. Dores, mastites, inseguranças, bitaites de terceiros, pouca informação, etc. 

Contei a minha história aqui, cheia de dificuldades, mas que, com muita força, com muita informação, com muito apoio, consegui ir em frente. Amamento há 20 meses e adoro (para quem ainda não perceba muito do assunto, isto não quer dizer que a miúda só mame, quer dizer que ela mama, além de comer tudo o resto que nós comemos). 

Para terem ajuda com a vossa experiência contactem a "Vamos dar de Mamar", por exemplo. Não hesitem. É tudo possível de ser resolvido. Dar de mamar não é fácil para toda a gente, mas o mais provável é que depois se entre em velocidade cruzeiro e sintam tudo isto que as mães em baixo comentaram.

Para quem não tenha conseguido amamentar seja qual for que tenha sido o motivo, por favor, agarre a missão de transmitir as melhores informações a quem esteja a fazê-lo ou quem opte por fazê-lo para menos mães se sentirem tristes por não terem conseguido amamentar mais tempo.

Há imensa informação aqui, aqui, aqui e aqui.

Fui a um grupo de amamentação ao qual pertenço e pedir para partilharem testemunhos positivos sobre amamentação e este foi o resultado (obrigada, mamãs!): 
*os comentários estão tal e qual foram escritos.


Joana Gama (eu)

Eu começo: Todos os dias de manhã ficamos meia hora na ronha. A nossa meia hora. Em que ela me faz festinhas das maminhas aos ombros e eu lhe afago os cabelos, lhe apalpo o rabo e oiço a respiração dela. Ela nem tem fome, está só ao colinho para acordar devagar, agarrada a mim, de todas as maneiras possíveis e imaginarias. Dá-me força para tudo.


Margarida Duarte

O que eu mais gosto ao amamentar são as festinhas que ela me da (descobriu o meu umbigo!) na barriga. Volta e meia mete se comigo. Sorri e tapa o olho para eu perguntar "onde está a Carolina?" "CUCU!" adora. Ri-se e volta a mamar. É muito bom estas brincadeiras :)



Andreina Da Silva

Por cá amamentar não foi fácil... Mas vale mesmo a pena por aqueles momentos a dois, qdo sentimos as mãozinhas minúsculas e macias a fazer festinhas... Qdo me olha nos olhos e vemos a entrega total e o amor incondicional. Amormentar é o verdadeiro significado de amamentar.



Ana Fernandes Patrício

Em 42 meses deste amor líquido, já passamos por tantas descobertas, tantos momentos mágicos, mas sem dúvida que o acordar agarradinha à sua 'mimi' e ali ficarmos as duas deitadas enquanto nos olhamos e fazemos miminhos uma à outra é sem dúvida mágico.



Tania Nascimento 

Além de todo o amor e ternura que partilhamos enquanto ela mama, adoro o facto da maminha curar todos os doí-dóis. Se cai e se aleija, se fica frustrada porque não pode fazer alguma coisa que quer... A maminha cura esses males todos



Babita Caetano 

..amamentar o meu Bebé... 

... 

foi difícil, MUITO difícil no início... ninguém nos prepara MAS faz-se ...
CONSEGUE-SE! 

E é, todos os dias, várias vezes ao dia, o NOSSO momento...onde olhamos diretamente nos olhos um do outro...damos festinhas, trocamos mimos, enfia-me os dedos no nariz e nos olhos mas são momentos em que temos/criamos uma ligação ÚNICA...

E como referiu já uma Mamã ... cura TODOS os dói dóis .,.os do corpo e os da alma...deles e nossos também!

Amamentar é das coisas que mais orgulho me trás em mim e no meu Bebé! Foi um desafio ganho e das melhores coisas que tenho na minha vida! 


Tania Medina Adcock 

Adoro estes momentos de amor com o meu bebé. Já lá vão 9 meses desde que ele mamou pela primeira vez, e apesar de não ter sido fácil o início, a jornada tem valido a pena. 
Hoje em dia trabalho a part time, e é ótimo chegar a casa e o O. mal me vê salta logo para os meus braços e agarra as suas mimis  é muiiiito amor envolvido!



Catarina Beato 

Amamentar é o tal botão do off que dizem que os bebés não têm. É a calma. A certeza que está tudo bem. O calor. É isto de ser mãe no lado mais animal a preparar a cria para ser independente. [3 anos e meio. muitas saudades.]



