terça-feira, 30 de maio de 2017

Hoje recebi o prémio de pior mãe do mundo.

Depois do hospital, parámos no Grão de Café enquanto esperávamos pela minha mãe, para beber um chá e respirar muito fundo.

Está tudo bem. Agora. Hoje senti-me a pior mãe do mundo. Distraí-me já na caixa, com as duas às compras, e esta piolha foi-me cair do carrinho das compras. De cabeça e entortou o pescoço. Contaram-me. Nem vi, só senti qualquer coisa a bater-me no pé. Era ela. Gelei. Ambulância e raio-x depois, o meu coração volta ao lugar. Mais ou menos. Um ar inquisidor da médica que a viu que me disse que não podia acontecer - como se eu não soubesse... e mesmo que não soubesse acho que já tinha reparado, mais não seja por estar ali. Claro que não pode acontecer nada de mal às pessoas que eu mais amo na vida. Não preciso que me digam que estive mal e que a culpa foi minha, nem que me digam que todo o cuidado é pouco. Culpada já eu me sinta, chorado já eu tinha chorado, imagine-se depois.

Um muito obrigada a toda a gente, cheia de sensibilidade, que nos ajudou. Desde o gelo, a chamar a ambulância, às palavras reconfortantes, ao "já me aconteceu semelhante" - para amenizar o sentimento de culpa que me estava a corroer -, ao carinho e inteligência emocional com que distraíram a Isabel, a puseram a desenhar e a comer bolachas. Às meninas da perfumaria do Continente. Aos bombeiros, calmos e cheios de jeito para miúdos. À técnica do raio-x, que não me julgou. À minha mãe que saiu disparada do trabalho. Às minhas filhas por serem tão queridas e me darem logo sorrisos para apaziguarem este coração. Às vezes sinto que não mereço. Mereço, mereço. Mereço.

Está aparentemente tudo bem com a Luísa. Descanso q.b. (ela nao pára, mas isso só pode ser bom sinal) e vigilância 48 horas.


Só uma questão: não seria mais vantajoso se as cadeirinhas dos carrinhos tivessem cintos de segurança?

............
............
Sigam-nos no instagram aqui 
a mim também aqui e à outra Joana aqui.
O nosso canal de youtube é este.


70 comentários:

  1. Joana, o ano passado cai com a miúda no meio da rua e ela bateu com a cabeça no chão. Senti-me tal como tu, a pior mãe do mundo!
    Entre hospital, raio-X estava estava fresca e fofa e eu com o coração minúsculo e cheia de vontade de andar com o tempo para trás.
    Nunca a expressão "essas coisas acontecem" me fez mais sentido.
    É verdade, não deviam acontecer, mas às vezes por um azar de segundos acontecem!
    O importante é não ter passado de um grande susto! :)
    Descansa que para ganhares o prémio de pior mãe do mundo ainda precisavas de muito muito mais! ;)
    Beijinhos e as melhoras das duas!!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Aconteceu-me exactamente o mesmo...eu fiquei toda raspada, a deitar sangue, com um buraco no joelho mas só mais tarde já no hospital e que reparei e porque a minha pipoca mais velha me chamou a atenção para isso,porque eu...eu só queria correr para o hospital, garantir que estava tudo bem, que tinha sido só de raspão. E foi, felizmente foi...mas de facto, o meu coração estava minúsculo de vergonha, medo por ter deixado a minha bebé magoar-se no sítio onde supostamente estaria mais segura...no meu colo...mas no meu caso a médica foi muito querida e até me elogiou por na queda a ter conseguido proteger tão bem. Tive sorte. Joana...respire fundo...já passou!!!😊😊❤❤

      Eliminar
  2. Já passou :)
    Os carrinhos do IKEA têm cintos. Também acho que faz falta...

    ResponderEliminar
  3. Vai correr tudo bem �� Beijinhos e não se julgue ❤

    ResponderEliminar
  4. Bem Joana até o meu estômago deu uma volta. Imagino o susto... Mas já passou! E sim, são coisas que acontecem, mesmo com mil olhos, há sempre um segundo que nos falha ou não fossemos nós seres humanos. Ainda bem que a luisinha esta bem, que estão as 3 bem. Agora é relaxar, já passou. Beijinho grande para todas :)

    ResponderEliminar
  5. A primeira vez que a minha filha caiu também foi por culpa minha. Tinha ela 2 meses e caiu da cama (era bem mais baixa que o carrinho de compras) e eu fiquei com o coração nas mãos. Acidentes acontecem. Devemos ter todas as precauções, mas também falhamos. O importante é que tudo ficou bem. E para a próxima já vai ter mais cuidado.
    Quanto aos carrinhos: os do ikea têm cinto. Deviam ter todos claro!

