segunda-feira, 28 de agosto de 2017

As birras da Irene

A Irene faz birras. São sempre razoáveis. A Irene tem três anos. 
As birras da Irene são porque quer algo e não consegue ou não tem ou não dá. 
As birras da Irene são adoráveis porque é a maneira infantil e bonita que tem de dizer que quer muito, ao ponto de (ainda) não se conseguir controlar.
A Irene tem 3 anos, a Irene não se censura. 
Irene tem sono, a Irene tem vontade de comer, a Irene fica entediada, a Irene não compreende as razões dos adultos. 

A mãe vê, a mãe explica, a mãe abraça, a mãe ajuda. 
A Irene acalma, a Irene (às vezes) percebe, a Irene espera, a Irene consegue. 




A mãe da Irene faz birras. Raramente são razoáveis. A mãe da Irene tem 30 anos.
As birras da mãe da Irene são porque quer algo e não consegue ou não tem ou não dá.
As birras da mãe são totós porque é uma maneira infantil e impaciente que tem de dizer que quer muito algo e (ainda) não se saber controlar. 

A mãe da Irene tem 30 anos, a mãe da Irene (ainda) vai crescendo. 
A mãe acalma, a mãe percebe, a mãe espera, a mãe consegue. 

A Irene também é as birras. 
A mãe da Irene também. 

3 anos, 30. 

Reconhecer, compreender, aceitar ou mudar. 
Amar. 
Incondicionalmente.



a Mãe é que sabe Instagram

10 comentários:

  1. Sem tirar nem pôr... tal e qual é vou partilhar... a diferença é que a Ana tem 4 anos e a mãe da Ana tem 35... crescendo sempre. Beijinhos

    ResponderEliminar
  2. Like, mts parabéns as duas joanas pelo blog e as respectivas herdeiras..

    ResponderEliminar
  3. Acompanho-vos, mas nunca vos escrevi...só queria dizer que a Irene é linda linda e as fotos estão o máximo. A minha ainda não chegou a essa fase, mas não tardará...já eu...sim, também sou birrenta :). Beijinhos

    ResponderEliminar
  4. As fotografias estão espetaculares... foi uma birra à seria?! :)
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  5. O meu Tomas tb com 3 anos faz birras tão tão horríveis que honestamente me tiram do sério e muitas vezes não consigo ter essa paciência e compreensão... porque é um exagero... porque grita, chora, atira -se para o chão... quer tudo... não percebe que as coisas de que gostam tem um fim :(... hoje foi um dia mau... muito mau... adormeço a chorar porque acho que sou uma mãe de merd@ quando não consigo controlar estas birras e perco o norte :(... estou exausta :(

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Um beijinho grande para si Carla!

      Eliminar
    2. Acontece-me o mesmo.A Alice tem 4, e cada birra é uma verdadeira batalha, desde antes dos 3 anos. E também me acontece, ás vezes não consigo compreender, abraçar, acalmar :-(

      Eliminar
    3. Gostava de lhe mandar um abraco à distância. Esses dias sao terríveis!! Nós somos só humanas, mas para os nossos filhos somos sobre-humanas, e isso é muito querido - mas é também terrivelmente exigente, e até injusto. No entanto, está a fazer o melhor que pode, e por isso é a melhor mae que o seu Tomás podia ter!

      Permita-me contar-lhe o que resulta com o meu filho. Sei que resulta com outros meninos - nao com todos... Mas quem sabe vale a pena experimentar?

      Quando os miúdos estao numa birra, deixam muitas vezes de nos ouvir porque o cérebro deles entra em shutdown. O que eu faco é o seguinte: quando o meu filho comeca com uma birra - ou seja, quando está a berrar mas ainda nao se atirou ao chao nem comecou a espernear - eu agacho-me perto dele sem lhe tocar e espero por um momento de silêncio, normalmente quando ele está a inspirar ;), para que ele me ouca sem eu ter de gritar, e digo-lhe: "tu estás triste porque querias ver um vídeo, nao é?" (por exemplo). Normalmente vem um "SHIIIIIIIIIMMMMM!!!!" e ele pelo menos passa a ouvir-me (imagino que na esperanca de que eu mude de ideias...) e eu digo-lhe entao que o compreendo, mas porque é que nao pode ser "Eu percebo que queiras ver um vídeo, mas a mama nao quer que tu vejas". Aqui ele volta normalmente a berrar, mas nota-se que já nao é da mesma forma, e eu apresento-lhe entao uma ou mais alternativas: "a mae nao quer que tu vejas o video, mas podemos ir andar de bicicleta para o jardim e eu vou contigo, queres?" Tem obviamente de ser uma coisa que ele goste de fazer. Se ele nao quiser fazer isso, dou-lhe outras opcoes. Nao é um suborno, é uma alternativa, porque ele claramente fica muitas vezes preso naquele ponto de querer uma coisa e nao saber o que fazer a seguir sem ela.

      Se ainda assim nao resultar, repito o processo ("coitadinho, o E. está tao triste porque queria ver um video e a mama nao deixa, nao é?") até que ele me ouca. Se ainda assim nao resulta, digo-lhe qualquer coisa como "eu estou a ver que estás muito triste. Chora tudo o que quiseres e quando acabares anda ter comigo e podemos ir andar de bicicleta os dois, eu estou aqui à tua espera" e deixo-lhe, se puder, a bicicleta (por exemplo) na sala onde ele está e saio da divisao. Nunca demorou muito tempo até ele pegar no que eu lhe deixei ou vir ter comigo e, com o tempo, a coisa resulta cada vez mais só com a primeira parte.

      O ponto principal, onde eu noto realmente o clique, é aquela parte de "eu vejo que estás triste porque querias fazer a coisa x". Passar directamente para a alternativa nao serve de nada, tentar abraca-lo nao serve de nada, falar alto para que ele me ouca é contraproducente. Quando eu reconheco o que ele quer fazer e que está muito infeliz porque nao pode é que ele passa a ouvir-me.

      O meu marido diz-me às vezes, quando eu estou a entrar em parafuso: "acalma-te, que ele está a espelhar o teu humor." O nosso filho tem umas antenas muito sensíveis e reage
      às minhas emocoes como eu reajo, o que nao ajuda nada quando estou cansada ou doente ou em stress - ele fica insuportável. E embora seja DIFÍCIL contar até dez e respirar fundo quando só me apetece agarrar no puto e mandar-lhe três berros, o facto é que só estando calma consigo acalmá-lo, e portanto tenho de fazer das tripas coracao. Mas estou a melhorar com a prática :)

      Isto acabou por ficar um testamento, e peco desculpa pela falta de acentos. Mas ontem tive um dia assim também e nao queria deixar de lhe escrever. Forca!! O facto de escrever o que escreveu já demonstra que é uma excelente mae, mesmo nos dias maus!!

      Eliminar
  6. Ando mt triste... o meu G. de 3 anos, talvez por falta das rotinas que felizmente já começam na 2ª, adormece mais tarde. Ou seja, à noite é um suplício porque não quer ir para a cama, não quer dormir, esperneia-se, chora,... Eu como ainda tenho sempre 1500 coisas a fazer irrito me, ralho, perco a paciência, falo alto.... Coisas estúpidas que não levam a nada porque ele ainda mais nervoso fica e aí é que não dorme mesmo. Só quando o agarro, lhe dou mimo, é que se acalma e lá dorme, e nisto já sao 23h :( E eu sinto me um trapo e péssima mãe porque nao tive paciência com ele mais uma vez. Tenho tentado melhorar. Quero melhorar.

    ResponderEliminar