Ana Filipa 

Com muita pena minha já não amamento mas foram 26 /27 meses mágicos. Ao início não foi fácil não por ter mastites ou má pega mas como nunca tinha estado em contacto com a amamentação não percebia o porque dele só mamar 5 minutos quando na maternidade falavam em 10 minutos pedir mama com intervalos muito curtos em cada mamada mas juntos vencemos cada meta. Ver os olhos dele a olhar para mim cada vez que mamava é algo impossível de explicar como o marido disse e diz muitas vezes é um momento só nosso. Amamentar é amor colo carinho ternura e alimentação.


Sandra Gomes Mateus 

Bem, nos meus 7 meses de experiência em amamentação, posso-vos dizer que é a coisa mais fantástica que existe. Logo desde os primeiros minutos de vida, quando a médica o colocou em cima de mim, foi instantâneo, o miúdo sabia exactamente o que fazer e não largou mais as maminhas. É a sua zona de conforto. É o nosso momento entre mãe e filho que ninguém atrapalha. No início tive milhões de opiniões alheias a querer perturbar (típico)... Mas sempre tive focada, afinal eu sabia que amamentar era o melhor para o meu filho. Eu via isso nele.
Para as futuras mães, tenho a dizer, que não é só um mar de rosas, não é fácil, mas consegue-se. Com o amor pelos nossos filhos, nós conseguimos virar o mundo, é claro que é possível amamentar. E nunca se esqueçam, existe hoje em dia, as conselheiras de amamentação, que são as melhores pessoas com quem pudemos falar quando estivermos com algum problema. Tentem, o tempo que vos for possível, é uma experiência que todas as mães merecem viver. 


Rita Barão 

Sigo o blog desde a gravidez e amamento o segundo filhote há 5 meses. Sinceramente, foi tão fácil e ainda é q não sei pq no primeiro correu tão mal e não consegui. O melhor de amamentar é a certeza de saber q temos em nós tudo o q os nossos bebés precisam, o alimento, o conforto, o embalo. É um vínculo indescritível!


Diana Filipa 

Amo amamentar <3

Amamentar é lindo é único ...é algo que só quem amamenta sabe o quanto maravilhoso é ..o olhar ternurento dos nossos filhos enquanto estão a ser alimentados ... Amamentar é aconchegar , alimentar e amar <3
Sem dúvida alguma que o leite materno é o melhor , não existe qualquer comparação :)


Ana Cristina 

Amamentar o meu filho de 2 anos foi um desafio ganho mamada a mamada no início, mas há muito tempo nada mais é que um prazer para ambos. Amo quando chego a casa e ele me leva para o sofá, me diz para sentar e me dá aquele sorriso que é só meu e começa a mamar. Quero também dizer que o pai adora que ele mame e sempre foi o nosso maior apoio mesmo quando não acreditava ser possível. Amo a cumplicidade do momento, os olhares, as mãozinhas marotas que não param de mexer em todo o lado, os risinhos a mamar e o adormecer na maminha. Nestes momentos ele é todo meu e é a felicidade plena. 


Elsa Cabral Silva 

A minha 1ª experiência foi completamente desgastante, apesar de ser profissional de saúde e Cam nunca pensei que amamentar fosse assim. Comecei a perceber porque é que tantas mulheres desistiam, sem exagerar a minha filhota estava agarrada às minha maminhas de hora a hora e apesar de engordar lindamente toda a gente dizia que não era normal. Felizmente, segui o meu instinto, apesar de me sentir completamente estoirada, aquele momento era nosso, só nosso!! O seu primeiro sorisso foi com a minha maminha na boca ainda hoje me derreto, quando recordo cada segundo. Hoje ela, já não mama mas mama o mano de 2 meses, este momento que era a dois agora é a três porque quando o mano mama ela aproxima-se para dar festinhas e miminhos na maminha que está disponivel. Sinceramente, é um momento único de partilha, só meu, dela e do mano. Só espero que um dia (quando for muito velhinha), continue a ter tão presente estes momentos como tenho hoje Sou muito feliz por amamentar a minha prol :)  <3


Maria FFrazão AAbreu

Gosto imenso de amamentar. 
Do primeiro filhote foi até aos 15 meses, foi de um dia para o outro. Não estava minimamente preparada para tal. 
Do mais novo já vão 30 meses.. Tive uma fase difícil em que já estava a ficar sufocada, tentei parar. Percebi que ele não estava preparado e reverti todo o processo. Teve uma alteração drástica de comportamento. Apesar de terem sido só dois dias em que tentei modificar as rotinas, a sua mudança permaneceu por 2 semanas. Entretanto voltou ao que era e está muito mais feliz. É um momento nosso, só nosso com muitos beijinhos antes de adormecer.

