quarta-feira, 28 de setembro de 2016

Ficou fechada no carro.

Já aconteceu há cinco meses mas só agora ganhei coragem para falar sobre isto. Andava a esquivar-me a reviver toda aquela situação de impotência e de culpa. Acabou tudo bem e aprendi com os erros. Fica o alerta.

A Isabel demora sempre imenso tempo, quando a vou buscar à escola, até ficar sentadinha no carro e podermos vir para casa. Corre a escola toda, depois quer ir ao escorrega ou andar de triciclo, quer ir apanhar pedrinhas, correr, voltar a apanhar pedrinhas, correr, saltar e, só depois, subir para o carro sozinha, sentar-se sozinha... demora uma eternidade e normalmente ainda faz uma birrinha qualquer pelo meio. Depois de muita paciência e de respirar 20 vezes fundo, pus a mala dela ao lado da cadeira, apertei-a com os cintos, fechei a porta e ouvi o som do alarme do carro e as portas a trancar. Vou com as mãos aos bolsos e nada de chave. A chave do carro tinha ficado dentro do carro. Tentei abrir cada uma das portas e nada. Caiu-me tudo. Apeteceu-me desabar. Mas pensei: "a tua filha não te pode ver enervada. Pensa, resolve." Telemóvel dentro do carro. Chaves dentro do carro - porque as pousei ao lado da mala da Isabel para a prender - mas ela não as consegue alcançar. Estava a chegar um senhor numa carrinha com uma criança e pedi-lhe, trémula, para ficar a dar um olhinho no carro enquanto iria à escola para fazer uma chamada. Pensei: não está calor, a minha mãe deve estar em Santarém, vai num instante a casa buscar a chave suplente. Mas qual é o número dela? Tinha de ligar ao David. O meu cérebro a funcionar a mil, mas uma vontade de chorar enorme. Olhei para pedras grandes: se tiver de ser, parto já um vidro. O senhor emprestou-me o telemóvel, liguei ao David: "liga já a minha mãe e pede-lhe para me trazer a chave do carro à escola, já! A Isabelinha está presa no carro. Onde está a chave? Algures em casa." Mas eu não conseguia ficar parada. E se ele não consegue falar já com ela? Entretanto chegou a mãe da Beatriz, que prontamente se ofereceu para ajudar. Eu só engolia em seco, sentia-me a estrangular a pensar na falta de ar da Isabel, nem consigo descrever bem a sensação. "Só se for a casa, demoro 15 minutos no máximo, pode ser que tenha uma janelinha aberta, entro, trago a chave. Ou se a minha mãe entretanto estiver a caminho, ela abre a porta. Não sei! Às tantas os bombeiros demoram mais..." Pedi à Madalena, educadora, que ficasse com a Isabel na rua. E que partisse o vidro se a Isabel desse mostras de falta de ar, se começasse a chorar, o que fosse, sem hesitar! A educadora ficou com livros de histórias do lado de fora a entreter a Isabel. A mãe da Beatriz meteu conversa comigo na viagem, acho que para ver se eu desanuviava e se me acalmava e emprestou-me o telemóvel. Foi incansável. Chegámos a casa, a minha mãe já lá estava, deu-me a chave e voltámos à escola o mais rápido possível. Quando abri o carro, vi a Isabelinha já bastante transpirada na zona da testa e com as faces rosadas. Nunca chorou. Fomos à escola para que bebesse água. Só me apetecia esmifrá-la com beijos, pedir-lhe desculpa, chorar, chorar e chorar. Contive-me, mas foi das piores experiências da minha vida. Fomos para casa a falar do que tinha acontecido, das histórias que a educadora lhe tinha contado. Acho que ela achou aquilo tudo muito estranho, mas nunca percebeu bem que tinha estado em apuros: a inocência deles comove-me sempre.

