Mostrar mensagens com a etiqueta luísa. Mostrar todas as mensagens
Mostrar mensagens com a etiqueta luísa. Mostrar todas as mensagens

segunda-feira, 9 de janeiro de 2017

A minha família basta-me.

Desde que tenho bonecas que sinto apelo maternal. Sempre soube que queria ser mãe. Dava nome aos bonecos e brincava com eles com todos os passos supostos, era preciosista. Dormia com eles, dava-lhes banho, dava-lhes colo, levava aquilo muito a sério. Brinquei até tarde.

Na faculdade, já sentia o relógio biológico a fazer tic tac. Acabei por pôr a carreira à frente, depois quis aproveitar alguns anos de namoro, a dois, e o meu sonho cumpriu-se aos 27 anos. Depressa soube que queria ter mais filhos. Agora tenho duas e sinto-me realizada. Não sei se sempre será assim, se sentirei o apelo mais alguma fez (se sentiremos, deixem-me usar o plural), se fará sentido daqui a uns anos aumentar a família. Para já, não digo que sim nem que não. O mais provável é que não. A ser sim, só por descuido ou daqui a muitos anos.
Esta é a minha família. E ela basta-me. Ver a Luísa, cujo corpo é fogo de artifício e tambores assim que vê o pai, completamente apaixonada. Ver a Isabel a acordar e a perguntar se a mana já acordou. Ver-me a conseguir dar colo às duas, valham-me as minhas cruzes, e a tentar gerir tudo o melhor que sei, valha-me a minha sanidade e o meu coração.

Ainda não faço malabarismos arriscados, ainda não me sinto capaz de cuspir fogo enquanto faço um mortal encarpado, mas já consigo não chorar quando o número de circo não corre como sonhei. Já relativizo. Pus na cabeça que vai melhorar, que vai ser menos difícil, que as dinâmicas e as rotinas vão passar a fazer parte, de forma natural, das nossas vidas.

Ainda não arranjei grande solução para as crises da Isabel, naturais da idade e do impacto de ter um irmão a roubar-lhe algum protagonismo, nem sei bem ainda o que fazer quando está a chover e tenho de por as duas no carro sem que se molhem, e por aí fora. Mas, um dia, tudo se fará e não serão uns pingos de água que me vão amedrontar.

Por enquanto, gozo a Luísa ao máximo, aproveito esta fase maravilhosa da Isabel, que me faz soltar gargalhadas e conjugo tudo o melhor que consigo.

Amo esta minha família. Adoro ser mãe. E tenho a agradecer, todos os dias, este privilégio.



Sigam-nos no instagram aqui 
a mim também aqui e à outra Joana aqui.
O nosso canal de youtube é este.

sexta-feira, 2 de dezembro de 2016

De Santarém para... PARIS!

Já tinha estado em Paris com 11 anos, em família. As memórias que tinha da cidade fundiam-se com as inúmeras que me invadiram no Fabuloso Destino de Amelie, Antes do Anoitecer, entre tantos outros... Sabia que lá havia de voltar, não sabia que seria com a minha bebé de seis meses. "Vais levar a Luísa?" "Ou vamos as duas ou não vai nenhuma." Além de ser amamentada, não estamos minimamente preparadas para nos separarmos. E assim foi. Carrinho bengala, Boba, mantinha emprestada de pelinho que era para o carrinho mas que adaptei ao babywear, gorro e lá fomos nós passear pela cidade que ficará no meu coração para sempre. Encantadora!





Uma viagem a convite da Parole de Mamans (e com o apoio da Selectour Afat) que me fez sair da minha zona de conforto, conhecer gente nova, conhecer as novidades de puericultura, dermocosmética e produtos para as mães no Carreu du Temple, trocar palavras com bloggers de Espanha e França (entre os 300 de vários países que lá estavam), a sentir-me uma Efluent e a ter cada vez mais certeza do poder impactante e influenciador dos blogues.

Adorei!

