domingo, 23 de abril de 2017

Já sei porque é que dorme a noite toda!

Não!!! Não façam essa cara! Não sou como aquelas mães todas saudáveis e com uma pele óptima que dizem tranquilamente (sem terem a felicidade devida, porque não sabem o quanto custa viver) "o meu sempre dormiu a noite toda". Aliás, quem lê este blog antes de ser o "cagão" que é agora com tanta gente a ler (e que me deixa toda orgulhosa e envergonhada quando vêm ter comigo  - adoro, mas "não sei lidar", como diz uma colega minha de 20 anos) sabe perfeitamente que eu, das duas que escrevem, sou a que tem a cabecinha mais fritinha e que não ajudaram as noites sem dormir em condições.

Foi das coisas mais difíceis de sempre o "tentativa e erro" para ver o que se passava com ela para acordar desde "se calhar está muito _______" - inserir: quente, fria, esfomeada, cheia, estimulada, sozinha...

Fiz de tudo e mais alguma coisa, leiam aqui tudo o que já escrevi sobre sono no blog (quanto mais para trás, mais desesperado). A Constança ajudou-me imenso mas, no nosso caso, as coisas persistiram, mais calmas, claro (porque eu fiquei MUITO mais calma desde que fui à consulta com a Constança), mas factos são factos e o que é facto é que a minha filha ainda acordava de noite. 

Aí está: é normal eles acordarem de noite. Podem é re-adormecer sozinhos ou não. No caso da Irene, muitas vezes era não. Mudei o meu mindset, passei a aceitar este meu destino em vez de tentar mudá-lo (muito mais serena depois do toque da fada - credo, sempre que escrevo ou penso a palavra toque, o meu pipi contrai-se). 

E, de repente, o tempo passou mais rápido. As noites mal dormidas já não eram um peso enorme ou um motivo para ter pena de mim própria, mas passaram a ser parte da família. 

"De repente" passou a dormir a noite toda. O de repente está entre aspas porque ela tem 3 anos. Isto não é um "de repente". De repente é, por exemplo, a facilidade com que se põe aquilo para fazer uma endovaginal sem haver um jantar antes. Isto foi mais um: "não estava à espera". Não estava. 

Agora, nalgumas noites, dorme desde as 20h30/21 até às 6h30 e sinto-me abençoada. Não acordo muito mais descansada (não sei porquê, na volta até já estava a gostar de não dormir), mas acordo numa de "fase nova, fase melhor". 


Já sei porquê! Porque está pronta. Porque lhe faz sentido. Porque fez 3 anos e é por volta desta idade (leiam Brazelton, por exemplo - obrigada, Joaninha) que se dão imensas mudanças e que terminam outras e, por isso, de momento, o cérebro dela parece-me mais calminho - até à próxima, claro. Também tudo melhorou depois de a ter mudado de escola, verdade seja dita. 

Às vezes não somos nós que não os tapamos, que não escolhemos o pijama certo, que não sabemos qual é a temperatura do quarto, que não devíamos ter deixado que eles vissem aquele desenho animado que nos deixou dúvidas, que... às vezes são eles a crescer. Ajuda-me compreender como é que ela funciona. E agora já sei porque é que dorme a noite toda (de vez em quando) e porque é que dantes não dormia. 

Como andam vocês por aí? 

A Irene e a avó, minha mãe, hoje à tarde. 



Recomendo vivamente: 

Os Bebés também querem dormir - leiam aqui o que escrevi sobre ele. 

De tudo o que leiam na internet ou mesmo que esteja nas estantes, não deixem que o desespero vos tolde o coração. Se sentem que não é suposto e que vocês e os vossos filhos estão em sofrimento, não o façam. Amor é sempre a palavra certa. Por vocês, por eles... 


Vestido da Irene - Tuc-Tuc

...............

Sigam-nos no instagram aqui 
a mim também aqui e à outra Joana aqui.
O nosso canal de youtube é este.

10 comentários:

  1. Joana nem imagina o quanto me identifico consigo... em tudo!! 28 meses de amamentação, uma consulta com a Constança e continua sem dormir.. também já não arranjo desculpas.. mentalizei me!! Porque acorda.. não sei?? Mas acho que com a idade tudo passará...

    ResponderEliminar
  2. Olá Joana, a minha Leonor está com 16 meses, apartir dos 5 meses sempre acordou de madrugada a berrar aos prantos e só se calava quando vinha para a nossa cama, confesso que na altura tentamos q ficasse na dela porque o pediatra aconselhava e blá blá blá! Até que virei as costas ao q e suposto de fazer para o que o meu coração de mãe dizia, começamos a deixar dormir connosco, no início foi complicado, era novo até para nós até a nos habituamos e eu até q passei a amar aquele aconchego! Até q de há uma semana para cá a Leonor tem dormido a noite toda no berço dela (ainda no nosso quarto) mas no berço dela pk ela assim quis e quando acordamos foi do género Sara a apalpar a cama toda levantar de gás a pensar que ela tinha caído no chão ou algo do gênero e........Whaaaaat??? Na cama dela? Estou a sonhar só pode.
    Vou deixa estar no nosso quarto até fim do mês q vem se continuar a preferir dormir sozinha estamos a pensar muda la para o quarto dela!
    Sorry, grande testamento! Beijinhos ��

