Mostrar mensagens com a etiqueta Joana Paixão Brás. Mostrar todas as mensagens
Mostrar mensagens com a etiqueta Joana Paixão Brás. Mostrar todas as mensagens

quarta-feira, 15 de março de 2017

Preparativos para a festa (MATEM-ME!)

Podia estar tudo a correr muito bem se:

- houvesse uma PORCARIA de uma loja que enchesse balões de hélio nesta terra sem eu ter de correr quatrocentas casas e lojas de chineses e não me pedissem 72 euros por uma botija de hélio... (sim, 72 euros. Trazia um colar de ouro com safiras lá dentro, só pode).

- a PORCARIA do frigorífico não resolvesse dar o berro quando temos coisas para fazer e me estragasse dois litros de iogurte grego, fora o resto, e o novo só chegasse na véspera da festa e tem de se esperar 8 horas em pé antes de se ligar à corrente e o caraças...

- não tivesse chegado uma conta de 553 euros de electricidade do mês cuja leitura não fizemos e acerto. Como assim 553 euros? Mas isto é alguma fábrica? Está bem que a miúda faz cocós até ao pescoço quase todos os dias e a máquina da roupa trabalha e bem, mas... Escusado será dizer que estive nos preparativos e arrumações a morder a língua para não dizer mil e duzentas asneiras. 

Tirando isto, tudo em cima, tudo jóia, alegria, paz e amor (rrrrrrrrrrrrr), amanhã vai estar um dia bonito, com sol, a miúda vai estar radiante, vai à escola porque tenho de ir com a irmã a uma consulta, mas vou buscá-la bem cedinho e vamos festejar como ela merece, tirar umas fotos bonitas e cantar 29 vezes os parabéns, que ela adora <3

Último dia nos 2 anos!

Coisinhas da Docinho de Açúcar
............
............
Sigam-nos no instagram aqui 
a mim também aqui e à outra Joana aqui.
O nosso canal de youtube é este.

terça-feira, 14 de março de 2017

A mãe que hoje sou.

A mãe que hoje sou é uma. 
A mãe que eu achava que ia ser é outra. 
A mãe que eu serei daqui para a frente outra será.

Todas nós já enchemos, pelo menos uma vez na vida, o peito e dissemos, do alto da nossa segurança, que não iríamos ser como "aqueles pais". "Filho meu não fará aquilo" ou "eu não serei assim". Depois, na prática, muitas coisas mudam. Antes ainda de os conhecermos, o quarto deles ganha forma, compra-se o berço, monta-se a estante e erguem-se, também, muitas teorias de como iremos reagir, educar e orientar. 

Depois, quando eles nascem e a nossa vida muda, caem também por terra muitos dos preconceitos que criámos. Passamos a entender outras escolhas, passamos a compreender que há excepções à regra e que se calhar, daquela vez, naquele restaurante, estávamos perante uma excepção ou daquela vez, no supermercado, aquele pai falou mais alto para o miúdo, excepcionalmente. Descobrimos que, afinal, também nós gritamos. Mesmo que excepcionalmente. E que isso é humano. 

Seja porque tentámos outras opções e todas elas falharam e queremos testar também essa (mesmo que não nos faça muito sentido, mas já estamos por tudo), seja porque nem sempre conseguimos ser a melhor versão de nós próprios e também erramos, os pais que somos afastam-se - às vezes até demais - daquilo que delineámos.

A mãe que eu achava que ia ser é diferente da que hoje sou. Achei que fosse ser mais paciente, achei que nunca iria mandar a minha filha parar de chorar (e já o fiz, várias vezes até), achei que - vejam só o optimismo [e puro desconhecimento das fases de crescimento de uma criança] - a minha filha não faria birras. 

A mãe que hoje sou é uma mãe com mais experiência, mas com muito por aprender. 
A mãe que serei daqui para a frente será uma mãe mais confiante, mas cheia de dúvidas. Porque já percebi que estes pólos vivem lado a lado, sempre, pela vida fora. 
A mãe que serei daqui para a frente é alguém em permanente melhoria, mas alguém que já decidiu deixar de tentar ser perfeita, simplesmente porque isso não existe. 

