quarta-feira, 1 de março de 2017

Mononucleose??

Aí está. A Irene tem feito uma semana em casa e uma na escola. É o infectário, já sabemos (farta desta expressão, toda a gente que a diz acha que está a dar uma novidade) e o primeiro ano na escola é esta valente cáca. Nada que não me tivessem avisado. 

Começou com febre na sexta. Deixamos passar as 72 horas do costume e depois de análises nas urgências do SFX, o tiro da Dra. Paula tinha sido certeiro: mononucleose.

Deixem-me só dizer que, como algumas de vocês saberão, ficamos traumatizados com análises de sangue. Tivemos um episódio que correu muito mal. E, desde aí, tem sido difícil sempre que nos falam em análises. 

Desta vez apanhamos a enfermeira Marta que tem uns olhos super meigos que transmitem calma. Que, apesar de cansada, olhou para a Irene como se tivesse sido a primeira criança do dia (se calhar foi hah) e tratou tanto dela como de mim. Foi carinhosa, paciente, empática... 

Foi a melhor experiência até agora. No final só me apetecia abraçá-la e dar-lhe um carro ou assim, mas pensei que talvez a fosse assustar com tanto calor humano. Talvez este post chegue até lá. Enfermeira Marta, "cê foi um amor" e adorámo-la. A Irene ainda fala de si e bem e foi quem lhe picou o braço ;)

É viral. Ainda não é desta que toma antibiótico, o que me deixa contente (tento sempre ver um lado positivo nas coisas). 

Agora, tenho uma filha com a doença do beijinho... (não é tão grave em crianças como nos adultos) e toda a gente me pergunta onde é que ela apanhou...

Como assim? Como se eu soubesse que havia um determinado sítio com mononucleose e tivesse achado por bem ir lá dar uma voltinha? Ou alguém com isso e tivesse sugerido que bebesse um pouco de Fanta pelo mesmo copo? 

Não sei onde é que ela apanhou isto, mas sendo uma criança de 3 anos, é provável que tenha sido na escola.

Estou cansada, mas ela está mais. Let's go! 

...............

Sigam-nos no instagram aqui 
a mim também aqui e à outra Joana aqui.
O nosso canal de youtube é este.

8 comentários:

  1. Joana as melhoras rápidas para a Irene. Ver os nossos filhos doentes deixa-nos com uma sensação terrível e só queremos ser nos a passar por aquilo. Picas exames médicos febre etc.
    ela ficará logo logo boa e de volta as brincadeiras e amigos.
    Beijinhos as duas

    ResponderEliminar
  2. Infelizmente eu tenho 31 anos e tenho a doença no beijinho...os valores do Virus "Epstein-Barr" (que provoca a mononucleose) no sangue estão constantemente altos, apesar de não ter febre e afins (só uns gângliositos inchados aqui e ali de quando em vez). O melhor de tudo é que a minha querida médica acha que não se deve fazer nada em relação a isso, mesmo tendo uma filhota de 2 anos...Efim..."let's go!" As melhoras para a Irene!

    ResponderEliminar
  3. Eu tive mononucleose com 19 anos, apanhei de uma água que tinha em casa, engarrafada há que tempos. Passei mal, com febre, dores e vómitos. E ainda passei pelo tormento de achar que tinha hiv ou coisa que o valha. Mas pronto, passou.

    ResponderEliminar
  4. Isso é tão chato.... Eu tive disso, mas já em adulta, 2 meses em casa, não se cura com medicação, muito repouso, análises todas as semanas para controlar os valores do sistema imunitário.
    Dizem que nas crianças a coisa é mais "soft"!!
    As melhoras!!
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  5. Também tive isso em criança... As melhoras para ela!

    ResponderEliminar
  6. Já vi o meu filho em internamento devido a esses "beijos" que se partilha, passa, volta tudo ao normal mas devido a um diagnóstico errado inicialmente correu menos bem! As melhoras da Irene. Muitos beijinhos

    ResponderEliminar
  7. Joana, mas tens um diagnóstico e isso já é ótimo! Tive em adulta e inicialmente com diagnóstico errado e foi muito mau. Depois não foi menos mau porque foram quase 3 meses de cama mas ao menos era um diagnóstico benigno. Com as crianças é mais simples mas não deixa de ser xato. Um beijinho e as melhoras

    ResponderEliminar