O hotel, o jantar de gala num barco ao longo do Sena, o evento onde pudemos ouvir a Magda do Mum's the Boss falar sobre parentalidade positiva (adorei a dica de partilharmos com os nossos filhos o que nos aconteceu ao longo do dia, em vez de só querermos saber deles, faz TODO O SENTIDO), os passeios pela cidade, a cama gigante que dividi com a Luísa (adoro camas de hotel), as novas tias bloggers que a minha filha ganhou... e a confusão no voo de regresso, em que a Luísa chorou desaustinada, foi um grão de areia para o bem que me/nos fez sair de Santarém e da rotina.

Obrigada à doce Virginie (Maman Double) pela simpatia e disponibilidade, uma anfitriã do melhor que há. Espero voltar a ver-vos para o ano!

Ó pra elas todas jeitosas!
A Francisca do Maisena, a Mariana do Aos Pares, a Carolina do Família 3 e 1/2 , a Ana do Cacomae, a Catarina do Ties, eu,
a Patrícia do Marcas Avant-Garde, a Inês do Eu, Mãe, a Magda do Mum's the boss e a Patrícia do Crónicas da Maternidade.
Ah! E falta aqui o Daddy blogger 

----

Ler mais sobre a viagem a Paris:
A conhecer todas as novidades das marcas no Carreau du Temple

A rapar 3 graus e a rezar para não ficar com gripe ;)
O vestido lindo é da Chic by Choice

E o @aMaeequesabe também.
O nosso canal de youtube é este.




quarta-feira, 30 de novembro de 2016

Seis meses!

Seis meses celebrados em Paris! Sei que para ela estar aqui ou em Setúbal é indiferente, só mais frio e com menos cheiro a peixe. Mas... eu estou feliz e ela deve sentir isso!  Anda toda bem-disposta, o normal dela portanto, apesar de ter tido febre baixinha (mas febre) no primeiro dia. Já estava quentinha antes de vir e eu andei ali "ó tio ó tio" indecisa se faria a viagem ou se ficaríamos em casa, mas acabei por arriscar (até agora não sei o que terá sido). Vir sem ela estava totalmente fora de questão. Sou das que não consegue fazer esse corte tão depressa. Com a Isabel fiz aos 9 meses, andei a viagem de 3 dias a morrer de saudades e a falar dela, e quando cheguei a casa ela estava bastante doente (ficou internada nesse dia). A partir daí custou-me dar o passo de me voltar a separar dela, demorou, mas também já consegui deixá-la dois dias, de cada vez, com os avós. Confesso que desta vez me está a custar mais e mal vejo a hora de a apertar todinha e esborrachar com beijos. 

A Luísa... a Luísa tem seis meses e eu estou tão apaixonada que nem me cabe no peito. É calminha mas se não me vê fica aflita. Está muito mãeólica, mas, pelo menos por enquanto, isso não me chateia nada. Já diz "dá dá dá" e "blá blá blá" (até aqui eram só grunhidos e gritinhos) e dá umas valentes gargalhadas. É bonita, redondinha, cheirosa e eu ando a aproveitar todos os segundos! Mesmo que às vezes já me apeteça ter um tempinho para mim, mesmo que por vezes reclame da minha vida ser só cocós e "gugudadas", mesmo que tudo seja intenso e cansativo, eu SEI que ela não poderia estar melhor entregue e sei também que tudo isto é o melhor para nós, em conjunto. Seis meses do melhor do mundo <3 Seis meses com duas pirralhas que são a luz dos meus dias (mesmo que às vezes a luz me encandeie). 

Parabéns, Luisinha! 