    ResponderEliminar
  6. Ai Joana!!! Que sufoco! Coitadinha!!!! (dela e de si). Imagino a aflição. E esqueça a médica. Eu sempre que fui às urgências vim sempre enervada: ou era porque ia "sem razão" ou então porque "já devia era ter vindo"... Oh! Não ligue. Só importa que estejam bem. Isso é que é. E mesmo nos piores momentos é a melhor mãe do mundo para as suas filhas

    ResponderEliminar
  7. Muitas vezes os médicos têm os piores comentários do mundo. Lembro-me que quando os meus irmãos eram mais pequenos tinham, aparentemente desistiram. Pode sempre tentar ver se aquelas coisas de amarrar os miúdos a uma cadeira normal funcionam nos carrinhos �� Vai fixar tudo bem! ��

    ResponderEliminar
  8. Pode acontecer a qualquer pessoa. Nao se recrimine. Nós não somos deus e não podemos andar sempre com os nossos filhos ao colo. Um beijinho e tudo a correr bem.

    ResponderEliminar
  9. Ohhh Joana imagino como deve ter ficado com o coração pequenino, ainda na semana passada estive com a C. no hospital de Santarém e vi esse mesmo olhar reprovador de uma enfermeira para uma outra mãe que lá estava e que o menino dela tinha caído. As crianças nunca param e sim acontece a todas....um beijinho muito grande para a Luísinha mas também para si...

    ResponderEliminar
  10. O truque é colocar o ovo dentro do carrinho. Tb detesto esses carrinhos. Foi um acidente e pode acontecer a qualquer um. A miúda não teve nada e isso é o que realmente importa. Bjs

    ResponderEliminar
  11. Somos todas mães perfeitamente imperfeitas e claro que não conseguimos precaver e adivinhar todas as possíveis situações que possam acontecer. Não se martirize, aceite a mãe perfeitamente imperfeita que é porque é assim que deve ser. Quanto aos julgamentos dos outros... é um problema deles. As crianças não podem nem devem ser criadas em redomas de vidro que não as deixem viver. Estas coisas acontecem, está tudo bem e amanhã é outro dia. Beijinhos!! Ass: vizinha do Cartaxo :)

    ResponderEliminar
  12. Calma.... Nada de julgamentos. Se pudéssemos teríamos mil olhos em cima delas mas não podemos.. As pessoas que nos julgam são aquelas que por vezes fazem pior. E quanto à medica... claro que não pode acontecer, da mesma forma que os médicos nos dizem que não podemos fumar, não podemos beber e eles fazem pior. Não terá já a criança dela caído? Esquece isso. O importante é estar tudo bem com a menina... Esquece o resto... são só o resto!

    ResponderEliminar
  13. Até chorei Joana
    Chorei porque é uma situação que pode acontecer a qualquer mãe, os miúdos fazem coisas impressionantes, eu também tenho um non stop em casa e ando sempre em cima dele com medo. Muita força e a Luisinha é uma princesa lindona vai ficar tudo bem 😘
    Isabel

    ResponderEliminar
  14. A médica que disse que não pode acontecer, provavelmente não tem filhos, se os tem, deve ser a super mulher. Tenho 2 filhos, o mais novo nasceu de cesariana, como não era previsto não comprei as banheiras muda fraldas, que nos facilitam os movimentos... Então, improvisei.... Fiz da minha cômoda o muda fraldas, correu sempre muito bem... Até ao dia em que o mais velho com três anitos na altura, me chamou, foi um segundo a olhar para ele... E o bebé de 4 meses caiu aos meus pés.... Felizmente, não teve nada... Passei a noite acordada de sentinela...
    Todas as mães têm pequenos "azares", a meu ver, não somos super mulheres.... Somos mães. Beijinhos Cristina

    ResponderEliminar
  15. Precisaríamos de mil olhos, vinte braços e quatro pernas para estar sempre atentas aos movimentos dos nossos pequenos... E, mesmo assim, tenho dúvidas se chegariam!
    Os julgamentos e opiniões, esses que fiquem para quem dá sem lhes terem sido pedidos!
    Está tudo bem :) Beijinho *

    ResponderEliminar
  16. Querida Joana. Sou vossa leitora assídua mas a primeira vez que comento. Apenas quero-lhe deixar o meu mais profundo abraço e claro que apesar de se sentir dessa maneira não teve culpa nenhuma, porque não podemos por os nossos filhos numa redoma de vidro. Apenas podemos fazer o melhor que sabemos e rezar para que tudo corra bem. E vai correr tudo bem vai ver. Ainda bem que a Luísa está bem-disposta. É bom sinal. O meu filho tem 6 meses e sabe Deus o que ainda irá acontecer, mas espero encontrar profissionais e pessoas tão bondosas como encontrou. Beijinhos grandes para as três!

