Mostrar mensagens com a etiqueta cabelo. Mostrar todas as mensagens
Mostrar mensagens com a etiqueta cabelo. Mostrar todas as mensagens

sexta-feira, 7 de abril de 2017

EU cortei-lhe o cabelo e...

Quando fiz o primeiro corte quase chorei. Fiz aquele erro crasso de principiante que é esticar bem o cabelo para baixo de um dos lados e zás - tesourada a direito. Ora, quando larguei, subiu ao lugar dele e ficou acima do que eu queria. Quem me mandou?! Disse para dentro, quase a morder a língua. "Estás linda, filha!" disse-lhe, com vontade de me mandar para baixo de um camião. Por que é que as mães têm de achar que conseguem fazer tudo e ainda várias coisas ao mesmo tempo? Ele é cortar batatas com facas afiadas com eles ao colo enquanto se limpa o ranho e se faz agachamentos e tudo isto sem dormir grande coisa. Ele é maquilhar-nos no carro no trânsito enquanto se faz caretas e canta O Panda Manda? Calminha. Está bem que está provado cientificamente que o cérebro das mulheres faz mais sinapses, mas daí a querermos ter dotes para tudo vai uma distância. Achei que ao levar as duas ao cabeleireiro para cortar ia demorar mais tempo e assim poupava uns trocos. Oh senhores! O arrependimento enquanto lhe cortava. E depois ela não parava um bocado quieta e aquilo já me estava a enervar. Pontas e mais pontas e o raça do redemoinho que ela tem atrás igualzinho ao do pai e "agora ficas aqui com um corte à Bairro Alto todo excêntrico que te lixas". Resolvi parar. "É melhor irmos a uma profissional, antes que vá cortanto cortanto cortando para melhorar e fiques com um corte à padreco.

Mas afinal hoje já gosto mais, até porque no dia seguinte, com mais calma e mais em mim, fui aparando os pequenos cabelos que tinham ficado mais desalinhados e porque já me habituei a vê-la assim de cabelo curto. Fá-la mais pequenina e gosto disso. Está mais fresca, mais prática e com um ar muito querido. Não está perfeito, não está (de longe), mas não está nada mal.

Mas, pelo sim, pelo não, acho que não me meto noutra. Não vá ficar como o corte que a Joana Gama fez à Irene uma vez. (ahaha gargalhei outra vez só de ver).















............
............
Sigam-nos no instagram aqui 
a mim também aqui e à outra Joana aqui.
O nosso canal de youtube é este.

terça-feira, 10 de janeiro de 2017

Beyoncé? Foste, filha.

Ai, 'migas. Quando vejo estas fotos é que percebo que precisava mesmo de dar um jeitinho àquilo que tinha na cabeça. Não a parte interior, isso lá vou tratando, mas a parte exterior. Confesso que não me apraz muito ir ao cabeleireiro, não que ache que o meu cabelo seja maravilhoso porque nunca foi. Simplesmente me vou habituando ao meu aspecto e esqueço-me que o bicho precisa de manutenção. Se precisa. Tinha restos de madeixas, com um resto de cor que tinha posto para escurecer... Parecia um caixote de reciclagem, o menino. Vai daí, lembrámo-nos de um amigalhaço nosso (vá, não vamos às festas de aniversário uns dos outros, mas há miminho de ambas as partes) com quem a Joana trabalhou na SIC e eu também (ui, assim até pareço moça da tv, adoro!): chama-se o mestre Rui Canento.

A parte do mestre fui eu a pôr para lisonjear o moço que me fez ficar a parecer a Marilyn Monroe mas sem a pose de parecer que me saiu uma pinguinha. A Joana beta e eu lá fomos ao Chiado (isto está tudo cheio de glamour, não está?) com a Luisinha também e entrámos naquilo que parecia um paraíso capilar. Tudo decorado com extremo bom gosto e vim a saber também que as calhas vieram de Itália (não sei que calhas foram, mas gostei de saber) e tudo. Vejam lá o aspecto do meu Spa de cabelo novo

É, não é? Está tudo tão lindo que até o logo do Hair Rui Canento Salon combina com o da nossa fotógrafa, a Joana do lovelab.