Ana Cachapa

Amamentar era uma das partes do meu sonho! Ser mãe...ser a satisfação completa de muitas das necessidades do meu filho, ser amor...Quando começou a jornada estava convicta! Pronta para fazer o que tinha prometido a mim e aos céus: vou fazer o meu melhor!!! Fui-me dando conta das dores, do desconforto, da entrega, do amor e da magia! Doía muito!! Mas como faço em todos os meus sonhos, não desisti. Mantinha o meu objetivo e acreditava no que mulheres com experiência na arte de amormentar me diziam! Sinceramente cheguei a acreditar que nunca iria passar aquela dor, mas não parava de buscar soluções, perguntei a todas as minha amigas mães como tinham ultrapassado aquilo que só eu estava a viver, :) a que mais me deu força foi: insiste mesmo que doa! Quando ouvi aquilo creditei não na minha amiga, mas naquela mãe. Pensei, se diz isso é porque talvez a dor seja mesmo passageira.. E foi! Passou! E veio o resto! O amor, o sonho, a satisfação de tantas das necessidades dele! Senti que éramos dois seres em sintonia, com a natureza e connosco! Tinha lido o livro da Constança e tal como ela diz, e eu sempre acreditei, acreditei nos meus poderes de mãe, confiei na minha intuição e pus amor em cada momento! Hoje olho para ele e acredito que estou a prepará-lo para ser tornar-se num ser humano forte, resistente, independente, completo, em harmonia com a natureza e em harmonia com ele! É com muita emoção que penso e lembro cada passo desta nossa etapa! É disso que para mim, é feita a vida, de entrega, de emoções, de Amor e momentos realmente felizes!!!


Patrícia Paiva 

O mais lindo foi vê-lo crescer com a mama e a forma como interagia com a amamentação. Ao início a mama era o alimento, o porto seguro, o aconchego para dormir. Conforme foi crescendo, também servia para brincar, palrava para elas, fazia Brrrr, beliscava e mordia, apertava para esguichar leite. Mais tarde, trazia-me os bonecos dele para eu dar de mamar ou ele mesmo os amamentava. Com o tempo passou a mamar só em casa, e era o nosso momento único, de reencontro, de matar as saudades depois de um dia afastados! E de forma muito natural, um dia disse que não queria mais, e deixou de mamar, deixando-me saudosa e orgulhosa ao mesmo tempo. Foi lindo, cada momento dos seus 4 anos e meio de maminha! E ainda hoje são a sua almofada preferida! 


Carla Paiva

É o nosso momento. Só nós duas! Foi fantástico vê-la crescer só com o meu leite. .. os refegos, as bochechas! Agora com 21 meses, come de tudo, mas adora ainda a sua maminha. Não é só alimento, é o NÓS. Somos duas numa só. É fantástico! 


Claudia Ramalho

Olá Joana eu adoro amamentar..e confesso que não tinha muita informação sobre o assunto,pensava eu que era uma coisa tão simples como beber água lol mas não foi e graças a Este grupo ultrapassei tds as barreiras que foram aparecendo e já lá vão 18 meses..:) adoro acordar com ele e as suas maminhas servem para ir acordando tmb,faz.festinhas na barriga,na maminha solta e assim desperta para mais um di a..:) adoro o vosso Blog e ainda bem que amamentas és um exemplo... :) como figura publica Isso é otimo...a ver se deixamos de ser ets bjinhos



Marta Vaz

Das coisas que mais gosto: vê-la revirar os olhos com prazer, e vê-la suavemente a fechar os olhos para dormir. Antes de ser mãe não sabia que dar de mamar também é isto!


Tânia Azevedo

:) Quando ela, agora já com 2 anos e ainda a mamar, se vira para as maminhas e diz: "Ai, minhas mimis..." 