    ResponderEliminar
  17. Tenho uma bebé com 12 meses e digo lhe que me vieram as lágrimas de ler o seu post. Imagino o seu desespero. Muita força, já passou e está tudo bem. Isso no fim é o que mais importa. Quem julga ou não é mãe ou se o é...bem se o é não se deve lembrar bem do que é ter crianças.

    ResponderEliminar
  18. A minha filha Maria Ana, hoje com 22 anos e no último ano da Faculdade estatelou-se com 2 meses de cabeça no chão de uma altura de dois degraus. Ia na alcofa esta desencaixou-se no suporte, foram horas negras e senti-me a pior das criaturas. Acontece a muitas mães e mais galinha que eu dos três filhos haverá igual, pior duvido... Respire fundo. Been there, done that. Vai tudo ficar bem. Ao menino e ao borracho, põe Deus a mãopor baixo ;)

    ResponderEliminar
  19. É tão fácil julgar os outros... como Mãe e Pediatra, confesso-me uma verdadeira imperfeita. Basta um bater de pestanas, um espirro, e já foi. Não há culpas, nem culpados é muito menos cabe ao médico esse julgamento. Vigiar agora é importante e vai correr tudo bem! Já passou... e, como costumo dizer aos meus pais, no dia seguinte, já nem se lembra disto até porque aparece outra nódoa negra ou outra porcaria qualquer.
    Beijo desta vez na cabeça-com-minhocas-desnecessarias da mãe e cabeça-dorida-da-menina-que-pensa-que-voa,
    Sofia do Crónicas de estetoscópio e biberão

    ResponderEliminar
  20. Faz duas semanas perdi a minha filha mais velha (8 anos) no parque do alvito. Eram centenas de miudos e graudos e nunca me senti tão mal na minha vida. Achei que nunca mais a via :( felizmente tudo acabou bem. Não se pode julgar porque acontece num segundo e a todas nós ❤

    ResponderEliminar
  21. Essa mérdica que vá pastar caracóis! Joana tinha o meu bebé um ano e eu escorreguei na calçada e caí redonda. Eu? Um arranhão no cotovelo. Ele? Um traumatismo craneano, pois a cabecita voou do meu ombro (e sou alta) até à calçada. Cada vez que olhava para ele (um hematoma e inchaço gigante na testa e olhos) o meu coração definhava com a culpa. Ficou internado 1 noite e no dia a seguir não parava quieto. Óptimo sinal! Se a Luísa não pára é de certeza pq está bem! E põe a culpa a milhas!

    ResponderEliminar
  22. Num segundo, em q estava a encaixotar as últimas coisas para a mudança de casa do dia seguinte, o meu filho na altura com 2 anos pôs mistolin nos olhos!!!!
    Senti-me a pior mãe do mundo. Nas urgências nem conseguia falar, num misto de vergonha, culpa e medo....aconteceu. Infelizmente aconteceu e felizmente ele ficou bem. Acontece....Não somos perfeitas. E tenos de saber viver com isso....

    ResponderEliminar
  23. Nunca tinha comentado mas leio bastante os vossos posts.. não pude deixar de me rever, a minha filha caiu do ovinho com 26 dias porque eu adormeci e esqueci-me de prendê-la com o cinto (alguém durante o meu sono para a bebe não estar a dormir no ovinho no chão colocou o ovinho com ela em cima de uma mala de viagem para não ficar diretamente no chão)... corri para o hospital, fui igualmente super julgada no hospital só que ao contrario de ti, de facto a culpa foi minha.. foi horrível, mas no fim estava tudo bem!
    Beijinhos e não te culpes 😊

    ResponderEliminar
  24. O meu já caiu de uma mesinha da sala que eu usava para lhe mudar a fralda . distrai- me 1 segundo e foi o suficiente para ele me cair. O que vale é que não aconteceu nada de mais ... E de vez enquando ainda da umas turras no carro por minha culpa ... Não somos perfeitas , mas podemos ficar mais alertas ...

    ResponderEliminar
  25. Já me aconteceu do género. Pôs -se de pé no assento do carrinho de compras, caiu de costas p dentro do carrinho mas felizmente as compras que tinham eram fofas e amorteceram a queda. Só chorou pelo susto e nem um arranhão!!!

