domingo, 8 de maio de 2016

10 motivos para (não) ter um blog.

Sempre tive blogs toda a minha vida. Vá, desde que existe internet. Sempre tive necessidade e vontade de escrever porque, de alguma forma, não vos sei explicar bem, é assim que organizo a minha cabeça. Não consigo parar para falar comigo no dia-a-dia e isto, assim, ajuda-me a sistematizar, a perceber o que sinto, quem sou (ai que bonito).  A dificuldade e as gratificações de ter um blog dependem muito do que pretendemos com ele. Já tive vários: 

- Um diário - sem qualquer pretensão de ser lido por muita gente. Funcionando praticamente como arquivo pessoal em que publicava fotografias dos meus afazeres, contava o que tinha feito e, ocasionalmente uns desabafos mais intensos quando havia desgostos amorosos ou problemas familiares ou do género. 

- Um álbum - ser menos escrita e mais fotografia (e aqui tanto dá para ser mais no registo de diário como de portfolio se se interessarem por fotografia a sério - tive os dois). 

- Um blog artístico - com desabafos super encriptados e reflexões filosóficas da vida muito ao estilo de uma pita intensa a passar por uma fase de auto-descoberta com muito drama à mistura e não assinado.

- Este blog. Um blogue de maternidade, que funciona como diário, mas que junta reflexões, fotografias com qualidade (outras nem tanto) e com algum humor e que pretende ser lido por muita gente, por vocês. 


Os três primeiros géneros são "apenas" para gratificação pessoal (o mais importante). Ou para poupar dinheiro num psiquiatra ou para ter registo das nossas coisas partilhando com aqueles que nos apetecer (porque não havia facebook na altura e, por isso, só chegava ao endereço quem soubesse dele). Surpreendi-me porque o primeiro e o terceiro tiveram ainda muita gente a ler. Fazia um post por dia ou menos. 

Quanto a este blogue, é um blogue que dá imenso trabalho. Convém mesmo - e daí também sermos duas (para além da pluralidade) - escrever frequentemente para vocês não se esquecerem de nós. A sorte é que ambas temos aquela necessidade de escrever e de partilhar que vos falei ali ao início. 

Já estão a morrer com tanta seca? Tá bem. 

Isto tudo para dizer que os 10 motivos para ter um blog (e para não ter) dependem muito do que quiserem de um blog e, portanto, do retorno que quiserem ter. Suponhamos, só para simplificar que queriam ter um blogue de sucesso como o nosso (ahah). 

10 motivos para ter um blogue: 

1 - Podemos partilhar com um grupo grande de pessoas coisas que nos unem e que nos fazem sentir normais. 

2 - Ficamos com um arquivo muito engraçado e genuíno daquele período de tempo.

3 - Podemos um dia vir a ter um negócio com o blog, sem comprometer a qualidade dos conteúdos e não passando a ser um estendal de publicidade (bom, isso depende de cada uma). 

4 - Menos tempos mortos (porque uma mãe não está suficientemente ocupada, não é?) e sensação de se ter embarcado num projecto. De alguma forma sentimo-nos empreendedoras. 

5 - Aliviar conversas menos interessantes para os nossos amigos. 

6 - (já me estou a ver à rasca) Se escreverem muito e bem (cof... cof) fica mais de metade do trabalho  feito para publicarem um livro. 

7 - Os familiares têm acesso a informações mais detalhadas sobre o que vai na vossa cabeça (isto pode nem sempre ser bom).

8 - Podemos inspirar e informar pessoas de alternativas que poderão fazer sentido para a vida delas (só me lembrei desta agora? que chatice! as haters vão dizer "mas a do negócio lembras-te logo, sua vacarrona!). 

9 - Tirarmos dúvidas com outras mães sobre mezinhas e pedirmos opinião nalgumas decisões. 

10 - Um espaço em que escrevemos e que há alguém que nos queira ler. 

10 motivos para NÃO ter um blogue: 

1- Para se ter sucesso dá um trabalho que é só estúpido. 

2 - Temos de interromper os nossos fins-de-semana para escrever posts como é o caso. 

3 - Parece que temos de ter uma sensibilidade super apurada, uma enorme auto-censura e "medo" para não podermos dizer o que realmente pensamos e não magoarmos sempre alguém. 

4 - Demora muito tempo até se conseguir desenvolver um negócio rentável proporcional ao esforço empregue (nós ainda não conseguimos!).

