quarta-feira, 2 de agosto de 2017

A minha filha tinha fome e não comia.

Sei que o título sugere que a Irene tenha voltado a ter mais uma convulsão, mas ainda não. Não é disso que vos quero falar  hoje. Como devem saber, estamos na semana do aleitamento materno e isso pôs-me a pensar um bocadinho no que foi a nossa experiência inicial e lembrei-me. Lembrei-me que aos 3 meses passamos por uma fase horrível porque a Irene não queria mais mama. A Irene sempre que a punha na posição clássica para amamentar, chorava e chorava. Esperneava muito irritada e revoltada como se tivesse um trauma. 

Foi muito angustiante para ambas. A minha filha poderia estar com fome e havia algo que eu não percebia que estava a impedir que o "natural" acontecesse. Agora que já me tinham deixado de doer os mamilos, que já não dizia (para dentro) fo**-se, sempre que ela abocanhava e iniciava a sucção (não tem que ser assim e não é assim com todas as mães), estava a acontecer algo que eu não percebia e que me deixava de rastos. 

A Irene não fazia as mamadas do costume e começou a rejeitar-me (à mama, mas vocês sabem que o que sentimos é o que escrevi). Falei com a "minha" pediatra, em busca de algum acompanhamento, recebi a indicação de tentar tirar com a bomba e dar no biberão que, com a minha ansiedade (além das dificuldades inerentes a conseguir extrair leite com a bomba que é sempre inferior à capacidade de sucção de um bebé), fazia com que a ejecção de leite não acontecesse, ainda para mais com ela a chorar desalmadamente. 



Desisti e fui comprar o leite de lata à farmácia. Chorei pelo caminho porque não era aquilo que eu queria para nós as duas, mas não podia correr o risco da minha filha eventualmente estar a passar fome só por teimosia minha, fundamentalismo ou necessidade de validação pessoal. 

Fui. Preparei o leite e quando lhe pus a tetina na boca (numa posição esquisita), não o aceitou. Sorri, fiquei aliviada e percebi talvez não fosse fome. Descobri que, durante a noite, continuava a mamar como "deve ser" e que não estava a perder peso. Talvez os nanossegundos que ela mamava até reparar que estava na posição para ser amamentada (seria um torcicolo? - pensava eu) chegassem para não ter fome. 

Li. Li. Li. Li. Falei com especialistas (em amamentação, não pediatras porque tanto podem sê-lo como não ser e o normal é não o serem) e percebi que ia passar. 

Lá me deram a recomendação do "fazer muita pele com pele" e foi demasiado tempo até passar, a descobrir "truques", com muita ansiedade à mistura, muita dor de braços por ter descoberto que até aceitava ser amamentada ao colo, mas comigo de pé e a cantar, mas já está. 

Isto tudo para vos dizer que a amamentação - tal como tudo na vida, parece-me - tem coisas boas e coisas menos boas, mas que poderá haver uma possibilidade de ultrapassar as más com o devido acompanhamento.

Li que havia uma "crise dos três meses" que coincide com um salto de desenvolvimento o que me ajudou a perceber que todo aquele caos e desordem, até era sinal que estava tudo a correr como esperado. 

3 anos depois cá estamos. 

Força.

Procurem ajuda junto da Amamentos ou na Rede Amamenta, por exemplo. 


Outras coisas para ler: 
❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤
Tudo o que já escrevemos sobre amamentação aqui. 



✩✩✩✩✩✩✩✩✩✩

Sigam-nos no instagram 
aqui 
a mim também aqui e à outra Joana aqui.
O nosso canal de youtube é este.
Enviem-nos um mail  à vontade.

71 comentários:

  1. Passei pelo mesmo com as minhas duas filhas e, com a Maria,aos 5 meses, médica de família e enfermeira, aconselharam-me a dar leite de lata. Quase exigiram que o fizesse e, mais tarde, quando disse que ainda estava a amamentar, não o viram com bons olhos.
    Claro que procurei ajuda junto da pediatra e amamentei-a até aos 11 meses. Afinal ela não estava a rejeitar o leite, tinha eczema atópico, estava sempre incomodada e, entre outras coisas, começou a mamar muito menos. Quando resolvemos o problema de pele (alergia ao gato) voltou a mamar normalmente.

