segunda-feira, 5 de setembro de 2016

Tenho de parar com isto

Sempre (ou quase sempre) que digo coisas queridas à Luísa quando a Isabel está por perto acabo por sentir que tenho de compensá-la de alguma forma. Um dia vou deixar de sentir este "peso" de tentar que a balança nunca penda para nenhum dos lados porque não temos de tratar os filhos sempre da mesma forma, em todas as circunstâncias. Eles são diferentes, as nossas relações com cada um deles acaba por ser diferente também. Posso estar a dar um beijinho à Luísa num momento e não tenho de ir a correr dar um também à Isabel. Posso estar a abraçar a Isabel e não tenho de ir logo a correr pegar a Luísa ao colo. Posso tentar fazer coisas diferentes com cada uma delas, reagir de forma diferente a cada situação, sem que nenhuma se sinta melindrada. Mas até agora ainda não consegui. Tanto que quando vi a Isabel a mexer na minha galeria de imagens do telemóvel senti necessidade de desviar a atenção dela para outra coisa. Lembrei-me logo: os vídeos, ela tem é de ver os vídeos. E porquê? Porque agora que a Luísa tem estado mais calminha, lhe tenho tirado muito mais fotografias. De repente tenho aquilo cheio de Luísa. E achei que a Isabel ia ficar triste. Sabia que nos vídeos ela apareceria muito mais vezes. Mas o mais engraçado foi que ela quis foi ver os vídeos em que a Luísa aparecia! Conclusão: às vezes o problema está só na nossa cabeça! Racionalizamos tudo demasiado! Tenho de parar com isto: querer fazer tudo 50/50, equitativamente, porque nem nós não somos máquinas nem eles sentem as coisas dessa forma.

Cá ficam as últimas fotografias da Luisinha, que por estar enorme (não faço ideia o percentil, nunca quis saber), cá em casa é tratada carinhosamente por budinha, lontrinha, gordinha.










Alcofa - Egg
Almofada - ByMom
Fofo - Knot


Sigam-me no instagram @JoanaPaixaoBras
e o @aMaeequesabe também ;)

12 comentários:

  1. Joana, quando tinha 13 meses a minha mãe teve gémeos e ela diz que sempre se sentiu culpada por me ter tirado o protagonismo, porque apesar de ser pequenina, eles eram dois mt loirinhos e chamavam mais à atenção na rua.
    A verdade é que passado 30 anos ela ainda diz isso mtas vezes e sinto que está sempre a tentar compensar-me por se sentir culpada. Se eles faziam anos eu também recebia prenda, mesmo nunca tendo pedido nada e se lhes dava um miminho vinha a correr dizer que me adorava é que também era muito linda. Fui sempre muito apaparicada com medo que ficasse triste ou revoltada com os gémeos, mas eu adoro-os mais do que a própria vida e acho que devia ter sido tudo mais equilibrado.
    A Isabel vai saber lidar bem com isso. Num momento mimas a Luísa, noutro a Isabel e está tudo bem e vais ver que serão muito felizes e nunca se vão sentir menos amadas uma do que a outra. Beijinhos

    ResponderEliminar
  2. Sou mãe de uma, e por incrivel que pareça já penso imenso assim! Como é que será dizer "és o bebé mais querido da mãe" à frente de um irmão?! Ou qualquer uma das pirosadas que gostamos de lhes dizer? Mas isto ainda nem é um problema real... :)

    ResponderEliminar
  3. Sou mãe de duas meninas a Mariana de 4 anos e a Carolina de 5 meses e sinto exactamente o que descreve, cada vez que estou a brincar com a Carolina e a Mariana está no quarto a brincar na minha cabeça vem aquela vozinha a dizer e a Mariana?! E começo eu... Mariana, Marianita o que estás a fazer? Responde ela... que foi mãe!? Estou a brincar! Com aquele tom de quem está farta de me responder lol a realidade é que acho que na nossa cabeça é que surge estes dramas, a Mariana está super apaixonada pela mana e não sente que esteja a ser posta de lado. Mas continuo a ser chatinha e a chama-la vezes sem conta, a beijar uma e a seguir a outra, também eu acredito que um dia seja mais fácil Lololol!

