quarta-feira, 15 de junho de 2016

O meu parto.

Dia 31 de maio, terça-feira. Antes de sair de casa, maquilhei-me e vesti uma roupa gira. Tirei, sem saber, a minha última fotografia grávida. Sentia-me bem, feliz. Estava pronta para receber a Luísa e o meu corpo já me dava mostras de que estava para muito breve. Além das sessões de contracções regulares desde sábado e da perda do rolhão mucoso, o meu feeling estava certo. A minha querida médica pediu-me que ficasse de repouso até 5a, dia em que já estaria de volta a Lisboa, mas não conseguimos esperar por ela. Estava no Hospital de Santarém, no ctg das 39 semanas (com 38 + 6 dias), cheia de contracções muito regulares, colo favorável e já não saí de lá. Telemóvel do David, que estava em Lisboa a trabalhar, desligado. Boa, mesmo no timing perfeito. Mãe já avisada para ir buscar as malas a casa. E a máquina. E o kit das células. E... E eu num misto de lágrimas de emoção e de sorriso nos lábios. Ia ser naquele dia.  Era real.

Já não vi a minha mãe e entretanto o David chegou, já estava eu numa daquelas batas sexy, abertas atrás. Trocámos beijinhos e risos nervosos. Íamos repetir a dose, naquele que seria o dia mais feliz das nossas vidas. Perguntei-lhe se tinha almoçado bem e suspirei só de imaginar o hambúrguer com queijo das ilhas. Lamentei ter tomado o pequeno-almoço às 9 horas e não ter feito um lanchinho entretanto. "Se for como o da Isabel, vou estar sem comer até amanhã". Desta vez, não tínhamos um quarto só para nós, estávamos acompanhados por mais um casal, apenas separados por um pano. Eu ia tendo as minhas contracções, cada vez mais e mais dolorosas, ia fazendo as minhas respirações e a grávida do lado, internada por ter pouco líquido amniótico mas sem avanços na indução do parto, a ter de "sofrer" comigo e com as minhas queixas. Demorei a pedir a epidural. Já da outra vez deixei para o limite dos limites, quando já sentia que não ia aguentar muito mais tempo naquilo, com tanto sofrimento e ainda longe de ter a dilatação feita. De 3 em 3 minutos, sentia as dores mais intensas do mundo, mas que, por incrível que pareça, têm ali qualquer coisa de bom, acho que por sabermos que não são em vão. No meio de tudo isto, fui alegremente conversando com as enfermeiras e com as técnicas, todas de uma simpatia e dedicação ao que fazem enormes. Não dei pelo tempo passar. 

Faltavam menos de dez minutos para as oito da noite quando percebemos que estava na hora. Fui a caminhar para a sala de partos, acompanhada pelas enfermeiras. O David foi logo de seguida. Pedi-lhes para, caso tudo corresse bem, ser eu a receber com as minhas mãos a minha filha e que a colocassem logo no meu peito. Fiz três vezes força na mesma contracção. Aliás, duas durante a contracção e outra logo de seguida. A Luísa nasceu e chorou, quente e escorregadia, às 20 horas em ponto. Tão bonita, tão perfeita. Não a achámos parecida com a Isabel, quando nasceu. Veio para o meu peito e soube logo o que fazer. Foi uma emoção enorme, inexplicável. Tinha a minha segunda filha nos meus braços e tinha sido tão fácil e tão bonito.




O David, trémulo, tinha entretanto cortado o cordão. Vi a placenta, perfeita. Não fui submetida a episiotomia e só tive de levar um ponto de correcção. Na da Isabel, por ter sido com ventosa, ainda tinha andado ali a penar umas semanas, com os pontos. Pensei logo "esta recuperação vai ser um luxo". Depois fui para o recobro, onde a Luisinha voltou a mamar e onde estivemos os três felizes da vida. 

Adorava contar-vos que a seguir fomos para o quarto e que este foi o dia mais feliz da minha vida. Queria muito que a história acabasse aqui. Mas não. Não foi o dia mais feliz da minha vida. Foi o mais difícil, aquele em que tive mais medo, em que senti que podia morrer, em que me despedi dos meus amores. Essa história fica para outro dia, até porque, apesar de tudo, tenho muito a agradecer. Mas hoje só me quero lembrar das coisas boas, já que afinal são essas que me habitam. Estou bem, estou feliz e o amor pelos nossos filhos cura tudo.