    ResponderEliminar
  3. 16 meses e uma noite boa é acordar duas ou três vezes.
    Nunca fomos pelos "treinos de sono" - isto sempre me trouxe à cabeça a imagem da miúda com roupa de desporto e halteres em forma de chucha -, nem pelo conselho das médicas de a deixar a chorar, senão não aprendia a dormir. Como se dormir viesse em livros.
    Saiu-me cara, a resignação. Entre os 11 e os 14 meses (dentes, sobretudo) a sina era acordar de hora a hora - às vezes de meia em meia. A exaustão chutou-me a capacidade de raciocínio para lá de Marraquexe. E se ela agora ainda mama foi por, no meio de tudo, eu ter pressentido que os acordares eram um pedido de conforto, um chamamento de mãe a meio da noite - da única forma que ela sabe como.
    Sei que o sono mau é temporário. Acredito que é só uma fase de desenvolvimento, o dormir a noite toda. Nunca quis forçar a autonomia - acho que ela a ganha quando estiver preparada.
    Mas custa, porra! Ser mãe de um bebé é mais fácil durante o dia do que à quinta vez de nos levantarmos de madrugada, sabendo bem daquela entrega do projecto do dia a seguir, sabendo que as três horas de sono intercaladas não foram suficientes, sentindo que tudo isto é muito solitário.
    Mas passa.
    De repente-gradualmente.
    Joana

    ResponderEliminar
  4. A minha irmã com o filho mais novo, agora com 11 anos passou as "passinhas do algarve" para ele dormir. Até anos 3 anos ele simplesmente não dormia! A minha irmã parecia, na altura, um Zombie! Não dormia nada durante o dia, sestas de 10minutos depois de mais de uma hora para o adormecer e a noite a minha "dormia" vencida pelo cansaço pendurada na cama de grades. Ele acordado atirava com os bonecos todos e com o biberão! Ela foi milhentas veZes a chorar em desespero ao pediatra que sempre lhe disse para ter calma e aceitar porque quando chegassem os 3 anos tudo iria normalizar. Claro que ela só acreditou quando de fato aconteceu! E de fato por volta dos 3 anos um dia, de repente, numa noite como outra qualquer o meu sobrinho dormiu até as 11h da manhã! A minha irmã estava em estado de choque a espera que ele acordasse a achar que algo de grave se passava. Mas não, simplesmente começou a dormir, e nesse primeiro dia quando acordou disse para a minha irmã "mamã hoje dormi Muito!"
    Este longo comentário para diZer dizer que há 10 anos atrás, antes destas "modas" das terapeutas do sono, um pediatra, veterano muito experiente, explicou vezes sem conta a minha irmã em desespero que tudo mudaria aos 3 anos. E assim foi.
    Do meu lado a minha filha mais velha agora com 2 anos e meio, dos 2 meses até fazer 1 ano dormia 12horas!! A partir daí começou a acordar muitas vezes. E porquê? Ainda não descobri mas cá espero pelos 3 anos. Por enquanto alterno as minhas noites entre a mais velha e a bebé de 5 meses :)

    ResponderEliminar
  5. O que eu faço? Faço exactamente o que a Joana disse, resolvi aceitar os intervalos dela. Também fui à uma consulta com a Constança, que foi espectacular e ajudou-nos imenso. Mas resolvi aceitar, que dói menos. Um dia, quando ela decidir, dorme toda noite. E escrevo, com ela nos braços porque hoje às 02h pareceu-lhe um bom horário para o biberão. Obrigada por saber que não estou sozinha.

    ResponderEliminar
  6. Também fui a consulta da Constança..ainda estamos em fase de experiência mas está correr bem...musica tranquila antes de dormir...o som toda a noite ainda não fizemos..só agora quando passar para quarto dela...

    ResponderEliminar
  7. Quase, 4 anos, e continua a acordar de noite. Acho que também aceitei, mas continua a custar... bastante até.

    ResponderEliminar
  8. 15 meses e ainda a amamentar. É de fases: há alturas que dorme a noite toda (20h30 às 08h) e outras que mama tipo recém-nascido. Quando constipado ou dentes a nascer, é certo que não dorme a noite inteira.
    Deixei de procurar razões e aceitei. Aproveito quando está em fase de dormir a noite inteira e quando está em fase de acordar, deito-me na cama dele (cama rente ao chão) e dormimos juntos.

    ResponderEliminar
  9. Olá Joana. O meu bebe com 19meses ainda não dorme a noite toda! Também já me habituei verdade seja dita... mas custa... oh se custa! Também consultei uma terapeuta, a Carolina que me ensinou a estabelecer rotinas o que ajudou bastante e ele passou a adormecer na sua cama. Mas quando acorda não sabe voltar a adormecer sozinho, mas é certo que também já me resignei e não tento perceber. Há-de chegar lá, um dia também vou dizer "o Miguel dorme a noite toda!" Obrigada. Beijinhos

    ResponderEliminar
  10. De todos os comentários, não encontrei um que encaixasse no caso cá de casa. Dormiu bem até aos 3 anos, altura em que entrou na escola. As gripes, constipações e viroses tornaram as noites menos calmas e desde aí não há uma noite que às 2/3 manhã siga viagem para a nossa cama. Sim, nossa cama, porque dormir ao lado da cama de grades já me contemplou com uma valente dor de costas... Será melhor esperar pelos 4 anos?

    ResponderEliminar