Mostrar mensagens com a etiqueta alimentação. Mostrar todas as mensagens
Mostrar mensagens com a etiqueta alimentação. Mostrar todas as mensagens

domingo, 5 de março de 2017

3 coisas que me fazem perder peso.

Talvez esta vos pareça a lista mais parva de sempre, mas a verdade é que o meu cérebro de pessoa cansada e de mãe que está em casa (e por isso sempre a um passo da cozinha...) precisa de motivações extra para fazer refeições saudáveis e não embarcar na loucura da comida como forma de me confortar. Tenho tendência de comer compulsivamente e se não for uma pessoa organizada tudo se torna ainda pior. 


#01 - ter água com aroma num jarro bonito.

Tinha ali um dispensador das festas de anos a ganhar pó e lembrei-me: se eu dantes andava sempre com garrafas de água na mala, por que é que agora também não me "obrigo" a beber mais água? No verão esta tarefa é mais fácil, o meu corpo pede (então a amamentar, ui!), mas no inverno, não fossem os chás e raramente bebia água. Agora tenho ali na cozinha o meu dispensador cheio até lá acima com dois morangos, rodelas de limão, hortelã e frutos vermelhos. Amanhã, faço com pepino, limão e hortelã. Além de me dar um bom astral do caraças e de ficar lindo na bancada da cozinha, é como se tivesse um alarme constante a lembrar-me de beber água. 



#02 - comprar pratos novos.


Talvez seja um bocadinho fútil, mas eu como com os olhos e se estiver a empratar num sítio bonito fico mais feliz. É como se a imagem de uma taça bonita azul e branca cheia de fruta e sementes, o amarelinho do ovo escalfado com o verde dos espargos al dente num prato totalmente branco me preenchesse logo ali 1/4 do estômago e me fizesse produzir logo ali umas quantas endorfinas. Faz-me bem fotografar mentalmente cada refeição como se fosse parar ao Pinterest. Dois ou três pratos novos, baratuchos, dão-me logo para um mês cheio de vontade de cozinhar.



#03 - ter a cozinha arrumada.


Esta devia ter vindo logo em primeiro. Quem diz a cozinha, diz a despensa, diz o frigorífico. Ontem demos uma razia cá em casa, mandámos porcarias que tinham validade em 2012 (sim, não gozem!) fora, arrumámos o móvel da despensa, reorganizámos frasquinhos de sementes, destralhámos a bancada e deu-me logo vontade de fazer granola caseira e testar as barritas da Joana Gama (receita aqui). E ainda cortei morangos e bananas aos pedaços e congelei para quando me der vontade de fazer um gelado. Não há nada mais importante para a minha cabeça do que ter os ingredientes e os alimentos ali à mão de semear, para que possa ter ideias de refeições e não cair na tentação de fazer massa com atum. Aliás, fomos às compras já com várias ideias para os jantares e almoços, o que facilita tudo na hora h e evita o desperdício. 

Espero que tenham gostado. Boas refeições!

*perder peso não é o meu objectivo principal, mas sim ter um estilo de vida mais saudável
............
............
Sigam-nos no instagram aqui 
a mim também aqui e à outra Joana aqui.
O nosso canal de youtube é este.

Barra de cereais (paleo) para nós e para eles.

Há que admitir que tem bom aspecto! 

Nem sempre temos tempo para treinar, para ir ao ginásio, mas se há algo que consigamos controlar melhor e com alguma organização é a nossa alimentação. Quem me ensinou esta receita foi O Melhor PT do Mundo que acredita que um dia conseguirei um equilíbrio saudável ao ponto de gostar do meu corpo e de não me sentir privada de guloseimas (saudáveis). 

O segredo, para ele (entre outras coisas, claro), são os snacks. Se estivermos munidas de coisas saudáveis, só com muito pouca motivação fazemos piores escolhas a nível alimentar. E realmente, estas barras enchem-me a barriga de coisas boas em vez de ir comer pastéis de nata ao bar ou de enfiar dois euros na vending machine para tirar Chips Ahoy (dei apetites a alguém só por ter dito o nome, não dei?). Lembrem-se que comer bolachas não compensa. 