5 - Temos de lidar com várias sensibilidades dentro das nossas famílias sobre o que podemos expor, que fotografias publicar, do que podemos e não podemos falar. 

6 - Estarmos completamente expostas à opinião de qualquer pessoa e termos de lidar com isso. 

7 - Ficar tudo registado nos arquivos da internet. Se fizerem uma pesquisa pelos nossos nomes vão aparecer coisas que se calhar não gostaríamos que fosse a primeira impressão que alguém tivesse de nós. 

8 - Levarmos com bocas de quem não percebe o que nós fazemos numa de "ai vai lá escrever mais um post, ó blogger", "porque eu sou blogger", blá blá. Existe um preconceito. 

9 - Termos de lidar com uma vertente "empresarial" que não nos agrada e tratar de publicidades, orçamentos, pormenores, negociações... (blergh). 

10 - Nunca podermos relaxar porque sabemos que temos de arranjar conteúdo frequentemente. 


Mais uma vez, não se aplica a TODOS os blogues. Peguei no que sinto. Somos um blogue que não se importa com a concorrência porque sabemos os benefícios que ter um blogue traz principalmente à "cabeça". E porque sentimos que não somos concorrentes umas das outras por sermos todas diferentes. 

E vocês, bloggers ou ex-bloggers, querem acrescentar alguma coisa? O link para o vosso blog nos comentários por exemplo? 

;)

13 comentários:

  1. Concordo com o texto, e dou-vos os parabéns pela forma como têm gerido tudo isto. Primeiro, não é nada fácil encontrar um equilíbrio entre tornar o blog rentável e não vender a alma ao diabo.Segundo, raramente 2 pessoas conseguem chegar a consensos durante tanto tempo, manter uma boa amizade e manter o ritmo de escrita. Muitos parabéns!

    Eu tenho um blog que não é atualizado há muito tempo mas que chegou a ter bastante sucesso. Eu focava-me muito em textos originais, em dicas, em vestidos de alta costura e em looks de noivas/noivos e de convidadas para casamento. No entanto, nunca quis ter publicidade nem associar-me a marcas em que não acredito. Desta forma, nunca consegui ter nenhuma vantagem financeira... e a verdade é que o blog era quase como um trabalho part-time, tendo em conta todo o tempo dispendido. Um blog como aquele exigia muita pesquisa diária, muita informação, atualização permanente e muita inspiração.
    Chama-se http://www.hojevoucasarassim.com e está em stand-by...

    Beijinhos às duas e muito sucesso!

    Patrícia Oliveira

    ResponderEliminar
  2. Excelente iniciativa (mais uma)! Excelente reflexão! A pertinência do tema é cada vez maior e isso faz com que este texto seja tão relevante, sobretudo no contexto em que se insere o Blog.
    Eu e a minha mulher começámos em Novembro uma tentativa esforçada de Blog sobre a maternidade/paternidade espelhadas na aventura de um casal de jornalistas da SIC que decidiu dar voz a um blog a 4 mãos dentro da mesma casa.
    Tal como tu, Joana, também eu escrevo desde que me lembro de me considerar gente. Preciso de o fazer. Para dar ordem ao que sinto. Para dar razão de existir ao que penso. Para que uma pessoa que seja se possa sentir reconfortada por saber que há mais quem se sinta bem, mal, menos bem, ou menos mal e que tem a (in)sensata capacidade de lhe dar forma desta forma.
    Disseste tanto, se é que não disseste tudo. Não é nada fácil. Tanto mais porque a crítica começa exactamente, como tão bem referiste (porque o terás sentido na pele), dentro de portas, dentro dos círculos mais próximos temos. Obrigado Joana.
    Aqui fica o link do nosso blog: http://agoranosostres.tumblr.com/

    Continuem a inspirar-nos a seguir o caminho difícil mas tão reconfortante para a alma que é o da escrita e o da partilha das experiências que a vida nos vai proporcionando!