Agora? Julgo menos, muito menos.
A Mãe que sou e que serei? 
Uma mãe cheia de amor para dar. 
Cheia de empatia, carinho e mimo. 
Cheia de "sins" e de alguns "nãos", os que forem precisos. 
Uma mãe que fala baixo, que desce ao nível delas, que olha nos olhos, mas que às vezes também solta um ou outro grito.

#workinprogress

The Love Project
............
............
Sigam-nos no instagram aqui 
a mim também aqui e à outra Joana aqui.
O nosso canal de youtube é este.

segunda-feira, 13 de março de 2017

Quero isto para o quarto delas

Tenho memórias maravilhosas de infância. Brinquei muito, corri muito, tomei muitos banhos de alguidar, fiz muitos bolos de terra e pedrinhas, fiz de mãe, subi às árvores, dei espectáculos de música e dança com microfones feitos de Lego (num deles elevei demasiado uma das pernas, estilo dançarina do BigShowSic, e dei uma queda tão grande que me aleijei a sério), vesti e despi as barriguitas vezes sem conta, enfim... memórias que me dão um quentinho no peito e uma nostalgia capaz de me provocar uma lagriminha (se a isso juntar a imagem do meu pai a escovar-me o cabelo e a esticá-lo, enrolando as pontinhas para dentro, aí é que não aguento mesmo).


No outro dia vi uma fotografia minha, toda contente a passar a ferro (a inocência, senhores, a inocência) e lembrei-me de que adorava aquela estante de casinha que tinha no quarto, onde habitavam todos os meus bonecos.

Era mesmo uma coisa assim que eu queria para o quarto delas, em branco (com ou sem fundo, isto é, estante ou armário).

Já andei a ver algumas opções, mas, apesar de todas muito queridas, até agora nenhuma é bem-bem o que eu queria. Ou porque acho pequena (ikea) ou com as prateleiras pouco estreitas ou porque têm gavetas (vertbaudet), se bem que talvez seja questão de prescindir da gaveta. Já pedi um orçamento a quem faça por medida e levam 150 euros, o que ultrapassa e bem o que eu queria gastar. ;)


1 e 3 - Vertbaudet
2 - Ikea

Gostam? Eu acho que a Isabelinha ia adorar. A Luísa também ia adorar, principalmente mandar tudo abaixo. Se encontrarem mais opções, digam :)


............
............
Sigam-nos no instagram aqui 
a mim também aqui e à outra Joana aqui.
O nosso canal de youtube é este.


sexta-feira, 10 de março de 2017

Não posso ser normal!

Ontem à noite vi num grupo do FB, do qual faço parte, uma mãe a dizer que está grávida do sexto filho e a pedir opiniões sobre um berço. Fiquei feliz por ela e quis, por momentos, ter não seis mas quatro. Como? Se ainda ontem disse a brincar - e sem elas ouvirem - que as ia pôr num caixote do lixo. Digo às vezes que as quero devolver, com aviso de recepção (porque sou boazinha e quero saber se chegaram ao destino eheh). É nesta dualidade entre querer hipoteticamente ter mais filhos (e de ter uma espécie de inveja branca de quem os tem) e entre nem sempre dar conta do recado com apenas duas e de me perguntar "onde me fui meter?" que eu digo que NÃO POSSO SER NORMAL!