Na maminha

A ser vestida

28 comentários:

  1. Linda e enorme não? nem parece uma recém nascida! Joana, não sei o que se passou mas espero que estejas bem. beijinho

    ResponderEliminar
  2. Que lindo Joana :) adoro as fotos e que bom que tenha sido um parto rapido! Tenho que admitir que quero muito saber o que passou no recobro pois estou grávida também e gosto de estar informada de coisas que possam acontecer e como lidar com elas sejam elas positivas ou nao! Tudo de bom para vocês :) beijinhos

    ResponderEliminar
  3. Sem palavras, apenas com uma lagrimita no canto do olho :-)
    Parabéns!

    ResponderEliminar
  4. Parabéns pela iniciativa de "fazer o seu próprio parto", foi lindo só de imaginar todo o momento. Espero que a recuperação esteja a correr bem :)

    ResponderEliminar
  5. Que docinho a Luisinha...Fui mãe ha 7 meses e é com emoçao que leio o seu testemunho...no meu caso corrue tudo sem sustos nem precalços, mas o importante é que o final foi igualmente feliz para si também...Muitos parabéns Joana, tem duas meninas lindas e é uma mãe cheia de força e coragem....Goze bem este momento de cumplicidade e mutuo conhecimento com as suas pequeninas <3

    ResponderEliminar
  6. eu agora acho-a bastante parecida com a Isabel! Tudo de bom para vocês! <3

    ResponderEliminar
  7. Concentrar-se sempre na alegria, os momentos menos bons, servem para dar-mos ainda maisvalor aquilo que temos :) Força Joana

    ResponderEliminar
  8. Que relato bonito =O Dei por mim a fazer forca tambem ahahaha
    Tou ansiosa pela continuacao, ja que ja tinha percebido pelo post da outra Joana que algo tinha corrido mal :(
    No entanto, espero que ja esteja 100% recuperada e a aproveitar os dois bombons da sua vida.
    Um abraco!

    ResponderEliminar
  9. Que linda!!!! Que maravilha que já está tudo bem e podes usufruir da tua linda família. Muitas felicidades. A Luísa é linda!!!!

    ResponderEliminar
  10. Quem me mandou ler isto com pessoas ao lado? Agora escorrem me as lágrimas e tenho de disfarçar que me entrou um mosco no olho.

    Tão terno!

    Um beijinho a vós :)

    ResponderEliminar
  11. Que princesa. Parabéns.
    Espero que mamã e filhota estejam bem, depois do susto.
    Faltam-me (teoricamente) 5 dias para nascer o meu pikini e estou um misto de ansiosa, feliz, preocupada, com medo...
    Beijinho

    ResponderEliminar
  12. Olá Joana
    Parabéns pelas tua filhotas, e espero que estejas bem. Como a Maura disse também eu me sinto curiosa em saber, porque apesar de serem experiencias negativas, podem alertar nos para situações futuras.
    Neste momento tens apenas que pensar que foi um momento dificil e que já passou e agora é aproveitar ao máximo as tuas filhotas. És grande. Um beijinho grande
    Isabel

    ResponderEliminar
  13. Fiquei emocionada. Apesar do susto, no fim tudo se compôs. Eles são mesmo tudo! Felicidades aos quatro.

    ResponderEliminar
  14. Muitos parabéns!
    Temos de histórias parecidas de parto!O primeiro demorado ,com ventosa e cosida até mais não.Do segundo foi tudo tão rápido (2 h desde a primeira contração até nascer) sem epidural,sem cortes ...um parto perfeito.O meu útero é que depois não queria contrair ,depois de muitas massagens (dolorosas) e de ver as enfermeiras muito aflitas ,lá passou o susto.
    Desejo tudo de bom e muitas felicidades :)

    ResponderEliminar
  15. A 1ª foto está linda, arrebatadora ! Eles já têm a lição estudada só precisam mesmo é de uma ajudinha ;o) Os partos, como os pós partos e sem esquecer antes disso tudo, as gravidezes, nunca são mesmo iguais e era muito bom que tudo fossem apenas rosas e que nós e os nossos filhos não nos sentissemos marcados pela negativa por qualquer experiência vivida. Mas o importante é mesmo o presente e agarrarmo-nos em superar feridas fisicas e emocionais, por eles, por nós. Eu entreguei-me a uma 2º gravidez com a esperança de poder passar por um parto e pós partos fácil tal como o 1º mas foi tudo tão dificil que ainda hoje me dói a alma quando penso na solidao do internamento, na pouca afectuosidade de quem lá estava comigo, na falta de confiança dos outros em mim e na minha experiencia de mãe... e depois ser mãe de dois é abdicar de algum atenção em mim para colmatar a minha falta perante o meu filho mais velho. Pari À 1h da manhã e como estava internada sem poder ser acompanhada, não era trabalho de parto, mas tinha perdas de LA, o meu marido estava com o meu filho e só pode entrar na sala de partos quando a troglodita da anestesista se despachou e ele esteve uma hora na sala de espera e o apoio dele teria sido tão importante desde que estive sem ele no fim das visitas... Fui novamente cortada e para bem do meu filhote já que o cordão era tão curto que nem dava para ele ter a cabecinha toda de fora... Chorei tanto depois do recobro, agora acompanhada pelo meu bebé e o meu marido já de volta a casa pelo meu filho mais velho que não consegue dormir sem a nossa presença por perto... Hoje passados quase 2anos depois do meu 2º parto ainda vivo intensamente cada momento mas infelizmente são mais os momento maus do parto e pós parto dificil... mas por eles vale tudo ! Beijinho