Irritou-me solenemente (amante da ordem como sou) que ele não me tivesse dado uma receita certa, mas consegui fazer a olho (depois de duas ou três tentativas em que ou fiquei com um folar para comer ou, então, próximo de um bocado de cola). 

Ingredientes: 

Aveia

Claras de Ovo (vendem-se em separado, escusamos de estar a massacrar ovos)

Frutos Secos a gosto.


Conselhos: 

Nos frutos secos incluam passas, tâmaras ou alperces ou tudo junto de modo a não ficarem com uma papa seca para comer (blergh). 

Podem usar o que quiserem mais, desde que gostem. Eu ponho pepitas de cacau, farinha de banana, açaí, sementes de chia. Vou variando conforme me apeteça e vá acertando nas receitas.


Como fazer: 

  • Aquecer o forno a 200 graus (eu ponho a 200, sei lá! Depende do tempo e da cozedura que quiserem dar!)
  • Enquanto isso, triturar os frutos secos que queiram que estejam na barra, juntar aveia (a aveia deverá ser 70% do conteúdo). 
  • Acrescentar as claras de ovo de maneira a fazer de cola e de ficar minimamente maleável.
  • Forrar uma travessa rectangular com papel vegetal, assegurar a mesma altura e espessura ao longo de toda a travessa. 
  • Levar ao forno.
  • Esperar que esteja "seco", conforme vos pareça uma barra de cereais. 
  • Cortar em barras.. 
  • Esperar que arrefeça. 
  • Guardar no frigorífico.
  • Ir tirando consoante o apetite. 

Foi assim que ele me passou a receita (mais ou menos), espero que consigam fazer eventualmente coisas que gostem e não se esqueçam que podem dar aos miúdos (depois de despistadas as devidas alergias alimentares, etc). Não sou nutricionista, por isso aconselho a que falem com alguém se quiserem fazer disto rotina alimentar deles ou algo do género. 

Depois contem como correu :)

O Melhor PT do Mundo farta-se de partilhar coisas giras no instagram dele aqui. 

...............

Sigam-nos no instagram aqui 
a mim também aqui e à outra Joana aqui.
O nosso canal de youtube é este.

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017

Mas por que é que lhes continuamos a dar papas com açúcar?

Ontem comprovei, mais uma vez, que não faz sentido o sucesso das papas de compra que se vêem pelos supermercados, para bebés, a partir dos 4 ou 6 meses (atenção que o recomendado pela OMS e outras instituições é os bebés fazerem, salvo raras excepções, leite materno, ou de fórmula, até aos 6 meses e só depois ser introduzida a alimentação complementar). Fico até surpreendida em como somos levadas na cantiga, como é que é o que os pediatras ainda sugerem, e nós vamos atrás e compramos. Eu comprei muitas vezes nutriben, cerelacs e afins cá para casa, mas já me deixei disso definitivamente. A Isabel até já distinguia a "Celelác" daquela a que chamávamos "papa boa", que era a papa de aveia, só para terem noção. Até que deixámos mesmo de oferecer papas com açúcar adicionado e, além de sabermos que lhe estávamos a proporcionar refeições mais nutritivas e saudáveis, começámos a fazer contas. É muito mais barato fazer papas caseiras.

Um pacote de 500g de flocos de aveia, por exemplo, custa 70 cêntimos e qualquer coisa e rende para uma semana, a ser usado não só em papas como também em bolachas ou crepes. E é tão fácil fazer, tanto no microondas como num tacho, além de dar para fazer só dia sim, dia não, e guardar no frigorífico ou até mesmo congelar, deixando a descongelar na véspera para a manhã seguinte.