    ResponderEliminar
  2. A sério? Outra vez um post sobre amamentação? Já Todo o universo sabe que foste a melhor mãe do mundo por teres conseguido dar de mamar a tua filha...Por favor muda o disco...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sr (a) anonimo (a), isso foi só parvo! 😒
      Anonima Isa.

      Eliminar
    2. Quero ajudar as maes para não passarem pelo mesmo stress que eu. Se a incomoda este tema não leia os posts até ao fim. Ou não leia de todo. ☺

      Eliminar
    3. Que gente sem nexo que por aqui anda!

      Eliminar
    4. Não há grande informação sobre o tema. Se não fosse a Joana eu também não seria a segunda melhor mãe do mundo.
      Sim. Amamentar e fo****. Se me sinto orgulhosa de mim mesma?? Oh sim...Obrigada Joanita
      Cátia

      Eliminar
    5. Sim para algumas mães não é mesmo fácil. Principalmente depois do bebé estar na incubadora algum tempo, poucas vezes poder ir ao peito e depois querer que vá?! Muito difícil e doloroso... Acho muito bem expressar e abrir as versões e experiências foramos testemunhos que me deram força para continuar a lutar.

      Liliana Pereira

      Eliminar
  3. Ehehe...em Agosto deixam posts escritos para irem de ferias e o "melhor" tema é este?? Parabens pelos 3 anos a dar de mamar...poderia ter sido optimo nao fosse sabermos que a filha adoece tanto ou mais que os outros ( os coitadinhos do leite em pó).

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se foi isso que retirou do texto e lhe apeteceu comentar, parabéns, é oficialmente totó. 😏

      Eliminar
    2. Anónimo é realmente triste ler este tipo de comentários ainda para mais quando ataca não só uma mãe mas a sua filha "gozando" com o facto de adoecer como qualquer outra criança. Este blog é da JG e da JPB logo elas têm o direito de escrever sobre os temas que lhes apetecer e só vem ler quem quer. Se acha que aqui criticam as mães que não dão de mamar então o melhor é nem visitar esta página porque pra dizer merda como o fez mais vale tar calada.

      Eliminar
    3. A anónima totó não bebeu leite nenhum em pequenina. E agora sente que precisa de se amamentar de protagonismo no blogue alheio. Fica feio ter que "mamar" com seguidoras destas. O que vale, JG, é que estás com a paciência tão bem exercitada como o rabo e consegues responder de forma tão comedida.

      Eliminar
  4. Obrigada pela sua partilha, seja sobre que tema, o que transmite (ao contrário do que lhe escrevem) é que é a Melhor Mãe sim, a melhor mão para a sua filha.
    E cada uma de nós, mães, as que sabemos lê-la, gostamos deste "disco".
    Sou mãe, dei de mamar apenas à mais velha, ao pequenino cedi à pressao8e aos nervos e desisti, cedo demais mas apoio incondicionalmente a amamentação.
    Raramente comento mas venho sempre e sem querer ofender anónimos no geral e pelo menos um em particular, que se ridicularizam publicamente pelo seu analfabetismo de espírito, não consigo entender como é que algumas pessoas, que não gostando de uma certa comida, insistem em xontinuar a comê-la, metaforicamente escrevendo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada. Só quero ajudar a quem possa vir passar pelo mesmo, sinceramente. Obrigada por compreender. Um beijinho!

      Eliminar
    2. Queria só dizer que, tivesse lido este e outros posts julgo que teria conseguido amamentar o meu filho... Apginal do primeiro mês já estava a leite de lata porque perdia peso nas primeira semanas e eu sempre achei que era a minha mama/leite que não servia... eu tinha imenso leite mas quando ele pegava parece que tudo estagnava... entrei em stress, e pus na cabeça que não seria capaz... e não fui... hoje tem 1 aho e está óptimo,... se faria diferente, sem duvida, mas na altura pareceu ser o melhor p ele e para mim já que só de pensar que ia dar a mama até as unhas dos pés encaracolavam... Vá-se lá perceber a nossa mente depois do parto... enfim, queria com isto tudo dizer OBRIGADA, pelos posts e por nos fazeres/fazerem sentir mais normais =)

      Eliminar
    3. Vanessa... é isso que me faz querer escrever. Todos os posts podem ajudar alguma mãe! A Vanessa fez o melhor que pode e soube e é esse o nosso papel :) <3 Parabéns!