    ResponderEliminar
  3. Olá Joanas!
    Vocês são o máximo! Venho aqui tantas vezes descontrair :)
    Sou uma mãe já mais crescida, pois a minha filhota já tem 8 anos. Mas revejo-me em tanta coisa...
    Quanto a blogues, entrei neste mundo há pouco mais de um ano. A minha temática é diferente. (Joana, esqueceste-te deste tipo! :) ) Comidinhas!
    PÃO COM CHOCOLATE, é o meu menino!
    Senti que precisava criar um livro de receitas mais moderno, que o caderno cá de casa, e partilhar o que mais adoro fazer.
    Não fazia a mais pequena ideia do que era um blog, nem tão pouco como se criava. Fiz e faço tudo 'by my self', vejo outros, pesquiso e tento compor os conteúdos.
    Tenho ainda um longo caminho pela frente, que se vai fazendo a seu tempo.
    Não estou preocupada com o sucesso, nem retorno financeiro... e apesar de ser quase insignificante face a mega blogs que por aí há, tem crescido de uma forma que eu não imaginei.
    A concorrência? Se assim se pode chamar, é fundamental, e nem consigo entendê-la como tal.
    Dá mesmo muito trabalho, e de facto precisava de mais tempo para lhe dedicar...é que no meu caso não basta escrever, é preciso cozinhar e fotografar...
    Na cozinha estou à vontade, já o resto tem sido O desafio! Nunca foi dada a escritas, e não percebo nada de fotografia.
    Tudo a seu tempo. Tem sido uma experiência muito gratificante e uma aprendizagem brutal... Enquanto me apetecer e tiver prazer, vou continuar.
    A vocês muitissimos parabéns e continuação de muito sucesso.
    Beijinho
    Vanda do 'Pão com Chocolate'
    http://pao-com-chocolate.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  4. Quando comecei a viver sozinha, com 20 anos, tinha um blogue completamente "existencialista - pessimista" que existia para descrever toda a estranheza que sentia em relação à sociedade e à natureza humana. Qualquer dia ressuscito aquilo em forma de tesourinho (literalmente) deprimente, jurando depois de cada texto que estava completamente sóbria quando escrevia os artigos. :P
    Agora tenho o blogue atual para partilhar experiências (se calhar mais para aprender com as experiências dos outros do que o contrário disso), para guardar memórias que, de outra forma e com a minha memória de formiga, não seria possível e também como uma espécie de bloco de notas. Todas as listas como a da mala de maternidade, menus semanais durante a gravidez, receitas daquelas se se fazem em 15 minutos e resultam sempre bem (o que para mim é complexo) e outras coisas que preciso de consultar de vez em quando, coloco no blogue para eu própria consultar quando preciso. Para quê ter montes de cadernos ou aplicações com anotações no telemóvel se posso enfiar tudo numa página da Internet?!
    Motivos para não ter um blogue existem inúmeros, sendo o que considero mais importante a grande responsabilidade que temos quando escrevemos de uma forma pública. A ética e a responsabilidade social são um peso enorme que nunca podemos descurar. As nossas opiniões (que até podem ser muito bem intencionadas) podem ter efeitos negativos enormes noutras pessoas e às vezes não fazemos ideia nenhuma disso. Para mim isso é o mais difícil, é o que me faz passar imenso tempo a decidir se posso ou não falar daquele assunto que envolve outra pessoa, mesmo que nunca revele nada sobre a sua identidade, decidir se publico ou não aquela foto onde um desconhecido aparece de perfil e desfocado atrás de mim, ou se conto uma história que envolve alguém da minha família que pode sentir-se magoado com a forma como eu me sinto em relação a algo que envolve os dois.
    De resto, do meu ponto de vista, todos os motivos para ter um blogue são muito mais e melhores do que para não ter.

    ResponderEliminar
  5. Olá. Dizem que depois de ter um filho uma mulher deve iniciar um projecto (como se criar o rebento já não fosse uma grande tarefa). Eu criei um blogue onde vou escrevendo, basicamente quando algo do dia a a dia me inspira. Escusado será dizer que ultimamente a inspiração tem palmo e meio e usa chupeta. Julgo que ainda nem devo ter seguidores ahh ahaha mas basta me pelo prazer da escrita.
    Parabéns pelo blogue e pelo livro.
    Beijinho