Eu sempre disse que, se pudesse, teria quatro filhos. Lá bem atrás, quando brincava com bonecas e até na adolescência. Muito antes de saber o que é isto de ser mãe.
Depois comecei a trabalhar, a receber 500 euros a recibos verdes, a ver o que a vida custava a ganhar na minha área e percebi que dificilmente conseguiria cumprir esse sonho. Depois, lá arranjei um contrato de trabalho de um ano, a receber mais 300 euros. Juntei-lhe uns trabalhos extra, locuções e estava estável (o que quer que isso seja, claro que de acordo com os meus padrões e necessidades). Depois deixei essa "segurança" mínima do contrato, voltei aos recibos verdes para trabalhar em projectos que eram mais aliciantes. Fui crescendo, ganhando estaleca, até chegar a editora de conteúdos e a ganhar melhor. Mesmo assim, continuei a saber que seria de uma enorme imprudência - para não dizer impossível! - ter 4 filhos. Tê-los e dar-lhes a atenção que me merecem e criá-los com a segurança e o orçamento que acho que é preciso para não nos sentirmos com a corda ao pescoço e podermos dormir (eu disse dormir? o que é isso?) descansados. Eu não tenho um trabalho em que ganhe bem e que possa ser mãe com toda a plenitude que desejo, os meus pais não têm um banco, não tenho posses, não tenho um marido rico, por isso acho que aquele sonho de miúda, influenciada pela Música no Coração talvez, fica bem lá atrás. Tenho de ser realista. Para já não dá e em princípio não dará nunca.
Sem grande pena. A verdade é que acho que, mesmo se pudesse, já não quereria ter quatro filhos. Não é eufemismo quando se diz que dão muito trabalho. Dão mesmo. Claro que é altamente compensador, digo muitas vezes que é a melhor coisa que já fiz na vida, a melhor decisão, mas caraças!, sai-nos do pêlo! É preciso ter muita paciência, abdicar de muita coisa, dar muito de nós. Às vezes digo que se fosse para ter mais um, seria AGORA. Outras vezes acho que a ser, SÓ DAQUI a uns 5 anos. Mas no fundo, no fundo, acho que nem agora nem daqui a cinco anos. Por tudo: orçamento e disponibilidade mental. Amor, sei que teria para todos e mais alguns. Mas só isso não basta, acho eu.

Posto isto, só o facto de eu falar sobre isto indica que há dúvidas. Há incertezas neste coração de pessoa que adora ser mãe, por mais que se queixe. Por isso, repito, EU NÃO POSSO SER NORMAL!


............
............
Sigam-nos no instagram aqui 
a mim também aqui e à outra Joana aqui.
O nosso canal de youtube é este.

quinta-feira, 9 de março de 2017

Já brinca às bonecas com 9 meses!

Agora este título lembrou-me aqueles diálogos entre mães cujos filhos são o supra-sumo da batata. "Ah o meu filho com três meses e dois dias já comia um bife de faca e garfo" "E o meu com cinco meses já corria pela casa". 
A Luísa gosta efectivamente muito de tudo o que lhe seja mais ou menos vetado, como por exemplo, comandos, chaves, cabos, e claro, as bonecas da irmã, até porque tem momentos de euforia em que esbraceja com elas na mão e as manda para a Namíbia, outras em que parece que as quer colar com cuspo ou até mesmo depositar no estômago. Por ela, marchava tudo. Pelo que foi numa tarde em que a irmã estava na escola que a autorizei a mexer no fruto proibido. Adorou, claro. :)










Pormenor das collants novas que têm antiderrapantes em 3 sítios: joelhos, planta do pé e no peito do pé




A tentar gatinhar - andou nisto quase dois meses, a arrastar-se à recruta para trás, mas agora já gatinha mesmo desde a semana passada <3








A preparar o cuspo para a degustação ;)

Não aguento esta cara.

Falta aqui um bocadinho de oregãos ou erva doce.



Coelhos e mobiliário Maileg - Docinho de Açúcar, por exemplo
Collants antiderrapantes - Caramello
............
............
Sigam-nos no instagram aqui 
a mim também aqui e à outra Joana aqui.
O nosso canal de youtube é este.

terça-feira, 7 de março de 2017

Menina, menina...

#isabelfofadamae

Adora ouvir-me cantar, mas às vezes já me pede "não canta, mãe!" :) Não é o caso. Quando subiu até ao escorrega cá de casa, lembrou-se da música que me costumava pedir para cantar ali.


Ainda se lembram deste vídeo, há um ano? <3

Um vídeo publicado por Joana Paixão Brás (@joanapaixaobras) a




Está esta piolha prestes a fazer 3 anos. Meu Deus...
............
............
Sigam-nos no instagram aqui 
a mim também aqui e à outra Joana aqui.
O nosso canal de youtube é este.

domingo, 5 de março de 2017

3 coisas que me fazem perder peso.

Talvez esta vos pareça a lista mais parva de sempre, mas a verdade é que o meu cérebro de pessoa cansada e de mãe que está em casa (e por isso sempre a um passo da cozinha...) precisa de motivações extra para fazer refeições saudáveis e não embarcar na loucura da comida como forma de me confortar. Tenho tendência de comer compulsivamente e se não for uma pessoa organizada tudo se torna ainda pior. 


#01 - ter água com aroma num jarro bonito.