E as possibilidades de combinação e sabores? Infinitas! Esmagar uma banana na hora e acrescentar, triturar manga, fazer puré de maçã, de pêra, deixar pedaços de fruta maiores, ralar cenoura e deixar cozinhar um bocado (aprendi esta com a Catarina Beato), pôr alfarroba, que muda completamente o sabor, cereais puff por cima, sementes, polvilhar com canela, raspas de limão, enfim... todos os dias é possível mudar sabores, ingredientes e nutrientes! Até já lhe cheguei a fazer um jantar só de papa (porque avaliei e vi que estava morta de sono, para "despachar") e acrescentei um ovo e ficou mesmo boa.

No caso da Luísa, de 8 meses, não lhe dou papas (estamos a fazer BLW), mas quando começar a comer com colher, tenho a certeza de que farei, tal como faço com a Isabel. Por agora ponho a mistura de uma banana esmagada, com um ovo e aveia numa frigideira e faço panquecas que ela come à mão (e adora).

Por aqui somos fãs de aveia (e fazemos com leite vegetal ou de vaca), mas também já fizemos com farinha de espelta, por exemplo, e há mil outras opções: farinha de milho, millet, arroz, quinoa, trigo sarraceno... a que basta adicionar água quente e uma (ou várias) frutas que ficam uma papa deliciosa (a última que fiz para a Isabel era de espelta com banana esmagada e manga e garanto-vos que estava deliciosa e fiz em 3 minutos). 
Li algures uma mãe dizer que cozia a fruta (maçã, pêra) e usava a mesma água da cozedura para misturar nos cereais, o que lhe dava ainda um sabor mais intenso e docinho. Excelente ideia.

Por isso, aconselho-vos papas caseiras. Se tiver de ser de compra (ou quiserem ter sempre uma à mão, comprem então Holle, à venda nos Celeiros desta vida, que não têm adição de açúcar [foram as primeiras que comprámos para a Isabel, por acaso, mas depois desvirtuámos]).

Garanto-vos que são rápidas e fáceis de fazer. Vão por mim.

imagem WeHeartIt
............
............
Sigam-nos no instagram aqui 
a mim também aqui e à outra Joana aqui.
O nosso canal de youtube é este.

terça-feira, 7 de fevereiro de 2017

Despedimo-nos em grande do açúcar

Vamos voltar a fazer dieta cá em casa (eu e o David), mais propriamente o Whole 7 (basicamente a cortar arroz, massa, batata, pão, açúcar, leite e processados). Baseamos as nossas refeições em saladas, legumes salteados, carne, peixe, ovos e comemos fruta (moderadamente). Bebemos chá, água, usamos óleo de côco, comemos frutos secos, abacate... etc. Já fizemos o whole uma semana certinha e perdemos logo peso e barriga (feitos parvos não nos pesámos nem medimos, mas notou-se logo nas calças) e ficámos muito felizes (vá, um chocolatinho vinha a calhar, o desmame demora um bocado). Depois destes 7 dias, vamos continuar a basear a nossa alimentação em paleo, descomplicado, mas vamos abrir excepções. O sushi vai continuar a vir parar ao nosso bucho pontualmente, um bolinho de vez em quando, num jantar de amigos não vamos complicar... 

Encomendámos um doce para uma despedida em grande: uma pavlova maravilhosa da Sweet in a Box.

Eu já adorava pavlovas, mas esta encheu-me os olhinhos e a barriga. Bonita, fruta fresca e aquela mistura explosiva na boca do fofo do suspiro com as natas e os morangos. Sim, sim, sim. Vale muito a pena.




Já sabem: para um jantar especial (dia dos namorados, por exemplo), uma festa ou só porque sim, fica a sugestão!
............
............
Sigam-nos no instagram aqui 
a mim também aqui e à outra Joana aqui.
O nosso canal de youtube é este.

domingo, 5 de fevereiro de 2017

A Luisinha na Sic Notícias e o BLW

Já não é novidade que a Luísa se alimenta através de um método chamado Baby Led Weaning (BLW) - podem ler e ver os nossos vídeos aqui e aqui.