A partir desse dia, ponho sempre as chaves ao peito, com uma fita. Já percebi que não se pode confiar nestes sistemas eléctricos, que se passam completamente dos carretos. Pelos vistos, um carro pode trancar-se assim, sem mais nem menos. E partir completamente o coração de uma mãe ao meio, ainda por cima super grávida... Nessa noite chorei tudo o que não tinha chorado durante o dia, abracei-a e fiquei a ouvi-la respirar enquanto dormia. A minha filha, o meu amor maior.



Um enorme obrigada à Joana, mãe da Beatriz, à Madalena e ao senhor que me emprestou o telemóvel. <3

Sigam-me no instagram @JoanaPaixaoBras
e o @aMaeequesabe também ;)

39 comentários:

  1. Ola Joana. Aconteceu-me o mesmo tinha a minha filha(agora com 8 anos) a idade da tua Isabel. A sorte é que ela conseguia soltar os cintos da cadeira e fui-lhe dando instruções. Disse-lhe: " Tira o cinto. Passa aqui para o banco da mamã. Agora toca ali naquele botao para abrir a porta". Quando ouvi aquele barulhinho do carro a destrancar quase desmaiei de felicidade. É uma aflição insuportavel.
    Um beijinho
    Catarina

    ResponderEliminar
  2. Não é a única. Não se sinta culpada. Já aconteceu à minha amiga, também á saida da escola. E Noutro dia quando fui buscar a minha pequena ao colégio, aconteceu a uma outra mãe, num dia de muito calor e nas mesmas circunstâncias... e a sra gravida de 9 meses, quase a ter o outro filho. Tudo correu bem... Outro pai foi logo prestável, levou-a a casa dos pais onde tinha a chave e tudo se resolveu.
    São coisas que acontecem...

    ResponderEliminar
  3. Agora fiquei preocupada. Qual é o teu carro? Não vá acontecer comigo se for igual ou da mesma marca... a mim o pior que aconteceu foi não poder abandonar o carro por ter perdido a chave lá dentro (é keyless, o carro andava mas eu não encontrava a chave. Tiveram de me desmontar os bancos pra encontrar).

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também já me aconteceu, tinha o meu filho apenas um ano ! Pelo que percebi quase todos os carros actualmente fecham por segurança se depois de aberto não for ligado (quase como foi aberto por engano ) ! É uma sistema de segurança do fecho electrónico !

      Eliminar
  4. Tambem me aconteceu quando o meu António tinha 9meses :( fiquei em pânico, mas a opção foi logo por partir um vidro lateral na mala (era um comercial) e esticar o braco para o puxador...em 5min o problema resolveu-se e ele nem se apercebeu :)

    ResponderEliminar
  5. Aconteceu-me tinha o meu filho 20 dias....é uma sensaçao horrivel....quando ouvi o som das portas a fechar caiu-me o coraçao aos pes....tentei ser racional e por sorte ou algo mais tinha a chave na fita ao pescoço. Mas durante uns segundos fiquei congelada.
    A partir dai chave no bolso ou ao pescoço

    ResponderEliminar
  6. Tenho um medo que isso me aconteça enorme. Tento sempre ter as chaves no bolso e a porta do condutor aberta, quando dá claro. Nem consigo imaginar o que sentiu. Ainda bem que tudo correu pelo melhor 😚

    ResponderEliminar
  7. Aconteceu-me exactamente o mesmo há uns meses... ainda por cima estava grávida e por isso tinha os nervos (ainda) mais à flor da pele. Fiz o mesmo que tu: calma; plano B; agir. Felizmente havia ali um avô de um menino que me emprestou o telemóvel; felizmente, o meu marido atendeu à primeira; ele veio do trabalho a casa, buscar a chave suplente, e de casa à creche em 15 minutos porque, felizmente, tinha ido de mota e evitou o trânsito. O Lourenço esteve sempre super tranquilo, felizmente. E, felizmente, não estava calor. Enfim, uma série de "felizmentes" e uma lição para aprender. Ainda hoje o Lourenço fala no dia em que ficou sozinho dentro do carro (em tom de aventura). Também já não me esqueço desta, ai não não!

