Mostrar mensagens com a etiqueta restaurantes onde ir com os filhos. Mostrar todas as mensagens
Mostrar mensagens com a etiqueta restaurantes onde ir com os filhos. Mostrar todas as mensagens

terça-feira, 15 de dezembro de 2015

O melhor do fim-de-semana.

Estou farta de falar da doença da Irene. Já chega! 

Antes dela ficar doente (prometo que não falo mais da doença neste post hehe) fomos ao meu sítio preferido agora para ir ao sábado. Já tínhamos ido no sábado anterior e tivemos mesmo que repetir. Além de ser super Kid Friendly (já adicionei a tag restaurantes onde ir com os filhos e tudo, vejam mais aqui). 

O que é que este sítio tem de bom? Primeiro: uma babysitter. Excelente. Uma rapariga muito querida (e muito gira, vão ter que dizer "então????" ao vosso marido) e com muito jeitinho que fica a tomar conta dos mais piquenos (ahah odeio quem diz piquenos, mas não resisti).

Além disso, é um brunch que tem das minhas coisas preferidas (óptimas para a dieta que ando a fazer - not!). Em vez de ser imensa comida à fartazana, tem mais coisinhas boas para comer. Não fotografei nada de jeito com o telemóvel, mas vou sacar ali umas fotografias à net e já venho!




Tirei as fotografias da Zoomato.

Percebem o que quero dizer? Estou a suspirar de só olhar para isto. Parece pornografia. E, bem, para mim é. Tem imenso impacto a nível físico na minha pessoa. Sei que dispensam pormenores. E tudo muito querido, com plaquinhas escritas à mão, lindas...

O Frederico preferia que houvesse mais colestrol envolvido, mas isto é brunch para mulher. Brunch para quando somos nós a escolher o sítio.

Tem lugar para estacionar, tem uma vista maravilhosa (peçam lugares em frente à janela), têm dois turnos e, por isso, podem ir na hora que mais vos der jeito por causa dos bebés e há  imensa boa onda por todo o pessoal. O mais provável é que encontrem amigos vossos lá que o sítio parece estar "na berra". Eu encontro sempre gente e não sou a pessoa mais social do mundo.

É 20 euros por pessoa, mas podemos enfardar o que quisermos... faz-me feliz só ver a mesa. Ver tudo tão bonito, tudo!

Já disse o que é e onde? É o brunch do restaurante do Museu do Oriente. Durante a semana não sei que nunca lá fui, mas adivinho que seja maravilhoso na mesma.

Estávamos muita lindas, não estávamos?



Até tirámos uma fotografia de casal e o Frederico não é muito dessas coisas ;)
E, se passarem pelo meu instagram ainda vêem a Irene a embuchar massa como se a vida dela dependesse disso, ou vejam aqui! ;) Vale a pena, garanto. 

Recomendo e marquem já hoje para o fim-de-semana. A sério. 

sexta-feira, 12 de junho de 2015

E almoçar fora com eles? É muita giro é..

Hã? Hã? Hã?

Vamos lá a ver quais são as dificuldades.




Pelo menos para mim (e, atenção, para vocês isto pode não ser nada, mas para mim que sofro de ansiedade, parece o final do mundo, embora não saiba explicar bem porquê):

- Ir numa boa altura de acordo com o sono dela. Ela ainda faz, maioritariamente duas sestas. Quando não faz, a única sesta calha em cima do almoço.

- Dar-lhe o almoço em casa é desperdiçar tempo dela num bom intervalo de sono. Quando chegar ao restaurante já pouco tempo de vigília com boa disposição lhe resta.

- Dar-lhe o almoço enquanto almoço no restaurante é uma chatice, porque queria estar a comer em paz.

- Ela não fica quieta e embuchá-la de pão não serve para aguentar o almoço todo.

- Até já cedi aos vídeos no youtube e também não. O meu rico telefone já está rachado ao meio.

- Ela querer mama e para não impressionar as pessoas mais sensíveis, ter que me ausentar e ir para a casa de banho (até prefiro para lhe dar maior atenção e estar tudo mais calmo, sinceramente).

- Ela estar sempre a pedir-nos para ir andar e não se calar até um de nós se levantar da mesa e ir com ela passear à porta e voltar, passear à porta e voltar.