Não aguento esta boca desdentada cheia de comida! <3

Esta semana aconteceram duas coisas importantes.

1) Fomos a um workshop de BLW no Centro Pré e Pós Parto, em Lisboa, ministrado pela enfermeira Marília Pereira, que além de ser especialista em saúde materna e obstetrícia é a autora do blogue O Bebé Sabe (visitem, que tem óptimas receitas e sugestões). 

Além de ser um curso muito completo, que nos dá todas as bases do BLW e que acalma todos os receios e satisfaz as dúvidas, ficamos a provar várias receitas deliciosas e a comprovar que se podem fazer coisas cheias de sabor mas saudáveis. Saí de lá super inspirada! 

Vejam aqui as várias receitas que a Marília nos deu a provar: 
- almôndegas de carne e aveia
- hambúrgueres de quinoa e grão
- bolinhos de peixe
- pão de banana
- bolo de limão (a delícia das delícias)

A Luísa não me podia ver a comer nada que queria roubar [vou ficar magraaaaa eheh]. 

Há um grupo chamado O Bebé Sabe Comer, já com 11 mil membros, de onde se tiram ideias fantásticas e onde se pode esclarecer também algumas dúvidas. Se tiverem interesse, peçam adesão! 


2) Fui entrevistada, assim como a Vera e a Beatriz, para a SIC Notícias Online sobre o BLW. Leiam aqui:



Deixo-vos com o mais recente vídeo da Luísa a comer bolinhas de pescada e panquecas de banana (que aprendi no curso). Sou suspeita, mas ela é UM AMOOOOOR! (e por mim os vídeos teriam 20 minutos, mas poupo-vos um tempinho, vá).


Os próximos cursos de BLW para pais e cuidadores serão em Lisboa, dia 21 de fevereiro - vejam aqui mais pormenores - e em Beja, a 4 de março! Se têm curiosidade em saber mais sobre este método, inscrevam-se, vale muito a pena!


---------------------
---------------------
Sigam-nos no instagram aqui 
a mim também aqui e à outra Joana aqui.
O nosso canal de youtube é este.

domingo, 29 de janeiro de 2017

Melhor encomenda de sempre!

Cá continuamos a dar no BLW (expliquei aqui como a Luísa se alimenta), cada vez com mais vontade e mais entusiasmo em ver uma bebé tão pequenina gostar tanto de saborear os alimentos e a ganhar cada vez mais destreza naqueles dedos sapudos. Kiwi foi a última coisa que experimentou e deliciou-se. 

Agora, se houve coisa que mudou completamente a hora da refeição foi esta: o kit tudo-em-um babete e tabuleiro Tidy Tot, da Rebento. Se puderem investir, garanto-vos que é do melhorzinho que há. O babete tem velcro que une ao tabuleiro e dali não passa. Depois da refeição é só passar um pano molhado e já está! Além de que há menos desperdício e a comida pode voltar a ir parar às mãos gordas daqueles pedaços de gente.

Não fiquem preocupadas com o tamanho do tabuleiro, aquilo é desdobrável e arruma-se numa bolsa num cantinho. E adapta-se às duas cadeiras, tem ventosas para maior estabilidade.

Frango, batata doce e abóbora

Tenho algum medo desta forma de sorrir meia creepy, lembra-me o Chucky e parece que está só à espera de saber manusear a faca

Cá está. O Chucky volta a atacar (mesmo sem dentes não tem piedade alguma dos alimentos)











Babete e tabuleiro Tidy Tod - Rebento ou rebento.pt 
Prato Ezpz


Mais sobre o método Baby Led Weaning na reportagem da SIC Notícias aqui.

Se quiserem vir fazer também o workshop de BLW no Centro Pré e Pós Parto
dia 31 às 14h, têm aqui mais informações {e outra data agendada já!}.

.....................
.....................