Sigam-nos no instagram aqui 
a mim também aqui e à outra Joana aqui.
O nosso canal de youtube é este.

terça-feira, 18 de outubro de 2016

Luísa, Luísa

Esteve com tosse e ranho, já está francamente melhor. Ontem senti-me até um bocado overprotective, mãe galinha, como lhe queiram chamar, ao ter pedido a uma fisioterapeuta respiratória para vir cá a casa. Viu a Luísa, que pouco ou nada tinha para expulsar. Disse-me gentilmente que não precisaria de nos voltar a ver em breve. Mas bem, fiquei mais descansada, que com isto das tosses não consigo brincar (depois da Isabel ter tido pneumonia, resultante de uma bronquiolite). Reaprendi a despejar soro "à bruta" no nariz da Luísa e é incrível como fica a respirar bem, mas bem. Já voltou a dormir a noite toda, calminha que só ela. Às sete da manhã ouvimo-la chuchar no polegar (agora aprendeu esta), já estava a preparar a mama, mas voltou a dormir até às 9h. É um alívio enorme vê-la assim, fresca e fofa, conversadora e a guinchar (sim, sim, já grita a gaiata!). Amanhã já vamos passear e tudo. <3






Coisa boa da mãe <3

Sigam-me no instagram @JoanaPaixaoBras
e o @aMaeequesabe também ;)

segunda-feira, 3 de outubro de 2016

Tudo não passou de um susto!

Estou tão feliz! Ainda bem que consegui não stressar muito com a questão do pé da Luisinha, porque teria sido totalmente em vão. Está tudo bem, é flexível, não oferece resistência aos movimentos, o tendão está okay. Tendencialmente vai para dentro mas assim que o manejamos ele assume a posição. Já tinha vindo a reparar, quando a punha "em pé", que ela até já conseguia por a planta do pé em contacto com o chão e, até antes da consulta de ortopedia, eu já andava mais descansada. Foi, de qualquer forma, uma excelente confirmação. Coração de mãe sereno (até à próxima) - check. 



Obrigada a todas pelas mensagens de apoio, conselhos, desabafos, histórias de sucesso desse lado. Há gente de garra por aí <3 e obrigada à futura grande médica que me enviou emails fantásticos e me ensinou uns exercícios muito bons [cada vez me surpreendo mais com as boas vibrações que há por aqui]


Sigam-me no instagram@JoanaPaixaoBras
e o @aMaeequesabe também ;)

sábado, 10 de setembro de 2016

Mil expressões num minuto

A mais comum é de sobrolho franzido, ali num misto entre desconfiada, a fazer-se difícil ou assustada, não sei bem. Mas, para mim, ri-se muito e fala muito, está a ficar uma tagarela. Como ainda anda naquela fase em que não pára um bocadinho quieta com as mãos e com os pés, está sempre a nadar bruços, é difícil ficar com fotografias focadas, mas faz parte :)







Vejam só a diferença do tamanho da Luísa, em três meses - aqui ou aqui.




Sigam-me no instagram @JoanaPaixaoBras
e o @aMaeequesabe também ;)

segunda-feira, 5 de setembro de 2016

Tenho de parar com isto

Sempre (ou quase sempre) que digo coisas queridas à Luísa quando a Isabel está por perto acabo por sentir que tenho de compensá-la de alguma forma. Um dia vou deixar de sentir este "peso" de tentar que a balança nunca penda para nenhum dos lados porque não temos de tratar os filhos sempre da mesma forma, em todas as circunstâncias. Eles são diferentes, as nossas relações com cada um deles acaba por ser diferente também. Posso estar a dar um beijinho à Luísa num momento e não tenho de ir a correr dar um também à Isabel. Posso estar a abraçar a Isabel e não tenho de ir logo a correr pegar a Luísa ao colo. Posso tentar fazer coisas diferentes com cada uma delas, reagir de forma diferente a cada situação, sem que nenhuma se sinta melindrada. Mas até agora ainda não consegui. Tanto que quando vi a Isabel a mexer na minha galeria de imagens do telemóvel senti necessidade de desviar a atenção dela para outra coisa. Lembrei-me logo: os vídeos, ela tem é de ver os vídeos. E porquê? Porque agora que a Luísa tem estado mais calminha, lhe tenho tirado muito mais fotografias. De repente tenho aquilo cheio de Luísa. E achei que a Isabel ia ficar triste. Sabia que nos vídeos ela apareceria muito mais vezes. Mas o mais engraçado foi que ela quis foi ver os vídeos em que a Luísa aparecia! Conclusão: às vezes o problema está só na nossa cabeça! Racionalizamos tudo demasiado! Tenho de parar com isto: querer fazer tudo 50/50, equitativamente, porque nem nós não somos máquinas nem eles sentem as coisas dessa forma.