    ResponderEliminar
  26. Joana nunca se julgue!!! É uma corajosa por ir sozinha ao supermercado com as duas tão pequeninas!
    De certeza que tinha o anjinho da guarda a proteger a Luisinha no momento da queda! Beijinho e descanse

    ResponderEliminar
  27. Acontece a qualquer um/ E quando acontece nunca creche? O que diriam mães? Na creche onde trabalho aconteceu uma queda semelhante, os pais apresentaram queixa e a educadora foi despedida.

    ResponderEliminar
  28. Ai Joana! Imagino o susto! Quando o meu filho tinha uns três meses aconteceu algo semelhante. Três meses!!! Foi horrível. Felizmente não assisti à queda em si - digo felizmente, agora, porque não tenho a certeza se ia ter conseguido manter a calma se tivesse visto aquilo a acontecer. Bom, foi horrível. Senti-me a pior mãe do mundo. Mesmo. Mas agora conto-te isto para que te sintas "melhor" tal como me senti na altura quando, afinal, a tanta gente acontece o mesmo. Médicos, enfermeiros, outras mães... ninguém me julgou. Muito pelo contrário. É difícil de acreditar mas acontece IMENSO e não é porque sejamos más mães. É mesmo porque os acidentes acontecem. E sabes? Os babies são menos frágeis do que nós pensamos. Disse-me a médica da urgência na altura. E eu acredito que sim. :) Que esteja tudo bem com a Luísa. :)

    ResponderEliminar
  29. Essa médica não deve ser mãe...O susto já foi suficiente para o coração de mãe da Joana. Não se recrimine que quem é mãe sabe que pode acontecer e que um acidente não passa disso mesmo:um acidente. Bjs e força Sandra Gonçalves

    ResponderEliminar
  30. Joana, acontece... a minha filha caiu do ovo com tres meses... do sofa oara o tapete da sala. Ainda hoje me vem isso à memória. Todas damos o nosso melhor, mas são coisas que acontecem. Ela está bem, tudo ficará bem!! Acredita! :-) um beijinho grande

    ResponderEliminar
  31. O meu filho ficou a dormir sozinho com o pai enquanto fui a um jantar, tinha 10 meses. Quando cheguei a casa, o pai diz-me com a maior das naturalidades que ele tinha caído da nossa cama (que é bastante alta), que ouviu o barulho, ele choramingou, mas voltou a adormecer de seguida. Bem... nem imagines o filme... acordei-o à 1 da manhã e penei para o deixar acordado durante um bom bocado só para me certificar que não tinha nada!!!!

    ResponderEliminar
  32. O meu filho ontem com 19 meses caiu da minha cama porque nao para e esta sempre aos saltos felizmente nao se aleijou, nao se culpe pode acontecer a qualquer pessoa.

    ResponderEliminar
  33. Imagino o pânico Joana, o meu caiu do berço comigo mesmo ao lado dele, felizmente não foi de cabeça mas é sempre uma stress e uma culpabilização que demora a passar.
    Os carrinhos do IKEA têm cinto! Não era fantástico serem todos assim?!
    Um beijinho e sossego para o coração!

    ResponderEliminar
  34. Joana acontece e vai ficar tudo bem. O problema das pessoas é que as mães fazem tudo e são poucas as pessoas que dizem "es boa mãe, grande trabalho que fazes, não sei como es capaz, etc" acontece algo de mau pk olhamos para o lado e já somos massacradas pk a culpa é nossa pk devíamos ter mais cuidado etc. Já basta a culpa que a gente sente, é desnecessário terceiros gritarem aos quatro ventos que a culpa é nossa. Bj

    ResponderEliminar
  35. Joana, há um ano escorreguei a descer as escadas de casa (com aqueles chinelos de burel) e levava no colo a minha filha com 15 meses, para piorar, estava grávida de 7 meses e meio, dá para imaginar??? A pequenina ficou com um galaró que parecia uma bola de golfe, completamente saliente..entrei em pânico, por todas as razões possíveis e imaginárias. O meu marido agarrou em nós e fomos para a urgência raio-x, tac, ecografia e após 48h de vigilância tudo voltou ao normal.. Não preciso dizer que me senti a pior mãe do mundo :(. Não deveria acontecer, mas acontece..a tua princesa está bem, e isso é o mais importante ;). Beijoooooo

