quarta-feira, 7 de setembro de 2016

Como é que vocês fazem com os avós?

Quais são os vossos ritmos familiares?

Dantes, quando a Irene estava em casa com o Frederico, os avós paternos iam lá sempre que lhes apetecesse e depois eu assegurava a ida à casa da minha mãe. Agora, durante a semana, parece que não há tempo para fazer nada de jeito e também não queria ocupar os fins-de-semana todos com avós e todos os fins-de-semana.

Como é que vocês se organizam?

Fui no outro dia dar um saltinho à casa da minha mãe, convidei os meus sogros para irmos ali ao jardim... Isto no Inverno vai ser mais complicadote, digo eu!

Contem, contem!

29 comentários:

  1. Como a pequenina ainda está em casa com uma ama, os avós maternos aparecem 1 ou 2 vezes por semana, ao final da tarde, para estar com ela, e ficam para jantar.
    Ao fim de semana (domingo), vamos habitualmente almoçar a casa dos avós paternos (que são menos de sair de casa) e fica essa parte feita.
    Uma vez por outra, não estamos nem com uns nem com outros, mas faz parte da vida, digo eu...

    ResponderEliminar
  2. Olá,
    Por aqui passamos muito tempo a fazer "piscinas" de carro para ir a todos os avós mas por vezes fazemos refeições com alguns ao fim de semana, e os que vivem mais perto também vão aparecendo ao fim do dia depois da escola (vamos ao parque ou se chegam mais tarde, acompanham banhos e jantares). Por vezes, também gosto de organizar uns lanches lá por casa e assim juntamos quase todos (com pais divorciados ainda são mais avós para conciliar).

    ResponderEliminar
  3. OS meus pais vão buscar o meu filho 1 dia por semana, mais cedo à escola e levam-no para casa e nós depois vamos lá jantar. A mãe do meu marido vêm passar uns dias a nossa casa todos os meses. Esta é a dinâmica que funciona, para nós. Aos fins de semana almoçamos em casa dos meus pais ou em minha casa, para estarmos todos juntos e porque estamos mais perto. 1 ou 2 vezes por mês vamos a casa dos pais dele.
    O que importa é que funcione, para todos aproveitarem e que não seja uma prisão.

    ResponderEliminar
  4. Vê os avós maternos com mais frequência que os paternos.
    Os maternos quando calha passam lá em casa, ou passamos nós na deles. Sem regras, nem sempre é todas as semanas, como às vezes estão juntos 2x na mesma semana.
    Com os avós paternos é mais difícil, negócio próprio, estão mais ocupados. Não passam muito lá em casa, de vez em quando ao fim de semana vamos lá almoçar, ou o encontro é em convívios em casa de tios.
    Nem sempre nem nunca. Acho que é preciso não haver regras nem obrigações ou horários feitos e pré definidos. Mas também é importante que vão mantendo um contacto minimamente regular, para reforçar laços.

    ResponderEliminar
  5. Tendo em conta que é a avó materna que o vai buscar ao infantário, ele vai para casa dela e acaba por estar com a avó e com o avô todos os dias! Ao fim de semana, só se houver alguma coisa combinada da nossa parte ou da parte dos avós é que não estamos juntos!
    Não há avós paternos :(

    ResponderEliminar
  6. Para nós, é sempre um prazer ir a casa nossos pais. Vamos todos os fins-de-semana almoçar ao sábado a uns e ao domingo a outros. As manhãs são só nossas para fazer programas diferentes. Ao fim da tarde, às vezes, também fazemos programas com os amigos. Andamos sempre de um lado para o outro mas é isso que gostamos. A nossa filhota segue o mesmo caminho. Ao fim-de-semana quando vê a mesa posta só para nós, faz um "ohhhhh". Adora ter muita gente à volta dela. :)

    ResponderEliminar
  7. Com o tempo vais descobrir o ritmo de visitas melhor para todos. Por aqui há visitas a cada um deles (ou deles a nós) em fins de semana diferentes (ainda vivem a alguma distância). Tentamos ter sempre 1 fim de semana sem visitas a/de avós. Durante a semana a porta está sempre aberta às avós (já reformadas), a avó que tiver mais saudades fica 1 dia com o neto em casa (que ainda não chumba por faltas :D)...e elas aproveitam as sestas para passar a nossa roupinha (oba oba! :D).

