Mostrar mensagens com a etiqueta passeio. Mostrar todas as mensagens
Mostrar mensagens com a etiqueta passeio. Mostrar todas as mensagens

quarta-feira, 28 de dezembro de 2016

Viemos passear, apesar do ranho e da tosse!



Estivemos até à última de segunda a pensar se valeria a pena correr o risco de tirar as miúdas de casa. Mas a nossa vontade de passear com elas, longe da roupa por lavar e da louça a empilhar, de estar com elas e só para elas, foi mais forte. O ranho e a tosse continuam, mas quem nos garante que não teriam também em casa? Viemos. Ainda bem. Está a ser maravilhoso! (E por acaso até acho que reduziram, já que dormiram ambas a noite inteira – finalmente, que descanso!)

Já sabem que eu sou das que dava um dedinho para andar sempre a passear, a conhecer sítios novos e a dormir em hotéis: sim, tenho uma pancadinha por hotéis. Quem diz hotéis, diz pousadas, quem diz pousadas diz caravanas, quem diz caravanas NÃO diz tendas. Já dei para esse peditório. (Mentira, hei-de fazê-lo mais algumas vezes, mas só porque acho que as minhas filhas vão adorar). Gosto mesmo é de uma caminha confortável, lençóis branquinhos macios. Das primeiras coisas que faço quando chego a um hotel é ir experimentar a cama. Depois ver a vista. E depois a banheira, para me imaginar logo a tomar um banhinho com espuma. (Sim, é pouco ecológico, mas uma vez não são vezes). 

Viemos até Coimbra e ficámos no Vila Galé,  porque ficámos bem impressionados com o de Évora, porque tem piscina interior e é bem localizado. Gostámos muito de termos ficado numa suite júnior com porta de correr a separar quartos, para podermos ver filmes enquanto as miúdas dormiam. Vimos meio filme em cada noite, um balanço positivo para o normal (zzzzzzz). Experimentámos o restaurante (alambazei-me com um risotto divinal de camarão) e gostei particularmente do facto do menu para criança não ter aquele ar de comida de plástico que se vê por aí (ainda me hão de explicar esse fenómeno)... Tinha verdes e a comida era saborosa! A sopa então devia estar supimpa porque a Isabel (pisca e ligeiramente anti-sopa) comeu até à última gota. Usei a palavra supimpa? Usei. Ah! Joana Gama, isto sim é um adjectivo. (Para perceberem melhor esta boca, leiam o que a engraçadinha andou a escrever aqui a gozar comigo). 

Em Coimbra, o primeiro sítio a que fomos foi à Universidade, ver as vistas e visitar a biblioteca joanina (maravilhosa). O resto, conto-vos amanhã, onde vos darei 3 dicas para quando visitarem esta cidade linda! E mostrar mais fotos aqui das miúdas giras.




















Coisinhas que podem ter achado giras:
O meu casaco - Joana Tomaz

Gorro da Isabel - Baby Bonnet
Sapatos e Botas Isabel - Trutué 
Carrinho Luísa - BébéConfort
:::::::::::::::

Sigam-nos no instagram aqui 
a mim também aqui e à outra Joana aqui.
O nosso canal de youtube é este.


quinta-feira, 13 de outubro de 2016

Olha nós!

"Olha nós!", diz-me a minha filha, com a maior das felicidades, a olhar para as nossas fotografias. Mas logo depois pergunta: "E a mana? Não está?" (estava a dormir no carrinho enquanto o pai nos tirava estas fotografias).

Quando chegámos de fim-de-semana, pediu-nos para voltarmos para a "casa das férias". Ela já começa a perceber como funcionam as semanas, já sabe que há dias de descanso, dias em que estamos todos juntinhos, em que o pai não vai trabalhar para longe, em que não há escola. Não que faça drama algum quando há escola, antes pelo contrário, adora. Mas agora, quando sabe que vamos "paxiar" fica em êxtase. "Os catro! Todos!"

Sim, filha, os quatro. A maravilha de sermos quatro em tão pouco tempo é saber que na cabeça dela não haverá outro número. É esta a família dela e sempre foi. Aliás, quando vê fotografias dela em bebé diz logo que é a Luísa. A Luísa fará sempre parte do passado dela, mesmo não tendo lá estado sempre. Que, no fundo, é um bocadinho o que eu sinto em relação à minha vida: quando penso no meu passado, estabeleço sempre uma relação com as minhas filhas, um traço, uma comparação, e acabo por ficar com a sensação de que já as carrego comigo há anos e anos, como se não houvesse um antes. É demasiado estranho sentir isto?



















Para quem precisar de ideias para escapadinhas, passámos um fim-de-semana tranquilo, num quarto enorme (mesmo, mesmo grande), com pequenos-almoços maravilhosos, jantar muito bom e um cheiro óptimo a flores no jardim no Hotel Rural Quinta do Marco. Aconselho!