    ResponderEliminar
  36. Também sei como se sente, infelizmente e por muito cuidado que se tenha,não conseguimos controlar tudo.E quando alguma coisa acontece, sentimos que somos os piores pais do mundo.o meu marido tinha o nosso filho 1 mês,decidiu ajudar-me a cortar lhe as unhas...na hora H o miúdo mexeu o dedo e "zucas" o pai aperta o corta unhas e tira um bife ao miúdo! Mesmo na ponta do dedo. O meu marido ficou branco,o miúdo chorou mas nada demais. depois de algum sangue e alguns dias,estava tudo como novo. Mas nunca se vai esquecer dessa. Em relacao ao supermercado,tenho pensado muitas vezes que os carrinhos deveriam ter cinto,o meu Pequenito está sempre a tentar tirar as pernas para fora do assento,morro de medo. Os carros do IKEA têm cinto,e acho genial! Talvez um dia se lembrem que todos deveriam ter. Não se preocupe isso não faz de si má mãe,apenas teve um acidente,é normal é humana,não temos 8 mãos, nem podemos protegê-los de tudo quanto gostaríamos de proteger. Um dia quando lhe contar, ainda se vão rir juntas. Um beijinho às 3.

    ResponderEliminar
  37. a mim isso nunca aconteceu! porque não sou mãe (nem lá perto) ;)

    uma árvore não faz uma floresta, e com certeza haverá muitos médicos mais empáticos por aí :)

    ResponderEliminar
  38. Tenho 3 filhos, um com 15, uma com 10 e um com 19 meses já perdi a conta aos sustos... O último foi à duas semanas, caí num degrau com ele ao colo, fiz um malabarismo tal, que torci o pé direito e fiz 3 fraturas no pé e perna esquerda, mas ele não sofreu mais que um pequeno arranhão.💝. Nós mães somos umas totós, à coisas que não podemos controlar, o coração é que sofre.

    ResponderEliminar
  39. Sigo-vos há muito tempo e e a primeira vez que comento. Desta vez não podia deixar de vos mandar um grande beijinho. Não devia acontecer mas acontece a todas nós. A minha C caiu com 8 meses de cima da minha cama. Ficou bem mas não ganhei para o susto. Chorei mais do que ela. Obrigada por partilhar a sua história. Vou ter bem mais cuidado com o carrinho das compras por o ter feito. Tente relaxar agora. Um bom copo de vinho e uma boa série e esquecer por uns segundos este trabalho a tempo inteiro que nos consome e c o qual nc estamos satisfeitas por nos culparmos de tudo e nada (faz parte e é só aos nossos olhos). E a melhor mãe do mundo para as suas filhas, tenho a certeza. Um beijinho grande

    ResponderEliminar
  40. A Joana é a melhor mãe que a Isabel e a Luísa podiam ter. Para elas, é a melhor, e isso é tudo. Vai ficar tudo bem. Um beijinho e muita força, nada de culpas.

    ResponderEliminar
  41. Não foi a Isabel que ja tinha dado uma queda e partido o dente? Isso foi pior é também já passou e lá no fundo é só um dente e aqui há de ser só uns hematomas. As crianças caiem...Até sozinhas a correr as vezes sem nada pela frente tropecam. Faz parte e temos que desdramatizar e não nos sentir culpadas.

    ResponderEliminar
  42. Joaninha apenas mais uma palavra de conforto, ela está bem, isso é o importante, e não, não ganhaste nenhum prémio, isso está reservado para outras que não tu, que não nós.
    Quando comecei a ler comecei logo a pensar que a miúda faz uma aninho será que o vão passar no hospital? (á semelhança do 1º natal da Isabel), ainda bem que não e tudo está bem.
    beijinhos para as 3.

    ResponderEliminar
  43. O meu mais novo com 12 meses caiu da cama, em brincadeira com o pai...faltou lhe colchão e caiu no tapete de costas no chão. Tudo desabou à minha volta naquele momento. Graças a Deus foi mais o susto que o trambolhão. Estes piolhos têm pilhas e não param 1 min. Bjinhos

    ResponderEliminar
  44. Joana, Joana... Mas então a Luísa caiu???
    Além do óbvio (de estar bem a miúda) o melhor para si, na altura, foi mesmo não ter visto.
    Eu estava na cozinha com um copo de água na mão, a falar para o meu marido, e no outro braço estava o meu filho de 9 meses (na altura, agora quase 4 anos).
    Ele andava na fase de se atirar para trás sempre que lhe dizíamos que não, estão a ver o filme??? Eu sou alta que chegue, caiu de quase um metro e 30cm.
    "Não faças isso M!" pimbas para trás, não o consegui segurar, mas vi tudo... TUDO parecia em câmara lenta.
    Ele a atirar-se para trás, ele a cair, eu a deixar cair o copo mal se atira para trás, eu a tentar apanhá-lo, ainda lhe toquei na perninha, mas não consegui segurar, a cabeça dele no chão, o barulho da cabeça a bater no chão, o pescoço a entortar. Mais, língua de fora por causa da birra, ao bater trincou a língua. Caiu-me literalmente tudo, coração na boca. Bem... Nunca Berrei tanto na vida... Foi mistura de choro com berro...
    A PIOR mãe do Mundo, ninguém me tira esse pensamento, estremeço ainda hoje de pensar nisso.
    Ele começou a chorar de assustado por olhar para mim.
    Hospital diretos, vá lá que apanhei tudo gente boa e compreensiva.
    O M. ficou um um mini galo, nem se notava.
    Eu chorei dias seguidos.
    A verdade é que ninguém nos tira este pensamento Joana, quando isto nos acontece.
    Mas passou.
    Não é por isso que vai ter mais cuidado, porque sempre o teve e vai continuar a ter.
    Não é isto que significa que é uma má mãe, pelo contrário, é uma ótima mãe e está a fazer um trabalho excepcional com as suas meninas.
    O susto passou, agora é andar para a frente.
    Beijinhos,
    Joana e M.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não deve ter sido fácil. Beijinho apertado