    ResponderEliminar
  8. Por aqui os avós, quando querem ver as netas vêm cá a casa. Vivem a cerca de 30 minutos a pé. Nós vamos lá, de vez em quando, aos fins de semana, mas é muito mais comum a avó passar por cá durante a semana. Eu não tenho carro e, com este calor todo, não me ponho a percorrer metade da cidade com um recém nascido ou com uma miúda de 2 anos e meio cheia de genica. :D
    Os outros avós, infelizmente, estão do outro lado do atlântico e aí, somos nós que vamos umas duas vezes por ano.

    ResponderEliminar
  9. No nosso caso, os avos paternos vivem longe (1h10 de carro) e como o meu marido trabalha por turnos os nossos fins de semanas são atípicos. Tentamos ir um fim‑de‑semana por mês ao avós paternos ou eles vêm a nossa casa. Quanto aos maternos, vivem mais perto (20m de carro) e aproveito para ir com a piquena (2anos e meio) até lá mtas das vezes que o papá está a trabalhar à noite. Tb vamos uma ou duas vezes por mês almoçar lá aos Domingos (ou nós as duas -qdo o pai trabalha- ou os três quando o papá esta de folga). Por vezes marcamos aqui um almoço ao Domingo. Varia muito.

    ResponderEliminar
  10. Neste momento estamos em casa dos avós paternos (nao aconselho a ninguem -.-) e os avós maternos estao separados logo, dividem se em mais dois xD Avó materna no estrangeiro (nada mais dificil para uma mãe nova como eu) e o avô vive um bocado longe mas umas 2x por mês ficamos lá a passar o fim de semana ou ele vem cá ter connosco

    ResponderEliminar
  11. Por aqui os avós maternos vêm jantar a nossa casa (que é maior que a deles) uma vez por semana (normalmente durante a semana) e como os avós paternos moram a 40 minutos, vamos lá passar um dia (sábado ou domingo) todos os fins de semana. Mas quando os avós paternos viviam perto jantávamos uma vez por semana com cada um, ou na nossa casa ou na deles, consoante dava mais jeito.

    ResponderEliminar
  12. Por aqui não há regras nem rotinas estipuladas. Tentamos passar tempo com ambos os lados, mas se houver alguma semana que não dá, não dá. No verão é mais fácil, os dias são mais compridos, o Tiago já fez férias com os avós de um lado e do outro. De vez em quando, os avós paternos, que moram muito perto de nós, vão buscá-lo à creche e ficam umas duas horinhas com ele até eu chegar para lhe dar o jantar. Aos avós maternos, que vivem a 30 minutos de carro, tentamos fazer programas aos fins de semana do lado deles ou do nosso. Mas não fazemos disso obrigação, regra geral os avós ao fim de duas semanas sem ver o neto estão cheios de saudades e até são eles que propõem os programas, mas sempre conciliando as vidas de todos :) Quando começa a ser obrigação, mais tarde ou mais cedo ressentimo-nos e não vale a pena. Deve ser uma alegria estarmos juntos! Ou o neto sozinho com os avós (também acho importantíssimo!).

    ResponderEliminar
  13. Por aqui houve a fase em que íamos almoçar a casa dos avós paternos e jantar a casa dos avós maternos, ao Domingo, agora almoçamos em casa dos avós maternos e passamos a tarde na casa dos avós paternos, ao Domingo.
    Durante a semana, a paragem de autocarro é ao pé da casa dos avós maternos e então todos os dias estão com ele alguns minutos.

    Moramos todos na mesma terra, 10 min a pé para a casa dos meus pais e 2 min a pé para a casa dos meus sogros(ou melhor o quintal pega com o muro da minha casa), mas estes nunca vão lá a casa, só se eu disser que há jantar ou lanche a contar com eles...