- Já não fica confortável na cadeira do Ikea que os restaurantes têm e não adora ficar parada no carrinho.



Isto vai ser assim para sempre? Preciso de truques e de apoio, sinceramente. Não só porque não estou a usar soutien neste momento, mas acima de tudo palavras de apoio, vá.

Não me digam para me borrifar para a questão do sono porque já tentei e foram os piores almoços da minha vida.

quinta-feira, 7 de maio de 2015

5 coisas para fazer em Évora


1. Engordar 1 quilo e meio no Pão de Rala

Um outro roteiro turístico qualquer não começaria por aqui, mas gulosa que se preze nem põe em causa esta minha sugestão. Não sei como andei alheada do mundo e só descobri isto agora. Vá, vão lá deixando a baba escorrer com estes doces conventuais.

2. Ir ao Jardim Público


Além do parque infantil muito bem equipado, é um sítio lindíssimo, com ruínas, coretos, lagos, espaços para piqueniques, pavões e é tudo muito, muito verdinho. Desconhecia a existência disto antes de ser mãe e vale muito a pena ir lá com as crias.


3. Encher o bandulho no Monte da Graciete
(e aproveitar para descansar depois no jardim)



É um restaurante fresco, espaçoso, daqueles onde há sempre espaço para carrinhos, cadeirinhas e para eles andarem a passear pelas mesas. Funciona em buffet e tem todos os petiscos alentejanos e mais alguns: até torresmos (blhec, não me convencem, ok?). As migas são uma delícia e tem uma mesa de doces digna de casamento. O atendimento é impecável. Único contra: pedi Coca-cola Zero e veio uma Pepsi Light. Nada a ver.


4. Ir à Praça do Giraldo
(se bem que, pelas fotos, podíamos estar na Conchichina, que ninguém duvidava)

É a praça principal de Évora, com lojinhas (e umas de roupa de criança maravilhosas), esplanadas e com o famoso Café Arcada. Não fica muito longe do Templo de Diana (onde podem deixar o carro) e fazem perfeitamente o percurso a pé com as crianças. Sim, a Isabel era minúscula nestas imagens!


5. Ficar em algum sítio de molho


Évora é das cidades mais quentes no verão. Ainda este fim-de-semana, com chuva em várias partes do país, estava lá um calor que pedia piscina. Por isso, aconselho-vos a arrendarem uma casinha de campo ou a verem algum destino de turismo rural.
O airbnb é, para mim, um dos melhores sites com casas para se arrendar por uns dias, onde quer que se vá, com preços para várias carteiras (e coisas muito em conta) e com aquela sensação de que se vive mesmo nos sítios.


Bons passeios!


domingo, 18 de janeiro de 2015

Restaurantes onde ir com os filhos (#05) - Rio's

É verdade, é verdade que a maior parte dos restaurantes que eu sugerirei aqui terão um buffet de cozido algures durante a semana, mas isso é porque o meu homem anda alimentado a cozido. 

Este cozido, do que ele disse e repetiu umas quatro vezes, incluindo a sopa, é muito bom. Fica dito.

Borrifando-nos para a opinião do meu marido, vamos ao que interessa!

A comida é óptima, os empregados são muito simpáticos, têm cadeiras para bebés (umas que, por acaso, me dão um bocadinho de medo porque ficam só apoiadas na mesa, sem pés), muitos casais, ao fim-de-semana levam crianças, há boa música ambiente...



É um dos meus restaurantes preferidos (acima de tudo por ter um crocante de queijo de cabra com mel que saio de casa já a salivar só de pensar nisso) também pela vista, claro.
Não me apeteceu andar a tirar fotografias ao restaurante por dentro à la turista, por isso ficam aqui as do site deles. 
Quanto à vista lá fora, que aproveitámos enquanto o pai foi fumar um cigarro (o sacana que pode fumar e eu não): 





Agora imaginem isto no Verão! Não eu... Isso não é bom de imaginar, mas o espaço lá de fora para almoçar/jantar e umas drinks (apeteceu-me dizer drinks mas, mais uma vez, uma palavra que nunca me tinha saído, a não ser que fale a dormir).

 Vista: Para o porto de recreio de Oeiras, muito bonita (e com esplanada para as refeições, no Verão, apenas)

 Estacionamento: parque privativo com elevador para o restaurante (é pago e convém levar moedas que é daquelas máquinas que se arma em estúpida com os trocos)

 Comida: Óptima variedade, comida fina e bem tratada. 