Cá ficam as últimas fotografias da Luisinha, que por estar enorme (não faço ideia o percentil, nunca quis saber), cá em casa é tratada carinhosamente por budinha, lontrinha, gordinha.










Alcofa - Egg
Almofada - ByMom
Fofo - Knot


Sigam-me no instagram @JoanaPaixaoBras
e o @aMaeequesabe também ;)

quarta-feira, 31 de agosto de 2016

Três meses de Luísa

Dia 31 de maio repete-se todos os meses, mesmo nos que não têm esse dia. Vieste mudar a nossa vida, virá-la de pernas para o ar, porque por muito que sejas calma, a vida deixou de o ser. Vieste agitar a maré, torceste a tua irmã, mas tenho a certeza de que também fizeste nascer nela sentimentos únicos. Ficou ainda mais afectuosa, mais empática, mais carinhosa. Preocupa-se quando choras, tenta distrair-te e diz "a mana está aqui, Luisinha. Já vais à maminha, espera só um bocadinho, okay?". Já te deu uns "chega para lá" valentes, mas ainda ontem disse "gosto de ti, mana". De derreter qualquer coração. 

Sabes, Luisinha, apesar de não ter muitas fotografias tuas a sorrir, (quase) sempre que me vês, sorris. Quando acordas, de manhã, quando estou noutra divisão e regresso a ti, quando estou de costas e me viro, quando me meto contigo, quando percebes que vais mamar. Sorris e palras e adoras quando te interpelam. Podia jurar que te vejo aos pulos de alegria.

Sabes, Luisinha, às vezes estou a fazer o almoço ou outra coisa qualquer e dou por mim a balançar-te no colo, mesmo que não estejas. Como se essa dança já fizesse parte de mim, como se já não soubesse viver sem ela. E agora que já não precisas de estar todo o dia no meu peito, a ouvir o meu coração, a sentir o meu cheiro, apercebo-me do quanto cresceste e do quão depressa o tempo passa. Assim como os teus olhos verdes acinzentados que vão deixar de o ser e que quero gravar em mim. Assim como o tamanho das tuas mãos e dos dedinhos dos teus pés. Assim como os sons, ai os sons! 

É tão bom namorar-te, cheirar-te e desejar que os dias passem devagarinho, num amor sem fim e sem pressas. Já te conheço tão bem e ainda tenho tanto para descobrir. É esta a magia. Em tão pouco tempo sermos tanto, juntas. Obrigada, filha.

Sigam-me no instagram @JoanaPaixaoBras
e o @aMaeequesabe também ;)

quinta-feira, 25 de agosto de 2016

Já faz umas micro-sestas!

Confesso, andava céptica. Tudo o que fosse deixá-la deitada na cama nas sestas não iria resultar. No primeiro mês funcionou, no segundo nunca. Até parecia já estar no sono mais profundo, mas assim que a afastava do meu corpo "a cama tinha picos", como se costuma dizer. Agora, de vez em quando, já consigo que durma umas sestas pequeninas sem ser no colinho. Até aconteceu uma coisa inesperada: adormeceu sozinha, no sofá. Estava tão fora de mim que resolvi tirar uma fotografia com o telemóvel para enviar ao David. Resultado: acordou com o click (única vez em meses que tinha posto o telemóvel com som rrrrrr). 

Descrente como andava, tinha a minha To be touch ainda na caixa, feita parva (não a almofada, entenda-se), e só hoje lhe dei uso. Consegui almoçar em paz, assim que a Luisinha ferrou, lá fui eu alambazar-me (sou só eu que como em modo turbo, cheia de medo que a miúda acorde?). Amanhã repito a dose!


Já viram bem a coxa do bicho? <3 Meu leitãozinho.
E sim, as bordas da fralda estão para dentro, não admira que haja depois festivais de cocó...


 Sigam-me no instagram@JoanaPaixaoBras
e o @aMaeequesabe também ;)

sexta-feira, 19 de agosto de 2016

Olha que coisa mais linda...

