sexta-feira, 4 de novembro de 2016

Ela pediu-me um irmão.

Fotografia Lovelab.

"Mãe, a Necas quer que a mãe tenha um bebé na barriga. A Necas quer um irmão.". 

Disse ela, ali, encostada à janela da cozinha, com o seu pijama da Everest e da Skye. Com aquela barriguinha que fotografo com os meus olhos desde pequena e que terá enquanto for minha, enquanto for bebé. Ali, às 7 da tarde, com aquela escuridão da mudança de hora.

Estava a preparar a comida dela para aquecer e não estava à espera disto. Muito menos nesta semana. Esta semana em que decidi pensar que talvez não quisesse um segundo filho. Por amor e cansaço, talvez não queira um segundo filho. 

Quando a olho nos olhos e vejo que lhe quero dar tudo de mim, isso não inclui dar-lhe mais alguém além de mim. Quando está birrenta, já é difícil para mim conseguir ter todas as forças que quero ter para a ver do tamanho que ela tem e o lugar que ela ocupa em mim. 

Mas ela quer. 

Ou, pelo menos, disse que sim. 

Não sou pessoa de não ter o que dizer - antes pelo contrário. Creio que pela primeira vez na vida o Frederico terá ouvido um silêncio da minha parte. Um silêncio em que, dentro de mim, estava tudo aos berros. O meu coração, a minha cabeça, as saudades da barriga de grávida, o corpo a gritar de cansaço... Calei-me para me ouvir, calei-me para não dizer nada de errado, mas aquele segundo foi passando em que a Irene ficou sem uma resposta. 

Nem me lembro do que lhe terei dito. Provavelmente o Frederico terá respondido por mim. 

Esta semana não quis ter um segundo filho e ela pediu-me um irmão. 

Também eu às vezes me peço um segundo filho, mas não sei o que me diga. Nesta semana não quis. Tenho amado muito a Irene, o ginásio, o silêncio depois dela se deitar e aquela meia hora em que, às vezes, tenho esperança que ela não volte a acordar tão cedo. 

Tenho saudades do Frederico e sinto que estamos mais perto de podermos ser um nós mais próximo de novo, embora de forma diferente. 

E, acima de tudo, o que sinto é que lhe quero dar mais mãe e menos irmão. 

Esta semana. 

                Sigam-me no instagram @JoanaGama e ao blog também @aMãeéqueSabe

39 comentários:

  1. Debater este tema, para mim, só lá vai com pontos. Tipo auto-convencimento:
    1. não há problema nenhum em termos apenas um filho.
    2. os filhos únicos não são necessariamente putos insuportáveis de mimados.
    3. mesmo que haja condições físicas, logísticas e monetárias para se avançar para um segundo filho, nem sempre há disponibilidade psicológica para esse passo.
    4. o papel de mãe é avassalador: nem todas as melhores querem/podem voltar a esse papel.
    5. ser mãe é a melhor experiência do mundo.
    6 ter irmãos com quem partilhar o bom e o mau da vida é a melhor coisa do mundo. Mas não a qualquer preço.

    Enquanto eu quiser ter mais um filho apenas porque o meu mais velho me pediu, ainda não estou pronta para avançar. Só parto para o "avassalador: parte 2" quando quiser ter um filho POR MIM. E esse dia pode nunca chegar.

    E então?

    Beijinhos e até para a semana. Se calhar já será tudo diferente...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ok podem encerrar a caixa de comentários. Está tudo dito.

      Eliminar
    2. Disse tudo. Senti muito mas compreendida ao ler o seu comentário Bravo... Joana, pense bem mas pense pra si e não ligue ao que as pessoas dizem.

      Eliminar
    3. Nunca li teoria tão boa sobre o segundo filho. É que é isso mesmo... :)

      Eliminar
    4. Obrigada. Disse tudo o que eu precisava hoje ❤️

      Eliminar
    5. Grande resposta que me ajudou a mim muito....