Raquel Horta 

Fui mãe pela 1a vez aos 20anos e confesso que nunca pensei mt no assunto. Foi tudo surgindo naturalmente. No início não foi fácil, apesar de toda a informação que tive, ele mamou apenas até aos 6m. Com o segundo foi igual, mas talvez por já ter alguma experiência, correu melhor. Sempre tencionei dar-lhes mama até eles perderem o interesse mas confesso que algumas vezes me passou pela cabeça antecipa-lo. Nunca tive coragem para o fazer! 
Regressei ao trabalho, extraia na hora de almoço, e com um falso desmame aos 9 meses (não sabia na altura que existiam falsos desmames), desmamou mesmo! Com a 3a gravidez veio o desemprego e felizmente! Aos 18m mama a toda a hora do dia e da noite. É uma criança super sociável, activa, e come de tudo e mais alguma coisa! 
A mama cura os dói-dóis todos, qd está chateado ou com sono é a mama que procura. É também a forma dele dizer que está feliz por me ver. E é tão bom... um privilégio que só as mães têm, mas que não dura para sempre, é aproveitar enquanto podemos <3


Vania Gomes 


Para mim amamentar foi e é uma batalha constante..,foram muitas as dificuldades encontradas que tentei e tento superar!! E cada vez que penso em desistir.... não consigo!! O momento em que o tenho perto/coladinho a mim...os suspiros que ele faz como se quisesse dizer....finalmente é de uma sensação incrível !!!
Não sei por quanto tempo mais vou ter leitinho...mas enquanto tiver e o pouco que tiver não c ou desistir!!! 


Liliana Pereira 

A mama não é só alimento, é conforto, carinho, analgésico, sonorifero, brincadeira e tudo o mais. A mama cura todos esses males! A sério! Antes de ser mãe não fazia ideia e convenci-me que só com sorte iria ter leite. Foi graças a este grupo e à minha conselheira de amamentação que percebi que todas conseguimos amamentar com a informação, apoio e aconselhamento certos. Se até mães adoptivas amamentam! ;) a todas as mães que desejam amamentar: procurem ajuda certa e acreditem em vocês! Mesmo que o início seja atribulado, compensa muito! Eu ouço os outros bebés dos vizinhos a chorar todas as noites e penso que a minha nunca o fez. Só por aí: abençoada maminha!! :)


Paula Ribeiro

Vou no terceiro filho. Amamentei todos. O primeiro 8 meses. Não me recordo bem o que aconteceu, já lá vão 16 anos, mas ele deixou por ele. Do segundo foram 2 anos e meio e terminou tb quando ele decidiu, hoje tem 8 anos. Neste momento tenho uma pintainha que faz 10 meses daqui a dois dias e continua a querer muita maminha.. Adoro tudo! A complicidade, o olhar doce, a urgência quando a vou buscar à escolinha e tenho de dar mama antes de a colocar na cadeira do carro. A simplicidade, a facilidade de estar sempre pronto! Por aqui, mais uma vez, vamos continuar até a  querer. Espero que muitos mais meses!


Tânia Costa

Eu adoro amamentar! Quando estava ainda grávida havia a hipótese de não poder amamentar por causa de uns comprimidos que tinha de tomar para o distúrbio do pânico e da ansiedade. Mas a minha menina foi o que eu precisava para conseguir largar os medicamentos e poder amamentar e dar-lhe o melhor. Fazemos hoje 3 mesinhos de só mama e adoro quando ela já para de mamar só para sorrir e balbuciar qualquer coisa. Não há melhor sensação! :)


Vânia Santos 

Do que mais gosto de amamentar é sem duvida a troca de carinhos e as brincadeiras que ela já com 17 meses vai fazendo entre chuchadelas. Mas outro dos pontos positivos é que em qualquer situaçao de saídas que se prolonguem inesperadamente nunca lhe falta comida pois tem sempre a maminha para matar a fome! :) É fantástico e mágico mas também muito prático! :)


Matilde Campos

Amamentar é aquele momento só das duas. Em que somos só uma outra vez, é uma extensão dos 9 meses em que estivemos ligadas. Vinte meses depois ainda há aquela calma, aquela pausa, aquela fusão indescritível.