Ali ao fundo está a vossa preferida com a Luisinha ao colo. Portou-se tão, mas tão bem. Infelizmente não teve direito a um corte de cabelo, apesar de ser provavelmente quem mais precisava de um. Com aquela carinha é injusto não ter o pelinho cortado. 


Ah! A outra fez umas madeixas que lhe ficaram lindamente, é verdade, mas aqui a estrela sou eu, 'tá? Aqui só entre nós, não pensem que vocês são piores mães por não conseguirem imaginar estar umas 5 horas num salão com uma bebé pequenina. A Luísa é mesmo muito calminha (ainda heheheheheh). 

Vamos lá voltar ao que interessa. Ia dizer à "vaca fria", mas sendo que estou a falar da minha pessoa (ai que choque), não iria ser tão agradável assim. Adiante, deixei tudo nas mãos do Mestre Rui (também se lembraram da música do Mestre André, foi?) e correu bem! Fizeram-me (tive que perguntar os termos certos, senão o que sairia seria qualquer coisa como "pintaram-me o cabelo de amarelo, deram umas naifadas e depois fizeram uns caracóis") um corte, hidratação e californianas. 

Este é o antes, 'migas. Vá, não tinha lavado nesse dia porque dizem que é melhor assim para as pinturas e tal. 

Aqui está o antes da "yours truly", sempre com a Luisinha ao colo (e tão feliz que estava, já vos mostro a fotografia da tarde, lá mais para a frente - sim, isto ainda vai demorar): 


A Joana foi alvo de uma hidratação e de umas boas madeixas. Decepcionou a mãe por não ter feito nada de radical segundo me contou, mas vamos já planear um salto de para-quedas enquanto amamenta a Luisinha para um dos próximos fins-de-semana. Está bom assim, Isabel? :) Eu sou da sua opinião, mas imagine a sua filha a ter que viver com o cabelo rapado só em metade da cabeça haha. 


Nestes breves momentos de contemplação, reparei numa coisa gira: a Cláudia Vieira já esteve sentada na cadeira onde estou agora e mais uma catrefada de malta famosa como a Bárbara Guimarães, Mariana Alvim... Claro que a cadeira prefere os meus glúteos aos delas (menos ossudos), mas fiquei toda vaidosa. Há uma parte de mim que adora isto  de sentir que foi ao sítio das estrelas, porque elas devem conhecer milhares de salões e escolheram este... :)



Viram aquela árvore? Só cubinhos com malta como a Cláudia. Não me lembro de mais gente que lá estava que não sei o nome das pessoas, mas a Joana saberia, era parte do trabalho dela lidar com as pessoas famosas e "da revistas".


Olhem só o casalinho que adoptou uma criança. Dá para ver quem é a machona? Dá, pois! Juntas foreva. 



Aqui está um após da Joana e da Luisinha. Digam lá que a miúda não é um encanto? Claro que o truque também foi estar a ouvir o secador, mas... que maravilha. A Joana também está muito bonita, para além das madeixas, aquele poncho fica-lhe bem, acho que deveria considerar. 



Sei que parece estranho ser eu a maquilhar a menina, mas mais estranho ainda é a Luísa ainda não ter tido nenhum contacto com a escola Chapitô e já ser capaz de fazer estas acrobacias para lamber uns ferrinhos aqui e acolá. 

Prontas para o final? Para a grande revelação? Ai, melheres. Andava louca para vos mostrar estas fotografias. Sinto que os três já podíamos lançar um CD de qualquer coisa que a malta poderia comprar nas bombas de gasolina só por estarmos tão atraentes. 

 A camisola é mesmo assim, 'tá? ;)


Então? Gostam? Para a semana vamos fazer as virilhas, também vou fazer um post cheio de fotografias. Ahahah! Brincadeira! :) Adoramos ir ao Rui (salvo seja) e aconselho-vos vivamente. Não há más surpresas, garanto-vos! 