      Eliminar
  5. Eu alerto sempre as minhas amigas com bebés pequenos. O pico dos 3 meses é absolutamente horroroso e há várias mães que deixam de amamentar nessa altura...isso e o falso desmame aos 9...
    Beijinho

    ResponderEliminar
  6. Obrigado Joana por trazer de novo este tema, esta sempre actualizada, e quem verdadeiramente precisa da informação e sentir que não é a unica a passar por isto gostará certamente de ler. Aos outros, arranjem blogs que sejam mais de acordo com o que defendem, e não destilem veneno só porque sim, garanto que serão mais felizes (caso seja esse o objectivo). Irrita-me a perseguição que fazem às mães que decidem amamentar por mais tempo e que o recomendam, cada um sabe de si e sabe o que é melhor para si. Passei por um periodo semelhante com o meu pimpolho, mas consegui amamentar até aos 12 meses, não porque alguém me disse que era melhor mas porque sentia que era o melhor para o dois, se o meu filho é mais ou menos saudável por isso, não faço ideia, e sinceramente não me parece relevante. Obrigado Joana por voltar ao tema e volte as vezes que lhe apetecer, o blog é seu, só lê quem quer, que não gosta põe na borda do prato, já dizia o meu avô. Um beijinho as duas

    ResponderEliminar
  7. Ainda há quem acredite que amamentar tem de doer. E não tem. Felizmente, tiveste, mesmo no meio da ansiedade, o discernimento de procurar ajuda especializada. Sou mãe há 19 meses e temos passado por muitas, muitas ites e afins. E nem quero imaginar se não fosse amamentada. E, sim, todas somos a melhor mãe do mundo. A melhor mãe do mundo para os nossos filhos. A amamentação deve ser um tema recorrente, para que quem quer amamentar saiba onde procurar ajuda.
    Qdequaqua.wordpress.com também é um dos meus temas recorrentes.

    ResponderEliminar
  8. O meu aos 3 meses passou exactamente pelo mesmo e não deixei de o amamentar porque estava informada e sabia que era normal e que ia passar. Também só lhe conseguia dar de mamar ao colo em pé. Acho que ainda há muitas mães que param de amamentar nesta fase por não estarem informada. Nos picos de crescimento, por exemplo, mamam de hora a hora se for preciso e começa toda a gente à nossa volta a dizer que o leite já não presta porque não sacia o bebé e ele não aguenta 3h sem comer. Por isso obrigada pelo testemunho, para sabermos que não acontece só connosco e que é normal. E quem não gosta que não leia.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Giro termos dado as duas de pé! Horrivel para os braços e costas não é? Que chatice!! Tenho de falar dos picos de crescimento e o de mamar de segundo a segundo... Jesus!!! <3

      Eliminar
  9. Nunca é de mais abordar a temática da amamentação... Em plena semana da amamentação parece perfeitamente pertinente! Se não têm interesse, pergunto-me porque é que perdem tempo a ler e a comentar! Parece que há mm necessidade de "mandar abaixo" os posts da Joana Gama...

    ResponderEliminar
  10. Para mim a amamentação foi tão natural como "água". Fiz o curso de PPP, explicaram-me o essencial, mas o que mais me disseram foi "siga o seu instinto", e assim foi!
    Deixei de amamentar quando o meu filho tinha 1 ano. Foi até quando ele quis e eu também, foi natural!
    Acho que o mais importante a retirar da amamentação é que seguir o nosso instinto de Mãe é fundamental...
    Não fazer disso o horror dos horrores de não conseguirem, as crianças crescem na mesma, se tiverem que ter doenças têm na mesma... Claro que é melhor, sim é... mas se beberem leite em pó não viram bichos...
    Fazer da amamentação uma obsessão é mau para a Mãe e muito, muito mau para a criança (desde cedo que percebi que os bebés sentem o nosso estado de espírito)!
    O meu conselho: Relax, se der deu, se não der ninguém irá morrer à fome! Nada de tristezas e frustrações!