...mais cheia de graça! Adorei a sessão fotográfica com a Susana Cabaço. Ontem mostrei aqui uma das minhas preferidas e hoje deixo-vos as restantes. Quero mais, mais e mais! (assim já não me posso queixar de não ter fotos com a Luísa! eheh)














Sigam-me no instagram @JoanaPaixaoBras
e o @aMaeequesabe também ;)

Estou a fazer tudo diferente com a segunda filha

Nem tudo. O amor, a essência, a vontade são os mesmos. Mas estou a aproveitar melhor tudo. Se há coisa que aprendemos com o primeiro filho é que eles crescem demasiado depressa. Além disso, arranjamos mecanismos e defesas e tentamos não stressar à mínima coisa. Aprendemos a confiar mais em nós, no nosso instinto. 

Tenho saudades da Isabel assim e às vezes gostava de voltar lá, sabendo o que sei hoje, com a calma e aceitação que entretanto ganhei. Hoje tive uma conversa enorme com a Luísa, daquelas deliciosas em que parecemos duas falantes de línguas incompreensíveis mas partilhamos uma química gigante e muitos sorrisos à mistura. Lembrei-me da boquinha mínima da Isabel e da expressividade dos olhos enormes, pestanudos, enquanto palrava. Emocionei-me. Continua com aqueles olhos e com a mesma expressividade a falar, a mesma voz doce e meiguinha. Só que já passaram dois anos e meio e eu não dei conta. Os primeiros meses então voaram! Quando tinha três meses - quase a idade da Luisinha - fui trabalhar e sinto que perdi tantas, mas tantas coisas. Desta vez vou fazer diferente, aliás, já estou a fazer. Menos internet, mais namoro. Ainda mais colo, mais maminha, mais beijos. Menos pressa para a passar para o quarto dela, menos horários. Fazemos sestas juntas, acordamos a olhar uma para a outra e a sorrir. Estou em paz. Mesmo com as dificuldades em gerir a frustração e as birras da Isabel, que já aceitei que possam estar para durar, estou a ser a melhor mãe que sei ser para as minhas filhas. A dedicar-me. A dar de mim. O que recebo em troca é tão, mas tão maior!


 
Amanhã mostro-vos mais fotografias lindas da Susana Cabaço Fotografia.

 
Sigam-me no instagram @JoanaPaixaoBras
e o @aMaeequesabe também ;)

sábado, 13 de agosto de 2016

Que amor!

Que amor, que doçura... Fiquei absolutamente rendida a estas fotografias da Susana Cabaço. Eu que nem era grande fã de sessões de recém-nascido, fiquei surpreendida pela delicadeza e pela ternura que estas imagens transmitem. Ainda bem que deixei que a Susana, que tem uns olhos meigos e uma serenidade que nos contagia, captasse estes momentos da Luisinha, com apenas 21 dias.













Sigam-me no instagram @JoanaPaixaoBras
e o @aMaeequesabe também ;)

sexta-feira, 5 de agosto de 2016

A Luísa é parecida com quem afinal?

Estamos naquela fase em que todos tentam dar palpites: cara do pai, cara da mãe, muito parecida com a mana, nada a ver com a mana, igual ao primo do tetravô.

Eu não faço a mínima ideia. Já a achei parecida com o David (queixo e boquinha igual, assim como as entradas e o remoinho), já a achei muito parecida com o meu irmão quando ele era bebé (estão a ver, não estão? eheh), tem coisas da irmã, mas não a consigo achar uma cópia. Meu? O nariz de batatinha.
















Tirei-lhes estas fotografias quando estávamos de férias nas Casas de Campo Vila Marim, no Douro. Até o parque dos baloiços tem uma vista linda, em Mesão Frio. Modéstia à parte, ficaram bem giras. Vá, não é mérito da fotógrafa, a lente da máquina é boa. ;)

O que acham, são parecidas?



Sigam-me no instagram @JoanaPaixaoBras
e o @aMaeequesabe também ;)