Sigam-nos no instagram aqui 
a mim também aqui e à outra Joana aqui.
O nosso canal de youtube é este.

quarta-feira, 11 de janeiro de 2017

Estamos a dar no BLW - sabem o que é?

Já tinha umas luzes do BLW - Baby-led Weaning - na altura da Isabel. Não tinha era grande tempo e disponibilidade, além de estar cheia de ideias feitas difíceis de derrubar. Aquela concepção de que um bebé a comer uma pratada de sopa e de papinha é que é bonito de se ver. Dava-lhe alguns alimentos cozidos inteiros, como bróculos, por exemplo, mas não me apetecia limpar o chão todo nem acreditava que a minha filha fosse comer o que precisava, com o porte nutricional necessário, sozinha. E muito menos estariam no colégio preparados para lhe dar o almoço assim. Posto isto, ficou para um segundo filho.

Mesmo com a Luísa, achava que iria fazer um misto, mais numa de não me chatear muito, confesso. "Come uma sopinha e depois pontualmente dou-lhe os alimentos para a mão, para conhecer as texturas e os sabores individualmente e para mastigar à séria." Alertaram-me entretanto as mais puristas de que isso não é BLW: é sopa + finger food. Entretanto, e como a Luísa é uma bebé que não é amiga de sopa nem de fruta em papa (não gosta do ritual com a colher, da textura, etc, etc e eu não insisto), procurei saber mais e vi um vídeo do pediatra Carlos Gonzalez que me fez rir e pensar nisto da alimentação com mais pormenor. Ainda bem, ainda bem! Agora seguimos um método que respeita mais, na minha opinião, o ritmo dos bebés e que os prepara ainda melhor para gostarem de comer e para que tenham uma relação mais saudável com a comida. 

É incrível, em tão pouco tempo, a melhoria com que come e como manipula os alimentos. Além de ser divertido vê-la a explorar os alimentos, a prová-los uma, duas vezes. Já sabe o que é batata doce e o que é cenoura (os preferidos), já provou batata normal mas não adorou, há dias em que come bem brócolos, outros em que não lhe apetece (como a nós, adultos). Comecei agora a dar peixe e também curgete (no vídeo está a prová-los pela primeira vez). Costumava fazer cozidos, mas agora comecei a fazer a vapor e na água ponho alho, coentros e tomilho e rego com um bocadinho de azeite. No livro Comer Bem, crescer Saudável dão alguns exemplos no forno e vai ser a próxima experiência, com alecrim e tomilho.

Agora é assim que a Luísa se alimenta. Muita mama, claro, o principal, e depois ofereço alimentos à hora das refeições, comigo/connosco, para ela ir provando, manipulando, pondo de lado, explorando. E já vai comendo qualquer coisa que eu bem vejo na fralda (eheh pormenor dispensável).

Então mas e as listas de alimentos, introduzidos por ordem, e os 25g de carne e não sei quê? "Estou nem aí" para isso. Estou a seguir este método e a adorar cada minuto (menos aspirar o chão ahah). Não quer dizer que não lhe dê uma papa caseira, um iogurte, daqui a uns tempos. Não quer dizer que não lhe volte a oferecer sopa. Mas uma coisa é certa: não comprarei guerras com comida, não farei avioezinhos, nem farei um pino para que ela coma. Confiarei nela. Para já, o BLW basta-nos {e ando a ver receitinhas fixes de bolachinhas caseiras, scones e queques para lhe oferecer a par dos alimentos assim, o mais natural possível}.


Se tiverem paciência para ver um bebé comer :)


Coisinhas que podem ter achado giras: 
Cadeira - Bébéconfort
Prato - Ezpz
Babete/camisola - Ikea


---------------------
---------------------
Sigam-nos no instagram aqui 
a mim também aqui e à outra Joana aqui.
O nosso canal de youtube é este.

terça-feira, 27 de dezembro de 2016

O pai é que sabe!