    ResponderEliminar
  8. Sempre achei piroso, mas agora com duas , Uma delas de colo, também ando com a chave ao peito numa fita quando andamos de carro ;-) nunca sabia bem onde as por, sobretudo se não tivesse bolsos. Só é preciso cuidado para, quando se está a por o cinto, as chaves não irem com o balanço bater na cabeça da criaturinha...

    ResponderEliminar
  9. Também me aconteceu, mas foi em casa. A pequena tinha 10 meses e estava no berço. Fui à porta e esta fechou se por causa da corrente de ar. Sem chave e sem tlm. Só pensava que ela podia estar no berço aos gritos porque ainda a estava acordada. A sorte é que uma vizinha emprestou me o ytlm e liguei para os bombeiros que em dez minutos chegaram e entraram pela varanda. O coração não sossegou um minuto e os segundos pareciam horas. Felizmente ela tinha adormecido não se apercebeu de nada. São coisas que acontecem e não estamos à espera.

    ResponderEliminar
  10. Ainda bem que tudo se resolveu...é algo que também me assusta imenso, embora a minha filha neste momento já tenha 6 anos e já se saiba soltar.

    ResponderEliminar
  11. Também nos aconteceu há uns anos.
    Numa ida para a praia em pleno Agosto.
    Todos encostamos as portas e por ultimo íamos tirar a mais pequena e o carro trancou-se... Pânico total... Com o calor a aumentar tivemos de partir o vidro com um macaco e tirá-la de lá... Foi super assustador...

    ResponderEliminar
  12. Mas como é possível os carros se trancarem assim? :O as marcas deviam ser chamadas à pedra! Que falha de segurança enorme! Também já me passou pela cabeça isso acontecer, mas o meu carro é tão velhote que é impossível... enfim, quando temos filhos apercebemo-nos de como o perigo espreita de TODOS os lados!

    ResponderEliminar
  13. Tenho uma bebé com 2 meses e desde que ando con ela no carro que tenho um medo inexplicável que uma situação dessas se suceda... nunca a coloco / ou saio do carro sem uma janela parcialmente aberta...

    ResponderEliminar
  14. Infelizmente a minha carrinha também me prega dessas partidas. Até já se trancou com a chave na ignição. Felizmente nunca os miúdos estavam ou se estavam havia sempre um vidro aberto. É uma fração de segundos.

    ResponderEliminar
  15. Aconteceu praticamente o msm mas a minha filha tinha pra ai 1ano e meio e trancou-me na varanda, so tavamos nos as 2 em casa, fui à varanda sem tlm, sem nada... Ela tentouir ter cmg à varanda acabou por na maÇaneta e ao fazer isso fechou a porta... La a minha vizinha de cima apercebeu-se de algo e perguntou se eu precisava de ajuda e la me ajudou, ligando pro meu marido enkto eu ia tentando q ela me abrisse a porta, passado quase 1hora fechada na varanda la a minha princesa conseguiu abrir a porta mexendo na maçaneta pra cima e pra baixo e eu empurrando A porta pra dentro... Bem foi 1 aventura pra esquecer, hj ela tem quase 6anos

    ResponderEliminar
  16. Ai Joana que susto...

    Assim nunca me aconteceu... "só" aquilo de a Constança desaparecer e esconder...

    O nosso mundo foge todo...

    Mas vou ter mais cuidado com as chaves ;)

    Beijinhos grandes

    ResponderEliminar
  17. Também já me aconteceu. A 100km de casa. Tinha a minha filha 3 ou 4 anos. Respirei fundo, acalmei me dei instruções à minha filha para tirar o cinto da cadeirinha e ir até ao lugar da frente e carregar no botão para destrancar as portas. Mas já estava pronta para partir o vidro. Só não a queria assustar.

    ResponderEliminar
  18. Aconteceu-me também isso o mês passado com a minha bebé recém nascida! Um vizinho ajudou me a partir o vidro do carro! Foram os piores minutos da minha vida!

