terça-feira, 16 de maio de 2017

A um mês de ti

Daqui a um mês já te tenho nos braços. Não sei se fico feliz ou aterrorizada. Sei que não estou preparada para te receber. Acho que não estamos nunca, verdadeiramente. Tenho o teu quarto pronto, as roupas lavadas à mão e organizadas por tamanhos, tenho as tuas primeiras roupas guardadas com o máximo carinho na mala da maternidade. O teu pai diz imensas vezes que te quer conhecer e eu fico a rebentar de orgulho só de ouvir essas palavras. Toda a gente diz que és pequenino, inclusive a primeira pessoa que te vai tocar e que quer trazer-te mais cedo. Eu quero que venhas no momento em que estiveres pronto. Sem horários e datas definidos, sem injeções e comprimidos que te façam apressar. Estamos numa luta os dois contra o mundo aqui fora. Toda a gente tem demasiada pressa e paciência a menos. Mas eu já aprendi que és pequenino mas tens imensa energia. Deixas-me dormir à noite e durante o dia estás acordado comigo, detestas que pouse o que quer que seja em cima de ti, refilas e dás pontapés. Quero ser perfeita para ti, como sempre quis ser para todos, contra o que luto há vários anos, mas tu vieste aguçar essa necessidade. Espero que saibas que, se tentar demais, é porque quero que tenhas o melhor de mim. Que vou tentar lembrar-me de dar um passo atrás e respirar fundo sempre que esteja assoberbada de ideologias, que te vou proteger ao máximo de pessoas tóxicas e palavras sem sentido. Que não te vou proteger do mundo. Muito pelo contrário. Assim que chegares tens dois animais para te imunizarem e para te fazerem feliz desde o primeiro dia. Com risos, correrias, brincadeiras na terra do parque e no chão da sala. Vou levar-te comigo para todo o lado, vamos querer que conheças a ásia e todos os outros continentes. Vamos querer que sejas do mundo. Mas acima de tudo que sejas o que quiseres ser. Que sonhes, que libertes o que tens de melhor, com melhores ou piores notas, com mais ou menos atenção na escola. Queremos que sejas a melhor pessoa que puderes ser, sem diplomas ou categorias profissionais. Queremos que sejas simplesmente feliz. 


Joana Diogo


A Joana escreve no O que vem à rede é peixe
Sigam-na no Facebook e no Instagram <3

1 comentário:

  1. Saudades de estar grávida... Desses pensamentos cheios de dúvidas que nos assolam a alma....

    ResponderEliminar