Mostrar mensagens com a etiqueta diu. Mostrar todas as mensagens
Mostrar mensagens com a etiqueta diu. Mostrar todas as mensagens

sexta-feira, 3 de fevereiro de 2017

aDIU aDIU! Já fui pôr o Diu!

Já fui pôr o DIU. Tenho colegas tão novas que acharam que ia ser eu a metê-lo na casa de banho. Que queridas. Não, não fui eu a pôr. 

Fui à minha GO que é um amor de pessoa, super relaxada e tranquila, com sentido de humor e tudo. Não sei porquê, acho que a parte do sentido de humor também é importante numa ginecologista-obstetra. Nem que seja porque como me vê em situações que estou mesmo muito nervosa, sempre consegue fazer-me rir. Tive uma que não era assim e que tinha as unhas muito grandes. Ah! Além das unhas, tinha uma câmara para ver dentro de mim e cujo ecrã também estava visível para mim. Não sei porquê, mas dispenso. Dispensei. 

Para ver o meu pipi na televisão, ao menos que seja depois de ter passado um recibo verde a alguém. Assim, não. 

Fui. Estava nervosa. Quando entrei na sala, a médica já sabia porque a recepcionista já se tinha descosido toda (com boa intenção, claro). Depois de mais uma breve explicação de como iria tudo acontecer, lá me fui "pôr a jeito". Nunca será agradável estar naquelas camas. Aliás, agora faço tanto ginásio que o meu instinto ainda foi procurar pela barra olímpica para fazer uns pull ups (o meu PT se lesse isto iria ficar orgulhoso - só não lê, porque não sabe! - brincadeira!!! lê livros e tudo!).

Tirei só para vos mostrar.
Ahahah!
Depois do habitual afastamen... porque é que vos estou a contar isto? Bem, vamos lá ao que interessa: deu. Doeu ao ponto de me terem saído uns dois f* e de ter dito umas 40 vezes p*ta na cabeça. Parece que tenho o útero em itálico e o facto de estar amenorreica não me permitiu ir menstruada o que faria com que fosse tipo side and splash só que para dentro - do que percebi. 

Mesmo com um ben-u-ron no bucho, nada evitou que eu sentisse dor muito semelhante às contracções do parto. Não gostei e só isso me deu algum alento de que me estava a proteger contra isso mesmo de que estava a sentir. 

Depois de meia hora a sentir pena de mim própria, fui trabalhar a sentir aquelas dores chatas de período e às 8h da noite com outro bur no bicho já não senti nada. Hoje fui treinar e tudo. 

Durante 5 anos não tenho que me preocupar com o facto de estar dotada do poder de gestação e, segundo consta, vou andar com muita mais vontade de "ir aos treinos". Além de que estou curiosa para ver como reage o meu problema de pele na cara à "ausência" da pílula e, já agora, se me vai ajudar na minha emotividade toda com a comida. 

A ver quem é a Joana menos drogadinha com hormonas. Cuidado! 

PS (como se isto fosse uma carta, adoro as bloggers que escrevem posts como se fossem cartas e que cumprimentam a malta e se despedem no fim, imagino-as sempre a lamber a cola do envelope e a saírem com um ar gratificado do correio) - só me custou 30 e tal euros porque isto é altamente comparticipado. Parece-me uma boa opção para quem ande a pensar "mais filhos nos próximos anos não" como eu! 

:::::::::::::::::::
Sigam-nos no instagram aqui 
a mim também aqui
O nosso canal de youtube é este

quinta-feira, 26 de janeiro de 2017

Vou por um DIU.

E o que é que vocês têm que ver com isto? Nada. Ou, se calhar, tudo!

Sabem no que reparei? No outro dia, por causa do meu problema de pele (rosácea) tive de tomar alguns comprimidos. Entre eles, um antibiótico (verifiquei a sua compatibilidade com a amamentação no e-lactância, claro). O antibiótico corta a pílula (nunca me esqueci disto depois de ter ouvido histórias de malta que engravida assim "sem querer) e reparei que me sentia de forma diferente. Senti até alguma libido - que sempre atribuí que não fosse um comportamento expectável em mim.

A verdade é que praticamente desde que iniciei a minha vida sexual (bem... as conversas que para aqui vão) que tomo contraceptivos orais que, como todas sabemos, são combos de hormonas que deitamos pela goela abaixo. Mesmo a "anel", creio que ainda terá uma dose hormonal significativa, apesar de localizada.

Pensei: não haverá uma maneira de não me "intoxicar" tanto e de ter o mesmo efeito? Visto que não planeio ter um segundo filho para breve (como escrevi aqui, por exemplo, ou aqui), talvez seja uma boa candidata para por um DIU.

Marquei consulta na minha GO (termo que só passei a conhecer quando quis engravidar) e realmente parece ser uma óptima decisão. É o chamado "aqui vou eu". O mais tardar em Fevereiro já tenho aqui o bicho (salvo seja). 

Quais são as vossas experiências ou opiniões? Já pensaram nisto? 

::::::::::::::::::::::

Sigam-nos no instagram aqui 
a mim também aqui e à outra Joana aqui.
O nosso canal de youtube é este.