    ResponderEliminar
  19. Olá Joana tb já me aconteceu... mas a mha filha ficou com a chave na mão lá conseguiu tocar no botao certo por brincadeira e abriu a porta... momentos de pânico... beijinhos

    ResponderEliminar
  20. Tb me aconteceu há uns anos, chovia, fiquei a olhar para ela da parte de fora do carro até o meu marido chegar com as chaves. Por sorte estava em casa dos meus pais e o meu marido estava em nossa casa a 3 minutos de distância. É uma sensação de pânico,não sei explicar. Felismente era inverno

    ResponderEliminar
  21. Aconteceu-me o mesmo, mas a minha filha na altura estava quase a fazer 2 anos. Abri a porta da frente do carro coloquei a mala e as coisas dela, o telemóvel e as chaves de casa...já as chaves do carro estavam na mão dela e tinha uma fita comprida. Coloco a minha filha na cadeirinha, atrás, ponho-lhe o cinto, fecho a porta da frente e de seguida a de trás.
    Mal fecho a porta do lado dela, oiço o carro a trancar...ela carregou no botão e ria-se! Eu parei no tempo a olhar para ela, séria, olhei para dentro do carro, estava o telemóvel e as chaves de casa, pensei em ir ao café ao lado para ligar para a minha sogra para ela ir buscar as chaves suplentes de minha casa para eu poder ir buscar a segunda chave do carro. A minha filha continuava com a chave na mão e eu só lhe dizia para ela carregar outra vez no botão, ela continuava a rir-se. O carro estava completamente fechado, os vidros fechados...eu em desespero abanava o carro e ainda olhei para debaixo do carro para ver se havia um buraquinho que desse para eu passar e entrar lá para dentro. A minha sogra não estava em casa e eu não sabia o número de ninguem decór. Entretanto a minha filha deixa cair as chaves para o chão do carro.
    Parti o vidro pequeno da traseira lateral, do lado oposto à cadeirinha por causa dos estilhaços, peguei num pau mas não chegava á fita das chaves do carro, consegui agarrar nas de casa e fui num ápice buscar a segunda chave.
    Isto aconteceu à porta de casa e até hoje a minha filha não tocou mais em chave nenhuma!

    ResponderEliminar
  22. Aconteceu comigo não no carro mas em casa. Primeiro aniversário da minha filha mais velha, fomos às compras para a festa quando voltamos e porque ela tinha adormecido no carro o meu marido levou para casa (3.andar sem elevador),e deitou-a na cama de grades com as grades descidas, enquanto isso eu fiquei cá em baixo a descarregar o carro e a primeira coisa que trouxe para dentro do prédio foi a minha mala com a chave de casa lá dentro, o meu marido desce, deixa a porta de cada aberta e ao sair do prédio fecha a porta deste... perguntei-lhe pela chave dele que me respondeu te-las deixado em casa, no prédio aquela hora não estava ninguém, ainda ligámos para a empresa que geria o condomínio mas iam levar à volta de 15 a 20 minutos a chegar, entrei em pânico, tudo me passava pela cabeça, ela acordar, sair da cama e cair pelas escadas a baixo, resultado ao fim de 5 minutos partimos o vidro da porta e voei escadas acima, claro está que quando entrei em casa a filhota dormia profundamente. Tive pesadelos durante semanas.

    ResponderEliminar
  23. A mim tb me aconteceu algo parecido...o meu filho ainda estava no ovinho...eu tinha ido as compras e estava na garagem do prédio a levar as compras para o elevador...qd de repente a porta corta fogo para o elevador se fecha!!! Eu q tenho sempre o hábito de andar com as chaves ao pescoço, meto a mão ao peito e chaves...nada!!! Morri por dentro! Um pânico instalou se em mim! A porta não abre por dentro do prédio por questões de segurança!!! Eu estava separada por uma porta, do menino q dormia fechado no carro dentro da garagem!!! Sem chaves de casa, sem tlm, sem nada!!! Só me restava bater a porta de todos os vizinhos...assim fiz!!! Ninguém estava em casa...!!! Por sorte o meu sofrimento atroz terminou qd chegou uma vizinha ao prédio! E lá estavam as minhas chaves caidas no chão ao pé de alguns sacos de compras! Só de pensar em tudo ainda tremo...o sentimento de culta é enorme!
    Sofia Pedro

    ResponderEliminar
  24. Aconteceu me tinha o miúdo 2/3 meses, tinha só o tlm comigo a porta de casa sem chaves. Consegui pedir ajuda e na altura que entrei em casa (difícil de arrombar) e não encontrei as chaves do carro fui a porta e um dos senhores, que estavam com o meu cunhado, já tinham partido um dos vidros... Toda eu tremia e chorava e ele a rir se para mim!