    ResponderEliminar
  14. Por aqui, durante a semana, o avô materno vem jantar 1ou2x por semana cá a casa (conforme dá jeito), a avó e ao avô emprestado (avós divorciados)como vivem noutra cidade, ficam as visitas para os aniversários, festividades anuais ou passeios pontuais. À avó paterna, vamos ao fim de semana sempre que há um almoço de família, durante a semana é complicado. Contudo, achamos que não deve haver uma obrigatoriedade, nem no número de visitas, nem em dias fixos...pois, se por algum motivo não podermos, ninguém vai notar e ficam todos contentes. Bjs Joana

    ResponderEliminar
  15. Por aqui é complicado. Moramos a 350 km de distância dos avós paternos e maternos. A avó materna vem algumas vezes por ano, especialmente quando o neto está doente (o ano passado foi uma festa...). Só os vamos visitar umas 3 ou 4 vezes por ano, porque a viagem é grande e a logística é enorme. Quando lá estamos costumamos ficar na casa dos avós paternos e fazemos piscinas todos os dias para a casa dos avós maternos, para que durante o tempo que lá estamos todos possam estar com o neto todos os dias... é um filme e confesso que nesses períodos (que são as minhas férias) só me apetece voltar para a minha casinha.

    ResponderEliminar
  16. Ora minha versão é tão diferente....
    Os avós Maternos estão na Guarda, o avô paterno em Castelo Branco...nos moramos em Sintra....logo 2x ao ano vamos lá!
    Os miúdos não se esquecem dos avós e adoram-nos de qualquer das formas e no meu caso o meu rapaz adora ficar 1 semana na casa dos avós no verão sempre que há oportunidade.

    ResponderEliminar
  17. Por aqui as normas são jantar com os sogros á 6f ou ao sábado(já me sinto obrigada) e ao domingo com a minha mãe é primos como sempre foi,o dia de almoço de família. Com os sogros tornou se obrigação desde que a neta nasceu(tem 2 anos),e como a minha sogra é uma pessoa obcessiva com os netos,não há paciência,mas se não formos lá ela discute com o filho e faz lhe chantagem emocional...tem sido complicado lidar com isto,principalmente porque agora vem aí outro neto...
    Joanas deixem me partilhar o link para o inquérito sobre a relação dos avós, este inquérito e apenas para servir de ajuda a que a minha sogra entenda que nós não somos bichos ou anormais por lhe metermos regras em relação a neta,ajudem a divulgar. Obrigada

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Vera Silva, quer formar um clube? Mesma situação aqui :) uma obsessão muito pouco saudável até. Como é que lida com isso? Obrigada

      Eliminar
    2. O jantar na sogra = obrigação. Almoço na casa da mãe = almoço de família.

      Eliminar
    3. Não posso deixar de concordar com o anónimo a acima...Aos nossos pais permitimos tudo, os pais deles são sempre obsessivos. Já pensaram que uma dia vamos ser sogras( eu mãe de menino me acuso) e as obcecadas vamos ser nós? As que não definem regras aos meninos? As que dão comida que dissemos que não podiam comer?
      Será que as nossas mães não serão iguaizinhas???

      Para pensar ...

      Eliminar
    4. Por aqui também se vive uma situação muito complicada com os sogros. ..um é conflituoso e a outra mesmo obcecada pela neta e tem sido um grande problema para nós desde que a bebecas nasceu (9meses). É uma tristeza muito grande porque para além de causarem mau-estar na família em geral, a situação também tem impacto negativo no meu casamento. .. fica o desabafo! Mas fico feliz por ver que a maioria consegue encontrar uma solução saudável tanto para avós como para netos!
      Beijinhos e muitos parabéns pelo blog ;)
      Isabel G.