    ResponderEliminar
  6. Já agr deixo o link

    serasempresetembro.blogspot.com

    ResponderEliminar
  7. Bom post JG :) Conteúdo interessante! Eu sou uma viciada em blogs (sigo muitos) e tenho dois blogs, um profissional e um pessoal. É tão difícil arranjar conteúdo! E muitas vezes o contéudo até surge, mas a dúvida do "devo publicar tal coisa?" ou "será que vou ofender alguém?" acabam com o tema. Outras vezes, as ideias surgem em alturas em que não dá para escrever mesmo, e depois acaba por já não fazer sentido falar no assunto. Vou continuar a escrever, mesmo que não seja tão frequentemente como gostaria, porque a melhor razão para ter um blog é poder escrever! Sim, poderia fazê-lo sem ter um blog, mas a ideia de que alguém nos poderá ler e rever-se, por exemplo, é sempre boa.
    O blog pessoal, inicialmente começou como um diário, mas sem ser um diário como o vosso, em que partilham o vosso dia a dia - é um blog maioritariamente sobre a vida duma mãe divorciada, com um filho que vive com ela semana sim, semana não - uma realidade muito difícil e que muitas pessoas não compreendem. Espreitem em http://semanasimsemananao.blogspot.pt
    O profissional deveria ser actualizado com todos as novidades da loja, mas acaba por dispender algum tempo e é mais fácil ir actualizando só o facebook. Mas tenho tentado mais ultimamente http://storinrl.blogspot.com
    Um beijinho, Ana Carina

    ResponderEliminar
  8. www.redecompeixe.blogspot.com

    Percebo perfeitamente o ponto que tocaram da parte de dar imenso trabalho e por vezes não vermos retorno, o que parece estupido.
    Mas compensa largamente pelos comentários que vamos recebendo de quem nos lê do outro lado :)

    Beijinhos para as duas!

    Joana

    ResponderEliminar
  9. Admiro imenso a vossa capacidade de trabalho e de manter o blog vivo ;) Eu vou tentando, nem sempre consigo, mas é muito compensador, tanto pelo facto de ficar um registo escrito do nosso crescimento como mães e da vida dos nossos filhos, como pelos comentários de gente boa que nos lê. Keep on!

    ResponderEliminar
  10. Muito bom!
    Aqui, escreve-se uma coisa do tipo diário.
    Mas também já tive um blog dedicado a uma viagem específica que ia fazer com uma amiga e também era escrito a quatro mãos - e o que nos rimos com aquilo, mesmo que o público alvo tenha sido "só" a família e os amigos mais próximos!...
    Para mim, o maior senão é realmente a exposição (das nossas ideias a quem não sabemos que está do outro lado e - pior! - a quem não nos queremos expor mas não controlamos o seu acesso) e o equilíbrio a que isso obriga entre o que é publicável e o que não é.
    Mas também me dá um gozo brutal e, enquanto não ofender ninguém, cá estou: www.adoscoelhos.wordpress.com

    ;) beijinhos às Joanas.

    ResponderEliminar
  11. http://eassimsoumaisfeliz.blogspot.pt/

    Parabéns pelo vosso blog, pelo livro e por este post! Dá muito trabalho ter um blog e mantê-lo ativo, interessante, e só quem tem um é que sabe e entende isto, mas também é muito compensadora a experiência! Sigo vários blogues e gosto muito de escrever e partilhar naquele meu cantinho mas nem sempre é fácil, como não é para tantas outras mulheres, com emprego a tempo inteiro, família e casa para cuidar. Já por várias vezes li que muitos blogues não sobrevivem mais do que três meses e por conseguir manter o meu há quase dois anos mesmo tendo duas piolhas pequenas já fico orgulhosa de mim ;)! E quando se tem um emprego que não é a nossa paixão, é muito bom dedicarmo-nos a uma coisa destas; posso nem ser lida por muitas pessoas e não ter qualquer retorno financeiro, mas pode alguém ler o que escrevi e identificar-se, sentir-se inspirado ou tirar informação útil para si. Além disso, à conta do meu blog pessoal já aprendi imenso (pesquisas na internet e workshops) e conheci algumas pessoas que de outra forma talvez não viesse a conhecer (umas apenas "conheço" porque descobri os blogues delas e sigo-as, outras pessoalmente). Para mim, ter um blog, mesmo que pequenino, é enriquecedor!
    Beijinhos para as duas :)

    ResponderEliminar
  12. Acabei de conhecer o vosso Blog, também me chamo Joana e estou grávida. Estou mesmo encantada com as dicas que aqui têm! Obrigada! Também tenho um blog, mas ligado ao fitnesss e alimentação saudável, faz precisamente 4 anos esta semana.
    Estou MESMO a adorar ler-vos. Muito simpáticas e sem muito estendal de publicidade. Love it!!!

    www.raparigamoderna.com

    Beijinhoss

    ResponderEliminar
  13. Descobri o vosso blog recentemente e li os posts de uma assentada :D
    Também eu decidi criar o meu, desde que engravidei... sob a forma de diário, com algum sentido de humor...
    Felicidades e sucesso ;)

    agravidezdele.blogspot.pt

    ResponderEliminar