      Eliminar
  45. Mais um testemunho de mãe...A minha filha, também caiu, com 3 meses, da espreguiçadeira, que estava em cima da mesa da cozinha. Ainda, hoje, sinto que fui laureada com o título de 'pior mãe do mundo' porque afinal o lugar da espreguiçadeira é no chão! A Ema esteve em observação durante 24h, mas não houve, felizmente, mazelas. Enfim, hoje sei que o descuido foi fruto de noites mal dormidas e sem o marido, em Portugal, para dar uma ajuda. Tudo fica bem quando acaba bem!

    ResponderEliminar
  46. Mais um testemunho de mãe...A minha filha, também caiu, com 3 meses, da espreguiçadeira, que estava em cima da mesa da cozinha. Ainda, hoje, sinto que fui laureada com o título de 'pior mãe do mundo' porque afinal o lugar da espreguiçadeira é no chão! A Ema esteve em observação durante 24h, mas não houve, felizmente, mazelas. Enfim, hoje sei que o descuido foi fruto de noites mal dormidas e sem o marido, em Portugal, para dar uma ajuda. Tudo fica bem quando acaba bem!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Lá está, como os azares acontecem... muitas vezes pus eu a espreguiçadeira em cima da mesa da cozinha (no chão não dava jeito nenhum ficava ali sozinho no meio do "nada"), só que felizmente, nunca aconteceu nada..

      Eliminar
  47. Mais um testemunho de mãe...A minha filha, também caiu, com 3 meses, da espreguiçadeira, que estava em cima da mesa da cozinha. Ainda, hoje, sinto que fui laureada com o título de 'pior mãe do mundo' porque afinal o lugar da espreguiçadeira é no chão! A Ema esteve em observação durante 24h, mas não houve, felizmente, mazelas. Enfim, hoje sei que o descuido foi fruto de noites mal dormidas e sem o marido, em Portugal, para dar uma ajuda. Tudo fica bem quando acaba bem!

    ResponderEliminar
  48. Joana, só quem é mãe é que sabe que este tipo de situações pode acontecer a qualquer altura, e comigo já aconteceu algo semelhante. Sei como é esse sentimento de culpa, demora a passar, mas passa e sabes que não podes estar SEMPRE em cima da miúda. O meu filho mais velho (5 anos) caiu da minha cama quando era bebé...já se aguentava mais ou menos sentado, rodeado de almofadas no meio da cama, e eu fui fazer o xixi matinal (casa de banho no quarto, a dois passos). Oiço peças a cair e só tive tempo de levantar e vê-lo a cair de cabeça...quase nem chorou e ficou bem, mas eu fiquei com o coração super apertado e com a culpa a atormentar-me durante algum tempo. O meu segundo filho está quase com dois anos e não pára quieto...já caiu várias vezes, gosta muito de se aventurar e imitar o mano, e não consigo estar sempre em cima dele...mas já consigo reagir melhor às quedas, com mais calma sem entrar em stress. ;) Os carrinhos de facto deviam ter cinto e a semana passada, vi pela primeira vez nos carrinhos do IKEA (aliás o mano mais velho é que reparou, pq eu nem dei conta, tal é a falta de hábito...), já são várias as vezes que apanho o meu filho mais novo a levantar-se do assento dos carrinhos e é uma questão de segundos (enquanto se olha para o preço de qualquer coisa...). Força Joana e beijocas para a Luísa! Bjs

    ResponderEliminar
  49. Também já me aconteceu com o meu sobrinho..Pior, porque Quando não é "nosso" o sentimento é horrível..sentimo-nos as piores pessoas.. A sorte é que não se magoou, caiu "minimamente bem" e chorou pelo susto que foi. Passei uma semana a sentir uma culpa imensa e achar que era a pior tia do universo.
    Um bem haja pela coragem que teve em partilhar esta história.
    As melhoras da pequena :-) vai tudo correr bem e será uma história para lhe contar quando ela já for grandinha..
    Beijinhoo