Maria Teixeira

21 meses depois e ainda é assim
Muitas dúvidas, muito apoio e fundamentalmente muita vontade!
Foto de Maria Teixeira.


Catarina Martins

Para mim amamentar não é só alimentar. É um acto de amor e de entrega a um ser que depende totalmente de nós. É sinónimo de coragem para enfrentar a sociedade e a família quando nos desmotivam (porque se o bebé chora é fome, etc). É saber que na maminha tudo passa e aqueles minutos nossos são colo e mimo para eles e para nós.
Amamentar e prolongar a amamentação é, para muitas mães, um desafio. Nos primeiros meses pelas dores ou incómodos e pelo cansaço acumulado, porque ninguém nos diz q a nossa vida vira 180º e porque todos os bebés/filhos de amigas "todos" dormem toda a noite e não choram nunca. E após os 6 ou 12 meses é desafiante pela falta de informação da família, amigos, profissionais de saúde, etc a respeito das vantagens da amamentação prolongada. 
Por isso, apesar de para mim nos primeiros meses só me ter custado o cansaço, porque tive um óptimo suporte em casa(marido), vale a pena amamentar porque é o melhor para o bebé, porque ajuda a mãe a voltar ao corpo pré-gravidez e porque, no final de contas, nos valida que o nosso corpo é mesmo uma grande máquina e que temos tudo o que precisamos para vencer os desafios a que nos propomos, basta querermos e munirmo-nos da ajuda que precisarmos (marido, família, CAMs, etc). 
Em resumo, para mim Amamentar é Alimento, Amor, Colo, Felicidade e VÍNCULO seguro. 

Madalena Silva

leite materno, amor liquido que alimenta a barriguinha mas tb o coraçao, momentos magicos que eu e o meu filho tivemos, o acordar de manha e sentir a mao dele na minha cara a dizer maeeee teta, e ter um acordar maravilhoso de dar o pequeno almoço e o bocadinho nosso com muitas festinhas, olho no olho. Á noite o melhor momento para relaxar antes de dormir, tanto para ele como para mim <3. Tenho imensas saudades desses momentos ja passaram 10m desde que ele disse que ja nao queria com 26m, ainda agora com 36m ainda vem ter comigo tira a minha roupa, encosta a cabeça na minha pele e ali fica h<3  é tao relaxante tao bom <3

Ana Nascimento

Para mim o melhor é quando sinto o seu corpo relaxar nos meus braços, deixar-se ir, confiar em absoluto em mim, que ali está seguro. Vê-lo rir-se com a maminha na boca, largar e fazer aquele som de "rolha" a saltar qdo vê algo interessante a passar.. São tudo momentos que adoro viver. Para mim faz parte da forma como o quero amar, como lhe quero ensinar que pode confiar, que pode deixar-se ir. E agora aos quase 15 meses começam a aparecer outras formas, diferentes, de sentirmos esta proximidade. Porque tudo evolui, tudo muda, faz parte. Sinto-me tão feliz quando o vejo ser mais independente de mim, quanto quando o vejo precisar de mim para adormecer ou gerir uma emoção mais forte. Sei que o caminho é assim, com passos para a frente e para trás, mas o ninho está cá sempre, mesmo quando ele voar de vez!


Liane Dos Santos Machado

Ao fim de 32 meses, ela estar a mamar e a avó materna (que amamentou a mim 2 anos e à minha irmã 2 anos e meio) perguntar "ainda sai leitinho amor?" e ela largar a mama e responder "Shim vovó!" "E é bom o leitinho da mamã?" "Shim, muito muito gostoso!...Ver mais


Ana Henriques 

Amamentar é a melhor sensação do Mundo! São momentos de uma cumplicidade indescritível, nos quais me perco nos olhos da minha filha, deliro c o seu toque, suspiro c o seu arzinho de conforto pleno e sorrio c as suas macacadas e caretas.. Maminha é alimento, é berço, é quentinho bom, é reguladora de bem-estar do organismo, é sobretudo um ninho de Amor incondicional. 
É tb um processo de adaptação e de (re)conhecimento mútuo, lento, difícil ao início, c/ altos e baixos, mas do mais compensador q há!

