quinta-feira, 3 de dezembro de 2015

Quando é que eu tenho o próximo?

A Joana Paixão Brás está grávida. 

Isso resultou em três coisas na minha vida pessoal: 

- Estar muito feliz por ela (tal como escrevi aqui)

- Acharem que tinha sido eu a engravidar (as mais desatentas, inclusivé um primo meu, que tristeza)

- Perguntarem-me quando é que vou ter o próximo.


Aliás, até li algures de mais que uma pessoa que até pensavam que era eu a primeira a ter o segundo. Porquê? Fico curiosa! 

Tenho muitas saudades de estar grávida, a sério que sim. A primeira gravidez vive-se com uma magia, com um esplendor, com uma áurea linda de esperança, sonho, desejo, quentinho. É como se fosse Natal durante 9 meses seguidos (mas acompanhados de algumas dores ou incómodos ou... bem, depende das mulheres). 

Já olho para os bebés com um ar guloso outra vez. Houve aí uma altura que olhava para eles e sentia pena dos pais, por estarem a passar pelas mesmas dificuldades que eu e agora só penso: "ohhhhhhnnnnn e depois ficam pessoazinhas". 

Quero muito ser mãe outra vez. Quero viver a maternidade com um andamento mais calmo, com menos solavancos, menos nervos. Quero aproveitar a fase "tubérculo" como o Frederico lhe costumava chamar, por não fazer mais nada além de chorar e dormir. Quero, em vez de passá-lo para o quarto na 2ª noite, dormir algumas noites com ele. Quero que a Irene tenha um amigo em casa e que formem uma tropa para me azucrinar. 

Quero voltar a usar as roupinhas que a Irene só usou uma vez. Quero cheirar aquele cocó só de leite materno. Quero introduzir as sopas, quero andar com ele o dia inteiro ao colo por agora, na segunda vez, já saber que não lhe faz mal, antes pelo contrário.

Quero muito. Até porque sinto que não aproveitei muito a fase de recém nascido da Irene e porque tenho dois irmãos e sei o quão bom isso é. 

Porém, sinto que não é o momento. Sinto que, só com a Irene, ainda não me consegui equilibrar, arranjar ritmo, descobrir na plenitude (ou talvez sentir-me confortável qb) neste novo papel que desempenho que é o de ser mãe e que, para "piorar" é cumulativo com todos os outros... 

Da mesma maneira que senti que precisava de ganhar alguma maturidade para ser mãe, agora sinto que preciso de ganhar algum andamento de mãe para acrescentar mais um. É como se estivesse a aprender a fazer malabarismo, estou agora com duas bolas na mão, ainda toda enrascada e não vou agravar a situação atirando-me uma terceira. Não quero que tudo caia. Não tenho pressa. Vontade sim, mas pressa não. 

Não quero ficar dividida ou sem forças para ir passar ao jardim com a Irene porque o novo bebé precisa muito de mim. Neste momento, idealmente, só terei o próximo quando sentir que a Irene tirará mais proveito disso. Tenho uma diferença de 10 anos do meu primeiro irmão e adoro a nossa ligação. Não esperarei tanto até ter o segundo filho, mas não vejo a proximidade de idades uma obrigação. 

Quero que não lhe falte nada. Dentro daquilo que eu acho que é o tudo. 

Quando já estiver muita boa neste malabarismo, vou fazê-lo, vou atirar mais uma bola e andar toda desequilibrada outra vez, mas com um sorriso a triplicar nos lábios.

Cada mãe, sua vontade. Esta é a minha. 


7 comentários:

  1. Ora, nem mais. Penso e sinto dessa mesma forma. :-)

    ResponderEliminar
  2. Faço das tuas as minhas palavras! Há tempo para tudo e tudo a seu tempo!

    ResponderEliminar
  3. Concordo plenamente Joana... Cada mãe tem o seu ritmo. Eu sou mãe de um menino de 3 anos e um de 3meses e apesar de adorar o meu bebé, ainda ontem escrevi sobre a relação com o de 3anos, a saudade de ser só dele, a saudade de lhe dar só atenção a ele, a saudade de ter toda a paciência e todas as energias centradas nele... É maravilhoso ser mãe de dois mas cada coisa a seu tempo...

    ResponderEliminar
  4. A minha última foto grávida é tal e qual xD

    ResponderEliminar
  5. Eu gostava de ter um segundo com pouca distância. Até porque já tenho 35 anos e se for mesmo maluca ainda vou a um terceiro ;) ainda assim, aos 15 meses do primeiro ainda não sinto a vontade de juntar mais uma bola.. A ver vamos!

    ResponderEliminar
  6. Concordo com tudo mas adoro acima de tudo a magia dessa foto! Tenho umas quantas iguais, quando as revi só pensei que não fazia puto de ideia do que estava para vir!!!a ingenuidade e a alegria ainda sem dor!!!tenho muitas saudades desses momento é só passaram 10 meses😊Também vou esperar ... 😜

    ResponderEliminar