 Preço: É carote (apesar de valer a pena), não sei ao certo porque nunca me ofereci para pagar a conta, que não sou parva. 

 Crianças: Bem recebidas, apesar de haver possibilidade de se fumar praticamente na mesma divisão e com cadeiras um pouco duvidáveis no que toca a segurança.

✔ Serviço: Simpáticos e muito atentos, se não estiverem a abarrotar, claro!

sábado, 10 de janeiro de 2015

Restaurantes onde ir com os filhos #4 - Capricciosa Carcavelos

Talvez não esteja a dar novidade nenhuma a ninguém, mas se há restaurante onde podemos ir calmíssimas com os miúdos é a Capricciosa. E porquê? Porque o nosso bebé vai ser apenas mais um dos 30 que lá vão estar.

Caso esteja bom tempo, a esplanada é maravilhosa e até puxa por uma sangria. Além da vista lindíssima para o mar, do ambiente solarengo e acolhedor de madeirinhas brancas, come-se uma bela pizza ou pasta e depois, para compôr, alambazabo-nos com uma tarte de maçã quentinha com gelado de baunilha. 

Se o nosso bebé chorar não vamos ter olhares reprovadores e bocejos nas mesas do lado porque o mais provável é estar lá mais algum bebé a chorar também. Regra geral, está tudo bem-disposto e é raro ouvir-se algum chorar.

O parque de estacionamento ao lado costuma estar composto, mas há um enorme em terra batida mesmo em frente, com passadeira. Tem cadeirinhas, espaço para as crianças andarem sem chatearem muito o vizinho do lado e trocador na casa de banho.









Fotografias da página do restaurante


 Vista: Muito bonita (e com esplanada para as refeições)

Estacionamento: parque enorme mesmo em frente (é só atravessar a estrada)

Comida: Come-se boas pizzas e pastas

Preço Médio: 15-18 euros

 Crianças: Por todo o lado e ainda assim o ambiente é calmo

✔ Serviço: Apesar do espaço ser muito grande, há sempre funcionários atenciosos e simpáticos


sexta-feira, 9 de janeiro de 2015

Restaurantes onde ir com os filhos #3 - Claro!

Vamos a isso, vamos a mais um restaurante onde os nossos filhos são muito bem recebidos e onde nos dê gozo ir com eles (e até sem eles, neste caso). 

Este restaurante é, para mim e para o meu rapaz (o que tem bigode farfalhudo, o pai da miúda, pronto), muito importante. Além de o termos conhecido juntos (não há cá histórias de já lá ter ido com uma ex qualquer), foi onde ele (depois de uns copinhos) me pediu em casamento (um dia conto como foi, mesmo que não vos interesse, é a vantagem de um blogue hehe). Foi também onde lancei o meu livro também ("Estou toda grávida", é giro hehe). 




É mesmo na marginal, por isso a vista é o que nós sabemos. Tem parque de estacionamento próprio, mesmo à entrada do hotel. Ah! É num hotel (Solar Palmeiras). Por isso, se forem lá numa de festarola com malta que depois não deva conduzir, há sempre um sítio onde possam ficar sem ser no vosso sofá.



A comida? Excepcional. O Chef Claro (ele chama-se Vitor Claro, daí o nome do restaurante) gosta tanto do que faz que até no nosso primeiro jantar (há 2 anos, acho), já fazia as coisas assim: vai servindo sem dizer o que é e, depois de tentarmos adivinhar é que ele se descose (e nem sempre, gosta de guardar o seu segredinho). É também apaixonado por vinhos, pelo que no restaurante tem sempre escolhas curiosas e que, geralmente, dá a conhecer a quem lá vá, incluindo o seu próprio "Dominó".


Tem desde coscorões de alheira (cujo cestinho, por termos gostado tanto, foi o sítio onde levámos as alianças do nosso casamento), ravioli de fois gras com amendoins e caldo de castanha, carpaccio de novilho com dobradinha, etc. Não divulgo mais que o homem pode cobrar direitos de autor. 



