sábado, 5 de março de 2016

Usam os sapatos certos nos vossos bebés?

A Joana, minha seguidora no instagram, atreveu-se a comentar os sapatos que tinha escolhido para a Irene, dizendo que era podologista. Não resisti e fiz-lhe o convite de nos escrever algumas dicas. ;)

       


"A pedido das Joanas, deixo aqui algumas dicas sobre os cuidados com os pés dos bebés, e daqueles menos bebés, as crianças que já andam, saltam, correm e se acham uns “crescidos”.

Todas as pessoas gostam de olhar e mexer nos pés dos bebés, porque são muito fofos, pequeninos e bonitos. Ou vá, se calhar sou só eu que, sendo Podologista, gosto particularmente de pés e em especial dos pés da minha filha! No entanto, e por muito bonitos que sejam, merecem especial atenção e cuidados.

Os delicados pés dos bebés vão evoluindo de forma natural desde que mantidos em ambientes confortáveis e com os cuidados necessários. Durante todo o processo de desenvolvimento dos pés, estes devem andar livres e sem pressão de sapatos. Como ainda não andam, não é necessário usar calçado fechado, por mais moles que sejam, a não ser em dias muito frios e chuvosos e caso tenham de sair de casa. Regra geral, o mais indicado são umas meias pequenas, colãs (não escrevo “meia-calça” porque muitas pessoas não iriam entender este termo nortenho de onde sou natural), ou babygrows com pé que também ajudam a proteger, desde que qualquer um destes não seja demasiado pequeno, de forma a impedir os movimentos dos dedos.

É a partir do momento em que começam a gatinhar ou caminhar apoiados a algo ou alguém que podemos calçar um sapato de modo a proteger de objetos no chão, ou do frio, sendo numa fase inicial, o ideal a meia antiderrapante. Os sapatos devem ser maleáveis e nunca de sola dura. Nesta fase é importante que eles sintam as irregularidades do solo, as diferenças de texturas, para que a sensibilidade seja desenvolvida e a própria destreza e o equilíbrio sejam trabalhados. No verão não há que ter medo de os deixar descalços!

Quando as crianças já são mais crescidas e já andam de forma mais segura e sem apoios, aqui sim pode começar-se a usar calçado mais resistente, tendo sempre em atenção a forma como elas andam (em bicos de pés, se tropeçam nelas próprias facilmente - nem sempre isto é sinal que são trapalhões podendo mesmo ser uma patologia - etc.). Após o início do uso de calçado mais duro é importante ver se aparecem zonas mais vermelhas e/ou bolhas por fricção – isto poderá querer dizer que o sapato é demasiado grande ou demasiado apertado. Com o uso de sapatos poderá, também, haver um aumento da transpiração levando ao surgimento de problemas de pele e eventualmente de unhas (unhas encravadas, por exemplo – segredo: corte reto das unhas e sapatos com tamanho e forma adequados).

No que respeita ao calçado, algumas características devem ser tomadas em consideração aquando da compra do mesmo, nomeadamente:

Flexibilidade do sapato – estão proibidos os sapatos demasiado moles e que dobram com facilidade

Rigidez do contraforte (zona do calcanhar) – mais uma vez, nem demasiado moles que colapsem com a pressão lateral dos dedos, nem muito rígidos

Zona frontal (dos dedos) – deverá ceder ligeiramente quando se pressiona na sola, mas sem que a zona da frente, com essa pressão, dobre em demasia

Para aquelas crianças (as mais “crescidas”) que frequentam piscinas, balneários podem também surgir problemas de pele, como as verrugas (facilmente confundidas por calos) e que merecem a maior das atenções pois são vírus e altamente contagiosas. 

Acima de tudo é importante deixar os seus filhos andarem com os pés livres de pressões sejam bebés ou mais crescidos e tratar bem deles com uma boa hidratação e cuidados adequados à idade. E não se esqueçam, para a prevenção e tratamento dos pés é crucial a ajuda de um profissional de saúde especializado.

Cuidem bem da saúde dos pés dos vossos filhos. Eles agradecem!"

Podologista Joana Silva

4 comentários:

  1. Gostei muito! Eu , pessoalmente, tenho trauma com calçado, porque à cerca de 4 anos q tenho uma unha que volta e meia encrava! E tenho pânico de um dia destes cortar mal as unhas da minha filha e acontecer o mesmo! Enfim... mas falou em Boa hidratação, recomenda algum creme em especial, no meu caso, para pezinhos de 6 anos? Geralmente passo-lhe NIVEA depois do banho , nos pés... obrigada Joanas!!

    ResponderEliminar
  2. Gostei muito! Eu , pessoalmente, tenho trauma com calçado, porque à cerca de 4 anos q tenho uma unha que volta e meia encrava! E tenho pânico de um dia destes cortar mal as unhas da minha filha e acontecer o mesmo! Enfim... mas falou em Boa hidratação, recomenda algum creme em especial, no meu caso, para pezinhos de 6 anos? Geralmente passo-lhe NIVEA depois do banho , nos pés... obrigada Joanas!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Inês, não há um creme específico para pés dos bebés, menos ainda tão pequenos como a sua filha. Aliás, em crianças pequenas, pelo menos até aos 12 anos, deve-se usar preferencialmente cremes de bebés, aqueles que usamos desde que eles nascem. No entanto, não me parece mal o uso do NIVEA, ainda que não seja um hidratante puro, dá sempre alguma protecção à pele dos pés.
      Espero ter ajudado. Disponha do que precisar.
      Podologista Joana Silva

      Eliminar
  3. Desde cedo que tive bastantes dificuldades em encontrar o calçado adequado para a minha filha. Tem 2 anos e meio e calça o 19! Imaginem com um ano :)
    Felizmente não tem problemas a nível de unhas, mas de vez em quando aparecem umas pequenas borbulhas (umas 3 ou 4, na planta do pé) que lhe dão imensa comichão. Primeiro aparece uma zona vermelha e depois a borbulhinha. Não faço ideia o que é e nem sei o que colocar para atenuar o mau estar

    ResponderEliminar