Raquel Seco 

Segunda filhota...perfeita noção de que nem sempre é fácil, tenho que querer muito e ser segura das minhas decisões...tenho que confiar em mim e nos meus instintos...somos mamíferos e salvo raras excepções não tenho porque não conseguir....e tudo vale a pena...o milagre de amamentar os laços e a cumplicidade...mesmo com todo o desgaste (que rapidamente melhora) e noites mal dormidas ( ambas mamaram sempre muito de noite)...mas tudo vale a pena e sempre confiei e deixei fluir ( por x dificil quando se tem filhos "magrinhos")...e na primeira foram 30 meses e nesta 6 em exclusivo e mais dois com alimentação complementar em que ela pp deixou algumas mamadas snif snif....não há nada mais bonito no mundo!!!


Susana Duarte 

Gosto muito de amamentar porque além de ser a opção mais saudável é económico e prático. Quando saio à rua não tenho de me preocupar se levo biberão esterilizado, termos com água quente e pó, o meu filho não tem de estar à espera a chorar enquanto preparo a comida, nunca está frio nem quente demais, não tenho de lavar não sei quantos biberões por dia e esterilizar os mesmos, não tenho de ir ao supermercado porque a lata está a acabar...

Carla Mota Portelinha

Saí da Maternidade sem conseguir amamentar a minha bebé nascida às 34 semanas. Há beira de uma depressão pós parto, sintia-me desesperada e sem sentimentos.Após uma semana encontrei no centro de saúde uma enfermeira que me ajudou a por a bebé no peito. Todo o amor e vontade de viver por aquele bebé surgiu no momento que senti que estava a alimentar a minha filha.


Sara Paiva Rebelo 

Mãe a 14 dias sempre sonhei em ser mãe e amamentar, cresci a ver a minha mãe e cunhadas a amamentar por isso era algo que sempre vi e apreciava. Contudo só agora, ao ser mãe descobri o verdadeiro valor deste acto, além de todos os benefícios práticos d...Ver mais



Vânia Silva 

Mae á 12meses e 12 meses de muita maminha!! adoro o ar dela após cada mamada! aquele olhar de carinho que faz o dar beijinho e festinha na mama!! Muito bom e isso vale por tudo! e claro que nao sei o stress que é andar com biberoes e aguas fervidas atras de mim! muito pratico e saudavel


Rute Almeida 

Para mim o melhor de amamentar é ve-los crescer na maneira como reagem à mama. Primeiro com aquele efeito de sono imediato que os deixa KO, de boca aberta a escorrer leite. Meses depois o sorriso maroto que parece agradecer o mimo. Quando começam a falar o pedido expresso, a exigência da "ota" quando "esta não tem" e o fecho da sessão com um "já tá" enquanto ja correm colo abaixo para mais brincadeira. Depois vem a partilha que o ursinho de peluche (ou o dinossauro de plástico) também quer maminha, ou mesmo o bebé do vizinho que chora. Ate que um dia começam as recusas, o "hoje não quero maminha", alternadas com pedidos urgentes porque estão com sono, ou mal dispostos ou com saudades. E um dia chega o "o não quero mais, já não preciso de maminha que sou grande" e nós no meio da incredulidade por termos um filho tão crescido, sentimos o coração cheio pela missão cumprida, sabemos que demos o melhor de nós e que o ajudamos a crescer nessa segurança que ele já não precisa agora.

Nao sei se é um testemunho que ajuda alguém que no principio do caminho não se imagina a amamantar de forma prolongada. Mas é o meu testemunho, real, de uma mãe que queria amamantar 1 ano, depois descobriu que conseguia 2, e num segundo filho que 2 eram pouco e que o bom mesmo é serem eles a decidiu o fim do tempo, que é deles afinal.

8 comentários:

  1. Amamentar foi a coisa mais difícil e maravilhosa da maternidade. :) Foi difícil o início e o fim. Todo o tempo intermédio foi fantástico: Deixo qui o meu testemuunho: http://www.vinilepurpurina.com/2015/10/07/amamentar-e-uma-coisa-esquisita-ou-esta-conversa-e-sobre-mamas/

    ResponderEliminar
  2. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar
  3. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar
  4. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