    ResponderEliminar
  25. A mim tambem ja me aconteceu, mas felizmente foi dentro da garagem. Apareceu um vizinho que ligou ao meu marido e ficou ali sempre ate que o meu marido chegasse. tivemos que partir o vidro do carro pois nunca mais me lembrei que ja tinhamos perdido uma chave quando compramos o carro!!! Fiquei completamente louca..... minha rica filha ali trancada.....o mais giro neste caso foi que a Madalena (3anos) quando saimos da garagem ja com o carro do meu marido, disse me " mama,tem cuidado, nao estragues tambem o carro do pai"

    ResponderEliminar
  26. Já aconteceu ao meu marido com os dois miúdos no carro à porta da creche mas foram 2/3 minutos apenas porque entretanto eu cheguei e andamos sempre cada um com uma chave do carro. Ele nem chegou a panicar! Sabia que eu estava próxima. Mas posso imaginar o terror. Bem como das outras histórias que partilharam aqui.

    ResponderEliminar
  27. O Gonçalo tinha 19 meses um dia de muito calor, sentei o na cadeira, o alarme do carro começa a tocar, fui por a chave na ignição para parar volto para apertar o sinto da cadeirinha e ouço o carro a trancar.. pânico! Tento abrir alguma porta , nada. Procuro um paralelo e de braço no ar ligo ao namorado a perguntar que vidro parto. Ele disse p esperar que ia buscar a chave suplente, entretanto algumas a pessoas a passar e dois senhores ficam comigo, um ccoloca o telemóvel com os vídeos da poquinha pepa o o Gonçalo não chorar.. ele nunca entrou em pânico, até k sai da cadeira e começa a abrir o vidro, passa p o banco da frente e eu em pânico k que alguma coisa acontecesse, até que ele carrega no botao da porta e destranca o carro. Saiu de lá todo suado, e eu com o coração super apertado. Durante todo este tempo claro k se visse um sinal de que ele estava a passar mal partia logo um vidro qualquer.. agora lembro me sempre que estou sozinha com ele no carro e tenhoseempre muito mais cuidado.

    ResponderEliminar
  28. Também já me aconteceu há 20 anos atrás. Mas há uma coisa que não compreendo. Como é que nos pode faltar o ar com o carro todo fechado?! Quando chove, quando ligamos o ar condicionado, não fechamos o carro? E não nos falta o ar pois não!?

    ResponderEliminar
  29. Que horror. Nem tenho palavras mas fiquei com o coração tão apertado ao ler... Terei mais atenção também...

    ResponderEliminar
  30. Aconteceu-me exactamente o mesmo!! De férias em Espanha, sozinha com a minha filha, o marido numas bombas de gasolina por ali com outro carro e sem telemovel, e as duas chaves dentro do carro. Trancou-se sozinho com TUDO lá dentro!! Os nossos telemoveis, as nossas mochilas, as nossas chaves, documentos, tudo o que tinhamos de férias, e a nossa filha! Tive que chamar a polícia que por ali passava, foram buscar o meu marido às bombas (que estava à espera que eu fosse ter com ele para lhe dar a carteira), ligaram para a marca a pedir aconselhamento, e rapidamente chegaram à conclusão que era necessário partir um vidro. Foram eles que trataram de tudo, e quando abri a porta e arranquei de lá a minha filha (com 2 anos e meio), ela fez uma festa enorme aos polícias! Nesse mesmo dia, quando chegámos ao parque de campismo e enquanto montávamos a tenda, a miúda desapareceu..... Estava a brincar dentro do carro, e nunca respondeu aos nossos chamamentos, a cabrita! Enfim, mãe sofre!!!

