quinta-feira, 7 de dezembro de 2017

Só comprei roupa para ela!

Há várias coisas que "me vão acontecendo" ao longo da vida que, se me contassem há uns anos, ter-me-ia rido tanto, mas tanto que me ficaria a doer o meu uni-abdominal. Se me dissessem há 6 anos que me iria casar e ser mãe, nem imaginam a gargalhada. Provavelmente até teria feito stand-up sobre isso e teria feito um espectáculo de duas ou três horas (as if I could). 

Outra era que tinha recebido um cartão-presente para gastar na C&A, uma loja que tem imensa roupa gira para mim e para a Irene (com acessórios incluídos - coisas que parecem nunca "ser demais") e ter gasto tudo nela. Entrei na loja, fisguei logo uma camisola para mim (uma branca com pêlo que imaginei logo com um baton vermelho e tal e tal) mas, de resto, tive vontade de comprar tudo o que vi na secção dela. E ela também.

Fui com ela. Quero envolvê-la na escolha das roupas. Já vos contei que, por mim, é a Irene quem escolhe a roupa dela (para evitar birras, selecciono três opções e, a partir daí, é ela quem escolhe o que vestir - para mim faz-me mais sentido assim e ela fica vaidosa) e ver tanta coisa da Minnie, do Mickey, do Frozen (ela não viu o filme, mas como tem amigas com roupas de lá, associa), dos Minions, da Patrulha Pata, dos Carrros, Homem Aranha (a Irene adora o spider man, não sei porquê)... deu-nos imensa pica para comprarmos roupa juntas. Isto, claro, intercalado com a Irene andar a brincar às escondidas entre os cabides e de alguns mini ataques de pânico da minha parte. 

Para mim, as regras para a roupa dela são: serem confortáveis, adaptadas à estação (não à de Santa Apolónia... - ai que boa piada que esta foi) e que ela goste. 


 

 
Estas foram algumas das nossas escolhas. Inicialmente tive vontade de ir sozinha, para ver as roupas com calma para ser um "momento meu", mas depois achei que é divertido ela estar envolvida na escolha da roupa dela porque, no futuro, é isso que vai acontecer. E, se ela participar já no processo de decisão, ser-lhe-á tudo mais natural e provavelmente não andará como a mãe aos 31 anos a batalhar sobre "que estilo é o meu". Ela vai saber. 

 
Neste caso é simples. Na C&A é tudo acessível e, por isso, aquela coisa extra a caminho da caixa também pode ir e estamos a comprar roupa necessária mas, também, coisas que a fazem feliz todos os dias de manhã quando calha ser "aquela peça que ela escolheu". Escolheu as calças pretas por serem quentinhas e parecerem neve, escolheu o vestido da Hello Kitty porque a Sara (educadora que tem uma viola com uma Hello Kitty) vai gostar, escolheu a camisola azul porque tem as lantejolas reversíveis e tem a Hello Kitty ou um pinguim. 

 
Às vezes, por ser a Irene a escolher o que veste e combina, quando a levo à escola, tenho um bocadinho de inveja pelas amiguinhas delas estarem tão bonitas, com conjuntos lindíssimos, betinhos, cores pastel, prontas para irem a "qualquer lado" mas, para mim, esta vaidade dela compensa. Mesmo quando vai com calças com estrelas, casaco com flores e camisola às riscas. 

Para já, é assim que estamos.

Vocês envolvem-nos nas vossas compras ou preferem ter o vosso "momento de compras" sozinhas, como se fosse um momento spa? 


O meu instagram e o d'a Mãe é que sabe :)
a Mãe é que sabe Instagram


6 comentários:

  1. Eu gosto de envolver a minha filha, com 2 anos, no processo de compra da roupa. Ela fica extasiada quando vou com ela, e às vezes com a avó, comprar-lhe roupa. Eu vou procurando o que ela precisa e dou-lhe a escolher entre algumas opções. Como ela adora experimentar, mexer, escolher e sair da loja com o saco no ombro, toda orgulhosa! E eu adoro viver este tipo de momentos com ela ;) Em casa, ela não liga muito à escolha do que vai vestir no dia-a-dia. Adora escolher os sapatos e a mala/saco e os brinquedos que lá vai colocar para levar para casa dos avós. Para mim, todos estes pequenos gestos representam grandes passos rumo à autonomia e à confiança.

    ResponderEliminar
  2. Eu compro sozinha. Mas quem escolhe o que vestir é ela, nem sempre adoro as escolhas mas a não ser que seja algo estapafúrdio (Como saia e botas no dia de educação física) deixo ir, não faço disso um problema.

    ResponderEliminar
  3. Odeio, parecem uns palhacinhos, mas tem direito a pijamas dessas coisas todas e delira, só vai comigo quando é para comprar pijamas. Sei que um dia vai ser ela a escolher tudo, mas tem tempo.

    ResponderEliminar
  4. Um clássico :D essas trancinhas,coisa boa. A Irene cresceu imenso de repente :)

    ResponderEliminar
  5. Não sou tão democrática, mas também só tenho rapazes! EU é que escolho o que compro e o que vestem. Acho óptimo poderem escolher e tal, mas acho que no meu caso seria mais um factor de birra de manhã, se fossem eles a decidir. De qualquer forma, o mais velho com 4 anos não mostra qualquer interesse em escolher o que vai usar. Nas compras posso perguntar qual gosta mais entre 2/3 opções, mas nunca ele decide livremente. O mais novo, quase com 2 anos, gosta de escolher os sapatos, vai buscar os que mais gosta. Nem sempre são os que ficam melhor, umas vezes cedo, outras vai como eu quero! Em resumo, não os deixaria sair de casa com padrões e cores que não combinam, nesse aspecto não sou flexível!

    ResponderEliminar
  6. JG identifico-me muito mais com o teu estilo de vestir a miúda do que a JPB. Nada contra nem sendo hater nem nada, é só uma constatação. Era mais capaz de vestir a minha filha assim do que como a outra Joana veste a delas apenas pelo lado prático e confortável da roupa. São crianças querem é correr e saltar, vão ter muito tempo na vida para se sentirem desconfortáveis com a roupa que vestem. Beijinhos, adoro-vos as duas apesar das diferenças entras as duas

    ResponderEliminar