    ResponderEliminar
  16. De lágrimas nos olhos! :-)
    Eles sabem tão bem o que têm de fazer...
    De coração cheio a vê-los, logo a agarrar na maminha, é maravilhoso!
    Felicidades para os 4!

    ResponderEliminar
  17. A 1ª foto esta linda...amei.
    Muitas felicidades para os 4.
    O importante é já estas bem.
    Foi só um susto.

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  18. As fotos estão lindas! Que coisa mais boa, logo a mamar! E é tão perfeitinha, parece a minha que não parecia recém nascida! E é tão bom! Parabéns!!!

    ResponderEliminar
  19. Estava muito ansiosa por saber este relato, e continuo por saber a continuação da história. Acho que ajuda estar atenta a possíveis sinais...

    A Luisinha na última foto faz-me lembrar a Isabel! Adoro a foto dela a mamar logo, que incrível!

    Um grande beijinho!

    ResponderEliminar
  20. Que Lindo! Que relato emocionante desse dia que deveria ser o mais feliz de uma mulher. Fico feliz que tenhas recuperado. Recuperaste já não foi?
    Tens duas filhas lindas e adoraria poder dar-te um abraço pelo que passaste e por seres uma mãe incrível e uma mulher corajosa.
    Adoraria ser mãe novamente mas sem apoio familiar por Lisboa (os meus pais mora longe de mim) fica difícil gerir uma família e uma casa e uma vida profissional sem me sentir na beira da loucura. Como se faz para conseguir isso tudo?

    Beijinhos e muitas felicidades novamente.
    Joana

    P.S. - espero que as unhas da tua filhota estejam bem... ;)

    ResponderEliminar
  21. Parabens Joana, o seu relato emocionou-me... tb eu estou gravida e ansiosissima.... adorei o livro ajudou-me imensonesta fase de gravidez... quando puder partilhe conosco o que aconteceu ....fiquei aprrensiva, realmente quando estamos gravidas tudo nos deixa mais sensiveis... bjinhos

    ResponderEliminar
  22. Joana que coisa mais maravilhosa... e ainda tiveste tempo para responder ao meu mail (só agora reparei nas datas eheheh) Luísa linda!!! Que relato maravilhoso....

    Tudo a correr bem...

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  23. O parto do meu filho foi no dia mais feliz e mais sofrido também. De repente vi o meu filho a ser levado para a Neonatologia com uma infecção bastante grave. Felizmente está forte e feliz!!!

    ResponderEliminar
  24. Estivemos ao mesmo tempo no bloco de partos do hospital de santarém! Mas felizmente conseguimos que o meu bebé se aguentasse mais uma semana na minha barriguinha, acabou por nascer no dia 4 de Junho, com 35 semanas e apenas 2,100Kg. Felicidades para vocês, espero que a Luisinha e o Afonso ainda se conheçam.

    ResponderEliminar
  25. Que ternura de post. Apesar de eu ser uma mãe radicalmente diferente de ambas as mães Joanas, acabo de ficar emocionadissima com este post e com as fotografias, estão muito fortes e bonitas. Parabéns, a Luisinha é mesmo um amor, perfeitissima. Não sei o que se passou, mas já percebi que agora está tudo bem, e isso é o mais importante. Ainda bem :)

    ResponderEliminar
  26. A primeira foto é uma ternura, maravilhosa! Acho a Luisa muito parecida com a Isabel, duas bonecas. Grande beijinho de felicidades :)

    ResponderEliminar
  27. As fotos são a coisa mais maravilhosa de sempre! Parabéns!
    Eu também tive um parto com um desfecho inesperado e traumático e se posso sugerir uma coisa é que não minimize e fale muito, muito do assunto. Acabei por não fazer isso, acabando todas as conversas com "felizmente acabou bem" e "o que interessa é que se resolveu" e passadas muitas semanas de insónias acabei diagnosticada com sintomas de stress pós traumático. Enfim, tudo a correr bem.

    ResponderEliminar