O pão é feito por ele, a focaccia também... só para terem uma noção do amor à comida. 
Para restaurante de cozinha de autor, o preço é mesmo muito em conta. Para a qualidade da vista? Nem preciso de dizer mais nada... 





Aquisição recente de cadeiras do Ikea para os bebés se sentirem crescidos connosco à mesa. A Irene estava a delirar e portou-se bem durante uma hora (!!!). 




Aqui está ele, o homem "da hora", Chef Vitor Claro! Refiro-me ao senhor da esquerda, a pessoa da direita é a minha filha.




 Vista: Excepcional.

 Estacionamento: parque privativo.

 Comida: cozinha de autor, com amor.

 Preço: para cozinha de autor: preço muito em conta.

 Crianças: bem recebidas com cadeiras e espaço para correrem.

✔ ✔ Serviço: óptimo, somos recebidos como habitués e ficámos amigos do chef. 

domingo, 4 de janeiro de 2015

Mães que tudo sabem (#02) - Margarida Neuparth


A Margarida Neuparth, para mim, era uma rapariga muito simpática que conheci num trabalho que fizemos as duas no Algarve para a rádio onde trabalho (aturou-me durante 15 dias, coitadinha).

Depois, aos poucos, fiquei a saber que além de professora de dança, era modelo fotográfico e que estava apaixonadíssima pelo namorado que era jogador de futebol. 

Agora é mãe do Santiago ("Santi") e o pai é o tal namorado da altura: Adrien Silva. Grande Adrien que ontem marcou dois grandes golos contra o Estoril. Um deles foi uma autêntica obra de arte! 


1 - O que é que o Santiago está a fazer enquanto respondes a isto? 

Está a dormir. Caso contrário não conseguia pegar no telemóvel sem ter que o dividir com ele! 

2 - Que cuidados tiveste durante a gravidez ou... que crimes cometeste e que até te souberam bem? 

Segui à risca aquilo do "não comer saladas fora de casa, o que até me deu algum jeito porque não gosto lá muito de saladas e assim tinha uma desculpa! De resto, fiz todas as asneiras a nível alimentar a que tinha direito (tipo comer dois croissants de seguida e dizer que um era para o bebé).



3 - Tanto te dava ou até preferias um menino? Qual era o nome pensado para menina? Preferes não dizer para não te roubarem a ideia?

Sinceramente, preferia uma menina, chamava a minha barriga de "Matilde" e tudo. Todos os dias conversava com a minha "Matilde", até ao dia em que soube que vinha aí um rapaz. Fiquei um um pouco em choque e até me custou um bocadinho mudar o nome... Agora, já estou completamente rendida (excepto quando vou as lojas e vejo a roupa de menina).


4 - Disseste numa entrevista (aqui) que o Adrien é um pai muito atento, mas... aqui entre nós: tens que lhe pedir para ele ir mudar as fraldas ou vai a correr sozinho (e com o miúdo, senão.. não dava, claro)?

Por acaso, na maior parte das vezes, pega mesmo no Santiago e faz sozinho! I'm a lucky woman! A verdade é que também depende muito de que hora do dia é que estamos a falar... Se é que me entendes! 




5 - Preferias que o Santiago fosse jogador de futebol como o pai ou professor de dança, como a mãe? 

Vou ter que responder a típica resposta de mãe: "quero que ele seja o que quiser, e o que o fizer mais feliz", mas claro que se puder ser isso e ganhar um bom ordenado é melhor para não ter que nos "cravar".

6 - Não te vou perguntar se já recuperaste a tua forma física, porque te tenho no Facebook e só me apetece esganar-te. Posso esganar-te? Só um bocadinho? Isso é tudo genética ou é muita dança no bucho?

Também não é bem assim, porque os efeitos do Instagram me têm ajudado e muito (ehehe). Começar a dar aulas outra vez tem sido uma grande ajuda a voltar à minha boa forma física e também já fiz algumas dietas daquelas malucas, que só consigo fazer uma semana (uma semana duma, 4 dias de outra). A verdade é que ajudou, na mesma, a ir ao lugar mais rápido! 


7 - Farta de que associem futebol ao Santi? Aposto que tens aí uns quantos comentários que ouviste de imensa gente que achou que estava a ser super original e criativa... Conta! 