      Eliminar
    5. Respondendo á Anonimo e á Bailarina mãe=almoço de familia porque já é assim desde os meus 14 anos que ao domingo junta se a familia para o almoço, sogra=obrigação porque antes de haver netos bastava 1 vez por mês desde que a neta nasceu é obrigatorio ir todas as semanas.Sogra esta que tem uma obcessão pela neta que ela confessou quando a neta tinha 2 meses que não a via como neta mas sim como a filha que nunca teve,que acha que manda mais na neta que nós pais,que nos desauturiza em relação á educação que lhe damos,etc...muitas coisas.Comigo tanto mãe como sogra são tratadas de igual,o que não permito a uma não permito a outra,o que nao quero que uma faça tambem não quero que a outra faça,não facilidades por ser minha mãe,são ambas avós por isso é tratamento igual nas regras.3spero ter exclarecido ambas.
      Respondendo á Dna,sinceramente não sei,tanto que ja entrei em desespero,pois ja estamos fartos de ter conversas com ela que ou resultam em discusão ou ela concorda e depois volta ao mesmo.Dai ter feito um inquerito,que já pedi ás Joanas para partilhar,mas elas ainda não me responderam,para poder mostrar á minha sogra que não somos os unicos a impor certas coisas,mas não é facil,já são 2 anos disto e daqui a 1 mês chega o outro neto....
      Só para perceberem a imensidao da obcessão ela axha que 4h,6h a divir pelos dois netos não é suficiente,a minha filha e o primo tem 1 mês de diferença e adoram se,e brincam que é uma delicia ve los juntos,mas ela preferia estar com eles em separado...para mim isto não tem logica...principalmente que vem ai o 3°,como ela diz como vai fazer com 3 netos,isto dito de forma depreciativa.

      Eliminar
  18. Nós moramos longe dos avós e todos ainda trabalham, por isso as visitas deles a nós ou nossas a eles são mesmo aos fins-de-semana, fora algum dia que eles possam ter livre e consigam dar um saltinho a Lisboa. Mas todos os fins-de-semana não, isso seria esgotante para toda a gente. 1 a 2 por mês :) De resto, muitas "conversas" ao telefone (o meu filho tem 1 ano), muita partilha de fotografias e assim vamos. O meu filhote adora os avós e vice-versa!

    ResponderEliminar
  19. Eu vou com a minha Joaninha visitar os avós maternos 1/2 vezes por semana. Sem dias marcados, por norma, tento deixar o jantar adiantado nesse dia, vou buscá-la ao infantário ás 17h30 e até ás 19h vou aos avós. E aos fins de semana, quando calha , passo por lá ou janto, sem rotinas. Os avós paternos são do tipo que acham que é a neta que tem que os visitar e por isso lixam-se que estão com ela quando nos apetece. É que nem sequer convidam para lá ir, nem o fato de terem piscina lá no prédio serve como argumento para a convidar... enfim. Está uma situação difícil não quero que ela deixe de estar com os avós paternos, mas eles também podiam ser menos egoístas. No meio disto, claro, há uma empresa da família que deixa as relações conturbadas.

    ResponderEliminar
  20. Vivemos longe dos avós maternos, pelo que as férias de Natal e de verão são quase exclusivas para eles, os avós paternos visitam-nos ou nós visitamo-los mais ou menos 2 a 3 vezes por semana. Ainda bem que há skype.

    ResponderEliminar
  21. Tudo depende de quem esta ao teu lado, e da cultura que tem os avos. Não é fácil lidar com a obsessão... O casal tem de falar e ver o melhor caminho. Os avós fazem parte da vida dos netos, mesmo sem jantares obrigatórios, sem visitas diárias... É o que penso, e tento praticar... Mas como disse, a obsessão não é fácil.

    ResponderEliminar
  22. Estar com os avós dos nossos filhos significa estar com os nossos pais, certo? Isso é sempre bom! Eu vou todos os dias a casa dos meus pais, detesto distâncias. Os meus sogros vivem um pouco mais longe, mas ao fim de semana estamos juntos.

    ResponderEliminar
  23. Olá Joana!
    Desculpe perguntar...mas não tem medo que os avós possam ler isto e ficarem aborrecidos por sentirem que o facto de a neta estar com eles acaba por representar um frete para os pais da neta?

    ResponderEliminar
  24. Olá Joana,
    Acredito e defendo que os avós são uma influência importante na vida de uma criança...Eu própria tive o privilégio de ter uns avós presentes e que me marcaram muito. Mas o mais importnate...sobretudo numa fase inicial, é impor o seu ritmo...Não se "obrigue" ou comprometa com visitas. Se elas forem espontaneas ou organizadas de comum acorso vão ser muito mais proveitosas...Aqui por casa aprendeu-se isso da pior maneira mas ao fim de 7 anos e duas princesas as coisas começam a tomar o seu ritmo e de forma saudável :-)

    ResponderEliminar