      Eliminar
    6. É isto se tirar nem pôr. Tenho dois filhos, com 2 anos de diferença certos, amo-os aos dois com a mesma intensidade, isso para mim NUNCA foi um receio, apesar de ler em todo o lado que toda a gente acha que não consegue amar os segundos/seguintes da mesma forma. É falso! Eu sentia que conseguia amar 1,2,10,da mesma forma. Tenho 2 irmãos e acho que são as pessoas em que mãos posso confiar na vida, temos uma cumplicidade muito boa e acho que isso é um legado que os meus pais me deixaram e que estou a deixar para os meus filhos. Posto isto, acho que Joana deves ponderar bem a situação e se não tiveres mais bebés não tem mal nenhum! A Irene será certamente uma pessoa riquíssima (não no sentido material mas se for melhor :)) e equilibrada.
      BTW o meu filho (+3 meses que a tua, de há uns meses para cá também pede repetidamente uma mana (tem um mano). Diz que já tem um mano e falta a mana. Até diz como ela se deve chamar: Júlia!

      Eliminar
  2. Este texto podia ter sido eu a escrever!! Para além de tudo isto que escreveste ser tudo muito verdade para mim, no meu caso também existe o fator monetário. Não para puder encher o meu filho com tudo mas porque, neste país, não existem berçarios do Estado. Os que há são IPSS, que estão sempre lotadas. Tive que colocar o meu filho, aos cinco meses, num berçário particular, o que fez um grande rombo no nosso orçamento. Não teria qualquer hipótese de colocar um outro bébé no berçário.

    Sónia Barreto

    ResponderEliminar
  3. A pessoa mais importante da minha vida sempre foi a minha irmã... ela exerceu e exerce um papel fundamental na minha vida... não consigo me imaginar sem ela, simplesmente seria menos eu... E por isso, não consigo não dar um irmão a minha filha... só por isso... mas sim, também sinto o cansaço e o medo de um segundo filho... isso tudo é tão confuso...

    ResponderEliminar
  4. Sou filha única e gosto de o ser. Nunca pedi um irmão e não há mal nenhum nisso, embora se diga o contrário. Para já tenho só uma filha. Estamos naquela fase em que a sociedade pergunta pelo 2º filho. "ah e tal, pq é mau ter só um filho; vai ser mimado, vai estar sozinho, e se acontece alguma coisa...". Ora bolas, sou filha única e não estou sozinha, não me aconteceu nada, sei de milhentos irmãos que nem se podem ver.
    Sei de pessoas com 2 /3 filhos que de repente ficaram sem nenhum infelizmente. Há coisas q não se controlam, e não é por ter 1, 2 ou 10 filhos.
    Ás vezes apetece-me ter outro, aproveitar melhor a gravidez, os 1ºs meses de bebe... Existem outros dias que não, tou cansada, o meu marido está pouco em casa e com a pequena, apetece-me e é muito dificil te-la noutro sitio que não no ensino particular porque não há vagas.
    Enfim, para já estamos bem assim...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olhe Maria

      Sabe o que é pior que a "pergunta de quando vem o 2ª filho"?
      É tentarmos ter o 3ª filho, perdermos sempre esse 3ª bebé em todas as gravidezes (já são 4), e as pessoas comentarem sempre "já tem dois, para que é precisa de mais um?" ou " mas já tem um casal, não precisa de outro, para que é que quer outro?" ou "ah!, tsss, já tem dois, siga mas é com a sua vida. Agora mais um para quê!?".
      As pessoas comentam sempre. Não há nada a fazer. A intromissão gratuita e a falta de empatia são lugar comum na nossa sociedade.

      Eliminar
    2. Maria, obrigada! Fez me sentir mais normal. Custa me que tudo o que o meu faz de mal seja por ser filho único e que todas as conquistas sejam sorte...como diz a anônima e intromissão gratuita e falta de empatia é o que há mais! Boas vidas as duas

      Eliminar
    3. Bailarina, agora fiquei boquiaberta... a sério q lhe dizem isso?? Eu mesmo sendo uma mãe "recente" já ouvi muito bitaite estúpido, mas agora caía para trás se não estivesse deitada... realmente não há limites para o q uma mulher tem de aturar! Haja pachorra!!

      Eliminar
  5. Ando sempre com esse dilema tb. Ela está farta de me pedir, delira com bebés e grávidas, mas... embora queira muito outro bebé, acho q tão cedo não vou estar preparada pra "dividir" a atençao e o amor q lhe dou. Já julguei q sim, q estava preparada. Mas nas últimas semanas tenho concluído q não... :/

    ResponderEliminar
  6. Eu tive questões opostas à tua. "E se ela não quisesse uma irmã?" ou "E se ela preferisse ser filha única?", "E se eu quero dar-lhe um irmão só porque desejei muito ter um irmão e nunca tive?"
    Depois passou-me depressa e fiz exatamente o que queria (eu e o meu namorado) e engravidei novamente.
    É sempre uma decisão apenas dos pais, que devem fazer aquilo com que se sentem melhor. Não se pode ter filhos porque os outros filhos querem. Também pode ser por isso mas não só por isso, por isso acho que fazes muito bem em seguir os teus sentimentos.
    Sempre quis muito ter mais do que um filho porque, para dar o irmão que nunca tive e sempre desejei à minha filha mais velha, mas principalmente porque sempre quis ser mãe de mais do que um filho. Essa tem que ser sempre a principal razão.