    ResponderEliminar
  11. O blog é das Joanas quer-me parecer que podem escrever o que quiserem, quem não gostar não lê, simples assim.
    São posts demais sobre o mesmo tema?! Talvez, ainda assim acho que são importantes. Eu por exemplo tenho "pena" da minha filha ter nascido "cedo demais" (antes do blog existir, portanto) e de eu própria ter cedido em parte a algumas pressões (tadinha tem fome, dá-lhe de lata, etc.) acabei por dar mama e fórmula adaptada, tendo amamentado apenas até aos 9 meses.
    Se fosse hoje teria tentado prolongar ao máximo.
    Por isso estes posts podem ajudar, sim. E há também quem chega de novo que nunca leu aqui sobre o tema ;-)
    Go Joanas, Go.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E irei fazer muitos mais hehehehe Obrigada, Célia !! <3

      Eliminar
  12. Olá Joana,

    Aconteceu exactamente o mesmo com o meu filho..mas foi mais perto dos 4 meses... e aí como ele também já tomava leite de formula em conjunto, e como começou a fazer a alimentação complementar eu achei que ele já não queria mais a maminha e olha desisti de lhe dar... :( tive mesmo muita pena. que saudades tenho daquele nosso momento mãe/filho...
    Obrigada pela Partilha.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A felicidade é o que mais importa, Mafalda :) Têm outros momentos concerteza :))) igualmente repletos de amor!! <3 <3

      Eliminar
    2. É verdade Joana. Ha muitos outros momentos maravilhosos. Mas a vezes ainda me culpo por não ter conseguido amamentar em condições. Mas para o proximo ha-de ser melhor.
      Beijinhos
      P.s:sou a Mafalda da faculdade. Nao sei se te lembras de mim :p

      Eliminar
    3. Claro que me lembro mafalda!!! Parvoíce!! Para a próxima pede ajuda que eu reencaminho e faco tudo o que puder para te ajudar. Tu és e sempre foste um amor. Como esquecer?

      Eliminar
    4. :) Obrigada Joana. Gosto muito do vosso blog. A tua filha é linda. Venho cá quase todos os dias dar uma espreitadela. Ja me ajudaram bastantea vezes. :) Beijinhos

      Eliminar
  13. Passei pelo mesmo pânico Joana :) o E rejeitou-me, gritava, esperneava e eu desesperada..
    Valeu-me a Patrícia Paiva ❤
    Estes posts são importantes pois acredito que a maioria desmama p falta de suporte nestas alturas.
    Obrigada pela partilha :)

    ResponderEliminar
  14. Não consigo entender como num blog sobre ser mãe, na sua essência sobre amor, pode ter comentários tão feios. Há tanta coisa pela internet fora, não venham espelhar a vossa negatividade numa coisa tão pura.
    Gostei muito do post, da sinceridade a que me nos habituou. Não sou mãe ainda, quero muito ser um dia, acredita Joana, cada palavra que escreves me ajuda e me vai ajudar muito. Obrigada.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Às vezes não estamos bem e sai-nos coisas podres. Acho que também nos acontece a todas dependendo da fase. Fico muito feliz por saber que posso ajudar!

      Eliminar
  15. Tou a passar por várias dificuldades com a amamentacao. As vezes penso desistir outras decido continuar.. a ver vamos onde isto vai dar. Para já são 3 semanas complicadas mas espero que melhore

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Vai melhorar, mas não deixe de procurar ajuda!!!

      Eliminar
    2. Se for por dor... Por favor procure ajuda!