Se me perguntassem que tipo de fotografias andaria a tirar numa segunda à noite, nunca vos diria que seria a uma frigideira com dois olhos de codorniz. Porém, foi dos momentos mais giros do "fim-de-semana natalício". Como a Irene me rouba sempre ovo do pequeno almoço e brinca imenso com um ovo que lhe ofereci, o pai lembrou-se de mandar vir ovos de codorniz (ovos bem pequeninos) nas compras para a Irene se passar com os ovos bebés. E aconteceu. Adorou. 

Ficaram os "ovos do continente" porque a miúda é ratolas e sabia que só para o ano conseguiria dizer "condorniz" (nem eu consigo) e adorou. 

 
Pusemos uns implantes no pinguim e ficou a pinguim mamã. Até porque realmente é mais ou menos assim que a mamã tem as tetas. 


 
Sim, têm azeite demais. O pai é generoso na questão das gorduras, mas eu não ia estragar o momento com esse pormenor :)

:::::::::::::::

Sigam-nos no instagram aqui 
a mim também aqui e à outra Joana aqui.
O nosso canal de youtube é este.

quarta-feira, 7 de dezembro de 2016

A primeira sopa não correu bem.

Não tinha grandes expectativas relativamente à introdução dos sólidos na vida da Luísa. Já sabia que eles podem demorar um bocado a habituar-se e novos sabores e texturas e que das primeiras vezes é normal comerem poucas colheres, puxarem o vómito, cuspirem. Há uma semana e picos deixei que me roubasse banana das mãos, estando ao meu colo, e percebi que já sabia o que fazer com a comida. Provou entretanto também batata doce e adorou. 

Com a sopa foi assim.




Achou estranho, mas ficou curiosa, experimentou e depois, passadas umas colheres, não quis mais. O expectável. Não insisti, claro.

Mas o problema não foi este. O problema foi a noite. Deita-se por volta das 19h30 e costuma dormir 12 ou 13 horas e, a acordar, acorda apenas uma vez. Duas no máximo. Desta vez, acordou de meia em meia hora, a chorar muito. Cólicas? Pico de crescimento? Salto de desenvolvimento?
No dia seguinte, mudei a sopa para a hora de almoço. Comeu três colheres. Fez cocó normalmente e esteve bem durante o dia. Nova noite de sobressalto e choro em sofrimento. Ela que é tão calminha. 
Ao terceiro dia, não dei nada. Acordou uma vez, mas dormiu lindamente. Portanto, definitivamente o corpo dela ainda não está preparado e vou ter de procurar fazer sopa com outros alimentos que não batata doce, cebola ou cenoura. Às tantas vou continuar a dar-lhe os alimentos mais inteiros para as mãos (o tal do BLW), que até me parece que come melhor do que em sopa, e não se queixou da outra vez durante a noite...

Revi o vídeo e adorei as expressões da Luisinha, oh que coisa mais fofa!


A photo posted by Joana Paixão Brás (@joanapaixaobras) on



Sigam-nos no instagram aqui 
a mim também aqui e à outra Joana aqui.
O nosso canal de youtube é este.

segunda-feira, 5 de dezembro de 2016

a Mãe gosta (#04)

Hoje acordei com uma grande dor de garganta. Tive de cancelar o treino e tudo, sniff. Enquanto estou à espera que o Frederico volte com a minha carteira (que foi na mala da Irene) e, pelos vistos, sem ela não posso ter uma consulta de urgência...  Mostro-vos a nossa descoberta deste fim-de-semana. Quando fui ao Celeiro na semana passada numa "visita de médico" porque não tínhamos fruta, dei com elas. Além de me ter apaixonado pela embalagem (não consigo escrever pacote - ups, já está), deu-me a sensação que devem ser das melhorzinhas que andam por aí. O que acham vocês? Tirei fotografias ao rótulo e tudo. 


Escusado será dizer que a Irene delirou com as letras! 









Sigam-nos no instagram aqui 
a mim também aqui e à outra Joana aqui.
O nosso canal de youtube é este 

terça-feira, 11 de outubro de 2016

Por que é que eu não pensei nisto?!