:::::::::::::::

Sigam-nos no instagram aqui 
a mim também aqui e à outra Joana aqui.
O nosso canal de youtube é este.

terça-feira, 29 de novembro de 2016

Os dois cabelos que me sobram... estão giros!

Pós-parto. Não era suficiente tudo aquilo por que passamos. A injecção de hormonas, os choros difíceis de decifrar, as mazelas físicas, o corpo que demora a ir ao sítio, o sono, as dificuldades na amamentação, as fomes incontroláveis... e ainda nos cai o cabelo todo. Mas, já sei pela experiência no primeiro pós-parto, ele volta a nascer. Enquanto o meu não está de volta (mas já começo a ter penugem pronta a disparar por todos os poros, o que é excelente), resolvi cuidar do que resta.
Seis meses e tal depois, voltei ao Cut by Kate. Em primeiro lugar, o Patrick mostrou-me o meu cabelo aumentado 250 vezes e pude perceber melhor em que estado estavam os meus dois cabelos. Aproveitei para fazer madeixas, fiz uma hidratação e escadeei um bocadinho (ando a gostar de me ver com o cabelo mais comprido e vou manter assim uns tempos). Tive a melhor das companhias: a Luísa portou-se muito, muito bem (e recebeu colinho de toda a gente) e ainda consegui fazer as unhas com um novo método que eu desconhecia da Shellac - CND, em que não é preciso fazer limagem nas unhas para o remover. Escolhi cinzento: não foi consensual lá em casa, mas eu gostei muito! (E a Isabel pediu igual, coisa querida).


Uma foto publicada por Joana Paixão Brás (@joanapaixaobras) a



Uma foto publicada por Joana Paixão Brás (@joanapaixaobras) a



Uma foto publicada por Joana Paixão Brás (@joanapaixaobras) a


Um vídeo publicado por Joana Paixão Brás (@joanapaixaobras) a

Sigam-nos no instagram aqui 
a mim também aqui e à outra Joana aqui.
O nosso canal de youtube é este.

terça-feira, 2 de fevereiro de 2016

Fui pintar e cortar o cabelo outra vez!

"E o que é que tenho que ver com isto?" - perguntam vocês... Nada! 

Não vos enganei no título desta vez. É mesmo um facto que está lá escrito que ia só falar disto, não era? Era. Pronto. Então acalmem lá o pipizinho porque eu disse que ia falar de algo que não interessa a ninguém. É só porque partilho tudo convosco e, pronto, isto não é excepção. 

Pintei o cabelo à séria da última vez que vos contei, mas ando toda paranóica com as raízes. Ter raízes faz parecer que temos o cabelo oleoso e morro de vergonha - não me devia ter nisto. 

Olhem lá aqui, por exemplo (sou a da direita): 



Ehhhh raíz! Com tanta raíz ainda me manda abaixo para construir um empreendimento. Ah... Ah...

Isto é como ficava num dia fresquinho (sou a da esquerda): 



Na última não se nota tanto, mas assim que faço rabo de cavalo... senhores!! Estão a morrer com o suspense, não estão? Isto foi antes...




E como, no final, não fiz brushing não achei bem estar a mostrar o resultado. Esperei por hoje tirar uma de jeito no trabalho (ou mais de jeito) e com ele "au naturel":

Gosto só do cabelo nas fotografias. Ainda não estava completamente seco. Na última parece que me ofereceram um gato doente. Enfim, foi o que se arranjou ;)

quarta-feira, 30 de dezembro de 2015

O meu novo look!

Depois do post de ontem, deviam estar à espera de uma coisa mais tchanan. Também eu. Estive mesmo para pedir ao Ivan para cortar mais, ele leu-me o pensamento e disse logo que seco veríamos se cortávamos mais e até tinha razão. Ficou mais comprido à frente e mais curtinho atrás, como lhe pedi, e ligeiramente escadeado atrás.

Se gostei do resultado? 

Sem dúvida. Aquele "sinto-me mais leve" aconteceu. Acho que me tirou uns aninhos de cima. Sabe tão bem passar a mão pelo cabelo e senti-lo a acabar no pescoço, atrás. Acho que vai ser versátil e que me acompanha o rosto. Tanto gosto de ver liso como com jeitos.