      Eliminar
    3. Amamentar não tem de doer. Precisa de ajuda. Uma CAM OU AL têm um papel importante não só na amamentação como em muitas outras vertentes. Por favor, contacte a Rede Amamenta em amamenta.net e mude o rumo da sua história ❤

      Eliminar
  16. Quando me perguntavam se queria amamentar, sempre disse que sim.. e amamentei até aos 2 meses!
    nunca ninguém me tinha dito o quanto poderia doer... doia, doia, e doia...
    A minha filha começou a não engordar, chorava e chorava, comecei desesperar, tive uma recuperação horrível pós parto (parto com fórceps e ventosas, no qual me deixaram num estado lastimável), decidi por opção falar com a enfermeira e pedir para começar a dar suplemento..
    E comecei... e assim que lhe pus pela primeira vez o biberão com o suplemento ela bebeu.o até ao fim, vi que realmente teria fome! Na mamada seguinte pu.la na mama, não queria pegar, pegou mamou um bocadinhon
    e chorava e chorava... voltei a dar biberão.. Tirei leite com a bomba e dei no biberão, talvez pegasse... não, mamou um bocadinho, mais uma vez... assim que puxou começou logo a chorar.. Não conseguia mais ver a minha filha a chorar... e a partir daí dei leite de lata, até hoje!
    Se ao inicio pensava que era menos mãe por não ter conseguido amamentar?? Pensei! Muito!
    Hoje vejo que sem dúvida foi a melhor opção!
    E só digo, Parabéns às mães que amamentam tanto tempo! Muitos parabéns!
    Por isso Parabéns Joana! :) :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Comigo foi igual mas terminou ao fim de 1 mês... Mesmo assim, acho que se estivesse melhor preparada teria sido diferente!

      Eliminar
    2. É necessário mais apoio às recém-mamãs. Amamentar não tem de doer e se dói é preciso saber a quem pedir ajuda. Ninguém é menos mãe. Decidiu consciente pelo bem maior do seu bebé. Numa próxima amamenta.net ;)

      Eliminar
  17. Por acaso aconteceu-me o mesmo mas a minha filha aceitava o biberão mas não a mama... e assim foi para sempre! No início andava com a bomba para todo lado e depois desisti e passei ao leite em pó! Porque acho que o amamentar também é algo para além de alimentar um bebe. Não me considero pior ou melhor mãe por ter desistido. Mas admiro quem conseguiu levar avante esse a amamentação. Joana Gama, por vezes acho que tem muitas inimigas ou então há muita gente com dor de cotovelo... visto que os comentários aos teus post são sempre "raivosos"! Beijo para si e para a Irene

    ResponderEliminar
  18. Passei exactamente pelo mesmo. Chorava ele e chorava eu. Sempre pensei que a batalha da amamentação estava conquistada após um início complicado.
    Só não cheguei a ir à farmácia comprar uma lata, porque li um post teu algures acerca disso mesmo. A partir daí fartei-me de ler acerca do assunto e o meu coração de mãe descansou. E o moço continuou a ser o michelin que sempre foi ��
    Hoje amamento o de 2 anos e meio e um recém nascido.

    Obrigada, minha querida Joana. Que a vida te sorria muito a ti e à pequena Irene.

    ResponderEliminar
  19. Para mim tanto faz que amamente muito como pouco uma vez que cada qual sabe de si. Mas muito sinceramente se a vida rodar na volta da mamada, do stress e da amamentação não sou nada de acordo que se insista e persista. Òbvio que é fundamental para a criança e mãe este processo made in natura mas já na antiguidade existiam amas de leite visto não haver o leite em pó. Tive amigas que no primeiro filho fizeram o mesmo que a Joana e orgulhosas partiram naturalemente com a mesma votade para o segundo e nãl resultou. Infelizmente tem de haver um bom apoio quando existem mais filhos porque senão o que lhe deu de "bom" substitui por falta de atenção. Enfim para dizer que: a amamentação é ótima, insistindo com peso e medida, saber respeitar o bebé quando diz não. Crianças também crescem com leite em pó e o leite de biberão deve dar-se por um tempo determinado pela criança e também pelos pais. Leite de mama até tarde, poupem-me é muito mais uma necessidade da mãe do que da filha.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E imagino que todos os estudos que existem que provam o contrário são postos de lado porque "estudos há muitos". É muito triste. São pessoas como a senhora que depois vão fazer os comentários "ah, porque não lhe dás leite de lata em vez de estares a sofrer assim, isso nem te faz bem, blá blá blá" para depois haver mães que ficam de coração partido por ceder à pressao, quando aquilo de que precisavam era de apoio e ajuda para ultrapassar essa dificuldade.
      Dificuldades vai haver sempre, e com cada uma que ultrapassamos, ganhamos confiança em nós como mães e nos nossos filhos, e aumentamos os recursos que temos disponíveis. Usar soluções "em lata" quando não são necessárias (quando o são, é absolutamente legítimo!) é ficar mais fracas do que éramos. E a amamentação é exemplo disso mesmo. Não conheço nenhuma mãe que não tenha tido de "fazer paz" com o facto de, querendo, não conseguir amamentar, e todas aquelas que conheço que tiveram de ultrapassar dificuldades, às vezes muito muito grandes, saíram desse processo mais fortes e confiantes.