As boas ideias fascinam-me. Gostava de ser daquelas pessoas que, do nada, das necessidades do dia-a-dia, criam negócios fantásticos. Uma vez vi na Oprah a história de uma mãe de três que começou a efeitar as Crocs das filhas com flores e botões e, em menos de nada, tinha montado um atelier na garagem. Daí a vender o negócio - Jibbitz - por vinte milhões de dólares ao dono da Crocs foi um pulinho. Assim, puff. Penso sempre "por que é que eu não pensei nisto?!"

Esta semana chegou até mim mais uma excelente ideia. Daquelas que têm tudo para ser um sucesso. Eu adorei o conceito, o meu estômago amou os snacks e para a próxima só não abro a caixa ao pé da minha filha, que me ia comendo tudo (ahah).

Chama-se The Healthy Snack Box e consiste numa caixa que recebemos em casa, todos os meses, com pacotinhos saudáveis e completamente surpresa. Desde pipocas a batata doce, fruta desidratada, sementes, barras energéticas, manteiga de amêndoa, maple water, azeitonas com limão e alecrim... vem tudo pronto a levar na mala para o trabalho, ou para onde se for, para evitar snacks e alimentos processados manhosos que se vendem por aí. Além de tudo ter um aspecto divinal, é tudo mesmo muito saboroso, sem glúten e lactose, o mais natural possível (e a Ana, a fundadora, já está inclusivé a pensar numa caixa para quem segue a dieta paleolítica). 

O que me fez deitar uma lagriminha de tão bom que era? As bolinhas de proteína de limão e pistachio. A sério, que coisa boa. Já ando aqui em pulgas para saber o que vem no próximo mês (adoro surpresas destas!).














Sigam, encomendem, namorem, sonhem com a The Healthy Snack Box, aqui.


Sigam-me no instagram @JoanaPaixaoBras
e o @aMaeequesabe também ;)

domingo, 2 de outubro de 2016

Estreia hoje a nossa sitcom! Querem assistir?

Dado o sucesso do blog, decidimos começar uma sitcom cá em casa. O pessoal riu-se, é o que importa.

  
                


Ontem, o pai desviou o olhar da sua nova amante (FIFA 17) e teve a ideia de fazer uma "surpresa" à Necas. Ao que parece, a caminho do colégio, há um placard com hambúrgueres e que indica o preço e eles têm brincado imenso com isso enquanto estão presos no trânsito. 
Sem eu saber, o Frederico disse-me para manter a mente aberta. "Ao quê?" - perguntei eu. 

Pelos vistos a pão artificial e a ketchup. Temos dado maioritariamente produtos biológicos e saudáveis com raras excepções ou, pelo menos, com excepções que continuem a sê-lo e que valham a pena. Achei uma ideia muito gira e a Irene adorou, claro! 











Sigam-me no instagram @JoanaGama
e o @aMaeequesabe e o Canal também ;)

sexta-feira, 16 de setembro de 2016

Que boa ideia!

Este é o jantar para hoje. Não me apeteceu fazer nada de especial, mas apeteceu-me fazer uma apresentação apelativa. Vi isto algures na net e adorei: que grande ideia! Aproveita-se uma cuvete de gelo et voilà! Há por aqui amoras, uvas, cenoura, tomate cherry, queijo mozarela, arroz com ervilhas e ovo mexido, kiwi e rúcula com coentros.

A Isabel nunca foi de grandes pratadas de comida elaborada, nem é grande apreciadora de sopa, infelizmente. Se for na creche ou com as primas come (é por contágio) ou caso esteja muito distraída com tablets e jogos, mas deixámos há uns meses essa muleta e fomos desistindo da sopa em casa, dando-lhe os vegetais no segundo prato ou ao longo do dia (por mais estranho que pareça adora rúcula, e as cenouras, o tomate, come assim, sem mais nada, em qualquer circuntância). Hoje apanhei amoras na estrada de terra batida que dá para nossa casa e já sei que vai ser um sucesso!