    ResponderEliminar
  7. Como me identifico contigo... Ser mãe é a melhor profissão do mundo mas também a mais desgastante. Para já não desejo mais nenhum filho pois o meu precisa de todas as minhas forças. Sem ajuda e com um orçamento limitado a opção de um segundo filho é difícil, não me vejo nesse papel para já.Já não me sinto sozinha :) Obrigada pela partilha :)

    ResponderEliminar
  8. Só posso aconselhar (?): não tenhas outro filho porque a Irene pediu. Tem porque te sentes preparada para tal. Para a Irene ter um irmão é como pedir um boneco. Com a diferença de que quando ele lhe roubar as atenções ou estiver aos berros ela não o pode trocar por outro.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Claro que nao! Foi so (in)feliz a coincidencia 😏

      Eliminar
  9. Se tomarem a decisão de ter um segundo filho, acho que deve ser uma decisão única e exclusivamente vossa. A Irene até pode pedir mas é uma criança e naturalmente não percebe tudo o que envolve ter mais um bebé.

    ResponderEliminar
  10. Tinha muito para dizer sobre este tema mas...ainda não consigo. Ele até pode querer outro irmão (que não pede) mas eu não quero outro filho.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E está no seu direito. Cada mulher/ casal decide o que é melhor para si e para a sua vida. O resto do mundo não tem que opinar, por muito que tenha uma opinião na sua cabeça. Beijinho**

      Eliminar
  11. Acho que há sempre esse momento na nossa vida. Eu e o meu marido queremos ter mais filhos (eu ainda tenho o sonho de ter quatro) mas às vezes também pensamos que está tudo tão bom assim (temos uma filha de dois anos), para quê mudar?
    Gostava de ler um post mais desenvolvido sobre esses sentimentos todos - ter ou não ter, eis a questão - porque são dúvidas que também temos. Também tenho de pensar em escrever aobre isso ;p

    Cisca
    Istoaquiloeoutrascoisas.blogspot.com

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu tenho um filho de um ano muito desejado e tive que fazer tratamentos para engravidar, antes disso tive um aborto , sempre quis ser mae de 1 apenas, o meu filho tem uma irma da parte de pai com 19 anos as vezes apetece-me voltar a engravidar outros estou tao cansada que nao sei mas gostava que o meu filho tivesse um irmao de idade proxima porque acho muito bonito e que seram muito amigos. Mas nao sei muito me questiono com 2 td se torna mais dificil a nivel monetario mas que importa mesmo os bens ou o amor, o que vamos recordar sao aquelas idas ao parque ou o sabado de hj a aproveitar os 50% do continente ehhh. Nao e facil decidir

      Eliminar
  12. Joana os teus textos são demasiado dramáticos para mim, excepto as ironias e brincadeiras! Relaxa filha, se quiseres ter tem se não quiseres ter não tens, é a vossa decisão!
    Só uma nota, não vais conseguir ser nais mãe por teres apenas uma filha....

    ResponderEliminar
  13. Quando o meu filho tinha três anos decidi, por nós pais e ele, que estava na altura de lhe dar um(a) irm(ã)o. Não foi uma decisão fácil. O meu filho mais velho era e é muito absorvente e, na altura, queria a mãe para tudo. Os meus pensamentos transitavam à velocidade da luz entre "outro filho é uma dádiva para todos" para "vou deixar de conseguir dar tanta atenção ao meu menino, ao meu amor pequenino". Felizmente ele adaptou-se muito bem, sem grandes dramas, e hoje ele e a irmã (agora com 11 meses) têm uma paixão mútua. Agora é ele que me pede, não um, mas mais dois irmãos... Mas isso acho que vai ficar para outra encarnação ahahahah

    ResponderEliminar
  14. Sou filha única, sempre odiei. Tinha um filho com 2 anos e fiquei grávida. Ele queria uma mana. Tive os meus receios, ele queria a mãe para tudo. Mas quando nasceu o irmão ficou mais independente, começou a fazer as coisas com o pai.. E hoje, o irmão é o companheiro de brincadeiras. Adoram-se. Estamos a pensar ter um 3, já que, os dois querem uma mana. Vamos a ver se o projecto sai de forma a deixa-los satisfeitos.
    E, na minha opinião, não somos melhores mães, ou damos mais amor quando temos apenas 1 filho.