Sigam-me no instagram @JoanaPaixaoBras
e o @aMaeequesabe também ;)

quarta-feira, 24 de agosto de 2016

Sim, visto calções!

Provavelmente vai parecer a coisa mais estúpida que já ouviram, mas quem teve complexos em miúda (ou ainda tem), vai perceber. Já odiei os meus joelhos. As minhas pernas, no geral, mas principalmente os joelhos. Não deixei de me importar totalmente, não deixei de ver, mas passei a assumir como parte de mim e a deixar de me importar com o que os outros possam pensar.

Quando tinha uns 14 anos e a minha mãe me ofereceu uns calções da Agatha Ruiz de la Prada, todos coloridos, tive um ataque de nervos. No meio da parvoíce da idade do armário e dos complexos, senti aquilo como um afronta. Chorei, berrei e - agora dá-me para rir, claro - chamei à minha mãe "assassina" (a lógica devia ser "queres que me mate?"). Descontroladíssima, claro, estão a ver o nível de falta de amor próprio que para ali ia. Foi uma vitória começar a vestir calções curtos, saias, vestidos que deixassem ver os joelhos e a coxa. Uma vitória ainda maior seria deixar mesmo de me importar com, mas duvido que consiga. Até lá, vou gozando o facto de não ter vergonha, de não querer saber, de me sentir confortável com roupas curtas no verão. Who cares? "Dar importância ou que a tem, Joana", converso muitas vezes comigo, para me convencer. E foi com umas jardineiras muita' giras que fomos até ao Jardim da Liberdade, em Santarém, para a Isabel se divertir. O resto... o resto são só uns joelhos.





A Isabel quis imitar uma miúda que lá andava e descalçar-se e eu deixei. Foi libertador!





Luísa com a sua mais recente paixão: as mãos. Só falta aprender a chuchar nelas.

Jardineiras - Pura

Sigam-me no instagram@JoanaPaixaoBras
e o @aMaeequesabe também ;)

sábado, 13 de agosto de 2016

O melhor do fim-de-semana!

Ui que já me perdi. Já passei oficialmente para o lado das bloggers pipis (só que com uma continha com 1/100000000 do dinheiro). 

Sim, estreei um vestido novo a pensar nas fotografias que ia tirar. Sim, fui para Belém às 7 da manhã (a Irene acordou às 6 e tal) com a família e fomos tomar pequeno almoço fora, mas o "pior" de tudo, foi dizer que isto foi o melhor do fim-de-semana. 

Aqui entre nós, não foi. Parece, mas não foi. O melhor foi (até à escrita deste post), a tarde de sábado em que a Irene, toda nua, andou a fazer moche para cima de mim no sofá com 30 graus em casa (não temos ar condicionado) e eu tive imensa oportunidade de a abraçar e de sentir as axilas dela todas suadinhas (eu sei, sou esquisita), etc. 

Há várias coisas importantes a reter nestas fotografias: 

- Tenho umas pernas óptimas, quase que compensam a barriga.

- Não passa despercebido - achei que sim - que o amarelo da mala não é o amarelo dos sapatos.

- A Irene é bonita, mas com a luz do nascer do sol fica um abuso.

- Eu sei que os sapatos não sei quê, mas sou péssima a andar de saltos-altos (pareço uma arca da Olá) e estes tolero MUITO bem. 

- As fotografias do Frederico estão a ficar mais aceitáveis. 





 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 
Sigam-me no instagram @JoanaGama
e o @aMaeequesabe também ;)

Não tenho fotografias na praia!

Não tenho fotografias na praia. Umas duas ou três no meu instagram, tiradas à pressão. Se já é um filme conseguir sair de casa, os cremes, meter nas cadeirinhas, a viagem, estacionar, levar a casa às costas para a praia, as miúdas, o chapéu, estar lá uma hora, um passeio ultra-rápido à beira-mar, a Luísa dorme, a Luísa mama, a Isabel vai à água com o pai (foi uma vez com a mãe! yeah), a areia, chegar ao carro, vir para casa, deixar as horas de maior calor passar e voltar à praia ao final do dia é uma lufa lufa, é uma logística do caraças. Não há tempo para fotografias, há que aproveitar o pouco tempo que temos juntos. Para o ano, tento, juro! Até porque adoro fotografar, adoro registar os momentos em família, o crescimento das minhas meninas... mas, vocês sabem...

Vá lá, ainda tenho umas de reserva da nossa semana no Norte para vos mostrar, onde tínhamos mais tempo para tudo, mais calma, onde o calor não era tão abrasador e dava para aproveitar melhor a rua. Adoro praia, a sério que adoro, mas com a Luísa tão pequenina ainda não consigo desfrutar bem... Fica para o ano!



Nas Casas de Campo Vila Marim

Luisinha bem-disposta com um fofo Tsuru <3

No Castas e Pratos, na Régua



Sigam-me no instagram @JoanaPaixaoBras
e o @aMaeequesabe também ;)