      Para além disso, o leite de lata tem desvantagens em relação ao leite materno, por isso leite de lata e amas de leite não são a mesma coisa, cara anónima. Mas disso ninguém fala, não é? E os bebés nunca dizem que não querem mama, isso é completamente contra natura, mas alguns não conseguem mamar. E aí é preciso ajudá-los. Ou seja, talvez seja melhor informar-se em condições antes de ter uma opinião que, enfim...

      Eliminar
    2. São senhoras como você que bla bla bla. A senhora sabe por acaso do que fala? Não julge as pessoas pelas opinioes! Acredite que tive sem dúvida uma luta muito grande e sei muito bem do que falo. Bebé prematura extrema, vontade imensa de amamentar e não pôder, bomba de duas em duas horas para obter leite e a produção não parar. A minha filha teve sim ama de leite, bancos de leite de outras mães pasturizado e acabou por "crescer" com o leite de lata. Da experiencia que tirei esta é a minha opinião.
      Fui ajudada e ajudei muitas a amamentar e não desistir mas já vivi situações muito extremas e angustiantes. Sabia a senhora que à mts mães por aí que têm mesmo de dar leite em lata e estão a achar o seu comentário completamente absurdo?? Poupe-me

      Eliminar
    3. A senhora infelizmente tem toda a razão por vezes existem mães que são mesmo obrigadas a dar leite em pó e nao é por isso que são menos mães...Mãe é amar e não apenas aquela que estica as mamas cheias de leite...Haja bom senso

      Eliminar
    4. A senhora infelizmente tem toda a razão por vezes existem mães que são mesmo obrigadas a dar leite em pó e nao é por isso que são menos mães...Mãe é amar e não apenas aquela que estica as mamas cheias de leite...Haja bom senso

      Eliminar
  20. As pessoas leêm muito, pesquisam, consultam... e esquecem-se daquela que deveria ser a principal rede de suporte: os mais velhos!
    Quando nasceu o meu filhos mais velho, a minha avó (mãe de nove filhos) disse que era normal pelos 2/3 meses ele parecer que já não queria mamar. Nem me lembrei mais disso até chegar o fatídico dia....então fiz como ela disse, tirei leite à mão e dei-lho num biberon. Triste, ainda assim. Ao fim de dois ou três biberons passou-lhe a mania e continuámos felizes!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ora aqui está um comentário útil! É engraçado! São tão difíceis os bebés!

      Eliminar
    2. Depende dos mais velhos. Aqueles que, ao contrário da sua avó, cresceram a ouvir falar em leites fracos e insuficientes e leite que seca de uma hora para a outra, são tudo menos bons conselheiros.

      Eliminar
    3. Ora aqui está uma grande verdade. Desisti da amamentação principalmente por causa desses mitos tão enraizados na mentalidade dos mais velhos. Não consegui aguentar tanta pressão psicológica... numa próxima, se houver, durante o primeiro mês não vou querer visitas e espero ter coragem para não permitir que ninguém interfira. Já lá vão quase 4 meses e ainda foi comigo a remoer sozinha com este assunto. Para quem passou pelo mesmo que eu, coragem.

      Eliminar
    4. Ora aqui está uma grande verdade. Desisti da amamentação principalmente por causa desses mitos tão enraizados na mentalidade dos mais velhos. Não consegui aguentar tanta pressão psicológica... numa próxima, se houver, durante o primeiro mês não vou querer visitas e espero ter coragem para não permitir que ninguém interfira. Já lá vão quase 4 meses e ainda foi comigo a remoer sozinha com este assunto. Para quem passou pelo mesmo que eu, coragem.