Tinha ali um dispensador das festas de anos a ganhar pó e lembrei-me: se eu dantes andava sempre com garrafas de água na mala, por que é que agora também não me "obrigo" a beber mais água? No verão esta tarefa é mais fácil, o meu corpo pede (então a amamentar, ui!), mas no inverno, não fossem os chás e raramente bebia água. Agora tenho ali na cozinha o meu dispensador cheio até lá acima com dois morangos, rodelas de limão, hortelã e frutos vermelhos. Amanhã, faço com pepino, limão e hortelã. Além de me dar um bom astral do caraças e de ficar lindo na bancada da cozinha, é como se tivesse um alarme constante a lembrar-me de beber água. 



#02 - comprar pratos novos.


Talvez seja um bocadinho fútil, mas eu como com os olhos e se estiver a empratar num sítio bonito fico mais feliz. É como se a imagem de uma taça bonita azul e branca cheia de fruta e sementes, o amarelinho do ovo escalfado com o verde dos espargos al dente num prato totalmente branco me preenchesse logo ali 1/4 do estômago e me fizesse produzir logo ali umas quantas endorfinas. Faz-me bem fotografar mentalmente cada refeição como se fosse parar ao Pinterest. Dois ou três pratos novos, baratuchos, dão-me logo para um mês cheio de vontade de cozinhar.



#03 - ter a cozinha arrumada.


Esta devia ter vindo logo em primeiro. Quem diz a cozinha, diz a despensa, diz o frigorífico. Ontem demos uma razia cá em casa, mandámos porcarias que tinham validade em 2012 (sim, não gozem!) fora, arrumámos o móvel da despensa, reorganizámos frasquinhos de sementes, destralhámos a bancada e deu-me logo vontade de fazer granola caseira e testar as barritas da Joana Gama (receita aqui). E ainda cortei morangos e bananas aos pedaços e congelei para quando me der vontade de fazer um gelado. Não há nada mais importante para a minha cabeça do que ter os ingredientes e os alimentos ali à mão de semear, para que possa ter ideias de refeições e não cair na tentação de fazer massa com atum. Aliás, fomos às compras já com várias ideias para os jantares e almoços, o que facilita tudo na hora h e evita o desperdício. 

Espero que tenham gostado. Boas refeições!

*perder peso não é o meu objectivo principal, mas sim ter um estilo de vida mais saudável
............
............
Sigam-nos no instagram aqui 
a mim também aqui e à outra Joana aqui.
O nosso canal de youtube é este.

sexta-feira, 3 de março de 2017

Para o aniversário da Isabel

Já está escolhido o tema! A Isabelinha faz anos durante a semana e, cocózinha que sou (a Joana Gama até deve bolçar cada vez que me vê fazer estes posts com demasiadas cores pastel e florzinhas), vou decorar a mesa e ter bolinho e bolachinhas para a família mais próxima cantar os parabéns ao final do dia. Demasiados "inhos" e "inhas" mas tenham lá paciência, que fico toda contente (inha) quando começo a pensar nestas coisas. Para a escola o tema do bolo que vamos fazer as duas será o da Minnie; para a festa de anos com a Irene será a Patrulha Pata e cá para casa escolhemos Gelados.

Sim, o tema é a chamar o Verão e ainda está um frio que não se pode lá fora, mas ela gosta, é divertido e vai ficar muito giro (por essa ordem de ideias, as meninas nascidas em agosto não poderiam ter festas do Frozen, que derreteria tudo ahah). Quando vivia em Lisboa, dava um pulinho à Docinho de Açúcar, desta vez encomendei algumas coisas online.

A querida Maa da Que seja Doce - que conheci quando a Isabel fez 1 ano e parece que foi ontem (!!!), podem ver as bolachinhas e popcakes que fez, aqui - vai fazer o bolo e as bolachas e ficou de fazer um pormenor giríssimo de decoração que vai fazer toda a diferença (mal posso esperar) e a minha avó Rosel vai fazer sopa e salgados para o jantar. :)


Confettis, grinalda, balões, carrinho para os gelados, pratos, colheres de madeira, bolinhas de sabão em forma de gelado e chapéus são alguns dos pormenores que podem encontrar na Docinho de Açúcar

*restantes imagens Pinterest

Para presente diz que quer um carrinho (não me consegue explicar melhor que carrinho... há algum agora da moda?) e um livro da Marsha e do Urso e assim será. <3

............
............
Sigam-nos no instagram aqui 
a mim também aqui e à outra Joana aqui.
O nosso canal de youtube é este.

quinta-feira, 2 de março de 2017

Oceanário e outros sítios onde ir com os putos.