    ResponderEliminar
  31. Revi-me em cada detalhe...No nosso caso os bombeiros vieram e partiram o vidro. Ele tb era bebé e nem chorou. É uma aflição gigante e sufocante. Parabens pela agilidade mãe. Nessas alturas se não for a nossa capacidade de respirar fundo e pensar em soluções... Imagino...

    ResponderEliminar
  32. Parece que acontece mais do que julgamos afinal :) com esse sistema nos carros é ate algo bem provavel de acontecer, a mim aconteceu tal e qual, so que c uma diferença num Polo velho, com fecho manual em cada uma das portas, mesmo assim consegui a proeza de trancar as duas la dentro, com mala onde tinha tudo tambem, a porta da creche. Foram incansaveis as pessoas que ficaram a tentar ajudar, la fui mantendo a calma mas foi uma experiencia pouco agradavel foi

    ResponderEliminar
  33. Ai Joana, como te compreendo! Tinha a minha filha uns meses (não me recordo ao certo quantos), mas poucos e também a coloquei no carro, dentro do ovo e fechei a porta. Quando fui para abrir a porta do condutor a porta não abriu... caiu-me tudo! chaves, mala com telemovel chave de casa, etc tudo dentro do carro. Era de noite, mas felizmente estava com uns amigos com quem tinha ido jantar. O carro era do meu marido e ele estava em Angola. Fiquei super nervosa e não consegui manter a calma nem disfarçar à minha filha, que apesar de tudo se apercebeu que algo não estava bem e desatou a chorar aos berros (nunca a tinha visto chorar tanto nem berrar tanto). O marido tinha chave do carro suplente em casa (felizmente tb, estava a 5 minutos de casa), mas e a chaves de casa???? Um amigo meu ligou para o meu sogro que em 10 minutos se pôs em minha casa, junto com um dos meus amigos que foi la ter para o ajudar a procurar as chaves e trazer-mas rapidamente. Em 15 minutos se resolveu tudo, mas a minha pareceu-me uma eternidade. Estava a ponto de partir o vidro, como sugeriu o meu marido. Foi a pior experiência que já tive com ela e também comecei a pendurar a chave ao pescoço. Agora já não as penduro, mas depois de abrir o carro ponho SEMPRE as chaves no bolso e mesmo o meu marido quando é com ele tem esse cuidado (mesmo quando estamos os dois). É desesperante... Felizmente terminou bem!
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  34. A mim nunca aconteceu graças a Deus, mas fico em alerta! As chaves passam a ficar penduradas ao pescoço . Obrig pelos testemunhos!

    ResponderEliminar
  35. Que aflição! Comigo não acontece, o meu carro não tem chave, só comando. Portanto, se deixar o comando no interior do carro, ele não fecha/tranca.
    Agora, em casa, sempre que vou ao quintal, faço questão de levar a chave de casa atrás.

    ResponderEliminar
  36. Nossa que situação... fiquei com os olhos cheios de água só de ler o relato... nem quero imaginar uma situação destas...

    ResponderEliminar
  37. A mim aconteceu hoje. Sai do carro a chave na ignição e sai do carro para ajudar a minha mãe a tirar o meu filho de 18 meses. Está frio mas o sol batia e tornava o carro quente. Estava a 50 km de casa, porque a minha mãe mora noutra cidade e viemos passar o fim de semana. Não hesitei em partir o vidro da frente. O que me interessava era saber que o meu filho não iria passar por algum momento horroroso.

    ResponderEliminar
  38. Aconteceu comigo quando eu era pequena, prai uns 3/4 anos.
    Tiveram de fazer 22 km pra ir buscar a suplente a casa 😂
    Só que eu chorava e não fazia o que me diziam para fazer (b---!!! )
    Enfim..
    Deve ser uma situação embaraçosa e preocupante.

    Beijinhos

    ResponderEliminar