Não há NINGUÉM que não diga "ahhh vai ser jogador de futebol como o pai?!". O coitado do miúdo não pode abanar as pernas que dizem logo "já ta a dar pontapés como o pai!". Neste Natal recebemos 8 bolas (mais do que os meses do Santiago), uma baliza e uma mochila que diz "quando for grande vou ser jogador de futebol". Por este andar, acho que daqui a uns tempos, vou ter a minha casa transformada num estádio! 

8 - O que foi o mais difícil até agora nesta aventura da maternidade? O parto correu muito bem, por isso... o que foi/é mais desafiante?

Acho que o mais difícil são as noites. Apesar de ter alguma sorte, porque o Santi só come as 6h da manhã, ele perde muitas vezes a chucha e o meu sono nunca mais foi o mesmo e logo eu que sempre fui muito preguiçosa e muito amiga da minha cama, por isso é realmente o que me continua a custar mais!




9 - O que dirias a uma Margarida que estivesse agora a pensar em ter o primeiro filho?

Tem, vais ver que é realmente o melhor do Mundo, mas aproveita e dorme tudo o que podes agora antes que ele nasça! 


10 - O que achas do nosso blogue? Estou só à pesca de elogios porque já me tinhas dito que gostavas e vejo os teus likes nas publicações... Quero que assumas isso publicamente, percebes? Percebes? 

Posso assumir publicamente que dou verdadeiras gargalhadas sozinha em frente ao telemóvel a ler o vosso blog! Adoro, leio tantas coisas que me identifico e isso faz me sentir tão bem e que não estou sozinha... 
De manhã é leitura obrigatória na minha rotina! Faz me realmente sentir bem!




11 - No início não publicavas fotografias da cara do Santiago, mas depois não resististe. O que achas de publicarmos fotografias dos nossos bebés na Internet e o que te fez mudar de opinião?

No início não queria porque não gostava muito de ver o Santiago nos jornais desportivos, mas desde o momento em que o Adrien decidiu levá-lo para a apresentação da equipa no estádio de Alvalade (e esse momento apareceu na televisão e jornais) que achei que já não valia mais a pena "esconder" o meu filho. Não vejo mal em publicarmos os nossos filhos na internet, mas claro em situações que não sejam demasiado íntimas... Respeito, porém, que haja pessoas que não gostam. Acho é "estúpido"  quando põem a foto inteira e depois usam o "paint" ou uma "desfocagem" para tapar a cara: ou põem ou não põem! 

12 - Fica aqui oficializado que o Santiago vai ser namorado da Irene ou dizes isso a todas? 

A verdade é que o Santi já tem varias pretendentes, mas sim, a Irene está no topo da lista!




13 - Já andas a pensar no próximo filho de fininho ou... queres ainda ver se dormes uns bons mesinhos em paz antes de te meteres no próximo?

Eu queria dormir uns bons mesinhos, mas acho que nos próximos anos isso não vai ser possível porque queremos uma família grande. O Adrien antes de ter o Santiago queria 5 filhos, agora já mudou para 3 ou 4, por isso pensamos em ter já  outro no próximo ano!

14 - O vosso restaurante (La Dolce Vita) é bom para levarmos lá os nossos miúdos? Porquê?

Temos dois: um na Expo e outro no Chiado. 
O da Expo é um restaurante que consegue receber muitas pessoas  e, por isso, tem muito espaço para as crianças, tem esplanada, estacionamento fácil, etc.  É muito agradável para ir com a família. 
O do Chiado tem um ambiente mais "chique". É claro que também acolhe muito bem as crianças, mas é melhor para um jantar romântico com o pai, por exemplo!
Em ambos os restaurantes há pizza, por isso podemos dar-lhes o rebordo para eles se "calarem" um bocadinho e ficarem a mastigar aquilo ou, então, podem também dar um pouco de massa da pizza crua  para se entreterem a fazer moldes! Na expo temos muda fraldas e posso dizer que o Santiago já o usou muitas vezes!




15- A mãe é que sabe?