    ResponderEliminar
  4. Sou mãe de duas meninas a Mariana de 4 anos e a Carolina de 5 meses e sinto exactamente o que descreve, cada vez que estou a brincar com a Carolina e a Mariana está no quarto a brincar na minha cabeça vem aquela vozinha a dizer e a Mariana?! E começo eu... Mariana, Marianita o que estás a fazer? Responde ela... que foi mãe!? Estou a brincar! Com aquele tom de quem está farta de me responder lol a realidade é que acho que na nossa cabeça é que surge estes dramas, a Mariana está super apaixonada pela mana e não sente que esteja a ser posta de lado. Mas continuo a ser chatinha e a chama-la vezes sem conta, a beijar uma e a seguir a outra, também eu acredito que um dia seja mais fácil Lololol!

    ResponderEliminar
  5. A culpa! Sempre a culpa sob a cabeça das mães!

    ResponderEliminar
  6. Eu sou mãe de um de três e uma de ano e meio e a verdade é que quando dou um beijo, um abraço ou faço alguma graça só a um, se o outro estiver por perto e vir, diz logo " agora é a/o M" e tenho que repetir o gesto com o outro. Os meus reclamam a mesma atenção. Bjs

    ResponderEliminar
  7. Mostra-lhe a quantidade de fotos que tens dela em bebe, nem que mostres só em miniatura, para ela perceber que tem imensas fotos dela quando era bebe.
    E explica-lhe que agora é a Luísa que é a bebe e a "modelo" das fotos, como a própria Isabel já foi. Aproveita para lhe explicar que, como ela já percebeu de certeza, a mana chora muito (pelo menos mais que ela agora) e, não sendo fácil tirar-lhe fotos a todo o momento, aproveitas para tirar mais quando está calminha :)
    Sinceramente, pelo que contas, ela não precisa. Mas é um peso que tiras de ti (mesmo que esse peso não exista na Isabel).
    Eu sou daquelas pessoas que quando vê um segundo bebe digo "ai tão linda, mas a mana ainda era mais linda" ou "é mesmo linda como a mana" (às vezes pode nem ser verdade mas, na presença da mais velha faço questão de o dizer).

    ResponderEliminar
  8. Percebo o que diz.
    Tenho filhos com 21 meses de diferença, rapariga mais velha e rapaz mais novo. Sempre achei que não temos que tratar os filhos de forma igual, porque nao sao iguais.
    Quando o meu filho nasceu chorava muito, não dormia mais que 1h e meia seguida a noite e levava os dias a chorar, com fome e a querer mama, contrastando com a irma que sempre dormiu a noite toda e quase nunca chorava,o que na verdade não me deixava muito tempo para a irmã. Eu e o meu marido decidimos dicidir tarefas, pelo que a distribuição foi feita, o pai tratava dela e eu do irmao, porque me era impossivel tratar dos dois e apenas eu tinha maminha para lhe dar. Embora ela sempre tenha adorado o irmao e hoje em dia nos demos bem é notorio que tem uma muito melhor relação com o meu marido, que comigo, muito mais cumplices e recorredo a ele e nao a mim com confidencias e problemas, sei que e normal, mas ainda hoje penso que se deve a " nao compensação" da altura e me sinto culpada.
    Beijos

    ResponderEliminar
  9. Eu tenho uma irmã com diferença de um ano de idade, e nossa mãe sempre que elogiava uma tinha que fazer o mesmo para a outra... Isso sempre nos incomodou muito, até hoje nós já as duas crescidas ela sente essa necessidade, que coisa estranha não é? Nunca me importei minimamente com os elogios dados a minha irmã até porque concordava sempre com eles... acho que ficava mais na cabeça da minha mãe isso!!!

    ResponderEliminar
  10. Também faço isso com os meus e nunca tinha pensado que realmente se calhar não há necessidade de tentar compensar logo o maior porque demos um beijinho ou dissemos uma coisa querida ao mais novo! O mais velho também tem os seus momentos de mimo!
    Cá em casa o bebé é carinhosamente tratado por "górdi" por ser uma bola (é um mamão!).

    ResponderEliminar