      Eliminar
  21. Aconteceu o mesmo com a minha M. Apesar de ja mamar leite adaptado desde os 15 dias de vida. Aos 3 meses ela deixou de beber leite. Passou mais de 12 horas sem mamar. Eu ja chorava, ela tambem. A pediatra deu imensas marcas de leite nada. Disse que embora fosse demasiado cedo mas tentarmos dar a papa da nitriben, uma que é para o biberon e nada. Nao mamava. O que ela estava a atravessar era mesmo a crise dos 3 meses. Lá consegui agarrar num leite S-26 que era muito docinho e gostou. Por acaso ja era o leite que eu mamava quando era bebé. 😉

    ResponderEliminar
  22. A Joana que me desculpe, mas é chata com a história da amamentação. Se fosse eu a si fazia psicanálise. Acho que tem aí qualquer coisa mal resolvida consigo própria. Estou a ser sincera. É que roça na obsessão.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tento ajudar num espaço que eu criei. Tudo legítimo 😀😚

      Eliminar
    2. Sonos duas obsecadas! Enquanto houver quadrados na amamentação eu teimo em ser um círculo!

      Eliminar
  23. Joana, cada vez gosto mais de ti! A sério! <3
    Se eu tivesse uma "vaibe lésbica" (ahaha) não me escapavas!

    ResponderEliminar
  24. Olá... sigo o vosso Blog mas não costumo comentar... Agora há coisas que me incomodam profundamente! Quem não gosta não lê! Comentários como "muda o disco" são completamente desnecessários!!! Parabéns pelo Blog! Eu amamentei 2 anos sem problema nenhum... quase sem dores... quase sem gretas... ❤ !!! Beijinhos

    ResponderEliminar
  25. Eu só começei a pensar sobre amamentação quando descobri este blogue. Foi aqui que começei a " estudar o tema" e decidi que queria amamentar. Quando a minha filha aos 2 meses não quis mais mamar, continuei a insistir, durante 3 semanas era ela eu a chorar! O meu marido só pedia para eu consultar um psicólogo😀 até que depois da minha filha perder peso e eu etar tão em baixo que não conseguia sequer tirar leite acabei com os chorps e culpas, aproveitar a minha filhota! Mas tenho a certeza que para a próxima vai correr melhor.. Por isso, óbvio que estes posts da Joana São importantíssimos, muitas mulheres amamentam devido a toda a esta informação que ela gentilmente nos faculta. Bom trabalho😉

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Numa próxima encontre ajuda em amamenta.net ❤

      Eliminar
  26. É por este tipo de posts que recomendo a leitura do blog a amigas grávidas. Soubesse eu tanto acerca de amamentação e não teria cedido ao leite em pó tão cedo com o meu primeiro filho. No segundo já tinha muita bagagem e amamentei o mais que pude (11 meses), tendo em conta que viajo com bastante regularidade (por períodos de 8 dias) desde que ele tinha 6 meses. Engraçado que há dias duas amigas grávidas (que nem se conhecem) me vieram pedir conselhos sobre amamentação. Acho muito importante as mães informarem-se antes oais possível e com quem possa passar informação válida.

    ResponderEliminar
  27. Joana, parabéns pelo post! E como é bom ler sobre amamentação! Por favor, escreva sempre! Se consegui ter uma história feliz de amamentação foi graças a mulheres que se dispuseram a ajudar outras. Uma verdadeira rede de apoio. Obrigada!

    ResponderEliminar
  28. Aqui estou a passar pelo mesmo e com receio de deixar de amamentar porque gosto e por isso queria continuar. espero que seja so uma fase e que passe pelo menos é o que diz a pediatra.
    Obrigada pelo post, veio mesmo na altura certa, quando o li, fez me mto bem saber que nao estava acontecer so a mim, e aconchegou me de certa forma e descansou-me mais.
    Obrigada e beijinhos
    Vanessa

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se precisa de ajuda recorra a uma CAM OU AL em amamenta.net

      Eliminar