sexta-feira, 11 de março de 2016

Passou a noite toda a chorar...

Ok. Têm que me dar um desconto. Sou mãe e, portanto, aqui "a noite toda" não é a "noite toda" é... "algumas vezes". 

Ontem, adormecê-la foi complicado. Já tinha "passado do ponto" e, por isso, não estava nada maleável. Adormeceu no fundo da cama e, como fiquei com medo, tive que a puxar para cima. Puxei e... acordou! Super mal disposta - como a compreendo. Ficou ainda imenso tempo a chorar comigo a tentar acalmá-la de todas as maneiras possíveis e imaginárias, mas foi difícil. Eu também já estava cansada. 

Percebi que devia tê-la deitado ligeiramente mais cedo. Como anda a acordar uma hora mais cedo que o normal, talvez deva antecipar o jantar uns minutos e a ida para a cama...

Aconteceu o que acontecia antes quando ela era muito muito bebé e lhe doiam os dentes. De vez em quando chora (não sei se chega a acordar) baixinho e há alturas em que diz "não, não!". Não sei se são dentes (sei lá), se foi alguma coisa que viu no ipad... Inevitável pensarmos no que é que temos responsabilidade ou não.

Deve ter sido um pesadelo, mas a "noite inteira"? 

Agora que ela fala, bem que tento puxar por ela para saber se lhe dói alguma coisa, mas acho que ela nem está a raciocinar nestas alturas...

Hoje vai dormir mais cedo. E eu também que tenho adormecido sempre com ela... 


As boas notícias é que dantes teria acordado umas 20 vezes numa noite como a de ontem. Ontem, mesmo assim, só acordou uma e às 5h da manhã... ;) 

4 comentários:

  1. O meu filho quando está assim normalmente está doente. Mas há dias mais agitados e que agitam também o sono deles.

    ResponderEliminar
  2. A minha de 5 meses anda assim (mas não diz "não não" :P ) são dois dentinhos a romper.

    ResponderEliminar
  3. Ficaste com medo de quê? Que ela se afogasse nos lençóis? Keep calm. Os pais agora são demasiado protetores. Não foram raras as vezes em que acordei com a cabeça onde deviam estar os pés. E ainda aqui estou, vivinha da silva.

    ResponderEliminar
  4. a minha S. com a idade dela começou a sofrer das chamadas dores de crescimento, agora com 4 anos já explica bem que lhe doi as pernas, e nestes picos de crescimento nota-se bem que come sempre mais e mais vezes... já a irmã não se queixa de nada!

    ResponderEliminar