      Eliminar
  5. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar
  6. Os primeiros 2 meses foram assim uma coisa a nivel de dores (puxa até as costas têm de doer?!). Toda a gente sabe q o parto dói, agr nunca pensei q fosse um martírio amamentar! Sinceramente as dores impediam-me ao início de gostar de amamentar. Vivia com medo da proxima mamada. Li o teu post Joana Gama e foi isso que me deu esperança q um dia fosse parar de doer. E assim foi! Hoje ADORO e sinto-me uma super mulher, muito orgulho nas minhas maminhas descaídas :D claro q tb houveram aquelas vozes q o leite não chega, dá suplemento blá blá. Eu ia dizendo pois pois virava as costas e fazia como o meu instinto me dizia. Resultou :)

    ResponderEliminar
  7. Olá Joana!
    Li este post após a sua publicação e desde então que dou por mim várias vezes a pensar nele e num possível comentário para o mesmo. Isto porque a amamentação tem um significado para mim especial.
    Desde sempre que pensei que por mim tanto amamentava como não, dependendo como me fosse sentir após ser mãe. Assim que a minha filha nasceu perguntaram-me se queria amamentar, mesmo antes de sair da sala de partos. A resposta foi imediata, sem pensar sem ponderar, sem hesitar (talvez por influência do curso pre parto que fiz), que "sim, quero amamentar já". Assim que cheguei ao recobro tudo começou e acho que tive aí a percepção de que aquele pequeno ser era meu, só meu (e do pai)! Senti-me mesmo especial, mas estranha ao mesmo tempo.
    O primeiro mês foi difícil, tive momentos de muita dor, momentos sozinha na sala (com a bebe, o marido e a minha mãe a dormir nos quartos) onde chorei, chorei de dores, chorei porque não sabia o que fazer... Ligava para todos os contatos de apoio que eu tinha, mesmo quando quem me rodeava me dizia - "na minha altura isto e aquilo....., "mas estas a ligar outra vez? Mas porque ligas tu?". O segundo e terceiro mês foram mais fáceis ainda assim não extraordinários... E lembro-me de ouvir varias pessoas e inclusive a medica de família da minha bebe a dizer "amamentar é a melhor coisa, é a coisa mais prazeirosa que uma mãe pode viver". Eu só conseguia pensar "a melhor? Aonde? Só se for para essas pessoas!" Não entendia o que elas diziam e não conseguia aceitar... Até a pouco tempo atrás (a minha filha tem agora 8 meses), quando ela começou a comer sopas...e mesmo não comendo tudo não estava permitida a dar de mamar para colmatar a fome que eventualmente ela ficasse para que ela não tornasse essa transição mais complicada. Custou, custa-me ainda!
    E sim, amamentar é uma sensação única que realmente só quem o faz, mesmo que por pouco tempo, sabe o que é! A ligação, a conexão, a energia, o amor, a cumplicidade, a amizade, o carinho, a sensação de proteção, sei lá.......
    A forma como a minha filha pede para mamar, a forma como a minha filha me olha antes durante e depois de mamar, a forma como a minha filha me diz que me ama e me agradece são indescritíveis! Por vezes ainda me sinto estranha neste papel de mãe, mas é nessas alturas, que são só minhas e dela que eu sinto o que é ser mãe, que eu sinto o maior e mais incondicional amor que alguma vez senti e que alguma vez sentirei!
    Amamentar é realmente um acto de amor incondicional, um verbo completo e indescritível, uma forma de ser, uma forma de viver.
    Ainda amamento, e pretendo fazê-lo o máximo de tempo possível! E as vezes ainda aldrabo um bocadinho... Quando ela dorme mais no fim de semana que o habitual e acorda rabugenta sem vontade de comer sopa a noite... Que vou fazer, empurrar-lhe a sopa boca dentro? Deixá-la chorar de fome? Não claro, maminha.... Ta aqui e disponível para ela, quando ela quiser e precisar.

    Joana, vocês nem imaginam aquilo que me fazem sentir quando vos leio, não imaginam o que transmitem... E ler-vos é quase como me sentar no sofá e embrulhar-me numa manta! Nem sei bem explicar por outras palavras, e este post, por qualquer razão tocou-me de forma especial... Talvez por isso tenha feito este comentário mais parecido com um testamento... Credo! Ainda estão a ler? É pá, obrigada! E desculpem qualquer coisa.

    Beijinhos as duas e as respectivas filhotas.
    De uma leitora assídua é super fã.

    ResponderEliminar