A parte boa de não ter sido nada muito radical? 
 
- Ganhar a certeza de que ainda posso cortar mais. 
- Ficar com pica para, daqui a uns meses, fazer franja. 
- Não ter ficado a chorar de arrependimento. 
- Poder apanhar o cabelo. 
- Poder dar uns jeitos /ondulação com o babyliss, que ele ainda tem margem para subir.

A cor foi a de sempre (já tentei escuro, mais para o bordeaux, tentei a minha cor natural (castanho claro), mas nada me fica tão bem - my opinion - como este tipo de louro). 

Ainda vai abrir mais e ficar mais homogéneo e bonitinho (só uma vez que decidi ir a um cabeleireiro que não conhecia num hipermercado é que quando abriu ficou ainda pior, mais amarelo e mais manchado - parecia que me tinha caído um balde de tinta em cima indiscriminadamente e que ainda me tinham caído umas pingas do rolo de pintar paredes, para finalizar, oh well...).












Vocês agora têm três opções:

a) bocejam e continuam a navegar na internet (sim, a cruzinha está no topo superior direito, a não ser que tenham um Mac, bitches!)

b) comentam como anónimos a dizer que nem antes nem depois da mudança se aproveita

c) elogiam a minha beleza estrondosa e dizem que qualquer coisinha me fica bem

Afinal são mais:

d) elogiam o cabelo, mas colocam lá um "mas" (são como eu, que a dar opiniões fazem sempre uma sandwich - Fatia de baixo: "és muita linda", queijo: "mas já tiveste melhores dias"; fatia de cima: "mesmo assim, és maravilhosa). Hehe




terça-feira, 29 de dezembro de 2015

Vou mudar de visual. Help!

Ano Novo, vida nova. Nunca este clichê fez tanto sentido na minha vida. Além das grandes mudanças que aí vêm, quis acompanhar tudo isso com um novo look. Não lhe chamo um extreme makeover porque acho que para isso teria de fazer algo mais radical mesmo. Só sei que quero cortar, mesmo que depois me arrependa (Já cortei o cabelo várias vezes e acabo sempre por preferir comprido) e tenho de fazer madeixas, antes de voltar à minha fase Shakira.

Isto sou eu, super agradável à vista. Um pedaço de mau caminho. Uma belezura. Pois.


Já fui assim:




E, infelizmente, também assim:

Não sei o que me passou pela cabeça. Uma tesoura, é certo. Fiquei a parecer uma freak do Bairro Alto. Nada contra as freaks do Bairro Alto. Só não sou eu.
Tive outra muito boa, quando uma vez pintei o cabelo em casa de louro alaranjado, mas nem encontro fotos dessa altura, graças a Deus. Depois da parvoíce, fui sábia em não registar o desastre.

Mas e agora? Quero cortar pelos ombros (ou um bocadinho mais acima), mas estou super indecisa se faça franja ou não. Madeixas acho que vou continuar a fazer louras, como na imagem 1. Mas e corte? Arrisco tudo num 5 para ficar como a Claudinha (tão linda esta miúda, pá)? Ou um 2? 


Dúvidas, dúvidas... :) 


sexta-feira, 20 de novembro de 2015

Cortei-lhe o cabelo! Foi muito?

A foto dos "One Direction" abriu-me os olhos para o cabelo da Irene não estar nos conformes.


A Joana Paixão Brás achou por bem também comentar estas fotos da praia a dizer que o cabelo "meu deus".


No outro dia, lavei-lhe o cabelo e pensei: "não passa de hoje!". Tesoura das unhas e foi logo ali. Problema: esqueci-me que o cabelo sobe quando seca. Mas, assim, até parece giro, não parece? ;)


Também são vocês as cabeleireiras?




Tenho a sorte da Irene ter o cabelo frisado e, por isso, não se nota que eu tremia como se me tivessem obrigado a sair da última sessão no Colombo com um saco a dizer Furla.