Sem dúvida alguma que a mãe e que sabe! Sinto me que me tornei numa "super" mulher, sinto que há poderes em mim que não tinha dantes e agora sou capaz de tudo. Sinto que mesmo quando estou a explodir, há sempre uma força extra que nunca existiu e agora veio de não sei onde e me ajuda sempre que preciso! 
Sou mais feliz, sou mais completa, tenho mais olheiras, tenho o coração mais cheio, não sei tudo..... Mas sou mãe e a Mãe e que sabe!! 



quinta-feira, 1 de janeiro de 2015

Restaurantes onde ir com os filhos #2 - Las Brasitas (Docas)

Se são como nós, se andam sempre à procura de restaurantes onde se coma bem, onde haja lugar para estacionar facilmente, onde haja cadeiras para bebés, onde os bebés possam fazer "estrilho" sem ficarmos muito envergonhados, aqui está mais uma sugestão: 

Las Brasitas, nas Docas. 

Sim, ao que parece ainda há la restaurantes. Pensei que as Docas tivessem morrido durante a minha adolescência, mas não. Eu é que deixei de lá ir. 

Além de ter um espaço enorme para crianças maiores poderem gastar as pilhas à vontade (o caso de um dos meus irmãos que foi a este almoço), é óptimo para se fumar uns cigarros cá fora depois da refeição (para quem fume, para quem fume, mas não fume desde que engravidou, fica só a ver e a chorar para dentro). 

Têm fumadores e não fumadores, óptima vista, boa comidinha, preços aceitáveis, boa vista, já tinha dito? E empregados muito simpáticos. Há um que até faz teatrinho para os bebés (o que pode ser um pouco sinistro quando se empolga demais). 

 Vista: muito agradável, são as docas, acho que toda a gente conhece a vista.

 Estacionamento: parque aberto dos dois lados das docas, não precisam de apanhar muito frio, a não ser que estacionem no lado oposto por serem totós como eu.  

 Comida: eu cá gostei, mas quando voltar não será por isso. 

 Preço: quanto menos se comer, menos se paga.

 Crianças: bem recebidas e com cadeiras do Ikea para os bebés, zona para não fumadores no andar de cima (têm de levar o carrinho lá para cima, mas os senhores ajudam porque, como disseram, "já estão habituados". 

✔  Serviço: simpáticos, o normal, à excepção do senhor do bigode que fazia o tal teatrinho para a Irene. 

O "após-almoço" dá boas fotos! :)











sábado, 29 de novembro de 2014

Restaurantes onde ir com os filhos #1 - Commenda (CCB)

(sim, isto é para ver se os restaurantes começam a enviar vales de desconto ou bifes cá para casa para serem publicitados no blog, a ver se pinga, a ver...)

Commenda

Dois dos meus restaurantes preferidos para ir com bebés são no Centro Cultural de Belém. Depois digo o outro (não que seja muito difícil porque acho que só há esses dois) para ocupar todo um novo post com isso. 

Como o meu marido e eu somos muito caseiros, para sairmos em família temos de ser motivados ou pela comida ou pela comida. A Irene já sabe que, se o pai está a empurrar o carrinho quer dizer que, daqui a 50 metros, vai cheirar a fritos.

Nunca gostámos de restaurantes com barulho, agora talvez tenhamos que frequentar mais desse género para os "ataques de fúria" ou de "cantoria desalmada" da Irene não enfurecerem ninguém sem um coração.

A Commenda é um bom equilíbrio: além de estar num sítio bastante agradável e com uma vista muito simpática (não esquecer que dizer que se foi almoçar ao CCB fica sempre bem, porque parecemos minimamente culturais ou assim), a comida e o serviço são impecáveis.

São kids friendly (têm uma quantidade infindável de cadeiras altas do Ikea e uma até para bebés mais pequenos) e, por isso, imensas famílias vão lá ao domingo (que eu tenha reparado) para os pais comerem o semanal buffet de Cozido à Portuguesa. Não sei se o meu marido vai gostar que divulgue o cozido que, assim, talvez os melhores enchidos já estejam ratados quando chegarmos. Não ratem os melhores enchidos, sff, senão sou capaz de apanhar na farinheira focinheira.


 Vista: muito agradável.

 Estacionamento: parque coberto (e o restaurante valida o ticket) com elevador directo.

 Comida: carta muito agradável e um buffet de cozido à portuguesa divinal, ao domingo.

 Preço: de graça, se for outra pessoa a pagar.

 Crianças: bem recebidas com cadeiras e espaço para correrem.

✔ ✔ Serviço: óptimo, somos recebidos como habitués e servem-me "o costume".


Fotografias Zoomato e TripAdvisor