    ResponderEliminar
  50. :(
    não és a pior mãe do mundo, és a melhor mãe das tuas filhas, isso infelizmente pode acontecer a qq mãe, e eu temo todos os dias por algo!
    As melhoras para a tua mais que tudo mais nova e as melhoras para o teu coração, tudo vai correr bem ***

    ResponderEliminar
  51. A isso, chama-se acidente. Não é porque isso aconteceu que és a pior mãe do mundo. A pior mãe do mundo é aquela que não cuida, aquela que abandona, aquela que não quer saber. Tu és apenas uma mãe que sofreu pelo acidente que aconteceu com a filha. Graças a Deus está tudo bem. Acalma o teu coração <3

    ResponderEliminar
  52. Aconteceu ao meu filho quando tinha 2 anos, e por azar foi bater com a testa na esquina de uma bancada de vidro. Agora tem 9 anos e uma marca feia na testa. Na altura também me fartei de chorar mas são coisas que acontecem.

    ResponderEliminar
  53. Que comentário mais triste, o da médica... Enfim.
    Um grande beijinho. Ainda bem que está tudo bem, imagino o susto. São coisas que acontecem e a Joana é uma mãe maravilhosa! ❤

    M.

    ResponderEliminar
  54. Só há culpa quando há intenção (ou aquela negligência gritante), Joana, e é triste quando os pais ou cuidadores ainda são julgados. Não foi o teu caso e não me parece que autoflagerares-te vá ajudar. Confia em ti e perdoa-te para teres toda a força para vigiar e dar miminhos à bebé.
    O lado positivo é saberes que, pelo menos, nunca mais vai acontecer.
    Um beijinho de força!

    Já agora, tão bom ver a solidariedade das restantes mães!

    ResponderEliminar
  55. Não se culpe acidentes acontecem e todas as mães já passaram por isso.

    ResponderEliminar
  56. O importante é estar tudo bem. Acidentes acontecem, e vão continuar a acontecer, porque a Joana não tem mil braços, não é possivel.
    Quanto ao comentário da médica, acho que não deve levar a mal, ás vezes os médicos dizem-ns coisas assim mas é para nos prevenir para uma próxima. Esses comentários são mais para mães como eu por exemplo, que são mais relaxadas e permissivas, caso em que os médicos muitas vezes têm de ser assutadores nas chamadas de atenção para que realmente se oiça o que estão o dizer. A Joana não me parece esse tipo de mãe masleva pelo sim e pelo não. :)

    ResponderEliminar
  57. Muita força Joana! Es uma excelente mãe e ninguem pode dizer o contrario. Felicidades! As melhoras da pequena Luisa.

    ResponderEliminar
  58. Essas coisas acontecem e o importante é estar tudo bem. Em relação ao comentário da médica ela não tem como saber que tipo de mãe é a Joana e se de facto tem os cuidados necessários. Nem sabe se de facto não houve negligência na queda. Pode ser desagradável ouvir certas coisas mas têm de ser ditas

    ResponderEliminar
  59. O meu filho há uns tempos atrás também era um perigo nos carrinhos de compra. Também cheguei a apanhar alguns sustos (uma vez quase que caíu) e a partir daí não lhe largava a mão enquanto fazia as compras. Posso dizer que demorava o dobro do tempo!
    O que interessa é ela estar bem. Pode acontecer a qualquer pessoa. Um grande beijo.

    www.mamaoquevamoscomer.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  60. Também não sei como é que se consegue andar com os miúdos nos carrinhos das compras sem sinto.... A minha filha tem 1 ano e meio. Tentei ir às compras com ela sozinha e jurei para nunca mais! Ela é bastante irrequieta e não consegui sentá-la no banquinho do carrinho das compras nem dentro do próprio. Também me podia ter acontecido e não quer dizer que sejamos más mães! Temos é a mania que conseguimos fazer tudo e para todo lado com eles e não é bem assim...