Sigam-me no instagram @JoanaPaixaoBras
e o @aMaeequesabe também ;)

terça-feira, 6 de setembro de 2016

Não resisti e vou pecar mais vezes!

Ando louca. É muito difícil fazer o desmame do açúcar. No primeiro mês e meio controlava-me melhor por achar que os gelados, refrigerantes, chocolates poderiam provocar cólicas à Luísa, mas assim que percebi que isso não acontecia, comecei a abusar. Por isso, quando encontro receitas de mousses que sabem a chocolate mas não têm chocolate, gelados só de fruta de aspecto delicioso ou o que seja, o meu estômago bate palminhas.
Vi esta receita no Casal Mistério e pareceu-me lindamente: bolinhas com cacau, passas e côco, uma receita vegan e sem glúten. Não vi bem as quantidades, meti tudo um bocado a olho para a Bimby, mas correu bem. Achei até demasiado doces, para ser sincera. Com o doce das passas talvez não precise da geleia de agave sequer (será bom também com tâmaras?). A Isabel adorou e depois de comer uma pediu mais uma, só que consegui convencê-la de que eram para a avó e para o pai (comi eu, shiuuuuuuu). Acho que a próxima vai ser esta, do blog A Pitada do Pai - mousse de chocolate fingida. Mmmmnham!




Sigam-me no instagram @JoanaPaixaoBras
e o @aMaeequesabe também ;)

sábado, 3 de setembro de 2016

Não custa nada!

Há um ano (como é possível?) mostrei-vos neste post a Isabel a comer o primeiro gelado, um "calippo" feito em casa só com sumo de fruta. Esta semana comprei umas formas novas e fiz gelado de meloa e gelado de meloa e morango, juntei um bocadinho de leite de côco e arroz. Ela preferiu o de meloa (eu também e para a próxima talvez acrescente geleia de agave para adoçar o de morango). 

Não custa nada! Eu agora já não sou tão "maníaca dos doces" com a Isabel, já come gelados de compra de vez em quando, mas acho mesmo que há opções melhores e que (também) os satisfazem!





Sigam-me no instagram @JoanaPaixaoBras
e o @aMaeequesabe também ;)

quinta-feira, 1 de setembro de 2016

Comecei a dieta!

Estou a fazer dieta (risos). Agora a sério, livrei-me das bolachinhas, chocolates, gelados, fritos, croissants, coca-cola e coisas que tais, pelo menos numa dose diária e constante (!!!). Tenho fomes incontroláveis (já a amamentar a Isabel era igual), mas comprei coisas saudáveis para substituir os snacks estúpidos que andava a comer a toda a hora. Pensei em experimentar Paleo, mas sinto que o meu corpo precisa de massa e arroz (manias minhas...) e vou apenas deixar de comer tanta tralha, comer mais verdes e fazer exercício físico, o máximo que conseguir. Acho que é mais fácil deixar de lado as sobremesas quando se tem metas estabelecidas de perda de peso e eu não tenho... mas vou tentar fazer isto pela minha saúde (e pela das minhas filhas).

Pode ser que estas imagens vos inspirem também!

Pudim de chia com leite de côco e arroz, flocos de aveia, iogurte natural biológico, fruta, fio de geleia de agave, pólen de abelha


Truque: deixar durante a noite no frigorífico

Tostas de soja (tenho de encontrar outras mais saudáveis), com abacate (com sumo de limão e sal q.b.), dois ovos escalfados (descobri que não sei escalfar ovos, how sad?!) e tomate cherry. Muito bom!



Frutos vermelhos e morangos com iogurte natural, geleia de agave, flocos de milho, côco e canela

Papa de aveia (foi pequeno-almoço da Isabel, mas às vezes também como). Ela chama-lhe "papa boa".





Sigam-me no instagram @JoanaPaixaoBras
e o @aMaeequesabe também ;)