Faltava-me fazer check no Oceanário de Lisboa com a Isabel.

Eu já lá tinha ido em miúda, na Expo 98.
Ela já lá tinha ido com um ano e picos, com o pai, num fim-de-semana em que trabalhei, mas já não se lembrava de nada.
Fomos agora todos (a Luísa dormiu a visita guiada toda) e valeu muito a pena. Agora, com quase três anos, já faz sentido ir ao Oceanário. Atenção que eu acho que, em sendo possível, é sempre bom ir sair e passear com eles, para onde quer que seja (até ao Museu da Dactilografia ahah), mas agora senti que ela aproveitou muito.

Antes da visita guiada, estivemos num brunch com a Joana Gama e a Irene (e outra caras famosas cof cof) para conhecer melhor o Programa Membership, um free pass anual, com descontos para acompanhantes e outras regalias, como descontos em museus e zoos parceiros, além de se contribuir activamente para a conservação dos oceanos. Espreitem.

Ficam as fotografias do evento e da visita <3


...

Caso queiram outras sugestões de sítios onde ir com os putos:



...








Fotos de: Rui Valido



















Fotos de: Joana Paixão Brás

............
............
Sigam-nos no instagram aqui 
a mim também aqui e à outra Joana aqui.
O nosso canal de youtube é este.

quarta-feira, 1 de março de 2017

Faz um ano que mudámos de vida.

Faz hoje um ano que mudámos de vida. Dia 1 de março foi o dia em que me dediquei só a mim, à minha gravidez, à Isabel. Largámos a nossa vida em Lisboa, a casa arrendada, eu deixei em "pause" o trabalho em televisão, a Isabel mudou de escola, e viemos viver para o campo, para Santarém. Sou pessoa de balanços, ligo a datas marcantes e a aniversários. 

Sem dúvida que este ano foi marcante. 
Eu que dizia que nunca conseguiria ficar em casa "só" a cuidar de um filho. 
Eu que achava que precisava de (mais) vida social. 
Eu que queria ter uma carreira. 

Afinal consigo. 
Afinal não preciso assim tanto. 
Afinal não necessariamente.

Afinal, com alguma ginástica, conseguimos muita coisa. Juntos, em família.
Acho que sou uma sortuda em estar em casa. Acho, acima de tudo, que as miúdas são umas sortudas e eu também, por contágio.
A Isabel que vai mais tarde para a escola e regressa mais cedo. Que tem cães, campo e ar puro e uma mãe mais presente.
A Luísa que me tem a 100% e que anda alapada a mim para todo o lado (até formações e reuniões - e porta-se tão bem).
Eu, que apesar de não ser boa a gerir uma casa e refeições - mas lá me vou desenrascando, coitadas-, tenho muito amor para dar e aprendi a dar valor a tudo o que de bom tenho na vida. O meu trabalho [sim, trabalho, apesar de às vezes até eu achar que é apenas lazer, por gostar tanto do que faço] neste momento é escrever, comunicar, falar sobre aquilo que mais me apaixona, a maternidade. Juntei o melhor dos dois mundos: ser mãe e falar sobre ser mãe. Por enquanto isso basta-nos. Não sei até quando, demo-nos um ano de Luísa para perceber que rumo tomar, e logo se vê. Não sei se continuaremos por aqui, não sei se conseguirei concretizar outros projectos, mas por aqui vamos vivendo, sem grandes pressas e sem pressões. Aproveitando cada dia. 

Obrigada, David, juntos somos muitáfortes.
Obrigada, mãe. Obrigada, pai.  <3
Um obrigada a todos vocês que nos seguem.













Coisinhas de que podem ter gostado:
Baloiço - Mada in Lisbon
Collants anti-derrapantes - Caramello

Leiam também - Vivo com a minha sogra!

............
............
Sigam-nos no instagram aqui 
a mim também aqui e à outra Joana aqui.
O nosso canal de youtube é este.