    ResponderEliminar
  15. O teu texto venho mesmo a calhar! Também sinto que não quero dar um irmão a minha filha... o marido diz " ah como gostava de ver te outra vez gravida" e eurespondo: nao obrigada!"... talvez mude de ideias daqui a alguns anos afinal ela só tem 15 meses... quando me perguntam para quando será o próximo eu digo " quando ela pedir!" Afinal de contas eu tmb tive irmãos, pode ser que até lá mude de ideias e me reveja novamente grávida, mas por enquanto quero que seja única!!

    ResponderEliminar
  16. As questões dos filhos são complicadas... A sociedade tudo impõe e tudo opina! Cada pessoa deve fazer o que o coração manda. Tenho perto de mim quem não tenha filhos por opção. Custa-me perceber (uma vez que ser mãe sempre foi um sonho), mas não julgo! Quanto a mim, sempre quis 2 filhos. Esperei 4 anos para ter o segundo, quando me senti preparada! O meu V nunca pediu um mano. Coloquei-me todas as questões e senti todas as inseguranças que a Joana refere! Tive um aborto, entre os 2 filhotes... Só lhe posso assegurar uma coisa: vai amar o segundo filho, exatamente da mesma maneira! Tive ainda a sorte do V reagir muito, muito bem à chegada do mano e, apesar do D ter apenas dois meses, o mano adora-o! Fico pasma! Relatando o meu caso, posso dar uma "dica": 4 anos é uma diferença de idade excelente, pois o mais velho já é mais autónomo! Ele ajuda-me inclusive com pequenas coisas com o mano. Pense nisso... :p Mas claro, avance para o segundo filho quando e SE sentir que chegou a altura! Ah, e uma vez que tenho 2 meninos, como deve imaginar, a frase "A seguir vem a menina...", é ouvida todos os dias, a todas as horas! Beijinhos

    ResponderEliminar
  17. Está publicação tb a mim "tocou na ferida". Sou mãe de uma Filha de 3 anos que sempre foi uma bébé mt fácil... que pede um mano, diz que vai abraçar a minha barriga, quer ver fotos da minha gravidez... e eu com vontade de ter outro filho mas com um medo aterrador de ter um bebé difícil (está sempre dormiu bem, spr comeu bem, é super tranquila), e pior, medo de não ter estabilidade financeira para mais um filho ��. Acalma-me ler estes testemunhos de mães como eu!

    ResponderEliminar
  18. Não penses muito nisso. É normal ela querer um irmão, quase todas as crianças por volta destas idades querem o mesmo desejo. Imagino o quão isto te afeta, afeta sempre. Mas às vezes não podemos dar o mundo e o outro a quem amamos muito.
    Até pode ser que agora não queiras mas daqui a algum tempo a vontade seja outra, mas segue o que tu realmente sentes.

    ResponderEliminar
  19. Ohh Joana..como esse texto fez palpitar o meu coração! Só o vi hoje (lol) pois como sabes, há sempre muita coisa para fazer na vida de uma mãe...Sigo-vos, mas ás vezes lei-o-vos assim 2 ou 3 posts passados de seguida!:D Sou filha única, portanto quero ter muitosssss filhos! Fui muito feliz como filha única e não senti falta de um irmão, nunca soube o que era...Mas agora sei o que é em parte ( com a visão de mãe). Tenho a M. com 3 anos e 9 meses e a B. com 23 meses...e sabes só conseguimos dar consoante a realidade que temos! Não sabes como será a tua/vossa realidade se tiverem mais filhos...vais continuar a dar muito "mãe" à Necas, porque vais continuar a ser mãe da Necas. E olha é tão bom, tão bom, tão bom que vale a pena experimentar, não pela Necas mas por vocês!Claro que ela beneficia ;)e que ás vezes apetece-te pendurá-las no estendal e que não consegues fazer tudo e que...e que...MAS, mas o MAS...é muito MAIOR e melhor. Como te posso enviar um video? :)

    ResponderEliminar
  20. Podia escrever muita coisa...mas um video basta! Como te posso enviar? ;)