    ResponderEliminar
  61. O meu filho ficou com uma espinha na garganta, ao cuidado da minha mãe. Eu estava no Porto e vim a correr para leiria, o meu filho chorou o tempo todo e a minha mãe também. A minha mãe sentiu-se a pior avó do mundo e eu tranquilizei-a até poder, disse-lhe que tudo estava bem e que pode acontecer a todas as mães e avós.
    Fomos ao pediátrico tirar a espinha e a médica lembrou-me que as espinhas devem ser tiradas, adorei, porque eu nem sabia que as crianças e adultos não devem engolir espinhas. Respondi com a educação que a minha mãe me deu e pensei que ainda bem que a minha mãe não tinha ouvida tal consideração, sob pena de se passar a sentir incapaz de tratar o neto.
    As melhoras! Só somos más mães se formos negligentes ou os magoarmos de propósito.
    Sandra

    ResponderEliminar
  62. Por acaso tb já pensei que os carrinhos das compras não perdiam por ter cintos (existem uns no IKEA que têm). Com a minha 2a filha nunca estou descansada, felizmente apercebi-me que ela conseguia colocar-se de pé nos carrinhos do continente, mas assim q ela percebeu q conseguia sair dali nunca mais quis ficar lá sentada. Agora coloco-a no carrinho junto com as compras mas definitivamente às compras ficaram mt mais stressantes. Tudo a correr bem Joana, quem a julgou que nunca passe pela mesma aflição.

    ResponderEliminar
  63. O que interessa é que está bem... Posso dizer-te que se ganhaste o prémio de "pior mãe do mundo" eu e o C. ganhámos de "piores pais do mundo" x2. Porque exatamente com a mesma idade da Luisa, estava a S. no carrinho e o R.(ainda não tinha 4 anos) do lado de fora e nós os dois ao lado a carregar o carro e em questão de segundos enquanto virámos a cara o R. pendurou-se no carrinho cheio de compras e o carro virou-se para cima dele, a irmã voou do carrinho e ele ficou esparramado debaixo do carrinho cheio de compras. :) :) :) ah, ah, ah. Agora sorriu quando penso no aparato, mas na altura só queria chorar. Beijocas

    ResponderEliminar
  64. Muitos beijinhos Joana! Agora está tudo bem.
    E obrigado por teres a coragem e o altruísmo de fazer estas partilhas que nos ajudam, muito, a sentirmo-nos menos culpadas e menos "más mães".
    É bom ver tantas mães a darem força umas às outras e a dizerem "também me aconteceu" e vai ficar tudo bem. Logo depois de sabermos que os nossos filhos estão bem, são estas palavras de empatia que mais nos dão conforto.

    ResponderEliminar
  65. Joana, não te sintas culpada!
    não podemos controlar tudo! nem mil olhos seriam suficientes para evitar todos os perigos! se assim fosse estávamos safos, tínhamos descoberto a solução...
    o meu filho mais velho caiu do carrinho com 2 meses! tinha adormecido ao colo, eu não lhe pus o cinto para não o acordar, o pai n sabia e inclinou o carrinho... caiu na calçada.. o pânico! no hospital, o pediatra de serviço foi 5 estrelas, confortando-nos para não nos sentirmos culpados, que acontece a toda a gente uma distração, não podemos evitar tudo e no teu caso ainda menos (não há cintos nos carrinhos de supermercado)
    não te culpes, desfruta o dia de hoje!
    um grande beijinho de mãe para mãe!

    ResponderEliminar
  66. Olá! Faz hoje 2 meses que fui às compras ao pingo doce com os meus filhotes de 3 e 1 ano. Estava já na caixa para efectuar o pagamento, quando estava a colocar as coisas no carrinho o mais novo estava sentado e o mais velho quando me virei e bastou 1 segundo subiu na lateral do carrinho este virou-se e o meu filho de 1 ano bateu com a cabeça no chão e pior ficou preso no carrinho com ele por cima, ainda foi muito pior do aconteceu hoje com a Luisinha. Não se culpe (eu no momento em que aconteceu senti- me a pior mãe do universo a pior pessoa à face da terra) mas o que importa é que tudo acabou bem e os nossos bens preciosos não se magoaram a sério! Não somos umas más mães por isto acontecer porque se pudéssemos prever todas as coisas que lhes vão acontecer até a vida dávamos para que nada lhes acontecesse mas temos de aos poucos lidar com os desafios que temos pela frente! Espero que a minha triste história que aconteceu há bem pouco tempo sirva para que não se sinta mal enquanto mãe! Beijinhos

    ResponderEliminar
  67. Joana, a minha filha partiu a cabeça em casa porque tropeçou num boneco e foi bater com a testa no móvel. Quando era bebé, um dia, quando ia tirá-la do carro, a alço do ovo não estava fixa: o ovo virou-se todo para a frente e ela não caiu de cara no passeio graças ao cinto de segurança. Quando eu era bebé e estava a dormir na alcofa, em cima da cama, um primo meu puxou a dita para o chão. São sustos, acontece a todas. Felizmente, tudo correu bem. Daqui a uns tempos, é só uma história para contar. Um beijinho

    ResponderEliminar