    ResponderEliminar
  21. Tenho uma irmã e para mim é absolutamente vital sentir que há outra pessoa que cresceu comigo, na mesma casa, com os mesmos pais e avós e tios e tias, na mesma familia, com mais ou menos as mesmas experiências... São coisas que ficam, há um entendimento que não se pode partilhar com mais ninguém, nem com amigos, amigas ou parceiros... é um laço único. E ainda bem. Passei por acontecimentos dificeis e ainda bem que não estava sozinha!!! Também dei um irmão ao meu filho, por estes mesmos motivos.
    E já agora se querem ser práticos, pensem que egoísta é ter só um: porque no futuro quando/se vocês estiverem velhos, doentes e a necessitar de ajuda financeira, se for só um/uma é muito pesado para esse filho único... Eu conheço casos de pessoas com a nossa idade (40s) que têm pais nos sessentas/setentas e com problemas de saúde e o peso, o encargo, a responsabilidade é horrivel para um filho unico comparado com a mesma situaçao se forem dois irmãos.... Claro que há casos de velhos em lares que têm 2 filhos e um deles está-se a lixar para o pai ou mãe e o outro é que arca com tudo, mas não são a maioria...
    Além disto, lembrem-se que dois chateiam muito menos do que um. È verdade!!!!! Entretêm-se e brincam um com o outro. Já viram um filho unico a jantar com os pais no restaurante? Parece-me sempre tão só!
    PM

    ResponderEliminar
  22. Eu sempre pensei que teria 2 filhos, sei lá, vamos crescendo com isso, até que tenho a primeira.
    Alguns meses depois pensava, outro só lá para daqui uns 4 anos. Era um possibilidade longínqua mas ainda não descartada.
    Hoje, penso diferente, acho mesmo que não terei mais nenhum filho. Ela é difícil, e não me imagino com um bebé nos braços a precisar tanto de mim. Quem sabe daqui a mais uns anos eu mude de opinião, o tempo dirá e depois logo se vê.
    De qualquer maneira se pensares ter outro filho, pensa-o por ti, pelo Frederico, pelo teu coração, pelo vossa vontade. Acho que não deves tê-lo SÓ porque a Irene pediu.
    Beijinhos :-)

    ResponderEliminar
  23. Joana, queria dizer-te que não deves ter filhos porque os outros querem. Deves ter se os quiseres ter. Até aqui estamos totalmente de acordo.
    Agora vou dizer que ser mãe vai ser sempre cansativo quer seja com um ou com mais filhos. Mas eles crescem, ficam autónomos e logo, logo já não nos "cansam", já sentiremos falta de fazer por eles tudo ou quase tudo. Eu tenho um rapazola de 10 anos e uma maria-rapaz de 5 anos. E para os ter passei por tratamentos de fertilização, perdi 2 filhos no final de gravidez, gravidezes de risco, enfim... tudo o que não desejamos quando pensámos ter filhos. E digo-te que quando os vejo juntos, quando nos vejo aos quatro nas fotos que me sinto tão feliz por ter lutado e conseguido tê-los. Não há nada que lhes possa deixar ou ensinar que seja mais precioso que um outro ser humano que os conhece tão bem, que os entende,que "calçou os mesmos sapatos", que percorreu o caminho lado a lado. E quando um dia eu não mais cá estiver eles não se vão sentir sozinhos... Eles vão estar juntos na vida! E isso faz todo o sentido para mim.
    E se pudesse voltava a engravidar e ter mais úm, para aumentar a loucura do dia a dia e elevar à décima potência o amor que enche a nossa casa.
    (agora em parêntesis vou fazer um desabafo: ainda bem que as gerações anteriores não teorizavam tanto nem faziam tantas contas de cabeça para ter filhos... julgo que 2/3 de nós não andaríamos por cá...)

    ResponderEliminar
  24. Isto é tudo tão relativo...tenho 3 irmãos, comigo 4.
    E não temos grande afinidade, ás vezes penso que fui trocada na maternidade, de tão diferentes que somos :)

    Infelizmente os irmãos nem sempre são o melhor do mundo ou os melhores amigos.

    Por isso não devemos ter filhos porque eles pedem mas porque nós queremos.

    Bjs

    ResponderEliminar
  25. Olá Joana! De todas as dúvidas que possa ter em ter ou não mais filhos deixo-lhe uma certeza: O amor pelos filhos é igualmente avassalador.

    ResponderEliminar